26 maio 2017

[Crítica] Corra

Chris (Daniel Kaluuya) é jovem negro que está prestes a conhecer a família de sua namorada caucasiana Rose (Allison Williams). A princípio, ele acredita que o comportamento excessivamente amoroso por parte da família dela é uma tentativa de lidar com o relacionamento de Rose com um rapaz negro, mas, com o tempo, Chris percebe que a família esconde algo muito mais perturbador.                                                                                                                                                           
O que eu achei? 
Corra! É um filme que foi abraçado pelas redes sociais, todo mundo compartilhava o trailer e tentava desvendar o tema. O filme é um terror racial que nos mostra como o racismo ainda é visto como “normal” em alguns lugares e até esperado. A expectativa sobre o longa foi alta, nos decepcionamos poucas vezes e o considero possivelmente como o melhor filme do ano.

A história é bem simples, um fotógrafo negro vai passar o fim de semana na casa dos sogros da namorada branca, lembra um pouco entrando numa fria sem as piadas pastelão. Esse é o fio que conduz a primeira parte da história, como já sabemos pelo trailer e sobre a trama ele é um terror racial, soa estranho esse gênero e até arriscado por que é um tema que pode ser piegas, pode apelar para o clichê e pode principalmente soar politicamente correto. Porém aqui a graça está no incrível trabalho de Jordan Peele como diretor (seu primeiro filme além de ser o roteirista), no primeiro frame temos ótimos planos sequênciais com mudança de eixo e principalmente controle do que está sendo mostrando.

Controle é algo fundamental no filme, o diretor sabe o momento de esperar e segurar sua curiosidade e mostrar o mesmo que o protagonista sabe, isso misturado ao toque de humor ácido e crítico, várias vezes você se pega rindo de um piada racista ou estereotipada, um ponto mega positivo é fazer critica com humor e tocar direto ao ponto.

Outro ponto positivo é a escalação do elenco geral. Todos os atores do filme são bons, mesmo os que fazem somente uma ponta, um ótimo trabalho com destaque para Jordan Peele, que nos mostra um medo e um pavor visceral, você acredita que ele está com medo e principalmente que ele está se contendo ou incomodado no meio do círculo social que é família da namorada.

Corra é sobre racismo apenas? Sim e ao mesmo tempo não, o foco principal é ser crítico e principalmente alfinetar, todo mundo conhece alguém ou já viu alguém falar “Eu não sou racista, tenho até amigos negros “ ou que dizem “ Nossa seu cabelo é bem ruim, não estou sendo racista, só que ..” normalmente o tipinho que está entranhado na internet, esse é o tipo de racismo que está presente no filme, onde todo mundo votou no Obama só que não são iguais.

E mesmo achando agora que lendo essa critica você já sacou a trama do filme, e esse é o ponto principal de sua qualidade no roteiro, o filme muda umas três vezes, quando você pensa que entendeu, te apresenta algo novo, e até a história muda e te apresenta algo que você não estava esperando.

No final somos agraciados pela catarse da violência e vibramos por cada morte “Corra” é um filme que surpreende e mostra um novo respiro ao gênero terror, já está na lista dos melhores do ano e vale certamente sua conferida ao cinema para apreciar sua boa qualidade cinematográfica.



[News] Lançamentos de Maio de parceiros: Editora Drago



Relíquia - Caminhos de Um Templo Egípcio, de Gustavo Drago e Nana B. Poetisa: Poderia mesmo existir submerso em pleno deserto egípcio, um templo gigantesco, repleto de mistérios e segredos, de riquezas e armadilhas mortais... o recanto de uma joia diabólica, capaz de aterrorizar a mente humana e revelar até a origem de nossa existência. Bem... essa é a pergunta que fazem Nicholas e a sua filha Jennifer, quando embarcam para o Egito, prestes a viverem a maior aventura de todos os tempos. Inspirado nos grandes sucessos do cinema (Indiana Jones e Tomb Raider) e na aclamada série de TV (Relic Hunter), Relíquia - Caminhos de Um Templo Egípcio traz para a literatura brasileira o verdadeiro espírito hollywoodiano, em 2 volumes recheados de ação e aventura.... fantasia e ficção científica... muito humor, suspense e terror...romance e erotismo. Um enredo sensacional, baseado na teoria dos antigos astronautas, misturando religião, egiptologia e ufologia com extrema inteligência, nos fazendo refletir sobre a grandeza do Universo e sobre a possibilidade de Deus não ser como imaginávamos. Sem dúvida diversão e entretenimento até para os leitores mais exigentes! 

O ladrão e o assassino, de Moacir Moreno: Tomás Rodrigues, um excêntrico assassino de aluguel, é contratado para tirar a vida de um ladrão, no interior do Rio de Janeiro. O ladrão havia roubado uma preciosa joia e a guarda em sua suntuosa propriedade. Ao chegar à magnífica fazenda do ladrão, Tomás se depara com um horrendo problema e conhece Flavia Cerqueira, uma recepcionista local que despreza criminosas,Enquanto procura uma maneira de terminar o trabalho, o assassino e sua improvável aliada se veem envoltos em uma antiga maldição.

Orgasmos Fatais, de Fernanda Borges: Até que ponto as tentações podem mascarar a verdade. Até que ponto o amor pode se transformar em ódio. Até que ponto o prazer se transforma em dor. Mariana é uma bela mulher, que é assassinada brutalmente em seu apartamento. Daniela, igualmente linda e sexy, porém insensível e sarcástica, é apontada como autora do crime por familiares da vítima. A razão seria a rivalidade pública entre ambas, cujo pivô é Rodolfo, noivo de Mariana, jornalista e advogado influente na política, um homem calculista e ex-amante de Daniela.Douglas é o policial civil encarregado das investigações, mas apesar de sua experiência em desvendar os mais nebulosos homicídios, se vê envolvido em uma rede de manipulação onde o bem e o mal se confundem e as pessoas demonstram que nem sempre são o que aparentam. Policial e suspeita sentem uma mútua e tórrida atração; e ele luta para que seus sentimentos e desejos não o impeçam de cumprir seu dever.Sexo, relacionamentos explosivos e morte caminham de mãos dadas neste suspense policial, que prende a atenção do leitor do primeiro ao último capítulo.  

O último herdeiro e a pedra anuladora de Renato Lira: No ano de 1732, Caio Duntis, um jovem aprendiz, descobre possuir poderes mágicos, assim como a sua linhagem. Em uma visão de guerra futura, ele vê o seu último herdeiro manifestar poderes ao completar 17 anos. Alguém perverso está vigiando essa linhagem há muito tempo e deseja apoderar-se desses poderes.A linhagem dessa família faz parte de uma profecia, e seus membros precisarão salvar suas vidas e prepararem-se para a grande guerra que se aproxima, e ainda assim, levarem uma vida normal como outros jovens.


25 maio 2017

[News] Dia da Toalha-Origem e livros nerds

 
  Hoje, dia 25 de maio, é comemorado o dia do orgulho nerd, o Dia da Toalha. Além da data marcar a estreia do primeiro filme de Star Wars no ano de 1977 (pois é, a franquia está fazendo 40 anos hoje) a data também comemora o legado do escritor britânico Douglas Adams, autor de O guia do mochileiro das galáxias, que morreu em maio de 2001.
Fans no mundo inteiro carregam uma toalha para homenagear o autor, que morreu de um ataque cardíaco e a data foi criada duas semanas após seus falecimento. Na série de livros de O guia do Mochileiro das Galáxias, um inglês chamado Arthur Dent é salvo por seu amigo Ford Prefect, que se revela um alien disfarçado de humano e que a Terra será destruída pelos Vogons, uma raça de aliens hostis. Eles conseguem subir à bordo da nave Vogon antes que o planeta fosse destruído e depois são resgatados por Zaphod Beeblebrox, um primo distante de Ford e passam por várias aventuras em diversos planetas e galáxias. A série é composta pelos livros ´´O guia do mochileiro das galáxias (1), ´´O restaurante no fim do universo´´,(2) ´´ A vida, o universo e tudo mais´´ (3) ´´Até mais e obrigado pelos peixes´´ (4) ´´Totalmente inofensiva´´ (5) todos esses escritos por Adams e em outubro de 2009, no trigésimo aniversário de lançamento do primeiro livro, o irlandês Eoin Colfer (autor da série Artemis Fowl) lançou um sexto volume, intitulado ´´E tem outra coisa´. 
Agora, vamos deixar Douglas Adams um pouco de lado e falar sobre outras obras famosas da literatura nerd.
A série Crônicas de gelo e fogo, de George R.R Martin é célebre por ter inspirado a série de TV Game of Thrones, uma das franquias de maior sucesso da HBO. Conta a história de várias famílias que lutam pelo Trono de Ferro no fictício continente de Westeros.Uma narrativa sangrenta sobre a conquista pelo poder, laços familiares e política são apenas alguns dos temas abordados na série.Conta com 5 livros lançados até o momento (George ainda está escrevendo o sexto, sem data de lançamento) e seis temporadas, sendo que a sétima estreará esse ano na HBO, é uma das sagas de fantasias mais rentáveis de todos os tempos.
A série Discworld de Sir Terry Pratchett, tinha o objetivo de fazer uma paródia dos clichês da literatura de fantasia mas ele fez bem mais do que isso. Criou um mundo único. Discworld é um universo em que a tartarugas gigante A´Tuin carregam os quatro elefantes que carregam o planeta nas costas. Esse planeta é a Terra mas habitada não somente por seres humanos mas sim pro bruxas, magos, trolls e outras criaturas mágicas. O primeiro volume, A cor da magia, narra a história do mago Rincewind, um mago incompetente que sem querer, se torna o guia de DuasFlor, único turista do universo. Quando um terrível incêndio atinge a cidade de Ankh-Mopork, eles começam uma jornada pelo disco afora. Infelizmente, Sir Terry nos deixou em março de 2015 devido a complicações do mal de Alzheimer. Mas seu legado continua e até hoje a série continua vendendo milhões de exemplares por ano, além de ser considerada uma das mais importantes sátiras de fantasia.
Philip K. Dick é autor de Andróides sonham com ovelhas elétricas, que deu origem ao filme Blade Runner, com Harrison Ford, Minority Report, que deu origem ao filme homônimo estrelado por Tom Cruise, O homem do castelo alto, Ubik, Valis, Fluam, minhas lágrimas, Os três estigmas de Palmer Eldritch, Realidades Adaptadas e vários outros. A marca registrada de suas histórias é o questionamento da essência da condição humana e da verdadeira natureza da realidade. Ele publicou 121 contos, 44 livros e 14 coletâneas de histórias curtas.É considerado um dos maiores escritores de ficção científica de todos os tempos.
William Gibson nasceu na Carolina do Sul em 1948 e sua principal obra é Neuromancer, que conta a história de Henry Dorsett Case, um ex-hacker ou cowboy, como eles são conhecidos naquele mundo, foi impedido de trabalhar após ser pego roubando de seus patrões. Eles injetaram uma micotoxina (toxina feita à base de fungos) que causou sérios danos ao sistema nervoso de Henry e o deixou incapaz de se conectar à Matrix, a base de controle daquele mundo.É considerado o precursor do gênero cyberpunk, um gênero da ficção científica que se passa num futuro distópico em que a humanidade vive uma era high-tech low-life, significando que há avanços tecnológicos mas também graves mudanças na organização da sociedade. Gibson é um dos pioneiros da ficção científica ainda vivos.
Ursula K. Le Guin é a autora de A mão esquerda da escuridão, originalmente publicado em 1969, estabeleceu Ursula como uma escritora de ficção científica. Narra a história de Genly Ai, um terráqueo, que é enviado ao planeta Gethen através de Ekumen, a confederação dos planetas, com o intuito de convidar os cidadãos de Gethen a se juntar à confederação.Quando Genly Ai aterrissa em Gethen, ele fica frustrado ao perceber que sabe tão pouco sobre a população. Eles não tem identidade de gênero, são andróginos. A mão esquerda da escuridão foi um dos primeiros livros de ficção científica feminista do gênero publicados e fez sucesso imediato. Foi uma das primeiras obras a abordar o polêmico tema da androginia. Ursula também é autora de O feiticeiro de Terramar, Os despossuídos, As tumbas de Atuan, entre vários outros. Assim como Gibson, ela ainda está viva e reside na cidade de Portland, no estado do Oregon.
Arthur C. Clarke foi um escritor britânico, autor de obras como As fontes do paraíso, O fim da infância, Encontro com Rama, 2001:uma odisséia ao espaço, que deu origem ao filme de Stanley Kubrick, Um dia na vida do século XXI, O terceiro planeta e vários outros. 2001 é considerada sua obra-prima, sobre um monolito, que aterrissa no planeta Terra e assusta seus habitantes, macacos e vai acompanhando a humanidade, desde seu alvorecer até sua evolução.
Outros autores, como Robert Heinlein, Frank Herbert, Timothy Zahn, Aldous Huxley, Isaac Asimov e Stanislaw Lew também são importantes autores de ficção científica que merecem ser lidos.







[Nerds & Geeks] Star Trek: Uma introdução a uma mania de mais de 50 anos



´´Espaço: a fronteira final. Estas são as viagens da nave estelar Enterprise. Prosseguindo em sua missão de explorar novos mundos, procurar novas formas de vida e novas civilizações, para audaciosamente ir aonde ninguém jamais esteve´´.


A maioria das pessoas reconhece a abertura de Star Trek,uma das mais famosas séries de ficção científica de todos os tempos. Criada por Gene Roddenberry em 1964, a série inicialmente teve um episódio piloto intitulado ´´The Cage´´para o estúdio Desilu mas a ideia foi rejeitada. Ele ofereceu para a NBC, que aceitou. O episódio foi considerado complexo demais e a emissora pediu para Gene alterar algumas coisas. Dos personagens originais, apenas o capitão Spock (Leonard Nimoy)permaneceu no segundo piloto. O episódio estreou no outono de 1966 e apresentou o elenco principal:capitão Kirk (William Shatner), Tenente-Comandante Scott (James Doohan), o Tenente Sulu (George Takei. O programa recebeu críticas variadas em sua estreia mas a série original teve 3 temporadas, até 1969.

Star Trek teve outras séries, a Animated, de 1973 a 74, a Next Generation, de 87 a 94, Deep Space Nine de 93 a 99, Voyager de 95 a 2001, Enterprise de 2001 a 2005 e nesse ano, haverá um reboot produzido pela CBS, estrelando Jason Isaacs (Lúcio Malfoy de Harry Potter) e a data de lançamento ainda está indefinida.

Star Trek é considerado um dos maiores sucessos da ficção científica e tem uma legião de fans mundo afora. Sir Patrick Stewart, o Professor Xavier de X-Men interpretou o Capitão Picard em The Next Generation, tido por muitos trekkers (como os fans da série são conhecidos) como a melhor série depois da clássica.

Três filmes estrelando Chris Pine como Capitão Kirk, Zachary Quinto como Spock e Zoe Saldaña (a Gamora de Guardiões da Galáxia) de Tenente Uhura arrecadaram grandes bilheterias.

Itens como o phaser (a pistola de energia), a nave Enterprise e os uniformes são comercializados e vendidos aos montes. Com a nova série esse ano, é provável que a popularidade só aumente.


[News] O Rei Leão ganhará um remake em live-action

Mais um live-action de um clássico da Disney? Sim, senhor!

Após o imenso sucesso tecnológico de “Mogli – O Menino Lobo”, a Disney confirmou a versão live-action de "O Rei Leão", seguindo a mesma linha visual de Mogli. A direção ficará por conta de Jon Favreau, que também dirigiu Mogli (diretor também de 'Homem de Ferro', 'Homem de Ferro 2', 'Cowboys vs. Aliens', e produtor executivo de Os Vingadores, Os Vingadores: A Era de Ultron e Homem de Ferro 3) que deu o anúncio via Tweeter.

 
O filme, na verdade, não será um live-action propriamente dito – uma vez que não há humanos na historia e não se pode fazer leões e todos os outros animais reais lutarem e falarem como queremos, né –, mas parecerá um live-action, usando pessoas para interpretarem os animais com tecnologia captação de movimento e fundo de tela verde.

Dois atores já foram confirmados via Twitter, pelo próprio John Favreu, para as dublagem do live-action. Um deles é o multitalentosos Donald Glover, que será a voz de Simba. O outro será o lendário James Earl Jones, que mais uma vez fará a voz de Mufasa, mesmo personagem que dublou na animação original, em 1994.





Além disso, já foi confirmado que o filme manterá a mesma trilha sonora de sua animação original, de 1994, vencedora de um Oscar por Melhor Canção Original ("Can You Feel The Love Tonight") que já vendeu mais de 14 milhões de cópias.

Alguns rumores surgiram nos ultimos dias quanto a novos possíveis dubladores de Nala, Timão e Pumba, mas nada confirmado.

O filme deve estreiar em 19 de julho de 2019. Então, até lá,
Hakuna matata!!!



[Crítica] Norman

Norman Oppenheimer (Richard Gere) é o dono de um pequeno negócio. Ele faz amizade com um jovem político em um período complicado da vida. Porém, três anos depois, o político torna-se um influente líder mundial, transformando drasticamente a vida de Norman tanto positivamente quanto negativamente.                                                                                                                                                                                                                                                 
O que eu achei? 
Richard Gere é um consagrado ator de comédias românticas como Uma linda mulher e dramas como Sempre ao seu lado. Dessa vez,ele encarna um homem de negócios, Norman Oppenheimer, nada convencional:tem uma empresa de consultoria que conecta as pessoas, sempre alega ter um conhecido nas mais altas esferas e vai se integrando com as pessoas, vendo o que cada uma pode lhe trazer e se beneficiando com seus clientes.

Um dia, ele faz amizade com um jovem político, Micael Eshel (Lior Ashkenazi), recém-chegado em Nova York, e o acolhe na comunidade judaica nova-iorquina. Três anos depois, ele vira o Primeiro-Ministro e o mundo de Norman é virado de cabeça para baixo ao estar no centro de um escândalo que envolve um misterioso doador anônimo, um segredo que pode arruinar a reputação dos judeus ortodoxos e lavagem de dinheiro.


O elenco também conta com Steve Buscemi (Fargo, Cães de Aluguel) interpreta o rabino da sinagoga local que pede o auxílio de Norman para arrecadar fundos para evitar uma falência, Charlotte Gainsbourg (Independence Day:o ressurgimento, Melancolia) é Alex Green, a assessora particular de Eshel, que se sente desconfortável com o excesso de perguntas feitas por Norman, Hank Azaria (Os Simpsons, Os Smurfs) como Srul Katz, o oponente de Eshel, Michael Sheen (Anjos da Noite, Cruzada) e Dan Stevens (A bela e a fera, Uma noite no museu 3) como Bill Kavish, um parceiro nos negócios de Norman. 

É o primeiro filme em língua inglesa do diretor e roteirista Joseph Cedar, embora ainda tenha algumas partes faladas em hebraico, tem até uma cena mostrando um jornal no alfabeto hebraico. Embora esse filme não se enquadre exatamente na categoria que gosto, me entreti ao ter uma chance de ampliar minha visão sobre o mundo dos negócios e nas várias armadilhas que a concorrência trama para os negócios rivais. Uma das lições que aprendi foi não se vanglorie do que você não tem e e também aborda o tema da necessidade das pessoas de se sentirem importantes e como ás vezes, males vem para o bem, pois erros podem nos beneficiar. Foi algo inspirador para se lançar no complicado mundo dos negócios. Indicado para todos interessados em saber mais sobre carreiras, não apenas iniciantes. 



24 maio 2017

[News] Séries recentemente canceladas

Sempre há aquele doloroso momento em que é preciso dizer adeus, mesmo contra nossa vontade. Para os fãs de séries, ultimamente tem sido bem difícil aguentar os golpes das emissores e seus anúncios de cancelamentos de séries.

A lista a seguir abrange apenas uma parte atual dos cancelamentos anunciados, contendo não apenas novatos na indústria, mas também alguns títulos já veteranos. E se tá assim, pelo jeito pode haver muito mais por vir. Que a sorte esteja ao nosso favor e não cancelem nossas séries favoritas.

Pela CBS
  • 2 Broke Girls (Temporadas: 6) 
  • The Great Indoors (Temporadas: 1) 


Pela NBC
  • Emerald City (Temporadas: 1) 
  • Powerless (Temporadas: 1) 
  • Blacklist: Redemption (Temporadas: 1) 


Pela FOX
  • APB (Temporadas: 1) 
  • Making History (Temporadas: 1) 
  • Pitch (Temporadas: 1) 
  • Rosewood (Temporadas: 2) 
  • Sleepy Hollow (Temporadas: 4) 
  • Son of Zorn (Temporadas: 1) 


Pela rede ABC
  • American Crime (Temporadas: 3) 
  • The Catch (Temporadas: 2) 
  • Last Man Standing (Temporadas: 6) 
  • Dr. Ken (Temporadas: 2) 
  • Imaginary Mary (Temporadas: 1) 
  • The Real O’Neals (Temporadas: 2) 


Pela CW
  • Frequency (Temporadas: 1) 
  • No Tomorrow (Temporadas: 1) 


Então, se vocês gostam/gostavam de algumas dessas séries citadas, nós prestamos nossos mais sinceros sentimentos.




[Resenha] Primeira Página - Conflito Na Baiana

Até que ponto um jornalista pode publicar tudo o que descobre? Qual a distância entre a verdade apurada nas ruas e a verdade que acaba noticiada para a população? Será possível para uma repórter novata superar barreiras morais e políticas para cobrar justiça? Isso é o que o leitor descobrirá nos três dias que Clara Gabo levará para concluir sua reportagem. Além de pressões externas e dentro da própria redação, ela ainda terá que se preocupar com a segurança de sua principal testemunha: uma garotinha que ela só conhece pela voz.                                                                                                                                       

O que eu achei? 
Clara Gabo é uma repórter iniciante que se vê, por um sombrio acaso, envolvida num caso de assassinato em uma comunidade do Rio de Janeiro - o morro da Baiana. Um telefonema de uma menina para a redação do jornal suplicando por ajuda, que, escondida, testemunhou o crime praticado por policias da PM é o estopim para o inicio de uma corrida em busca da história de uma barbárie contra uma mulher - a mãe da menina.

A história se desenrola por três dias - que de tão tensos e cheios de descobertas, mais parece semanas -, onde Clara tenta a todo custo entender o que ocorreu no morro da Baiana, seguindo pistas e ligando pontos. Porque a polícia mataria e torturaria uma moradora inocente de forma tão brutal? Era isso que Clara queria e precisava descobrir.

A história é cheia de jogo de poder: de um lado, os traficantes que controlam o morro da Baiana; do outro, a policia militar. Expor uma organização como a PM, retratando-os como criminosos seria válido? E qual seria a participação dos traficantes nessa história? Seria o dever ético do jornalista expor tudo de forma irrestrita para a população?

Ligações e acordos frágeis e extremamente perigosos que colocam em risco não só a vida da repórter, mas a de toda a população são a base dessa história enérgica, empolgante, repleto de reviravoltas e críticas sociais que pisarão no calo de muita gente, e fará também com que o leitor reflita, com olhos críticos, sobre o cotidiano dentro de uma comunidade controlada por traficantes.

Uma das perguntas que mais me martelaram enquanto lia esse livro foi: quem são os verdadeiros criminosos nessa história? Talvez a ideia de que ninguém seja essencialmente bom ou ruim caiba perfeitamente nessa questão, onde as personagens criadas são humanas ao ponto certo - sem exageros nem heroísmos.

Sem dúvida, "Primeira Página - Conflito na Baiana" é um tiro certeiro para quem gosta de uma leitura instigante, que nos força a sair do senso comum sobre o "bandido x mocinho", com um choque de realidade com uma trama eletrizante raramente encontrado nos livros atuais. Uma estréia excelente para o autor JM Costa. 


23 maio 2017

[Crítica] O Hóspede

Um dia, o soldado David chega à casa da família Peterson. Ele diz ser amigo do filho dos Peterson, morto em combate,e logo é acolhido neste lar. Aos poucos, no entanto, uma série de mortes começam a acontecer entre os membros da família.                                                                                                                                                                                                                                                                                                
O que eu achei?
Ainda de luto pela perda de seu filho Caleb, a família Petersen recebe a visita de David Collins (Dan Stevens, a Fera de A bela e a fera) um soldado veterano da Guerra do Afeganistão que se diz amigo de Caleb. Os pais dele, Laura (Sheila Kelley, de NCIS) e Spencer (Leland Orser, de Busca Implacável 2 e 3) e seus outros filhos, Anna (Maika Monroe de The Bling Ring) e Luke (Brendan Meyer de The OA) o acolhem. O único membro da família a desconfiar das verdadeiras intenções de David é Anna, que tenta convencer seu irmão que há algo errado com ele mas Luke não lhe dá ouvidos e faz amizade com David que fica hospedado em seu quarto.

As confusões começam quando Luke volta da escola com um olho roxo e com a ajuda do garoto, David segue os garotos responsáveis até um bar e os humilha em uma luta. Usando seus conhecimentos da lei, David chantageia o dono do bar para não contar para ninguém o que aconteceu. No dia seguinte, ele vai a uma festa com Anna e salva a amiga dela, Kristen, do ex-namorado e faz sexo com Kristen e pergunta como pode fazer para comprar armas com Craig, amigo de Anna. No caminho de volta para casa, Anne se oferece para fazer um CD de músicas para David.

David ensina algumas táticas de auto-defesa para Luke e dá sua faca borboleta de presente para o garoto. Quando ele vai comprar armas com Craig e seus comparsas, ele os mata com granadas. Á essa altura, Anna já está mais do que desconfiada que tenha algo errado e liga para a base militar para interrogar sobre David Collins:ela fica surpresa ao saber que ele morreu em uma explosão uma semana atrás. A ligação de Anna alerta uma organização secreta liderada pelo Major Carver (Lance Reddick de A escuta e De volta ao jogo) que reúne um time para capturar David.

Enquanto isso, Luke se envolver uma briga na escola por ser chamado de ´´faggot´´ (uma gíria para viadinho) e vai parar no gabinete do diretor que quer expulsá-lo. A mãe de Luke é convocada e David se oferece para ir e manipula o diretor a dar apenas um mês de detenção para o garoto. Luke conta para David confidencialmente que Anna desconfia que ele seja o responsável pelas mortes dos últimos dias. O time do Major Carver chega quando eles estão tirando a roupa da máquina de lavar e David mata Laura e foge.

Enquanto David dirige, ele acaba batendo seu carro no de Spencer que morre na hora. Major Carver conta para Luke e Anna que David fez parte de um teste para criar o soldado perfeito;sua mente foi programada para matar qualquer um que possa comprometer sua identidade. Eles partem em encalço de David. O filme tem um enredo característico dos filmes de ação e é dos bons, daqueles que prendem sua atenção, A trilha sonora é bem oitentista, me agradou, embora eu seja uma criança dos anos 90, curto várias bandas dos 80s. Recomendo.

PS:Espero não ter sido a única a tomar um susto com a cena quando David sai do banho com a toalha enrolada e podemos admirar Dan Stevens sem camisa!

Trailer: 



22 maio 2017

[Quotes] Meio Mundo


"Um homem que dedica todos os pensamentos a fazer o bem e nenhum às consequências... [...] É um homem perigoso."

"Quanto mais a gente aprende, mais entende o tamanho da própria ignorância."

"A diferença entre assassino e herói está na importância dos mortos."

"Um homem que procura autodestruição vai encontrar o caminho para isso, cedo ou tarde."

"O lutador sábio aparenta ser menos do que é, por pior que seja o oponente."

"Tudo havia desmoronado subitamente. Ou talvez tudo tenha se encaixado."

"A vingança só anda em círculos. Ela parte do sangue e volta ao sangue. A Morte espera por todos nós. Você pode seguir seu caminho curvado sob um fardo de raiva. Eu fiz isso durante muitos anos. Você pode deixar a raiva a envenene. Ou pode deixar pra lá."

"Quando algo precisa ser feito, não há nada a ganhar com o adiamento, a não ser dor."

"Afinal de contas, não há coisas boas que não tenham nenhum pedacinho de egoísmo em algum lugar."

"A gente quer muito uma coisa quando não pode tê-la. Quando a tem, as dúvidas brotam subitamente. Depois, quando a gente acha que pode perdê-la, descobre que precisa dela mais do que nunca."

"Dentre outras coisas, o que os homens mais amam ver é os outros enfrentarem a Morte. Isso faz com que se lembrem de que ainda vivem."

"Às vezes grandes coisas certas precisam ser costuradas a partir de pequenas coisas erradas."

"As palavras certas podem cortar mais fundondo que espadas, em especial os juramentos."

"- Não sou um guerreiro.
  - É, sim.
  - Um guerreiro não tem medo.
  - Um idiota não tem medo. Um guerreiro fica de pé apesar do medo."


[Resenha] A Vida Secreta das Árvores

E se tudo o que você sempre pensou saber a respeito das árvores estivesse errado? E se, apesar de tão diferentes de nós, descobríssemos que elas compartilham diversas características dos humanos? Nos últimos anos a ciência tem comprovado que as árvores e o homem têm muito mais em comum do que poderíamos imaginar. Assim como nós, elas se comunicam, mantêm relacionamentos, formam famílias, cuidam dos doentes e dos filhos, têm memória, defendem-se de agressores e competem ferozmente com outras espécies – às vezes, até com outras árvores da mesma espécie. Algumas são naturalmente solitárias, enquanto outras só conseguem viver plenamente se fizerem parte de uma comunidade. E, assim como nós, cada uma se adapta melhor a determinado ambiente. Em A vida secreta das árvores, o engenheiro florestal alemão Peter Wohlleben alia seus 20 anos de experiência às últimas descobertas científicas para examinar o dia a dia desses seres fantásticos. Com um ponto de vista surpreendente e inovador, o livro se tornou um fenômeno na Alemanha, entrou para a lista de mais vendidos do The New York Times e teve seus direitos negociados para 18 países. Essa viagem fascinante pela vida das árvores e florestas é um convite a repensarmos nossa relação com a natureza.

O que eu achei? 
O que você sabe sobre as árvores? Que elas vivem paradas em seu lugar, umas florescendo e dando frutos; outras, apenas com suas folhagens. Algumas baixas, outras enormes; umas que existem há algumas décadas; outras, centenárias. Talvez o comum é ter essa ideia básica sobre as árvores, pode indo um pouco além, sabendo nome e especies. Contudo, este livro mostra que elas podem ocultar mistérios e segredos que jamais poderíamos imaginar, nem mesmo nos nossos sonhos mais loucos.

Peter Wohlleben é um engenheiro florestal alemão, que dedicou grande parte de sua vida a estudar e examinar, cientificamente, as árvores. Por isso, imagina-se algo comum, que muitos biólogos fazem. Mas não, ele foi além. E explica, pouco a pouco, detalhe por detalhe, como se dá a vida secreta das árvores.


Esse livro é um estudo minucioso e detalhado, onde nos é apresentado um novo olhar sobre a vida na natureza, nas florestas, onde as árvores são as grandes protagonistas. O tem uma linguagem intimista, como se conversássemos com o autor, e é possível sentir seu deslumbre e sua paixão a cada linha. As descobertas são fascinantes, e mesmo que você leia esse livro sem muitas expectativas, garanto: é IMPOSSÍVEL não ficar abismado com o que é dito. A leitura não apresenta dificuldades. Os capítulos são curtos e sucintos, sem muitas expressões nem nomes científicos, e é capaz de fazer você se perder na leitura sem nem notar. Pode se tornar um pouco cansativo pelo conteúdo mostrar apenas fatos – e para o leitores de historias em geral, faz falta a leitura de um enredo. Mas mesmo assim, consegue ser uma leitura enriquecedora.

Fazendo uma correlação com nós, humanos, o autor conseguiu expôr todo o funcionamento desse mundo oculto - um tema que tinha tudo para ser massante e cansativo -, num relato contagiante e extremamente relevante nos dias atuais. Quem poderia imaginar que as árvores vivem em comunidade? São capazes de conectar-se uma a outra pelas raízes, e assim, cuidar umas das outras, tratando doenças e doando alimento? Que elas se “comunicam”? As descobertas são tantas, que até demora um pouco para poder processar tudo.


Ao ler esse livro, fica impossível passar por uma árvore e não deixar a mente vagar enquanto as admiramos. Acredito que um dos objetivos desse livro é trazer ao leitor a sensação de empatia para com a natureza, uma vez que ele nos coloca lado a lado das árvores, mostrando como temos muito em comum com elas. Mostra-nos, também, a sua importância – e também a das florestas – para todo o ecossistema, e o quanto elas são imprescindíveis para a manutenção de toda vida existente.


Uma ode a natureza, e um alerta para a importância de sua preservação.