Novidades

[News]Martin Kohlstedt convida Hannah Epperson para o projeto "Recurrents"

https://www.warnerclassics.com/br/playlist/recurrents
MARTIN KOHLSTEDT CONVIDA HANNAH EPPERSON PARA O PROJETO “RECURRENTS”


Para Martin Kohlstedt, é sempre sobre discurso, transformação e reflexão. Os dois primeiros álbuns compostos pelo pianista alemão, “TAG” e “NACHT”, foram colocados nas mãos de músicos talentosos para trabalharem a mágica. Agora, as peças dos álbuns “STROM” e “STRÖME” receberão versões extraordinárias.

Sob o nome “RECURRENTS”, uma coleção de retrabalhos das peças originais será lançada - música por música. Os artistas envolvidos, todos eles companheiros de Martin Kohlstedt, puderam aproveitar uma riqueza de materiais: as gravações do álbum original com o coral Gewandhaus, as faixas de piano e as bases sonoras eletrônicas, e muito mais, foram o conteúdo da arca do tesouro à sua disposição. Já lançado: Rearranjos de Henrik Schwarz, Robag Wruhme, Peter Broderick, Ätna, Marlow.


Créditos da imagem: J. Konrad Schmidt

Martin Kohlstedt sobre Hannah Epperson: “foi uma viagem memorável a caminho de Santiago de Compostela, atravessando todo o norte da Espanha. Depois de dias em meio à natureza, sempre de alguma forma perto do oceano, varremos a areia do ônibus de turismo e seguimos para tocar no festival local WOS. Enquanto eu vasculho o line-up do festival, todos os meus sensores foram capturados instantaneamente pela cantora e violinista Hannah Epperson. Sua música “Brother” se tornou a trilha sonora do resto da viagem e fiquei em êxtase ao encontrá-la e ouvi-la tocando. O mais cativante é que ela também veio ao meu concerto e, portanto, duas criaturas com idéias semelhantes se encontraram sob o pôr-do-sol purpúreo, em meio a edifícios idílicos da cidade velha. Anos mais tarde, nos encontramos novamente e jogamos frisbee no Alinae Lumr Festival, na pitoresca Storkow, e ficou cada vez mais óbvio: esses dois pertencem um ao outro. E então a inacreditável Hannah Epperson abriu seu estojo de violino e fez sua mágica na minha peça ‘TARLEH’, que agora soa fora deste mundo!”.

Hannah Epperson sobre Martin e o rearranjo de “TARLEH”:

“Martin e eu somos peças do mesmo tecido, eu soube desde o dia que nos conhecemos. Estávamos envolvidos em um do-si-do inter-europeu, em geral fazendo shows nas mesmas cidades, mas separados ​​por alguns dias ou semanas, distintamente conscientes um do outro, mas muito raramente no mesmo lugar e ao mesmo tempo. Isso é comum quando você compartilha um agente de shows. O que é menos comum é quando o seu agente de shows é um amigo querido e um embaixador incansável. Essa é uma conexão que Martin e eu compartilhamos com nosso agente e é apenas o começo de todo um cosmo de pontos em comum. Mais notadamente, reconheci uma tensão em Martin que muitas vezes eu sinto agudamente - entre uma energia infantil inesgotável, por um lado, e uma energia sinistra, escura e profunda do oceano, por outro. Nossas respectivas músicas - que eu acho que são expressões dessas tensões - têm tantos pontos de interseção, embora superficialmente possam ser classificadas de maneira diferente. Então, quando Martin me pediu para fazer uma reinterpretação de seu trabalho (nos conhecemos digitalmente de diferentes fusos horários e do outro lado do oceano, mas sob a mesma grande lua), fiquei ao mesmo tempo encantada por finalmente entrelaçar nossas músicas e aterrorizada porque poderia descobrir no processo que eu não estava preparada para a tarefa ou que tínhamos menos em comum do que eu pensava. Para superar esse medo, voltei-me para os aspectos mais elementares da minha criação musical e ofereço uma interpretação usando violino e voz, que gravei no meu quarto de infância. Eu acho que nesse retrabalho, de alguma forma, voltei no tempo e encontrei Martin como ele era quando ele começou a batalhar seu início. Uma nota de LEH no tempo certo em seu relógio de parede aos 12 anos. Das 9 horas de fuso horário e 8.000 km, eu não conseguia me sentir mais perto de Martin do que nessa música que fizemos”.

Sobre Hannah Epperson:

“A canadense Hannah Epperson tem muitas cordas atadas ao seu pote. Uma vencedora de frisbee da equipe nacional do Canadá, uma violinista consumada, uma compositora maravilhosa, Hannah Epperson é de verdade, uma artista millenial” – The Line of Best Fit. Hannah Epperson tem viajado em turnê pela Europa extensivamente nos últimos dois anos, e para aqueles que a seguiram, não houve fim para os fluxos e refluxos da aventura. Cada um de seus mais de 100 concertos e festivais tem momentos e histórias únicos e especiais. Colaboradora frequente, ela compartilhou o palco e o estúdio com Fleet Foxes, Ry X, Julianna Barwick e muito mais. Com seu violino, pedal de loop e voz, Hannah tem a capacidade de se perder no design de seus próprios mundos sem nunca deixar seu público para trás.


Se você ainda não conferiu o registro original de “Tarleh”, confira aqui:”


Redes Sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/martinkohlstedt?fref=ts
Instagram: https://www.instagram.com/martinkohlstedt/
Youtube: https://www.youtube.com/channel/UC3oguQjIlPwZ_znyU1RenDA
Site: https://martinkohlstedt.com/

PR/WMB

Nenhum comentário