14 novembro 2018

[News] Fito Paez no Teatro Bradesco Rio


Expoente da música e da cultura argentina e latino-americana, Fito Paez volta ao Brasil para três apresentações com realização da Opus Promoções: Porto Alegre (02 de dezembro, no Auditório Araújo Vianna), São Paulo (03 de dezembro, no Teatro Bradesco) e Rio de Janeiro (05 de dezembro, no Teatro Bradesco Rio). Confira o serviço completo abaixo. Início das vendas: 28/09.

Novo álbum de Fito Paez, que apresentará no Brasil, é composto por 18 músicas de sua autoria e com sua já tradicional gama de poesias, músicas, histórias, climas e visões. Uma pena que voa sobre La Ciudad Liberada e deixa as portas abertas para espionar e descobrir sua arte.

Ganhador de cinco prêmios Grammy Latino entre outros muitos prêmios e distinções recebidas por todo o continente.  Fito é um dos maiores músicos latino-americanos de todos os tempos: é autor de El Amor Después Del Amor, disco mais vendido da história do rock nacional argentino. Seu último álbum teve duas indicações ao Grammy Latino nas categorias Melhor Canção do Ano e Melhor Canção de Rock com Tu Vida Mi Vida.

Fito é cineasta, roteirista e diretor dos filmes "Vidas Privadas" e "De Quién Es El Portaligas". Também é escritor, autor de três livros publicado em toda a América: "La Puta Diabla", "Diario de Viaje" e "Los Días de Kirchner". Recebeu o Prêmio Internacional Master of Latin Music da Berklee College of Music, em Boston, tornando-se o primeiro músico latino-americano de rock a receber este importante prêmio.

La Ciudad Liberada é um álbum adequado para mentes abertas e sensibilidades. É um território de liberdade inexpugnável. Aqui sou filho, comediante, amante, pai, homem, mulher, trans, casal, contador de histórias, ateu, voyeur, judeu, pobre, chinês, negra, comunista, aristocrata, puto, modelo Vogue, índio, proprietário de uma casa, músico amador, cristão, desenho mal feito, muçulmano, android, canalha, político, bêbado, eunuco, crítico, lésbico e deus. Aqui, não se pede permissão nem se respeita o departamento da verdade.

PS: ouvir de uma vez com o celular desligado. É permitido (embora não seja ideal) uma única interrupção no final de "La mujer torso y el hombre de la cola de ameba" para aqueles que beberam demais e suas bexigas estejam cheias. Ou para aqueles que não conseguem resistir ao desejo de foder furtivamente no banheiro com o primeiro estranho. Ou aqueles que sentem vontade de chorar depois daquela desoladora história de amor after Mad Max. Também é permitido expulsar a primeira pessoa que pergunta "é o Fito Paez com corpo de mulher?"

Bem-vindos a La ciudad liberada!

Fito Paez


Algumas críticas do álbum La Ciudad Liberada:

"Um brilhante Fito Paez apresentou La Ciudad Liberada no Luna Park.

Fito novamente ofereceu seu coração, canalizou suas ideias sobre a arte e brilhou em uma daquelas noites que lembraremos por anos. Já sem El Flaco Spinetta e sem Cerati, com Charly pronto para dar a ele a batuta de controle, Fito definitivamente assumiu o posto dos grandes solistas do rock argentino". Sebastiàn Espòsito – Diario La Naciòn



"Fito Páez no Luna Park: um arsenal de grandes canções para libertar corações.

O rosarino apresentou La Ciudad Liberada com um concerto que incluiu também uma boa seleção de seus clássicos. Quando não sobrou nada e depois da tríade completa composta por Dar es dar - Mariposa Technicolor - Y dale alegría a mi corazón houve uma última liberação de rock, que soou mais como catarse do que qualquer outra coisa. O diabo em seu coração, a todo custo e com Fito gritando, pedindo a Buenos Aires (e a todo o país) que "cortá la mufa en el corazón". Neste momento, não há melhor conselho do que isso. Quem quis ouvi-lo, ouviu". Ezequiel Ruiz – Diario Clarin

"O espetáculo multidimensional de Fito Paez no Luna Park.

O fato de começar com uma introdução instrumental de "Ciudad de pobres corazones", continuar com "La Ciudad Liberada", e deixar quase para o fim a versão integral de "Ciudad de pobres ...", com alguns solos de Agüero, que nos fizeram esquecer o grande Gabi Carámbula, deram ao espetáculo um caráter quase de trabalho conceitual. Fito, em grande forma vocal, terminou com "A rodar mi vida" e - total atrevimento para o Luna -, uma versão a capella e sem microfone de "Yo vengo a ofrecer mi corazón". Claudio Kleiman – Revista Rolling Stone

Faixas musiciais de La Ciudad Liberada:

ALELUYA AL SOL

WO WO WO

TU VIDA MI VIDA

ISLAMABAD

BOHEMIA INTERNACIONAL

LA CIUDAD LIBERADA

SOLTA

NUEVO MUNDO

LA MUJER TORSO Y EL HOMBRE DE LA COLA DE AMEBA

OTRA VEZ EL SOL

EL SECRETO DE SU CORAZON

 EL ATAQUE DE LOS GORILAS

 NAVIDAD NEGRA

 CHICA MAGICA

 LOS CEREZOS BLANCOS

 PLEGARIA

SE TERMINO

 5778



Ficha técnica do álbum La Ciudad Liberada:
Fito Paez voz, piano, Hammond, MiniMoog, Juno 06, Rhodes.

Diego Olivero guitarra elétrica, guitarra acústica, programação, sintetizadores

Gaston Baremberg bateria

Mariano Otero baixo

Coros

Juan Absatz

Fabiana Cantilo

Carlos Vandera

Deborah Dixon

Flor Crocci

Fabian Gallardo guitarra acústica (coro)

Joaqun Carambula guitarra

Ignacio Jeannot programação

Vozes flamencas e cajones:

Antonio Carmona

Juan Carmona

Antonio Montoya

Produzido por Fito Paez e Diego Olivero



Redes sociais:







La Ciudad Liberada:




FITO PAEZ – LA CIUDAD LIBERADA

Porto Alegre, dia 02 de dezembro, no Auditório Araújo Vianna

São Paulo, dia 03 de dezembro, no Teatro Bradesco

Rio de Janeiro, dia 05 de dezembro, no Teatro Bradesco Rio

Classificação: Livre

Duração: 100min.


PORTO ALEGRE (RS)
Dia 02 de dezembro
Domingo, às 21h
Auditório Araújo Vianna (Av. Osvaldo Aranha, 685)



INGRESSOS:

Setor

Inteira

Meia-Entrada

Plateia Alta Lateral

R$ 110,00

R$ 55,00

Plateia Baixa Lateral

R$ 150,00

R$ 75,00

Plateia Alta Central

R$ 190,00

R$ 95,00

Plateia Baixa Central

R$ 220,00

R$ 110,00

Plateia GOLD

R$ 280,00

R$ 140,00




Nenhum comentário

Postar um comentário