16 outubro 2018

[News] Show do Palavra Encantada é o destaque na programação de lazer do SESC RJ na Jeunesse Arena no dia 21 de outubro


O Sesc RJ promoverá um dia repleto de atrações de cultura, esporte, educação e lazer na Jeunesse Arena, no Parque Olímpico da Barra da Tijuca, dia 21 de outubro, dentro da programação especial deste mês em que se celebra os dias das Crianças (12/10) e dos Comerciários (15). O evento começa às 10h e se estende até as 16h, tendo como destaque o show do grupo Palavra Cantada, às 16h. Os ingressos devem ser retirados nas unidades do Sesc RJ, até 20/10, mediante a entrega de 3 quilos de alimentos não-perecíveis, ou então na Jeunesse Arena no dia do evento. Os donativos serão revertidos ao programa Mesa Brasil Sesc.
No espetáculo voltado ao público infantil, o grupo, liderado por Sandra Peres e Paulo Tatit, apresenta os sucessos da carreira e hits mais recentes que têm tido grande repercussão no YouTube. Entre as novidades estão “Cuida com Cuidado“ e “Passeio do Bebê“. Na lista dos clássicos está “Eu sou um bebezinho“, “Tartaruga e Lobo“, “Alienígenas“ e “Vai e vem das estações“. Feita por encomenda de uma mãe através do YouTube, “Sambinha da Fralda Molhada“ também integra a setlist.
Fundado em 1994, o Palavra Cantada apresenta melodias, letras e arranjos originais, sempre sob uma poética que respeita a inteligência e a sensibilidade infantil. Ao todo, são 15 CDs, 10 DVDs e 7 livros lançados, onde sempre esteve expressa a preocupação de valorizar a cultura, os ritmos e os instrumentos brasileiros. Elogiada pelo público e pela crítica, a dupla acumula seis Prêmios da Música Brasileira.
DIVERSÃO AO LONGO DO DIA - Antes do Palavra Cantada, ao longo do dia, crianças e suas família poderão se divertir com jogos cooperativos, gigantes, de mesa e de tabuleiro. Haverá performances circenses, show de mágica, contação de histórias, pintura facial e atividades educativas, como oficinas esportivas, de desenho, de ímãs de biscuit, dedoches, além de jogos em língua estrangeira. O público poderá aprender ainda a confeccionar bijuterias, biojóias, acessórios, instrumentos musicais e brinquedos com material reaproveitado.

SERVIÇO
Show do Palavra Cantada e programação de lazer
Dia 21/10 - das 10h às 16h
Jeunesse Arena: Av. Embaixador Abelardo Bueno, 3401 - Barra da Tijuca, Rio de Janeiro
Entrada: 3kg de alimento não-perecíveis*

*Troca por ingresso pode ser feita em todas as unidades Sesc RJ e na sede até dia 20/10. Dia 21/10, a troca será exclusiva na Jeunesse Arena
Show do Palavra Cantada: 16h


[News] Netflix lança o trailer de The final table-Que vença o melhor


                                                  Trailer:



12 times de chefs renomados mundialmente disputam por uma posição na Mesa Final.
Os 12 times incluem (nome dos restaurantes, localização e cidade natal):

Aaron Bludorn (Cafe Boulud: Nova York, NY, Estados Unidos, de Bainbridge Island, Washington, Estados Unidos) e Graham Campbell (Castlehill Restaurant: Dundee, Escócia/Reino Unido, de Oban, Escócia)
Darren MacLean (Shokunin: Calgary, Canadá, de Innisfail, Canadá) e Timothy Hollingsworth (Otium: Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos, de Houston, Texas, Estados Unidos)
Shin Takagi (Zeniya: Ishikawa, Japão, de Ishikawa, Japão) e Ronald Hsu (Lazy Betty: Atlanta, Georgia, Estados Unidos, também de Atlanta, Georgia, Estados Unidos)
Alex Haupt (101 Gowrie: Amsterdã, Holanda, de Sydney, Austrália) e Ash Heeger (Ash: Cidade do Cabo, África do Sul, de Umtata, África do Sul)
Shane Osborn (Arcane: Hong Kong, China, de Perth, Austrália) e Mark Best (Bistro by Mark Best: Hong Kong, China & Singapura, de Sydney, Austrália)
Monique Fiso (Hiakai: Porirua, Nova Zelândia, de Wellington, Nova Zelândia) e Amninder Sandhu (Arth: Mumbai, Índia, de Jorhat, Índia)
James Knappett (Bubbledogs/Kitchen Table: Londres, Inglaterra, de Newmarket, Reino Unido) e Angel Vazquez (Salomé, Into/Angurio: Puebla, México, também de Puebla, México)
Jessica Lorigo (Topa Sukalderia: San Sebastián, Espanha, de Buffalo, Nova York, Estados Unidos) e Johnny Spero (Reverie: Washington DC, Estados Unidos, de Baltimore, Maryland, Estados Unidos)
Collin Brown (Chef Collin Brown: Londres, Inglaterra, de Trelawny, Jamaica) e Colibri Jimenez (Casa Morales/My Bowls: Oaxaca, México, de Morelos, México)
Esdras Ochoa (11 Westside/Salazar/Mexicali Taco & Co.: Hong Kong, China & Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos, da Cidade do México, México) e Rafa Gil (Highest Hotel in the World: Hong Kong, China, de Bataguassu, Mato Grosso do Sul, Brasil)
Charles Michel (Nomad Culinary Artist: Equador, Colômbia, França & Londres, de Bruges, França) e Rodrigo Pacheco (Boca Valdivia: Manabi, Equador, de Quito, Equador)
Manuel Berganza (Tapas Club: Singapura, de Gijón, Espanha) e Benjamin Bensoussan (Honest Greens: Madri, Espanha, de Paris, França)

Os chefs serão julgados por celebridades e críticos gastronômicos de nove países, incluindo Alessandra Ambrosio, Bebel Gilberto, Dax Shepard e Colin Hanks:

Celebridades:
Alessandra Ambrosio e Bebel Gilberto (Brasil)
Hikari Mori e Yuji Ayabe (Japão)
Esterelle Payany (França)
Alessandro Del Piero e Eleonora Cozzella (Itália)
Hasan Minhaj e Ranganathan Madhavan (Índia)
Gary Lineker e Cat Deeley (Reino Unido)
Miguel Bose e Ana Polvorosa (Espanha)
Martha Higareda e Julio Cesar Chavez (México)
Colin Hanks e Dax Shepard (Estados Unidos)
Críticos gastronômicos:
Josimar Melo (Brasil)
Sam Sifton (Estados Unidos)
Mariana Camacho  (México)
Borja Beneyto (Espanha)
Jay Rayner (Reino Unido)
Rashmi Uday Singh (Índia)
Andrea Petrini (Itália)
Francois-Regis Gaudry (França)
Akiko Katayama (Japão)

          Sobre The Final Table - Que vença o melhor
The Final Table - Que vença o melhor é um show de competição culinária global com os chefs mais renomados do mundo que disputam pela última posição na Mesa Final, composta pelos melhores profissionais da área no mundo. A série reúne 12 duplas de chefs de cozinha do mundo inteiro encarregados de preparar pratos tradicionais do México, Espanha, Inglaterra, Brasil, França, Japão, Estados Unidos, Índia e Itália. Cada episódio destaca um país e sua culinária, com a participação de celebridades, críticos gastronômicos e do chef mais admirado de seu respectivo país, que eliminam equipes até a final. No último episódio, somente um dos chefs competidores ganhará um lugar na Mesa Final entre os melhores do mundo, ao lado dos nove lendários ícones da culinária mundial: Enrique Olvera (México), Andoni Aduriz (Espanha), Clare Smyth (Reino Unido),  Helena Rizzo (Brasil), Vineet Bhatia (Índia), Grant Achatz (Estados Unidos), Carlo Cracco (Itália), Yoshihiro Narisawa (Japão) e Anne-Sophie Pic (França). A série é apresentada por Andrew Knowlton, escritor vencedor do prêmio gastronômico James Beard e editor da revista americana Bon Appétit. Com criação e produção executiva de Robin Ashbrook e Yasmin Shackleton (ambos de MasterChef e MasterChef Junior), The Final Table - Que vença o melhor é produzido pela theoldschool.
Para mais informações sobre The Final Table - Que vença o melhor, visite Netflix Media Center + nossas redes sociais:

Sobre a Netflix
A Netflix é o principal serviço de entretenimento por internet do mundo. São 130 milhões de assinaturas em mais de 190 países assistindo a séries, documentários e filmes de diversos gêneros e idiomas. O assinante Netflix pode assistir a quantos filmes e séries quiser, quando e onde quiser, em praticamente qualquer tela com conexão à internet. O assinante pode assistir, pausar e voltar a assistir a um título sem comerciais e sem compromisso.


[News] ¨Central do Brasil¨ será exibido na Mostra SP e Festival do Rio

"Central do Brasil", dirigido por Walter Salles, estará de volta à tela grande em cópia restaurada em 4k, com a primeira exibição no Brasil na 42ª Mostra São Paulo. A sessão, em comemoração aos 20 anos deste clássico nacional, será realizada no dia 30 de outubro e terá a presença do diretor, da atriz Fernanda Montenegro e do ator Vinícius de Oliveira. O filme também será exibido no Festival do Rio no dia 3 de novembro, na Mostra Clássicos e Cults, e será relançado com uma nova edição em DVD no mês de dezembro. 
O longa conquistou mais de 50 prêmios internacionais, entre eles destacam-se: o Urso de Ouro no Festival de Berlim e o Urso de Prata de Melhor Atriz para Fernanda Montenegro; além disso, foi consagrado como Melhor Filme Estrangeiro no BAFTA, em Londres, e no Globo de Ouro, em Los Angeles.
"Central do Brasil" foi restaurado com o apoio do CNC, o Centro Nacional de Cinematografia francês, e da coprodutora francesa MACT.  Pela VideoFilmes, o trabalho foi coordenado por Maria Carlota Bruno, diretora da produtora. O restauro e a marcação de luz da primeira cópia do filme em 4K  foram realizadas no laboratório francês Éclair, e supervisionados pessoalmente por Walter Salles. A versão digitalizada de "Central do Brasil" respeita o formato panorâmico (2.35) em que foi filmado por Walter Carvalho, em Super 35. 
O DVD do filme terá extras como o documentário "Socorro Nobre" dirigido por Walter Salles (1995, 23’) e fotos da filmagem feitas por Walter Salles, Walter Carvalho, Paula Prandini e Ricardo Sá. Para completar a  efeméride em torno do filme, "Central do Brasil" foi apresentado nesse ano no Festival de Bologna na Itália e foi relançado na França em julho de 2018, já com a nova cópia digital. O clássico também será exibido no Lisbon & Sintra Film Festival , que ocorrerá em Portugal, entre 16 e 25 de novembro de 2018, e no Panorama Coisa de Cinema, que acontece de 14 a 21 de novembro, em Salvador.

"Central do Brasil" também ganhou um site novo, resgatando textos do diretor e críticas publicadas na época do lançamento nos cinemas, em 1998. E ainda, um novo cartaz inspirado na peça utilizada na estreia do longa na França, há duas décadas.


SINOPSE
Dora (Fernanda Montenegro) escreve cartas na estação Central do Brasil, no Rio de Janeiro, para pessoas analfabetas. Quando volta para casa, relê as cartas com sua amiga Irene (Marilia Pêra) e juntas decidem se elas merecem ou não ser enviadas aos destinatários. Quando uma de suas clientes é atropelada, seu filho Josué (Vinicius de Oliveira), de nove anos, fica perdido na estação. A contragosto, Dora acolhe o menino e o leva aos confins do Nordeste, à procura do pai. Os dois, tão diferentes entre si, se aproximam à medida que viajam país adentro.

FICHA TÉCNICA
Dirigido por WALTER SALLES
Produzido por ELISA TOLOMELLI
Roteiro JOÃO EMANUEL CARNEIRO E MARCOS BERNSTEIN
Fotografia WALTER CARVALHO
Montagem ISABELLE RATHERY E FELIPE LACERDA
Som JEAN CLAUDE BRISSON
Música ANTONIO PINTO E JAQUES MORELENBAUM
Direção de Arte CÁSSIO AMARANTE E CARLA CAFFÉ
Uma Coprodução VIDEOFILMES – RIOFILME – MACT PRODUCTIONS – ARTHUR COHN – DONALD RANVAUD
©VideoFilmes 1998




[Programação] Teatro da semana

   Confira a programação de teatro da semana:

                  Shopping da Gávea
Marina nada morena,sábados e domingos às 17h, até 28 de outubro. 60 a inteira e 30 a meia.


Baseada no livro autoral de mesmo título da carioca meio portuguesa, Vanessa Balula, o espetáculo infantil Marina Nada Morena estreia no dia 02 de setembro no Teatro das Artes, no Shopping da Gávea, Zona Sul do Rio e fica em cartaz até 28 de outubro. Com direção de Ernesto Piccolo, a peça marca a estreia de Mel Maia e Cauê Campos no teatro, interpretando Marina e Lucas, dois amigos inseparáveis. Tendo como personagem principal, Marina, uma encantadora menina dona de um olhar diferente sobre tudo e que transborda de tanta história boa para contar, a trama lida com temáticas do cotidiano de forma dinâmica, abordando as diferenças da vida moderna e tendo como foco principal o valor da amizade.
Para a autora Vanessa Balula, Marina Nada Morena é uma história que vai tocar não apenas o público infantil, mas também os adultos, por possuir personagens que colorem a vida real, pontuam a fantasia, envolvendo e comovendo o expectador.
“O universo da Marina, tem muitos ecos das referências de mundo de sua família e esse é o grande lance do texto – é aí que se dá o encontro da emoção dos pais com os seus filhos. Pois é reencontro da lembrança, da saudade, esse gostinho bom de voltar no tempo com a surpresa boa de se identificar com os personagens e sua história. Isso é bonito de ver”.
Vanessa conta ainda que ao longo da trama, Marina vai passando por diversas situações mas que sempre dará um jeito de lidar com todas da melhor maneira possível: “A Marina passa por muitas questões: separação dos pais, um novo casamento do pai, a mudança de casa, a mudança do seu grande amigo para o exterior, etc. Nada disso é fácil, mas ao longo da história ela vai criando e nos apresentando recursos emocionais para lidar e conviver de uma forma bacana com tudo isso. E mesmo quando tudo mais não é tão alegre quanto ela gostaria, ela arruma uma forma de passar a ser.”
Para o diretor Ernesto Piccolo, é sempre uma honra trabalhar com uma peça e um elenco infantil: “Creio que não pode haver qualquer talento sem que haja um pouco de criança em si. Quando eu vou fazer espetáculo infantil eu viro uma criança, gosto de trabalhar o lúdico, com a imaginação. Adoro trabalhar com crianças, jovens e adolescentes, é uma graça ver a espontaneidade, a maneira como eles se jogam para contar a história e nesse espetáculo, particularmente, o Cauê e a Mel são dois brilhantes, fofos, então está sendo muito prazeroso. Eu espero que o público se divirta com essa história da Marina e do Lucas, uma história de amizade, de aventura”.

Tô de graça,sextas e sábados às 21h e domingos às 20h. 80 a inteira e 40 a meia.Até 28 de outubro

Um dos maiores êxitos do canal Multishow em 2017, faz sua estreia no Teatro das Artes, com texto e direção de Rodrigo San’tanna.
Graça (Rodrigo San’tanna) é uma pedinte e catadora de lata que tem a missão diária de sustentar e administrar as confusões de um marido eternamente desempregado e dos seus treze filhos.
É sobre essa personagem tão comum, e ao mesmo tempo invisível à sociedade, que a história de “Tô de Graça”, já aclamada na TV à cabo, chega aos palcos cariocas.
A trama se desenrola com a notícia que a favela onde Graça vive, será o cenário para a gravação do videoclipe de um artista famoso. Isso causará um alvoroço na família e perturbação à nossa anti- heroína, que acha um desfrute a execução desse evento num lugar tão desassistido.
E é nesse ponto que mora a intrínseca crítica social, pois a comunidade se mostra um lugar carente de apoio e infraestrutura para os nativos, porém, extremamente romantizada aos olhos do turista e da mídia.
Além do texto hilário e escrachado, típico do ator/criador, a peça traz uma realidade delicada sobre a vida em locais tão precários; resultado de uma construção elaborada nas próprias vivencias de San’tanna.
Outro ponto forte da obra, é o poder de cativar o público, ao retratar a força dos laços e conflitos familiares da nossa sociedade. Um vasto material de afeição coletiva.
A ideia de levar o riso para o teatro, se deu justamente pelo índice de audiência em 2017. Sendo um dos programas mais vistos do referido canal. A aceitação e admiração do público pelo programa, promoveu Graça a um dos personagens mais populares do comediante, transformando o universo desse pequeno barraco, numa dimensão de novas possibilidades.
A peça conta também com Isabelle Marques (Brit), Andy Gercker (Maico) e Evelyn Castro (Marraia) representando todo o brilhante elenco do programa.

Tô de Graça já é um sucesso em todo país e essa nova roupagem trará uma grande história, cheia de situações surpreendentemente cômicas, um show de improviso e diversão garantida.

Hotel milionário,todas as quintas de outubro às 21h,60 a inteira e 30 a meia.

Dona Cleici é a nova rica mais divertida da cidade de São Gonçalo, ela acaba de ganhar uma bolada na loteria, porém, esquecida como é, acaba perdendo o dinheiro pelo hotel, o que faz com que a cidade vire de cabeça para baixo em busca dessa grana, uma peça onde todos são “amigos, amigos, dinheiro a parte”, os sete pecados estão presentes na história de humor, que não tem qualquer afã em defendê-los.

O jogo da vida, terças e quartas às 20h, até 31 de outubro.60 a inteira e 30 a meia.

Primeira produção da Arina Entretenimento. O musical, inspirado no famoso jogo, traz seis atores que dão vida a personagens inéditos, em colaboração coletiva com a direção e a plateia, com texto e música autoral.
– Como o próprio título propõe, o musical fala sobre a vida e seus acontecimentos inesperados, o futuro sob controle do acaso. Livremente inspirado no clássico “Jogo da vida” e em outros jogos de tabuleiro, as cenas são definidas ora por integrantes da plateia, ora por um dado jogado em cena pelos próprios atores – diz Tauã Delmiro, diretor, compositor e dramaturgista do espetáculo.
Essa interação junto ao público e os atores tem uma explicação, a premissa da Arina Entretenimento é que o telespectador faça parte do espetáculo de forma mais participativa.

Rapunzel, sábados, domingos e feriados às 18:30.60 a inteira e 30 a meia. 

Com adaptação e direção de Renato Calvet, “Rapunzel” é uma comédia musical, que conta a história de Flynn Ryder, o bandido mais procurado e sedutor do reino. Um dia, em plena fuga, ele se esconde em uma torre. Lá conhece Rapunzel, uma jovem prestes a completar 18 anos que tem um enorme cabelo dourado. Rapunzel deseja deixar seu confinamento na torre para ver as luzes que sempre surgem no dia de seu aniversário. Para tanto, faz um acordo com Flynn: Ele a ajuda a fugir e ela lhe devolve a valiosa tiara que ele tinha roubado. Só que a mamãe Gothel, que manteve Rapunzel na torre durante toda a sua vida, não quer que ela deixe o local de jeito nenhum.

Com amor, Vinícius, sextas e sábados às 21h e domingos às 20h.80 a inteira e 40 a meia.

Mostra o lado mais humanista do poeta Vinicius de Moraes ao resgatar parte de seu legado artístico e emular o formato de longevo show.
O grande poeta e compositor subia ao palco tendo a companhia de um exímio violonista e de uma cantora de timbre marcante. Escrito por Hugo Sukman e Marcos França, “Com amor, Vinícius” traz o ator Marcos França como o poeta, dividindo a cena com a cantora Luiza Borges e com o violonista André Siqueira, também diretor musical da montagem. O espetáculo tem direção de Ana Paula Abreu e cumpre temporada no Teatro dos Quatro a partir de 5 de outubro.
Nesta peça / show o público irá conhecer algumas das facetas que compuseram a persona de Vinicius de Moraes. Trata-se de um Vinicius terno em total sintonia com questões sociais da vida, mais ligadas ao que conhecemos como direitos humanos, e também preocupado com o fim das liberdades, fossem elas a de expressão, artística, e mesmo a de ir e vir.
Para fazer desse retrato o mais fiel possível ao personagem, a dramaturgia tem como pilares três épocas diferentes. A montagem começa em 1969, com um esbaforido poeta chegando atrasado a um show devido aos protestos populares que ocorriam na cidade. Volta-se ao ano de 1964, quando o golpe militar instala-se derrubando assim o sistema democrático de governo, avançando em seguida até a década de 70, onde a narrativa estabelece-se.
E quem é esse Vinicius afinal? Um cara que não fugia de questões importantes da vida (da sua própria e da dos cidadãos). Um Vinicius que sabia que a liberdade era peça-chave para uma sociedade mais igualitária. Um homem que, em nome do seu amor à vida e à liberdade, falou por todos nós, independentemente de etnia, credo e demais preferências. Com amor, sempre.


                                                      Teatro Bradesco
A bela e os tenores, quinta, dia 18 às 21h. De 80 a 150 reais.

Após enorme sucesso, o trio A Bela e os Tenores, formado pela soprano Giovanna Maira e os Tenores Jorge Durian e Armando Valsani, irá apresentar seu novo espetáculo: “A Bella Itália”.

Nesta única apresentação, A Bela e os Tenores trazem um repertório com muitos clássicos italianos de tirar o fôlego, como “Nessun Dorma”, de Giacomo Puccini, criada em 1926 e já interpretada por grandes artistas como Luciano Pavarotti e Plácido Domingo, “O Mio Babbino Caro”, também de Giacomo, feita especialmente para a voz feminina da soprano, “O Sole Mio” uma das mais conhecidas canções italiana que foi composta em 1901, entre outras.
O trio é acompanhado pelos mais competentes músicos que incluem piano e violinos e prometem um espetáculo inesquecível!

Sobre a Bela e os Tenores
Criado em 2017 pelos cantores líricos Armando Valsani, Giovanna Maira e Jorge Durian, o grupo musical confere ao seu repertório, que transita entre o erudito e o popular, um jeito único de interpretar canções autorais e consagradas mundialmente. Além das vozes marcantes, o trio se destaca pela união inédita entre dois tenores e um soprano, tornando a experiência de ouví-los um misto de encantamento, emoção e prazer.
Seu álbum de estréia, lançado em 2017, contém sucessos como "Because We Believe”, de Andrea Bocelli, David Foster e Amy Foster; “You Raise me Up”, de Rolf Løvland e Brendan Graham e “Hallelujah”, faixa homônima ao álbum, de Leonard Cohen.
Armando Valsani, tenor lírico com quase 40 anos de carreira, se destacou pelo mundo pela sua brilhante potência vocal. Giovanna Maira, cantora lírica (soprano), traz delicadeza para a apresentação com sua voz doce e cristalina. Jorge Durian, tenor com uma sólida carreira com mais de 30 anos, sempre foi destaque por transformar canções populares em clássicos eruditos.
Com carreiras solo conceituadas, tanto no Brasil quanto no exterior, esses talentosos cantores, agora juntos em A Bela e Os Tenores, despontam na cena musical, trazendo frescor e modernidade à música clássica.
Ficha Técnica
Direção Geral e Produção Musical - Jorge Durian e Marcelo schimez
Tenor - Armando Valsani
Soprano - Giovanna Maira
Tenor - Jorge Durian

O frenético Dancin´Days, dia 19 às 21h,dia 20 às 17h e 21h e dia 21 às 15h e 18h.De 75 a 160 reais.

Asas abertas, feras soltas, o Rio de Janeiro era uma festa. E não havia lugar mais adequado para celebrar do que o Frenetic Dancing´Days Discotheque, boate idealizada pelos amigos Nelson Motta, Scarlet Moon, Leonardo Netto, Dom Pepe e Djalma. E por que não resgatar esse tempo quando o carioca era feliz e sabia? Os dias de alegria estão de volta!
Ao lado de Patrícia Andrade, o próprio Nelson Motta assina a história de ‘O Frenético Dancin' Days’. O musical marca a estreia da coreógrafa e bailarina Deborah Colker na direção de um espetáculo teatral, com realização das Irmãs Motta e Opus e direção de produção de Joana Motta.
O musical será uma superprodução, com 17 atores e sete bailarinos, escolhidos através de audições, à exceção de Stella Miranda, uma das mais importantes atrizes de musicais do país, que foi convidada especialmente para o projeto. Além de Stella, que interpreta Dona Dayse, o elenco é formado por: Ariane Souza (Madalena), Bruno Fraga (Nelson Motta), Cadu Fávero (Djalma), Franco Kuster (Léo Netto), Gabriel Manita (Inácio/Catarino), Karine Barros (coro/stand in feminino), Larissa Venturini (Scarlet), Natasha Jascalevich (Bárbara), Thadeu Matos (Tony Manero), além das Frenéticas: Carol Rangel (Edyr de Castro), Ester Freitas (Dhu Moraes), Ingrid Gaigher (Lidoca), Julia Gorman (Regina Chaves), Larissa Carneiro (Leiloca) e Ludmila Brandão (Sandra Pêra).
Deborah Colker (que acaba de ser premiada na Rússia com o Prix Benois de la Danse, considerado o Oscar da Dança) assina também as coreografias e terá ao seu lado uma ficha técnica de peso: Gringo Cardia (cenários), Maneco Quinderé (designer de luz) e Alexandre Elias (direção musical). Passarão pelo palco os principais personagens que marcaram não apenas a história da boate, mas da cultura nacional.
A noite carioca fervia nos anos 70, quando a casa foi criada para inaugurar também o Shopping da Gávea. A cena disco estava explodindo em Nova York, mas ainda não tinha acontecido no Brasil. O Dancin´Days foi inaugurado em 05 de agosto de 1976 e marcou a chegada da discoteca no país. Lady Zu, Banda Black in Rio, Tim Maia, a pista da boate fervia. Na casa, se apresentaram nomes como Rita Lee (ainda com o Tutti-Frutti), Raul Seixas, Gilberto Gil.
Entretanto, nada causou tanta sensação quanto o surgimento das Frenéticas. Contratadas inicialmente como garçonetes, elas também faziam uma breve apresentação durante a madrugada. O sucesso foi imediato: Leiloca, Sandra Pera, Lidoca, Edyr, Dhu Moraes e Regina Chaves logo abandonaram as bandejas e assumiram os holofotes. Elas foram o primeiro grupo contratado da multinacional Warner, que estava aportando no Brasil. O país inteiro cantou ‘Dancin´Days’, ‘Perigosa’, ‘O Preto que satisfaz’ (abertura da novela ‘Feijão Maravilha’, da TV Globo), entre tantas outras.

                        SESC Copacabana
Corpos opacos,todos os dias menos segunda em horários variados,grátis para PCG, 7,50 para associados SESC e 15 a meia. 30 a inteira.

A peça tem como ponto de partida a história real das religiosas colombianas do mosteiro Santa Inés de Montepulciano, que viviam em clausura absoluta, preservando os seus corpos “puros” dos olhares de outras pessoas. Direção de Yara de Novaes e Marco André Nunes. Com Carolina Virgüez e Sara Antunes.



[News} "The Queen Of Soul", tributo ao legado de Aretha Frabklin, está confirmado para Novembro

"Silent Night" antecipa coletânea que traz versões originais e orquestradas dos maiores sucessos da cantora

O mundo perdeu recentemente uma das mais importantes, influentes e icônicas vozes de todos os tempos quando Aretha Franklin faleceu. Para comemorar o legado musical insubstituível desta artista lendária, a Rhino lançará uma nova coletânea que apresenta seus maiores sucessos com a Atlantic Records como eles foram originalmente gravados, junto com versões sinfônicas deslumbrantes com orquestração da Royal Philharmonic Orchestra. Também aparecem nesta nova compilação duas gravações inéditas: uma versão comovente de “Silent Night”, que antecipa este lançamento e já pode ser ouvida em todas as plataformas digitais, e um dueto recém-produzido com Beverley Knight. “The Queen Of Soul” estará disponível em todas as plataformas digitais em 23 de novembro.
O primeiro disco da coletânea é dedicado às músicas que fizeram de Aretha um nome globalmente conhecido, incluindo seis hits #1 de R&B: “I Never Loved A Man (The Way I Love You)”“Baby I Love You”,“Chain Of Fools”“Think”“Don’t Play That Song” e “Respect”, que também liderou as paradas pop, se tornando a música de assinatura da cantora. A seleção de músicas também destaca a incrível capacidade de Aretha de fazer músicas de outros artistas com covers de "The Weight", "Bridge Over Troubled Water" e "I Say A Little Prayer".
Duas músicas de seu álbum de 2008, “This Christmas”, encerram o primeiro disco, incluindo “Christmas Ain't Christmas (Without The One You Love)”. A outra faixa é uma inédita “Solo Piano Version” de “Silent Night”, que apresenta apenas os vocais de Franklin acompanhados por piano. A combinação é mágica e um lembrete pungente de que a Rainha do Soul nunca será substituída.
O segundo disco inclui todas as 14 músicas de “A Brand New Me: Aretha Franklin With The Royal Philharmonic Orchestra”, um álbum lançado no ano passado que combinou faixas vocais clássicas de algumas das canções mais conhecidas de Aretha com novos arranjos realizados pela Royal Philharmonic Orchestra. As músicas mantêm a sua alma original, enquanto o apoio orquestral as coloca sob uma luz totalmente nova. O disco termina com uma recém-produzida versão orquestral de “Think” que foi reinventada como um dueto com a cantora britânica Beverley Knight, tecendo os vocais clássicos de Franklin com novas gravações de Knight.
Entre os outros destaques, estão versões poderosas de clássicos como “People Get Ready”“You’re All I Need To Get By”“Son Of A Preacher Man” e o grande sucesso do R&B “Angel”.

Confira a tracklist completa de "The Queen Of Soul":

Disco um: 
  1. “Respect”
  2. “Chain Of Fools”
  3. “Think”
  4. “Rock Steady”
  5. “Baby I Love You”
  6. “I Say A Little Prayer”
  7. “Son Of A Preacher Man”
  8. “Dr. Feelgood (Love Is Serious Business)”
  9. “(You Make Me Feel Like) A Natural Woman”
  10. “You Send Me”
  11. “The Weight”
  12. “Bridge Over Troubled Water”
  13. “Until You Come Back To Me (That’s What I’m Going To Do)”
  14. “Don’t Play That Song (You Lied)”
  15. “Do Right Woman, Do Right Man”
  16. “I Never Loved A Man (The Way I Love You)”
  17. “Spanish Harlem”
  18. “Ain’t No Way”
  19. “Christmas Ain’t Christmas (Without The One You Love)”
  20. “Silent Night” (Solo Piano Version) *

Disco dois:
"With The Royal Philharmonic Orchestra" 
  1. “Think”
  2. “Don’t Play That Song (You Lied)”
  3. “I Say A Little Prayer”
  4. “Until You Come Back To Me (That’s What I’m Going To Do)”
  5. “A Brand New Me”
  6. “(You Make Me Feel Like) A Natural Woman”
  7. “Angel”
  8. “Border Song (Holy Moses)”
  9. “Let It Be”
  10. “People Get Ready”
  11. “Oh Me Oh My (I’m A Fool For You Baby)”
  12. “You’re All I Need To Get By”
  13. “Son Of A Preacher Man”
  14. “Respect”
  15. “Think” – duet with Beverley Knight *
* não lançado anteriormente

Enquanto novembro não chega, clique na plataforma digital de sua preferência e ouça "Silent Night":

[News] 42 ª Mostra promove itinerância gratuita em Campinas com CPFL


Pelo quarto ano consecutivo e com o patrocínio da CPFL, a Mostra vai apresentar em Campinas 15 títulos que estão na programação desta edição do festival. As sessões, todas gratuitas, serão simultâneas à programação do evento, com exibições nos dias 20, 21, 22, 23, 24, 25, 27, 28, 29, 30 e 31 de outubro, no Instituto CPFL.
Integram a seleção de Campinas os pré-indicados ao Oscar por seus respectivos países: o luxemburguense Gutland, de Govinda Van Maele, eo macedônioO Ingrediente Secreto, de Gjorce Stavreski. Também será exibido Europa, que faz parte dos filmes de Lars von Trier revisitados nesta edição da Mostra, além dos aclamados documentários Chris, The Swiss, de Anja Kofmel, que concorreu a três prêmios no último Festival de Cannes, e Futebol Infinito, de Corneliu Porumboiu, exibido no Festival de Berlim.
Neste ano, aMostra Internacional de Cinema exibe 336 títulos de 67países. Importantes diretores serão homenageados nesta edição, como o japonês Hirokazu Koreeda, que receberá o Prêmio Humanidade, além de ter seu trabalho mais recente, Assunto de Família, premiado com a Palma de Ouro no Festival de Cannes, na programação. Outro Prêmio Humanidade será concedido a Drauzio Varella antes da exibição da cópia restaurada de Pixote - A Lei do Mais Fraco. O longa vencedor de melhor roteiro no Festival de Cannes, 3 Faces, do cineasta iraniano Jafar Panahi, que receberá o Prêmio Leon Cakoff desta edição, também faz parte da seleção da Mostra.

 PROGRAMAÇÃO
20/10 - SÁBADO
17h: GUTLAND(GUTLAND), de Govinda Van Maele (107'). LUXEMBURGO, BÉLGICA, ALEMANHA. Falado em luxemburguês, alemão. Legendas eletrônicas em português. Indicado para: 16 anos.
19h: ROSAS SELVAGENS (WILD ROSES), de Anna Jadowska (97'). POLÔNIA. Falado em polonês. Legendas em inglês. Legendas eletrônicas em português. Indicado para: 16 anos.
21/10 - DOMINGO
17h: AS SOMBRAS DO DESERTO (THE SHADOWS OF THE DESERT), de Jayakrishnan Subramanian, Franziska Schoenenberger (86’). ÍNDIA, ALEMANHA. Falado em tâmil, inglês. Legendas em inglês. Legendas eletrônicas em português. Indicado para: 12 anos.
19h: O INGREDIENTE SECRETO (SECRET INGREDIENT), de Gjorce Stavreski (104'). MACEDÔNIA, GRÉCIA. Falado em macedônio. Legendas em inglês. Legendas eletrônicas em português. Indicado para: 14 anos.
22/10 - SEGUNDA
19h: ROSAS VENENOSAS (POISONOUS ROSES), de Ahmed Fawzi Saleh (70'). EGITO, FRANÇA, CATAR, EMIRADOS ÁRABES UNIDOS. Falado em árabe. Legendas em inglês. Legendas eletrônicas em português. Indicado para: 14 anos.
23/10 - TERÇA
19h: GAROTOS CHORAM (BOYS CRY), de Damiano D'Innocenzo, Fabio D'Innocenzo (96'). ITÁLIA. Falado em italiano. Legendas eletrônicas em português. Indicado para: 18 anos.
24/10 - QUARTA
19h: FIRECRACKERS (FIRECRACKERS), de Jasmin Mozaffari (93'). CANADÁ. Falado em inglês. Legendas eletrônicas em português. Indicado para: 16 anos.
25/10 - QUINTA
19h: LA OMISIÓN (THE OMISSION), de Sebastián Schjaer (90'). ARGENTINA, HOLANDA, SUÍÇA. Falado em espanhol. Legendas em inglês. Legendas eletrônicas em português. Indicado para: 16 anos.
27/10 - SÁBADO
17h: KUSAMA - INFINITO (KUSAMA - INFINITY), de Heather Lenz (80'). EUA. Falado em inglês. Legendas eletrônicas em português. Indicado para: 12 anos.
19h: A PLANTAÇÃO DE LARANJAS (ORANGE DAYS), de Arash Lahooti (105'). IRÃ. Falado em farsi. Legendas em inglês. Legendas eletrônicas em português. Indicado para: 14 anos.
28/10 - DOMINGO
17h: DEIXEM OS VELHOS MORREREM (LET THE OLD FOLKS DIE), de Juri Steinhart (92'). SUÍÇA. Falado em suíço-alemão. Legendas em inglês. Legendas eletrônicas em português. Indicado para: 14 anos.
19h: EUROPA (EUROPA), de Lars von Trier (113'). DINAMARCA. Falado em inglês. Legendas eletrônicas em português. Indicado para: 18 anos.
29/10 - SEGUNDA
19h: ENIGMA (ENIGMA), de Ignacio Juricic Merillán (80'). CHILE. Falado em espanhol. Legendas em inglês. Legendas eletrônicas em português. Indicado para: 14 anos.
30/10 - TERÇA
19h: CHRIS, O SUÍÇO (CHRIS THE SWISS), de Anja Kofmel (94'). SUÍÇA, ALEMANHA, CROÁCIA, FINLÂNDIA. Falado em suíço-alemão, alemão, inglês. Legendas em inglês. Legendas eletrônicas em português. Indicado para: Livre.
31/10 - QUARTA
19h: FUTEBOL INFINITO (INFINITE FOOTBALL), de Corneliu Porumboiu (70'). ROMÊNIA. Falado em romeno. Legendas em inglês. Legendas eletrônicas em português. Indicado para: Livre.

 PATROCINADORES DA 42ª MOSTRA
Apresentam a 42ª MOSTRA o GOVERNO FEDERAL - MINISTÉRIO DA CULTURA e PREFEITURA DE SÃO PAULO. O evento conta com o patrocínio da PETROBRASe do BANCO ITAÚ; copatrocínio da SABESP, SPCINE, SECRETARIA MUNICIPAL de CULTURA DE SÃO PAULO, SECRETARIA DE CULTURA DO ESTADO DE SÃO PAULO, a parceria do SESC e da CPFL ENERGIA; a colaboração do AUDITÓRIO IBIRAPUERA OSCAR NIEMEYER – SECRETARIA DO VERDE E DO MEIO AMBIENTE, ORQUESTRA JAZZ SINFÔNICA, MASP, CONJUNTO NACIONAL, INSTITUTO CPFL, INSTITUTO OLGA RABINOVICH, HOTEL RENASSAINCE, REVISTA 451, VELOX TICKETS, IMPRENSA OFICIAL, CASAL GARCIA, e a promoção da FOLHA DE S.PAULO, da GLOBO FILMES, da TV CULTURA, do TELECINE, do CANAL ARTE 1, doCANAL BRASIL, da Revista PIAUÍ, e da RÁDIO CBN. “Projeto realizado com o apoio do ProAC”


[News] Renato Góes e Ícaro Silva protestam pelos direitos dos marginalizados


“Dizem que o nosso país não vai mal porque o povo ainda faz carnaval, mas os pequenos e mal-amados não compartilham da mesma visão. Há tristeza no seu coração. Vivem à margem do nosso país, assaltando e ferindo quem passa”, protestam Skunk (Ícaro Silva) e Marcelo (Renato Góes) na música “Futuro do País”, do Planet Hemp, em cena de “Legalize Já – Amizade Nunca Morre”. O vídeo mostra os dois ensaiando o grito de alerta à marginalização no Brasil. Dirigido por Johnny Araujo e Gustavo Bonafé, o filme sobre a história de amor entre os amigos foi selecionado para o Holywood Film Festival, que ocorre entre os dias 22 ao 28 de outubro, em que concorre ao prêmio principal de filmes brasileiros, o Hollywood Silver Screen Prize of Brazil. O longa estreia nesta quinta-feira, 18, nos cinemas brasileiros.
Além dos protagonistas, o elenco tem nomes como Stepan Nercessian, Paulete Maldonado, Rafaela Mandelli, Ernesto Alterio, Marina Provenzzano e Shirley Cruz. O projeto conta com o apoio de Marcelo D2, que assina o argumento do filme junto do diretor Johnny Araújo e é um dos responsáveis pela trilha sonora.
“Legalize Já – Amizade Nunca Morre” já conquistou o prêmio de Melhor Ficção Nacional Segundo o Público na 41ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e também Melhor Longa-metragem pelo Júri Popular e Melhor Roteiro no 12º Fest Aruanda do Audiovisual Brasileiro, além de ter participado do Festival do Rio de 2017 e do Festival MIMO de Cinema 2018. Com roteiro de Felipe Braga, o drama tem produção da Academia de Filmes, distribuição da RioFilme e Imagem Filmes e coprodução do Telecine e da RioFilme.
Este filme foi realizado com recursos da SABESP - Programa de Fomento ao Cinema Paulista - e do Programa de Apoio à Cultura - Lei Estadual 12.268/06 - da Secretaria do Estado da Cultura e do Governo do Estado de São Paulo e com o apoio da Ancine – Prêmio Adicional de renda 2008, conferido a RioFilme.

SINOPSE

Como o encontro entre dois jovens que vendiam camisetas e fitas cassete no centro do Rio de Janeiro para se sustentar pôde dar origem a uma das bandas mais populares do Brasil na década de 1990? O filme narra esse momento transformador na vida de Marcelo - futuramente, conhecido como Marcelo D2 - e Skunk, que culminou na formação do Planet Hemp. Reprimidos por uma sociedade preconceituosa, os dois fizeram da música um grito de alerta e de resistência, conquistando corações e mentes de toda uma geração.
ELENCO
Renato Góes – Marcelo
Ícaro Silva – Skunk
Ernesto Alterio - Brennand
Marina Provenzzano – Sônia
Stepan Nercessian – Dark (Pai de Marcelo)
Rafaela Mandelli – Suzanna
Shirley Cruz – Marli
FICHA TÉCNICA
Direção: Johnny Araújo e Gustavo Bonafé
Roteiro: Felipe Braga
Produção: Academia de Filmes
Produtor: Paulo Roberto Schmidt
Fotografia: Pedro Cardillo
Montagem: Marcelo Junqueira
Trilha Sonora: Mauro Berman, Lourenço Monteiro e Marcelo D2
Distribuição: RioFilme e Imagem Filmes

                    SOBRE OS DIRETORES
Johnny Araujo é diretor de cinema, televisão, publicidade e videoclipes. Dentre seus trabalhos destacam-se os filmes “O Magnata”, de 2007, “Depois de Tudo”, de 2014, e “Chocante”, em 2017, e as séries “Alice” e “FDP” (HBO), “As Canalhas” e “Copa Hotel” (GNT) e “E Ai Comeu...” (Multishow). Gustavo Bonafé trabalhou como assistente de direção por dez anos, antes de dirigir videoclipes, filmes publicitários e longa-metragens. Foi assistente de direção no filme “O Magnata” e nas séries de TV “Alice” e “Destino SP” (HBO), e diretor-assistente em “E Aí Comeu?” (Multishow). No cinema, dirigiu “O Doutrinador” (2018) e codirigiu “Chocante” (2017).

                SOBRE A ACADEMIA FILMES
A Academia de Filmes produz conteúdo audiovisual de entretenimento, cultura e interatividade para todas as telas há 22 anos. Mais recentemente, em cinema, coproduziu “Elis” (2016), de Hugo Prata. Está em produção dos dois novos longas-metragens de Luiz Fernando Carvalho: “A Paixão Segundo G.H.”, baseado no romance homônimo de Clarice Lispector, e “Objetos Perdidos”, com roteiro do diretor em parceria com João Paulo Cuenca. Ainda em cinema, a produtora assina “Infância Clandestina”, de Benjamín Ávila – indicação Argentina ao Oscar 2013 –; “Amanhã Nunca Mais” (2011), de Tadeu Jungle; “Titãs – a Vida até Parece uma Festa” (2009), de Branco Mello e Oscar Rodrigues Alves; “Natimorto” (2009), de Paulo Machline, e “Cabeça a Prêmio” (2009), de Marco Ricca.  Em TV, a Academia de Filmes produziu, entre outras obras, as microsséries “Amor em 4 Atos” (TV Globo), direção geral de Roberto Talma; “A Pedra do Reino (TV Globo), da obra de Ariano Suassuna, direção geral de Luiz Fernando Carvalho, e “Nathalia” (TV Brasil/Universal Channel), direção de André Pellenz. Além das séries documentais “Eu Te Dedico” (Arte 1), “Linhas Tortas” (Play TV), “Futuros Campeões” (Canal Combate), “Espírito da Luta” (Canal Combate), Mixados (PlayTV) e “200 Graus” (Discovery H&H), entre outras produções. Para mais informações, acesse: www.academiadefilmes.com.br.

                          SOBRE A IMAGEM FILMES
A Imagem é uma distribuidora nacional de filmes independentes comprometida com a qualidade e variedade de produções. Atuando nos segmentos de cinema, vídeo e televisão a distribuidora é responsável pelos lançamentos de grandes produções nacionais, dentre elas, destacam-se os recentes: “É Fada!”, “Nise - O Coração da Loucura”, “Soundtrack”, “O Rastro”, além das produções internacionais: “Florence – Quem é Essa Mulher”, “Café Society”, “Gênios do Crime”, “Silêncio”, “Círculo” e os recentes “Roda Gigante” e “Paddington 2”
.
                     SOBRE A RIOFILME
A RioFilme é uma empresa pública de investimento em audiovisual, vinculada à Prefeitura do Rio de Janeiro e subordinada à Secretaria Municipal de Cultura. Fundada em 1992 para apoiar a produção e distribuição de cinema na cidade, atua nas áreas de apoio à expansão do mercado exibidor, estímulo à formação de público e fomento à produção audiovisual, visando o efetivo desenvolvimento da indústria audiovisual carioca. Ao longo de sua existência, tem desempenhado papel fundamental na revitalização do Cinema Brasileiro, tendo lançado mais de 300 filmes nacionais no mercado ­– sucessos de público e crítica, como “Baile Perfumado” (Paulo Caldas e Lirio Ferreira), “Central do Brasil” (Walter Salles), “Lavoura Arcaica” (Luiz Fernando Carvalho), “Terra Estrangeira” (Walter Salles e Daniela Thomas, distribuição em vídeo), “Amarelo Manga” (Claudio Assis), “Divã” (José Alvarenga Jr.), “Simonal: Ninguém sabe o duro que dei” (Calvito Leal, Cláudio Manoel e MicaelLanger), entre vários outros. Além do fomento à produção, a RioFilme apoia eventos, como festivais, mostras e feiras ligadas ao mercado audiovisual bem como premiações como o GP do Cinema e pré-estreias. Desde 2017, retornou à sua função original, que imprime o seu DNA: a distribuição. O filme “Encantados”, de Tizuka Yamasaki, foi o primeiro, com estreia em dezembro. Em janeiro foi a vez de “Peixonauta, o filme”.

                   SOBRE A REDE TELECINE
Joint-venture entre a Globosat e os quatro maiores estúdios de Hollywood – Paramount, MGM, Universal e Fox –, a Rede Telecine também exibe com exclusividade as produções da Disney e sucessos do mercado independente. O melhor do cinema mundial estreia na TV brasileira através da Rede Telecine cada vez mais rápido.
Para investir cada vez mais na produção cinematográfica nacional, a Rede Telecine lançou em 2008 o Telecine Productions, selo de coprodução de títulos em parceria com grandes produtoras brasileiras. Além de estimular a criação de novos filmes, o Telecine garante a exibição desses títulos com exclusividade em suas diferentes plataformas.
Em 2017, o Telecine foi o mais lembrado entre todos os canais da TV por assinatura, categoria na qual é líder isolado pelo quarto ano consecutivo conquistando na pesquisa Top of Mind do Datafolha. Na de canais de filmes, a Rede mantém a liderança desde 2007 ¹. O Telecine é o canal fundamental na manutenção da TV por Assinatura2 e, neste ano, tem em sua programação sete dos 10 filmes mais vistos pelo público brasileiro em 2017³.

FONTES:
¹ – Top Of Mind 2016 – Datafolha – Perguntas: "Quando você pensa em CANAIS DE TV POR ASSINATURA, qual o primeiro canal que lhe vem à cabeça?" e "Quando você pensa em CANAIS DE FILMES POR ASSINATURA por assinatura, qual o primeiro canal que lhe vem à cabeça?"
²   – 21ª Pay TV Pop – Ibope 2014; Top Of Mind – Datafolha (A partir de 2015)
³ – Iboe. Brasil. Estreias de 2016. Público Acumulado




[News] Trailer de ¨Um segredo em Paris¨encanta com cenário inspirador e romance inusitado


Ah, a cidade luz! No trailer de “Um Segredo em Paris”, de Élise Girard, Mavie (Lolita Chammah) anda pelas ruas da capital francesa num lindo fim de tarde. Além do cenário de causar inveja, o vídeo apresenta a amiga da protagonista, que só pensa em sexo, a biblioteca em que não entra ninguém e o inesperado encontro de Mavie com um homem 40 anos mais velho. Para assistir ao trailer, clique aqui. O cartaz brasileiro, que acaba de ser divulgado, pode ser conferido aqui.
O longa, que revela a trajetória de uma garota solitária que muda a Paris para se encontrar, foi um dos destaques do 67º Festival de Cinema de Berlim. A estreia no Brasil está marcada para 15 de novembro, com distribuição da Pagu Pictures, em 10 cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Salvador, Curitiba, Porto Alegre, Recife, Florianópolis e Fortaleza.

                       Sinopse
Mavie é uma garota de 27 anos, solitária, desajeitada e cheia de dúvidas. Em uma busca incisiva por descobrir que caminho seguir na vida, ela se muda para Paris e conhece George, um velho bibliotecário solitário e cínico, que não espera mais nada da vida e carrega um passado obscuro. O amor pode assumir diferentes formas e, no caso deles, um jeito não convencional de relacionamento surge e, definitivamente, mudará o caminho de Mavie e seu modo de ver a vida.
Ficha técnica
Elenco: Lolita Chammah, Jean Sorel, Virginie Ledoyen, Pascal Cervo
Direção: Élise Girard
Roteiro: Elise Girard com colaboração de Anne-Louise Trividic
Edição: Thomas Glaser
Direção de Fotografia: Renato Berta
Produção: Janja Kralj
Coprodução: Marc Simoncini

Música original: Bertrand Burgalat
Distribuição: Pagu Pictures
Sobre a Pagu Pictures
Fundada em 2017 por amantes do cinema, a Pagu Pictures é uma distribuidora inovadora que acredita que cada filme é feito para as pessoas que, sem saber, esperavam por ele. Em seu primeiro ano de vida, lançou grandes filmes brasileiros, destacando-se “Gabriel e a Montanha”, de Fellipe Barbosa, único filme brasileiro no Festival de Cannes de 2017, e “On Yoga: Arquitetura da Paz”, de Heitor Dhalia. A Pagu existe para levar cada um de seus filmes às pessoas que desejam esse encontro, seja onde for, seja no formato que for, mas que fundamentalmente acredita que é na sala de projeção que o filme explode inesquecível. O Cinema brasileiro vive!