12 novembro 2018

[News] ¨A casa que Jack construiu¨ de Lars Von Triers, estreia no Rio de Janeiro




“A CASA QUE JACK CONSTRUIU”, mais novo filme do diretor dinamarquês Lars von Trier, estreia nesta quinta-feira, 15 de novembro, no Rio de Janeiro. Distribuído pela California Filmes, o longa conta a história de cinco assassinatos a partir do ponto de vista de Jack (Matt Dillon), um inteligente assassino americano da década de 70.
O protagonista vê cada assassinato como uma obra de arte, mesmo que isso possa lhe dar problemas no mundo externo. Embora saiba que a polícia está cada vez mais perto e que sua condenação está mais próxima, ele está determinado a ir mais e mais longe, ao contrário de toda a lógica.  “Por muitos anos, eu fiz filmes sobre boas mulheres, agora fiz um sobre um homem mau”, revela Lars von Trier. Para os principais personagens de “A CASA QUE JACK CONSTRUIU”, Lars von Trier juntou um impressionante elenco internacional. Matt Dillon é a estrela no papel principal, como o serial killer Jack. Uma Thurman, Siobhan Fallon Hogan, Sofie Gråbøl e Riley Keough estão entre as mulheres que lamentavelmente encontram Jack em seu caminho.

SINOPSE
Um dia, durante um encontro fortuito na estrada, o arquiteto Jack (Matt Dillon) mata uma mulher. Este evento provoca um prazer inesperado no personagem, que passa a assassinar dezenas de pessoas ao longo de doze anos. Devido ao descaso das autoridades e à indiferença dos habitantes locais, o criminoso não encontra dificuldade em planejar seus crimes, executá-los ao olhar de todos e guardar os cadáveres num grande frigorífico. Tempos mais tarde, ele compartilha os seus casos mais marcantes com o sábio Virgílio (Bruno Ganz) numa jornada rumo ao inferno.

FICHA TÉCNICA
Direção: Lars von Trier
Elenco: Matt Dillon, Bruno Ganz, Uma Thurman
Gênero: Thriller
País: Dinamarca, França, Suécia, Alemanha
Ano: 2018
Duração: 155 min
Classificação: 18 anos

SOBRE O DIRETOR
Lars von Trier, nascido em 1956, é o cofundador da produtora dinamarquesa Zentropa, assim como um dos fundadores do movimento Danish Dogma nos anos 90.
Os filmes de Lars von Trier ganharam prêmios pelo mundo incluindo as principais premiações em Cannes, como a Palma de Ouro para Dançando no Escuro, o Grande Prêmio  do Júri para Ondas do Destino, o Prêmio de Melhor Atriz para Charlotte Gainsbourg em Anticristo e  o Prêmio de Melhor Atriz para Kirsten Dunst em Melancolia.

Nenhum comentário

Postar um comentário