Novidades

[News] Dez documentários sobre artistas da música para assistir no Curta! em junho


Produções sobre música de qualidade têm presença constante na programação do Curta! e, em junho, não será diferente. Neste mês, destacam-se dez documentários que exploram a trajetória de grandes artistas, como Maria Callas, Jards Macalé e Clementina de Jesus; ou contam a história de festivais, como o lendário Festival de Águas Claras, e de movimentos musicais, como o rock de Brasília na década de 1980 e a Tropicália.

Entre eles, três longas serão exibidos em comemoração ao aniversário de grandes artistas: “Karingana – Licença Para Contar” homenageia Maria Bethânia (nascida dia 18); “Gilberto Gil – Antologia Vol. 1” celebra Gilberto Gil (que é do dia 26); e “Alceu – Na Embolada do Tempo” comemora a vida de Alceu Valença, que completa mais um ano de vida no dia 1º de julho.

 “Rock Brasília — A Era de Ouro”, de Vladimir Carvalho

Sábado, 6 de junho, às 14h25
A história dos jovens brasilienses que, liderados por Renato Russo, veem o seu sonho tornado realidade — a consagração e o sucesso de suas várias bandas de rock. Nesta terceira parte de uma trilogia sobre a formação histórica, política e cultural de Brasília — as outras são “Conterrâneos Velhos de Guerra” (1991) e “Barra 68” (2000) —, o cineasta Vladimir Carvalho investiga as origens das grandes bandas de rock que tomaram de assalto o cenário musical brasileiro a partir de 1980, como Legião Urbana, Capital Inicial, Plebe Rude e muitas outras. Uma história pontuada por momentos inesquecíveis, como o quebra-quebra no show do Legião Urbana no Estádio Mané Garrincha, em junho de 1988, e o grande show do Capital Inicial na Esplanada dos Ministérios, em 2008, com Dinho Ouro Preto cantando a música do colega Renato Russo “Que País É Esse?”. Diretor: Vladimir Carvalho. Duração: 112 min. Classificação: 12 anos. Horários alternativos: 6 de junho, sábado, às 14h25; 7 de junho, domingo, às 21h.

“Maria Callas – Vida e Obra”, de Alan Lewens e Alastair Mitchell

Segunda-feira, 8 de junho, às 21h
Um dos nomes mais famosos da história da ópera, a soprano Maria Callas arrebatou o público com suas performances cheias de carga dramática, aliada a uma bela voz. O documentário "Maria Callas: Vida e Obra" conta a história de sua vida com muito material de arquivo e entrevistas com importantes nomes das artes que conviveram com a cantora. Produzido em 1987, o documentário dá voz a várias personalidades que já não estão mais vivas. Entre os entrevistados, estão o diretor Franco Zeffirelli, o tenor Giuseppe di Stefano, o regente Carlo Maria Giulini, o pianista Robert Sutherland, o agente S. A. Gorlinsky e muitos outros. Diretores: Alan Lewens, Alastair Mitchell. Duração: 55min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 09 de junho, terça-feira, às 01h e às 15h; 10 de junho, quarta-feira, às 09h; 14 de outubro, domingo, às 15h.

“O Barato de Iacanga”, de Thiago Mattar

Sábado, 13 de junho, às 22h10
O documentário musical mostra os bastidores do Festival de Águas Claras, o mais lendário festival alternativo dedicado à música brasileira. A narrativa é construída a partir de Leivinha, idealizador do evento. Na época com 20 anos, ele organizou as quatro edições do festival (1975, 1981, 1983 e 1984) transformando a fazenda de seus pais no principal destino hippie daquele período. Diretor: Thiago Mattar. Duração: 94min. Classificação: 10 anos. Horários alternativos: 08 de junho, segunda-feira, 22h15; 9 de junho, terça-feira, às 02h15 e às 16h15; 10 de junho, quarta-feira, às 10h15; 13 de junho, sábado, às 22h10; 14 de junho, domingo, à 13h10.

“Tropicália”, de Marcelo Machado

Segunda-feira, 15 de junho, às 22h25
“Tropicália" é um retrato de um dos movimentos mais marcantes na cultura brasileira, o Tropicalismo. Feito quase que inteiramente com imagens de arquivo dos anos de 1967, 1968 e 1969, o documentário traz material fotográfico, sequências de filmes e programas de TV especialmente recuperados e deliciosamente embalados pela música de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Os Mutantes e Tom Zé. Um momento de descoberta e confronto no início dos anos de chumbo. Diretor: Marcelo Machado. Duração: 87min. Classificação: 14 anos. Horários alternativos: 16 de junho, terça-feira, 02h25 e 16h25; 17 de junho, quarta-feira, às 10h25; 20 de junho, sábado, às 13h; 21 de junho, domingo, 19h25.

“Karingana – Licença para Contar”, de Mônica Monteiro

Quinta-feira, 18 de junho, às 21h40 – Em comemoração ao aniversário de Maria Bethânia, no mesmo dia
Maria Bethânia leva, pela primeira vez, seu ensaio poético até Moçambique. A intérprete apresenta trechos de obras conectadas com diferentes formas de expressão em língua portuguesa. Com depoimentos de Mia Couto, José Agualusa e de diversos escritores e críticos literários moçambicanos e angolanos, o documentário apresenta o desenvolvimento da literatura em Moçambique e Angola. Trata de temas como a importância da literatura na resistência à colonização, a conexão com idiomas nativos e tradições orais e a influência de escritores brasileiros em Angola e Moçambique. Diretora: Mônica Monteiro. Duração: 73 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 19 de junho, sexta-feira, 01h40 e 15h40; 21 de junho, domingo, às 18h05; 22 de junho, segunda-feira, às 09h40.

“Jards ”, de Eryk Rocha

Segunda-feira, 22 de junho, às 21h
"Jards" é um documentário de Eryk Rocha que trata da vida e da obra do cantor Jards Macalé, autor de famosas canções, como “Vapor Barato”, “Gothan City” e “Movimento dos Barcos”. O filme também mostra um pouco do processo criativo do último álbum do cantor, lançado em 2011. Diretor: Eryk Rocha. Duração: 93 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 23 de junho, terça-feira, 01h e 15h; 24 de junho, quarta-feira, às 09h; 27 de junho, sábado, às 09h; 28 de junho, domingo, às 13h20.

“Count Basie: Por Ele Mesmo”, de Jeremy Marre

Segunda-feira, 22 de junho, às 22h45
A biografia contada pelas próprias palavras de Count Basie revela as paixões e ambições que inspiraram o famoso pianista. Diretor: Jeremy Marre. Duração: 60min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 23 de junho, terça-feira, às 02h45 e às 16h45; 24 de junho, quarta-feira, às 10h45;

“Gilberto Gil: Antologia Vol. 1”, de Lula Buarque de Hollanda

Sexta-feira, 26 de junho, às 21h30 – Em comemoração ao aniversário de Gilberto Gil, no mesmo dia
“Gilberto Gil — Antologia Vol.1”, sexto documentário realizado por Lula Buarque de Hollanda com o artista, apresenta obras compostas entre 1968 e 1987. Gil revela sua visão de mundo e potência criativa em expansão no início de carreira, num turbulento momento histórico brasileiro. O filme de montagem é construído a partir de vasta pesquisa de imagens de arquivo e revisita o contexto das músicas em conversa com o próprio criador.   Diretor: Lula Buarque de Hollanda. Duração: 70min. Classificação: Livre.

"Alceu – Na Embolada do Tempo”, de Paola Vieira

Segunda-feira, 29 de junho, às 22h25 – Em comemoração ao aniversário de Alceu Valença, dia 1º de julho
O documentário apresenta um painel da carreira do cantor e compositor Alceu Valença, através de performances ao vivo, comentadas pelo próprio e por terceiros, contextualizando sua obra singular na história cultural recente do país. Diretor: Paola Vieira. Duração: 90min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 30 de junho, terça-feira, às 02h25 e às 16h25; 01 de julho, quarta-feira, às 10h25; 04 de julho, sábado, às 14h50; 05 de julho, domingo, às 22h25.

“Clementina”, de Ana Rieper

Segunda-feira, 29 de junho, às 21h
Filme sobre universo de Clementina de Jesus, revelada aos 63 anos como uma das maiores vozes da história do samba. Considerada por muitos o elo perdido entre a cultura brasileira e as raízes africanas. Diretora: Ana Rieper. Duração: 75 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 30 de junho, terça-feira, às 01h e às 15h; 01 de julho, quarta-feira, às 09h; 04 de julho, sábado, às 22h30; 05 de julho, domingo, às 14h25.

Sobre o Curta!

O canal Curta! é um dos novos canais brasileiros da TV paga que mais aprovou projetos para financiamento pelo Fundo Setorial do audiovisual. Até agora foram financiados, para estreia no CURTA!, mais de 120 longas documentais e 800 episódios de 60 séries, atendendo à grade temática do canal: música, artes cênicas, metacinema, pensamento em humanidades, história política e sociedade.

O Curta! pode ser visto nos canais 56 e 556 da NET e da Claro TV, no canal 75 da Oi TV e no canal 664 da Vivo, oferecido à la carte pela operadora. Siga o Curta! nas redes sociais: www.facebook.com/CanalCurta, https://twitter.com/canalcurta e www.youtube.com/user/canalcurta. Saiba mais em http://www.canalcurta.tv.br.




Nenhum comentário