13 novembro 2018

[Programação] Teatro de 13 a 20 de novembro

     Confira a programação de teatro da semana:

                          Shopping da Gávea:

As brasas,quarta e quinta às 20h e sexta ás 21h, até 29 de novembro.60 a inteira e 30 a meia.


Herson Capri e Genézio de Barros vivem, respectivamente, Henrik e Konrad, protagonistas de uma história visceral de amor e amizade, marcada pelo rancor e o ressentimento. Ainda meninos, eles se conheceram na escola militar, tornaram-se amigos inseparáveis e, ao longo dos anos, partilharam descobertas e experiências da infância, juventude e vida adulta. Eles não se veem há 41 anos, desde o dia em que Konrad desapareceu após uma caçada na floresta nos arredores do castelo de Henrik, em 1899, na Hungria. Entre os dois, há um segredo que ronda o dia da caçada e as lembranças de Kriztina – mulher de Henrik e amiga de infância de Konrad. Após quatro décadas, Henrik, agora general, recebe uma carta do amigo informando estar de volta à cidade, levando-o a se preparar para esse tão aguardado confronto final.
Fortemente presente no romance, a música foi transportada para a cena através da trilha original criada por Marcelo Alonso Neves. “Como, no livro, a música aparece relacionada aos personagens femininos, a violoncelista Nana Carneiro da Cunha vai executar a trilha ao vivo, no palco, e também dizer as falas femininas”, conta Pedro Brício. “É um livro sobre afetividade, memória e decadência. Um encontro muito íntimo entre dois amigos durante a II Guerra Mundial. Isso é muito interessante, esse contraponto entre o momento histórico, o cotidiano e as relações afetivas. É uma constatação de uma certa tristeza e uma decadência dessa dureza masculina”, analisa o diretor.

Dogville, sextas e sábados ás 21h e domingos às 20h.Sextas: R$80 (Inteira)  R$40 (Meia entrada) | Balcão R$ 50 (Inteira), R$25 (Meia entrada). Sábados e Domingos: R$100 (Inteira), R$50 (Meia entrada) | Balcão: R$70 (Inteira), R$35 (Meia entrada)

A trama se passa na fictícia cidade de Dogville, uma pequena e obscura cidade situada no topo de uma cadeia montanhosa, ao fim de uma estrada sem saída, onde residem poucas famílias formadas por pessoas aparentemente bondosas e acolhedoras, embora vivam em precárias condições de vida. A pacata rotina dos moradores daquele vilarejo é abalada pela chegada inesperada de Grace (Mel Lisboa), uma forasteira misteriosa que procura abrigo para se esconder de um bando de gangsteres.

Recebida por Tom Edison Jr. (Rodrigo Caetano), que, comovido pela sua situação, convence os outros moradores a acolhe-la na cidade, Grace, apesar de afirmar nunca ter trabalhado na vida, decide oferecer seus serviços para as famílias da Dogville em agradecimento pela sua generosidade. Porém, no decorrer da trama, um jogo perverso se instaura entre os moradores da cidade e a bela forasteira: quanto mais ela se doa e expõe a sua fragilidade e a sua bondade, mais os cidadãos de bem exigem e abusam dela, levando a situação a extremos inimagináveis.

Lacra ou trola-#challenges, dia 18 ás 11h.R$ 70,00 (inteira) | R$ 35,00 (meia) | R$30,00 (ingressos promocionais antecipados) | R$10,00 (ingressos sociais/ONG)


“LACRA OU TROLA – #Challenges” é um show de humor de jogos engraçados, que será gravado ao vivo no Teatro dos Quatro, no Shopping da Gávea – Rj, no dia 28 de Outubro de 2018 às 11h, e editado em formato de Web Série para ser veiculado no Youtube e Redes Sociais na Internet.

E será apresentado pela atriz Mariana Marciano, que além de outros trabalhos, faz o solo de comédia “A Fila Anda” que está a mais de 3 anos circulando pelo Brasil. E também contará com a participação dos atores da C.A.T. – Cooperativa Artística de Teatro.
Esses jogos são challenges (desafios), que são a febre no momento no Brasil e no mundo, principalmente entre o Público jovem. E a escolha do formato do show, segue essa tendência mundial dos maiores Youtubers do mundo.
O show será uma batalha divertida com a participação da plateia, uma sequência de Jogos (como mímica corporal, desafios de inteligência, etc) onde os participantes brincam simulando uma competição.
Assim, o “Lacra ou Trola – #Chalenges” pretende, além influenciar através da internet o publico jovem, e fomentar que este passe a frequentar o teatro. Por isso, usaremos uma linguagem específica à este público alvo, para alcançarmos um discurso mais direto.

Elizabeth, a divina, sextas ás 17h, sábados às 21h e domingos ás 19:30.Até 2 de dezembro.70 a inteira e 35 a meia.

Um resgate da memória de Elizeth Cardoso, uma das maiores intérpretes da música brasileira. Essa é a missão do espetáculo “Elizeth, a Divina” que chega aos palcos do Teatro das Artes em 8 de novembro para uma curta temporada até 2 de dezembro, com apresentações sextas, às 17h, sábados, às 21h, e domingos, às 19h30.
Inspirado no livro biográfico da artista “Elizeth Cardoso, uma Vida”, escrito por Sergio Cabral, o espetáculo apresenta momentos marcantes da vida de Elizeth Cardoso, os grandes encontros, as paixões, os shows memoráveis e sua força poética por meio da música, do humor e da elegância, marcas registradas da personalidade da artista.
“Elizeth foi uma grande mulher à frente do seu tempo. Uma guerreira do amor, uma mulher empoderada quando ainda nem sonhávamos em falar disso. Mergulhar no seu universo é penetrar no melhor da música brasileira. Ary Barroso, Vinicius de Moraes, Chico Buarque e muitos outros compositores dedicaram suas composições à cantora. Uma mulher que por mais de quatro décadas se manteve em sintonia com os movimentos artísticos, se atualizando sempre e se reinventando como artista!”, exalta Izabella Bicalho que por XX anos pesquisou acervo da cantora e recolheu depoimentos de amigos próximos, como Hermínio Bello de Carvalho, e do neto Paulo César, que conviveu intensamente com a cantora – da infância até os 15 anos, quando em seus braços Elizeth deu o último suspiro.

Lá dentro tem coisa,sábados e domingos ás 17h, até 9 de dezembro. 60 a inteira e 30 a meia.

A história de “La Dentro Tem Coisa” se passa no dia do aniversário de 9 anos de Isabel – na abordagem lúdica da montagem, uma personagem dupla, Isa e Bel, meninas reflexos uma da outra, interpretadas respectivamente por Aline Deluna e Lu Vieira. Ao ganhar de presente dos pais a permissão para sair sozinha pela primeira vez, ela escolhe ir até a livraria, não muito longe de casa. No caminho, vai enfrentar o medo e conhecer a coragem e descobrir sensações e sentimentos diversos, bons e ruins, como raiva, mágoa, ansiedade, tristeza, expectativa, insegurança, incerteza, amor, desejo, gratidão.
A cenografia de Bia Junqueira retrata um espaço abstrato e onírico, com nuvens grandes suspensas a alturas variadas sobre o palco. Feitas de materiais como tela, arame, papelão e papel laminado, as nuvens criam caminhos que a menina Isabel percorre de casa até a livraria. “A ideia é evocar diferentes sentimentos e sensações. Não tem nada concreto. É como se fosse um espaço interno da menina”, explica Bia.

O inoportuno,sextas e sábados ás 21h e domingos ás 20h.Até 23 de dezembro.80 a inteira e 40 a meia.

Ambientada no sótão decadente de uma casa abandonada em Londres. Três personagens: Mick (Well Aguiar) divide um apartamento com seu irmão mais velho Aston (André Junqueira), este traz para dentro de casa Davies (Daniel Dantas), um velho, supostamente um mendigo, que resgatou numa briga em um bar. Com pena do homem, Aston lhe oferece a casa como abrigo até que ele se recupere fisicamente e consiga organizar seus documentos, ora extraviados. Ao longo da trama, obrigados a conviver mais próximos do que desejariam, os interesses, mentiras e conflitos vão se revelando e provocando mudanças no comportamento dos personagens, que navegam entre amor e ódio, pena e repulsa, solidão e tristeza.
Escrita em 1959 e estreou em Londres no ano seguinte com enorme sucesso. Foi com esta peça que Pinter passou a ser conhecido e tornou-se um dos dramaturgos mais respeitados e discutidos em todo o mundo, assim permanecendo até sua morte, três anos depois de ter recebido o prêmio Nobel de literatura em 2005. Influenciado inicialmente por Samuel Beckett – e também por Franz Kafka – Pinter foi um dos mestres do teatro d0 absurdo, expressão criada por Martin Esslin nos anos 50 do século passado. Depois de um tempo, ele desenvolveu um estilo próprio e as características de suas peças são únicas, marcantes, como a ambiguidade, a iminência do desastre, a passagem do tempo, as possíveis verdades e mentiras, as falhas da memória e, claro, as famosas pausas. Tudo isso está presente em “O Inoportuno”, um drama com pinceladas de tragédia e de comédia, que aborda a impossibilidade de comunicação, envolvendo personagens marginais e solitários. A peça, com o título de “O Inoportuno”, foi montada pela primeira vez no Brasil em 1964, pelo Grupo Decisão, com direção de Antônio Abujamra. É considerada como uma das obras-primas de Pinter.

Doidas e santas, sextas e domingos às 20h e sábados ás 21h.
Popular (Bilheteria do Teatro) – R$ 50,00 (Inteira) R$ 25,00 (Meia-entrada) | Sexta R$ 80,00 (Inteira) R$ 40,00 (Meia-entrada) | Sábado e Domingo R$ 90,00 (Inteira) R$ 45,00 (Meia-entrada).

A peça conta a história de Beatriz (Cissa Guimarães), uma psicanalista no auge da carreira, mas em crise no casamento. Seu marido (Giuseppe Oristânio), acomodado e machista, não tolera a ideia da separação. Depois de vinte anos de casamento, está cada vez mais distante, mais surdo, mais mudo, mais morno, mais jogado no sofá. Ao mesmo tempo, a mãe de Beatriz, a extravagante D. Elda (Josie Antello), voltou a morar com ela e vive às turras com a neta adolescente (também Josie Antello).
Um dia, depois de uma conversa reveladora com sua irmã, a solteirona Berenice (também Josie Antello), Beatriz decide dar um basta. Separa-se de Orlando e resolve abraçar os prazeres da vida. O tempo passa e a nova vida de Beatriz parece finalmente seguir como ela sempre sonhou, até que um dia Orlando volta a procurá-la, e o que tem a lhe dizer muda mais uma vez seus planos.

Ninguém segura essa velha,quintas às 21h,até 29 de novembro.60 a inteira e 30 a meia.
“Por caridade filhinho, dá pra largar esse negócio um pouco e dar uma atenção pra mim…” Esse é um dos diálogos de avó e neto, ou pelo menos uma tentativa de conversa. Com a era digital os diálogos estão escassos, e aqueles que não acompanham essa evolução, não entendem o que tanto fascina os jovens. O espetáculo “Ninguém Segura Essa Velha” se passa no Rio de Janeiro nos dias atuais e mostra a relação de avó e neto. Tina, a vó, é uma ex-chacrete, ama as artes dramáticas, tem um humor bem peculiar. Fernando, o neto, foi morar com a avó para tentar ajudar na administração do teatro, ele é ligado em tecnologia, ama as redes sociais e juntos eles farão de tudo para que o teatro da família, onde eles moram, não feche as portas de vez.
“Ninguém Segura Essa Velha” é uma comédia para todas as idades, e promete fazer o espectador, rir, se emocionar e dançar.
No elenco dois rapazes no início da carreira, Fernando Duarte é formado em Cinema e Audiovisual pelo Centro Universitário Monte no Litoral de SP. Estudou teatro na Escola Macunaíma em São Paulo.
Já produziu espetáculos teatrais como Sereias de Salto (2011), Eu Sou João Gustavo (2012), Alice e Gabriel (2013), e Deu Branco – Cenas Improvisadas (2014/2015). Além de ter produzido documentários, curtas-metragens e séries para a internet e cinema. Agora ele encara o desafio de roteirizar, produzir e interpretar a personagem Tina em Ninguém Segura Essa Velha.
João Pedro Celli, começou cedo na carreira artística, com apenas 5 anos já fazia a campanha nacional de O Boticário.
O gosto pela arte dramática veio logo e fez participações em longas como No Meu Lugar de Eduardo Valente (2009), e Fica Comigo Esta Noite de João Falcão (2006), em novelas da TV Globo como: A Favorita (2009), Belíssima (2005), Bang Bang (2006), fez também participação no humorístico A Tuma do Didi (2010). Estuda teatro no Tablado e já fez parte do elenco de O Auto da Compadecida com o personagem Chicó, participou da montagem do espetáculo O Ateneu de Carlos Wilson (2018).
Hoje ele interpreta o personagem Fernando em Ninguém Segura Essa Velha.
          
                               Teatro Bradesco
Turma da Mônica e Hello Kitty em O poder da amizade-O musical, dia 17 ás 15h,dia 18 ás 11:30 e 15h e dia 20 às 11:30 e 15h. De 75 a 100 reais.

Ícones e personagens amadas das famílias brasileiras e japonesas, a Turma da Mônica e a Hello Kitty estarão juntas, em cena, pela primeira vez na história
O espetáculo musical Turma da Mônica e Hello Kitty em O Poder da Amizade transformará em experiência live uma parceria que já foi anunciada no co-branding de produtos licenciados entre a Mauricio de Sousa Produções e a Sanrio. Estreia a temporada na capital paulista, no dia 15 de setembro, a produção que terá sessões as 11h e 15h, no Teatro Opus – Shopping VillaLobos.
Apresentado pela SulAmerica, o espetáculo promete ser um sucesso não somente pelo encontro de personagens, mas também pela produção cênica forte e autêntica. Todo o roteiro, a cenografia, as 9 músicas e aproximadamente 45 figurinos estão sendo criados dentro dos estúdios da Mauricio de Sousa Produções baseados em uma linguagem de Mangá e Animes, isto é, dentro do universo geek.
“É natural que a união da Turma da Mônica e da Hello Kitty ao vivo em cena tende a levar para um espetáculo voltado ao público feminino, quando, na verdade, a proposta é justamente atingir um público amplo, sobretudo quem é muito cativo à Turma da Mônica por meio das Graphics Novels, da Turma da Mônica Toy e do público da CCXP. Para colocar isso em prática, tanto o roteiro quanto a cenografia, com falas curtas e muita informação em imagens, estão sendo montados como uma espécie de revista em Mangá”, defende Mauro Sousa, produtor e diretor do musical e quem comanda a MS AO VIVO, empresa do Grupo Mauricio de Sousa Produções realizadora de todos os eventos da Turma da Mônica em live experience.
Participação especial: Quem dará vida à vilã da história é a atriz e cantora Lissah Martins, que se tornou conhecida nacionalmente por integrar a girl band Rouge e que acumula, ao longo dos últimos anos, papéis de destaque e protagonismo em diversos musicais de sucessos de público e crítica, como Miss Saigon, A Bela e A Fera, Jekyll & Hyde - Médico e o Monstro e Disney In Concert, entre outros.
Encontro em cena de uma longa parceira: A relação comercial entre a Mauricio de Sousa Produções e a Sanrio é de longa data. Histórias do Horácio, um dos personagens mais antigos da Turma da Mônica, começaram a ser publicadas em um jornal japonês voltado para o público infantil que pertence à Sanrio ainda na década de 70. Atualmente, outras histórias da Turma da Mônica são publicadas no mesmo jornal, em versão japonesa. Em 2017, a MSP e a Sanrio firmaram uma parceria para licenciamento de produtos, cujo lançamento será no segundo semestre de 2018.
Sinopse do musical: Ao longo de uma hora de espetáculo, a Turma da Mônica viverá uma aventura em solo japonês. Mônica, Cebolinha, Magali e Castão viajam para o país do sol nascente para participar do aniversário de uma grande amiga: a graciosa Hello Kitty. Mas o que seria uma bonita festa se transforma em uma história cheia de mistérios e novas experiências, já que a vilã Alini Miga não gosta do sentimento da amizade e fará de tudo para atrapalhar. Durante a jornada, a Turma aprenderá mais um pouco sobre a sinceridade, o afeto e a proteção, valores essenciais que compõem a verdadeira amizade.
Apresentado por SulAmerica, com apoio do Rio Quente Resorts e realização da Mauricio de Sousa AO VIVO e Opus Promoções, o espetáculo tem 60 minutos de duração e 15 minutos de intervalo.




Nenhum comentário

Postar um comentário