Books Brasil Books

Novidades

[Especial Oscar 2022] Amor, Sublime Amor

Sinopse: Adaptado de um musical da Broadway, Amor, Sublime Amor conta uma história de amor e rivalidade juvenil que se passa na Nova Iorque de 1957. As gangues Jets, estadunidenses brancos, e os Sharks, descendentes e/ou porto-riquenhos, são rivais que tentam controlar o bairro de Upper West Side. Maria (Rachel Zegler) acaba de chegar à cidade para seu casamento arranjado com Chino (Josh Andrés Rivera), algo ao qual ela não está muito animada. Quando em uma festa a jovem se apaixona por Tony (Ansel Elgort), ela precisará enfrentar um grande problema, pois ambos fazem parte de gangues rivais; Maria dos Sharks e Tony dos Jets. Nesta história inspirada por Romeu e Julieta, os dois pombinhos precisarão enfrentar a tudo e todos se quiserem celebrar este romance proibido.

Lançado em dezembro de 2021, a nova versão de Amor, Sublime Amor é dirigido por Steven Spielberg e foi roteirizado por Tony Kushner, baseado na peça de teatro e livro de Arthur Laurents. O elenco é formado por Ansel Elgort, Rachel Zegler, Ariana DeBose, David Alvarez, Rita Moreno, Brian d’Arcy James, Corey Stoll, Mike Faist, Josh Andrés Rivera, Iris Menos e Sebastian Serra.

Curiosidades:

- As músicas “One Hand, One Heart” e “A Boy Like That/I Have a Love” foram performadas ao vivo no set por Ansel Elgort/Rachel Zegler e Ariana DeBose/Zegler respectivamente. Partes de “Maria” também foram cantadas ao vivo no set por Elgort, a seu pedido. Todas as outras músicas foram filmadas no tradicional playback. “Somewhere” também foi cantada ao vivo no set por Rita Moreno.

- John Williams foi convidado como consultor musical para o filme. Williams foi o pianista solo na versão de 1961 da trilha sonora.

- Em contraste com os filmes musicais modernos, quase a maioria do elenco é formado por atores de teatros musicais desconhecidos do público mainstream. Rita Moreno é a mais famosa do elenco principal. Exceto por Ansel Elgort (que se tornou famoso através de filmes não-musicais), Rachel Zegler (que foi escolhida para o elenco direto do ensino médio) e Corey Stoll (que trabalhou principalmente para TV em papéis secundários), todos os atores principais vieram da Broadway.

- Considerando o intervalo de 60 anos entre o original e essa produção, três atores apareceram na versão de 2021: Rita Moreno, Harvey Evans e David Bean. Evans e Bean foram membros dos “The Jets” na versão original, nos papéis de Mouthpiece e Tiger respectivamente. Evans faleceu duas semanas depois do lançamento do filme.

- O filme é dedicado ao pai de Steven Spielberg, Arnold Spielberg, engenheiro elétrico e veterano da Segunda Guerra Mundial, que morreu de causas naturais aos 103 anos em 2020, ano que o filme seria lançado originalmente.

- Steven Spielberg ofereceu uma oportunidade à Rita Moreno de participar da nova versão. Pensando que era apenas uma pequena participação, ela recusou, até que descobriu que estaria em um papel coadjuvante (Valentina), um personagem novo, a viúva do dono da farmácia, “Doc”, da versão original.

- Quando estava escalando o elenco para esse remake, Steven Spielberg insistiu que todos os personagens latinos fossem interpretados por atores latinos.

- Lançado postumamente depois que o compositor Stephen Sondheim faleceu em 26 de novembro de 2021. Ele, no entanto, viu a versão final do filme e prefere a versão de 2021 ao filme de 1961.

- Embora tenha interpretado Maria em várias produções no teatro de Amor, Sublime Amor, essa é a primeira vez de Rachel Zegler no cinema. Steven Spielberg credita a ela como a melhor Maria que ele já viu.

- Rachel Zeger nunca atuou profissionalmente antes de ganhar o papel de Maria na escolha aberta do elenco.

- Brian d’Arcy é um ator da Broadway nomeado ao Tony, já que é um excelente dançarino e cantor. Ele interpreta o policial Krupke, que não faz nada disso.

- Para evitar o problema de brownface do filme original, Steven Spielberg especificamente pediu por atores latinos. Steven Spielberg também evitou, em menor grau, o tropo “Latino is brown” presente na versão de 1961 por elencar atores latinos de diferentes etnias. Por exemplo, Rachel Zegler é descendência colombiana e Ariana DeBose é afro-latina. Ariana até temeu que era muito negra para o papel Steven Spielberg insistiu que ela era perfeita.

- Esse filme marca a primeira vez que Steven Spielberg dirigiu um musical.

- Mike Faist originalmente fez o teste de elenco para Tony, ante de ser pedido para ler para o papel de Riff, que ele conseguiu. A mesma coisa aconteceu com Russ Tamblyn no filme de 1961.

- Quando Ansel Elgort fez o teste para Steven Spielberg, ele não informou ninguém que estava doente no dia. Depois que Steven Spielberg descobriu, ele chamou Elgort de volta para refazer o teste para Tony, o que ele conseguiu na hora.

- O roteirista Tony Kushner disse que o filme tem mais a ver com o livro de Arthur Laurents do que com o filme adaptado em 1961.

- “One Hand, One Heart” foi originalmente escrita para a cena da bancada até que Stephen Sondheim reconsiderou que uma música tão solene não captura o espírito da paixão e romance jovem à primeira vista. Ele e Leonard Bernstein reaproveitaram a música de Tonight Quintet (que já tinha sido escrita) para escrever uma nova versão de Tonight, o que se tornou então o tema por toda a peça.

- Com esse filme, Steven Spielberg se torna a primeira pessoa a ser nomeada ao Oscar na categoria de Melhor Diretor por seis décadas seguidas.

- Rachel Zegler interpretou Maria no palco no Centro de Artes Performáticas de Berger aos 16 anos antes de ser escolhida para o filme.

- Naya Rivera fez campanha e enviou uma fita de teste para o papel de Anita. Ela tinha feito esse papel antes e cantou as músicas “America”e “A Boy like That/I Have a Love em Glee (2009) durante a apresentação da escola de Amor, Sublime Amor. No entanto, ela infelizmente se afogou acidentalmente no verão de 2020.

- Em 23 de setembro de 2020, o filme foi atrasado por quase um ano, de 18 de dezembro de 2020 à 10 de dezembro de 2021, por causa da pandemia do COVID-19.

- David Alvarez (Bernardo) é cubano-canadense.

- Marca a 15ª participação do diretor de fotografia polonês Janusz Kaminski com Steven Spielberg como diretor. A primeira colaboração deles começou com a Lista de Schindler (1993). O editor Michael Kahn marca sua 25ª participação com Steven Spielberg, sendo a primeira em Contatos Imediatos do Terceiro Grau (1977).

- Filme de estreia de Rachel Zegler.

- Anybodys é um homem trans nessa versão e é interpretado pelo ator não-binário Iris Menas.

- O designer de figurinos, Paul Tazewell é o primeiro homem afro-americano a ser nomeado ao Oscar por Melhor Figurino por seu trabalho no filme.

- Segunda vez que Steven Spielberg produziu um remake de um filme dirigido por Robert Wise. Ele produziu A Casa Amaldiçoada (1999).

- Steven Spielberg e o roteirista Tony Kushner trabalharam juntos antes em Munique (2005) e Lincoln (2012). Eles também estão trabalhando juntos nos próximos filmes The Kidnapping of Edgardo Mortara (2022) e The Fabelmans (2022).

- As letras no início da música “America” foram alteradas para retratar Porto Rico de forma mais positiva que a versão de 1961 da música. Particularmente, a letra “always the hurricanes blowing” da versão de 1961 foi retirada para preservar os sentimentos depois do desastre do furacão Maria devastou Porto Rico em 2017.

- Todos os atores latinos do filme, com exceção de alguns, repetiram seus papeis nas dublagens em espanhol na América Latina e europeia.

- Ben Cook que interpreta Mouthpiece no filme também interpretou Riff no revival mais recente na Broadway, que ele fez depois do filme, mas antes de seu lançamento.

- Primeiro remake de Steven Spielberg desde Guerra dos Mundos (2005).

- Steven Spielberg queria fazer este filme desde 2014.

- Steven Spielberg confirmou que esse filme será o único musical que ele irá dirigir.

- Houve rumores que Emma Stone, Kristen Bell e Jennifer Lawrence foram consideradas para o filme, mas eles foram refutados.

- Depois da versão de 1961, essa é a segunda adaptação do musical a receber uma nomeação do Oscar de Melhor Filme.

- Zendaya foi a primeira escolha para o papel de Maria.

- A música “I Feel Pretty” no filme é apresentada fielmente ao musical depois que a luta aconteceu e Riff e Bernardo foram assassinados. A música tem uma ironia dramática no contexto de Maria não ter conhecimento do que aconteceu. A versão de 1961 colocou a música antes da luta com o objetivo de tirar a ironia e tocar a música de forma leve.

Amor, Sublime Amor concorre nas categorias de Melhor Filme, Melhor Direção (Steven Spielberg), Melhor Atriz Coadjuvante (Ariana DeBose), Melhor Fotografia (Janusz Kominski), Melhor Figurino (Paul Tazewell), Melhor Design de Produção (Adam Stockhausen) e Melhor Som. 
 
Trailer:
 

 
Fontes: AdoroCinema, IMDb, Omelete 
 
 

 



Nenhum comentário