Books Brasil Books

Novidades

[News] Ao lado de Juliana Paes, Jorge e Mateus, Dilsinho, Tierry e atrações internacionais, Raça Negra grava novo projeto

 Ao lado de Juliana Paes, Jorge e Mateus, Dilsinho, Tierry e atrações internacionais, Raça Negra grava novo projeto

 O DVD ‘O Mundo Canta Raça Negra’ contou com canções inéditas e regravações de grandes hits da banda
 


 
(Créditos Palco: Rubens Cerqueira/Camarim: Rogério Coruja)
 

Na última terça-feira, 22 de março, o Raça Negra subiu ao palco da Arena Petry, em Florianópolis, e deixou o público de mais de 4 mil pessoas em polvorosa com a gravação do DVD ‘O Mundo Canta Raça Negra’. Ao todo foram captadas 25 faixas, entre elas seis canções inéditas, em um palco com 24 músicos. 

 

“Vou confessar que foi muito difícil fechar esse repertório. Afinal, são anos de estrada e muitos sucessos na nossa trajetória”, confessa Luiz Carlos que assina a direção artística e do show ao lado do empresário Allan Caramaschi. 

 

A atriz Juliana Paes, a dupla Jorge e Mateus, os cantores Dilsinho e Tierry e as atrações internacionais Anselmo Ralph e Joey Montana, participaram da gravação. Para o projeto audiovisual, que será lançado ainda este ano, também será divulgado um mini-documentário sobre a banda, com os bastidores do projeto e cenas marcantes da carreira do Raça Negra.

 

O repertório viajou pelos 38 anos do Raça Negra e contou com diversos momentos especiais, entre eles a participação de Juliana Paes dançando lindamente a faixa ‘Cheia de Manias’, trilha sonora da protagonista Maria da Paz, na novela “A Dona do Pedaço” exibida pela Rede Globo em 2019. Embarcando no astral de Juliana Paes, a atriz também foi convidada para ser a musa de uma das canções inéditas do grupo: “Ti ti ti le le le”.

 

 

Outra parceria que surpreendeu foi o feat. com Jorge e Mateus. A banda e a dupla goiana já se cruzaram diversas vezes pelas estradas desse país, mas nunca haviam gravado nada juntos. O Raça Negra tem uma extensa relação com a música sertaneja e já gravou com grandes nomes do gênero. 

 

 

Tierry, grande fã das músicas e da história do Raça Negra, participou com a banda de uma atração de grande repercussão nacional, mas antes disso o cantor baiano já expressava, através das redes sociais, sua admiração pelo Raça Negra e vibrou quando viu Luiz Carlos cantando em um show uma música sua.

 

 

Já a conexão com Dilsinho é antiga. O pagodeiro expressou, em entrevistas, a admiração pela banda e de como o Raça Negra abriu as portas para que a nova geração pudesse inovar. Contou também que um dos seus primeiros shows solo foi abrindo um show do Raça Negra, no Rio de Janeiro.

 

 

Para abrilhantar ainda mais o projeto, duas atrações internacionais subiram ao palco da Arena Petry para cantar ao lado do Raça Negra. O cantor angolano Anselmo Ralph, ícone da música africana e o compositor e cantor de reggaeton panamenho, Joey Montana, sensação da música latina urbana.

 

 

 

As músicas gravadas com Jorge e Mateus, Tierry, Dilsinho, Anselmo Ralph e Joey Montana em breve serão reveladas.

 

O MUNDO CANTA RAÇA NEGRA 

 

Direção artística e do show: Luiz Carlos e Allan Caramaschi

 

Direção: Anselmo Troncoso

 

Cenografia: Vegas Design e AT+G Produções

 

Projeto de luz: Douglas Caetano

 

Coreógrafa: Andréa Santos

 

Produção e direção musical: Vinícius Leão

 

RAÇA NEGRA

 

Desafiar o tempo com suas canções é uma das principais característica do Raça Negra e só um projeto grandioso como esse poderá ser capaz de celebrar o sucesso de uma das bandas mais queridas do Brasil.

 

Há quase 40 anos o Raça Negra segue sendo um fenômeno. Suas músicas tornaram-se atemporais e transitam por todos os públicos e gerações. Formado em São Paulo, em 1983, o grupo foi pioneiro no segmento do samba romântico, sendo o primeiro a tocar em uma rádio FM. Responsável pela popularização do gênero nos meios de comunicação, o Raça Negra emplacou um hit atrás do outro e até hoje segue atraindo público e mídia.

 

Em 1990 a banda emplacou inúmeros sucessos como “Cigana”, “Doce Paixão”, “Cheia de Manias”, entre outros, e deu início a era do samba paulista, que invadiu as rádios populares. O sucesso se manteve por boa parte da década e, na ocasião, a banda chegou a ter o maior cachê cobrado por um show nacional.

 

A canção “É Tarde Demais” está no Guinness (livro dos recordes) como a música mais tocada em um único dia no mundo: 600 vezes em 20 de julho de 1995. O Raça Negra abriu as portas para o sucesso de muitos grupos que vieram depois deles, beneficiando não só eles, mas todo o segmento, inclusive carreiras já existentes.

 

Hoje, com a era da tecnologia, redes sociais e streamings, o Raça Negra alcançou números ainda mais expressivos. São 23 milhões de ouvintes e 580 milhões de plays no Spotify, mais de 100 milhões de plays na canção “Cheia de Manias”, 12 milhões de seguidores nas redes sociais, 1.1 bilhão de visualizações no YouTube e 120 milhões de views com a hashtag #RacaNegranoTiktok.

Nenhum comentário