15 novembro 2018

[Crítica] As viúvas

Sinopse:
Quatro viúvas entram para o mundo do crime após os seus maridos morrerem durante uma das maiores tentativas de assalto da atualidade. Eles tomam para a si a responsabilidade de honrar a memória dos amados terminando o que eles não conseguiram completar.


O que eu achei?

Fui ao cinema com a expectativa de assistir  Viola Davis brilhar nas telonas e como poderia imaginar: ela brilhou! 
O longa conta história de quatro mulheres que acabam de perder os maridos de forma violenta, mas o que elas não podiam imaginar é o inferno que iriam passar. Principalmente Veronica que logo após o enterro de seu marido terá que lidar com o candidato a vereador Jamal Manning que irá até seu apartamento cobrar uma dívida de 2 milhões de dólares herdada após a morte de Harry. 

Veronica irá atrás de um caderno de seu marido e descobre que nele tem arquivos de todos os planos passados e chantagens que ele fazia, incluindo um plano para  roubar 5 milhões de dólares. Só que para executar o plano ela terá que contar com a ajuda de outras pessoas, para isso irá em busca das outras viúvas que tiveram seus maridos mortos junto ao seu numa emboscada. Linda e Alice se juntarão para fazer o plano acontecer, enquanto Amanda não poderá, já que tem um filho pequeno.
Jack Mulligan quer assumir o distrito após seu pai ter sofrido um infarto, então terá uma disputa eleitoral com Jamal.
O filme tem um jogo de câmeras e a forma como o diretor decidiu desenvolver o longa é não fixando em apenas um personagem, então diversas vezes você estará acompanhando o plano das viúvas e logo em seguida será direcionado a algum outro personagem com real valor a história. 

Numa trama política e envolvendo personagens que chantageiam, roubam e matam, você verá uma crítica social de forma explícita. 
Veronica e as três mulheres, teremos mais um personagem que é a babá das filhas de Linda, ela será contratada para dirigir: Belle. 
Cada mulher tem um problema: Linda perdeu o marido e perdeu sua loja de roupas, pois seu marido era viciado em jogo. Alice é uma mulher que era sustentada pelo marido, que no decorrer do filme percebemos que sua vida não era tão bela como parecia. 
Cada uma na sua dificuldade vão em busca de tentar sanar suas dívidas e assim melhorar suas vidas. 

A forma que Steve McQueen dirigi foge do convencional e você tem memórias de Veronica no de correr do filme, a partir deste ponto central começamos a entender os fatos que levaram a morte de Harry. O plano será seguido perfeitamente a ordem de Veronica passando por diversos problemas durante o seu percurso.
O filme é muito intenso e as nuances de Veronica são sutis, mas significativas, afinal ela tem que ser forte para continuar lutando e seus lados sombrios são repletos de lembranças. Viola mais uma vez está impecável dando dramaticidade no ponto certo e quem sabe ganhe mais uma indicação ao Oscar.
Mcqueen teve a ajuda de Gillian Flynn e que por alguns momentos é capaz de perceber semelhanças entre Garota exemplar e As viúvas, posso estar errada, mas deve valer a indicação ao Oscar de direção.

Sem mais delongas... o filme não se perde, os cortes de cena são feitos nos momentos certos e te mantem interessado do inicio ao fim.

Trailer:

Nenhum comentário

Postar um comentário