Books Brasil Books

Novidades

[News]700 caixas de papelão, projeções e trilha sonora ao vivo faz de Caixa Ninho um espetáculo único para a primeira infância

 

700 caixas de papelão, projeções e trilha sonora ao vivo faz de Caixa Ninho um espetáculo único para a primeira infância


Espetáculo inédito do Eranos Círculo de Arte fica até o dia 31 de julho no Sesc Tijuca (Teatro 1), aos sábados (16h) e domingos (11h e 16h)  





Caixa Ninho, peça inédita da Eranos Círculo de Arte, de Santa Catarina, que está em cartaz no Sesc Tijuca, Rio de Janeiro, vem colecionando admiradores pela sua concepção de espetáculo para o universo da primeira infância (1 a 6 anos). No palco, a atriz Sandra Coelho recebe os pequenos e faz a história acontecer de acordo com a colaboração deles - e os pais são convidados a sentarem neste palco especial e participarem das ações em conjunto. O conteúdo do cenário é composto por uma iluminação especial, música ao vivo e projeções, que caminham paralelamente para proporcionar um espaço lúdico em que o fascínio pelo lugar repleto de caixas de papelão é refletido no olhar das crianças a cada sessão. Desta forma, o espetáculo da companhia de Itajaí consegue estimular a imaginação e a criatividade dos pequenos desde o primeiro minuto. E, no final, um presente: as crianças recebem uma réplica da caixa em formato de passarinho usada na peça.

(fotos: Círculo Eranos)


O Eranos aprofunda a pesquisa de projeção digital em artes cênicas desde a fundação do grupo em 2009/2010. Ministram a oficina Ação e Projeção - projeção digital aplicada às artes cênicas, com um total de 22 edições realizadas em diversas cidades do Brasil, além de Londres e Buenos Aires. “E com Caixa Ninho, o grupo continua a se aprofundar nesta esfera”, diz a atriz Sandra Coelho, que também é autora e pesquisadora da obra junto com o diretor Leandro Maman, e compartilha o palco com a musicista Hedra Rockenbach, autora da ambientação sonora realizada ao vivo. 


O diretor, responsável pelas projeções animadas que acontecem no chão e nas cenas da passagem do tempo (noite/estrelas, chuva/folhas e nuvem), idealizou-as especialmente para o espetáculo. “Em Caixa Ninho a projeção digital é composta por objetos de luz que, incorporados ao espaço, alteram em instantes a atmosfera da ambientação cênica. Sua função dramatúrgica está ligada à passagem do tempo e um momento de pausa na relação com as caixas, estas que são o eixo principal do espetáculo. Em Caixa Ninho é a primeira vez em nosso trabalho em que os desenhos projetados ocupam o espaço habitado pela plateia numa relação imersiva. Ainda assim buscamos a simplicidade nos traços e evitamos uma sobrecarga de imagens, nossa proposta de projeção é muito mais desenhar com a luz no espaço do que um hibridismo com a linguagem do vídeo - e ocorre de maneira mais discreta do que em nossos trabalhos anteriores, já que em Caixa Ninho as caixas na relação com as crianças são as protagonistas de nossa história”, explica Leandro.

A iluminação do espetáculo e a música estão no pacote de diferenciais do Caixa Ninho, que ficou a cargo da premiada Hedra Rockenbach, sound designer, musicista, iluminadora, coordenadora e diretora técnica. Ela é a compositora e intérprete de todas as ambientações sonoras da peça. Ao vivo, ela funciona como uma DJ, colocando a música ambiente e também cantando em solfejo algumas frases.


Som ao vivo já faz parte da minha identidade como Performer. Som, luz e projeção trabalham junto à atuação, cenário e elementos de cena. Além do som, opero luz e projeção, e quando possível integrando esses três elementos. Para o Caixa Ninho a ideia era criar uma trilha bem tranquila, que pudesse ser um contraponto ao excesso da vida digital, ainda mais nesse período da volta ao presencial, criando um foco na brincadeira com as caixas de papelão e que aos poucos vai revelando uma história que a trilha cantada vai dando pistas do que acontece. Os timbres que emulam instrumentos de sopro misturados com timbres eletrônicos dão uma leveza necessária para representar esse “mundo pássaro”. Frases curtas cantadas como “ninho, vou fazer um ninho”, “mas o dia já raiou", “tô esperando, cadê vocês”, “quero voar” vão conduzindo as ações da atriz que não utiliza a fala para contar a história. Então, a trilha cantada se faz necessária para articular esse entendimento da ação. O resultado é uma experiência sensorial trabalhando junto com o todo ”, descreve Hedra.

Caixa Ninho é um acontecimento teatral para a primeira infância, onde as crianças são convidadas a entrar num universo de caixas de papelão - um cenário intimista, lúdico e modular - um espaço compartilhado de relação e construção em que tudo é possível. Neste mundo de caixas, crianças e adultos encontram um ninho e presenciam os primeiros voos de uma caixa passarinho. 


A atriz Sandra fica junto às caixas e estabelece este vínculo de construção e acolhimento. “A relação que as crianças estabelecem com as caixas – compreendidas aqui como brinquedos não estruturados, ou seja, não possuem uma funcionalidade específica -, foi o ponto de partida para a criação da peça” - completa a atriz.


Desde o início da pandemia, a companhia investiga o uso de caixas de papelão e teatro de animação, assim como suas relações de jogo na composição teatral para a infância. A intenção é continuar esta pesquisa, dessa vez, de maneira presencial em Caixa Ninho. O cenário da peça é composto por 700 caixas de papelão, em uma ideia de construção cenográfica fluída, onde a criança que participa do espetáculo possa interagir fisicamente, tornando-se também protagonista na relação e composição do espaço cênico e do jogo dramatúrgico, com mediação e condução da atriz.




SOBRE ERANOS CÍRCULO DE ARTE - http://eranos.com.br/ 


Fundado em 2009 por Sandra Coelho e pelo diretor Leandro Maman, Eranos Círculo de Arte é um coletivo de artistas de Itajaí/SC que produz e pesquisa arte e suas interfaces entre o teatro, artes visuais, audiovisual e literatura. A companhia investe também em processos criativos com linguagem onírica e traz como eixo recorrente em seus trabalhos o uso de aparatos multimídia. 


Desde o seu início, a companhia desenvolveu mais de 30 criações entre espetáculos, performances e exposições, e participou de reconhecidos festivais como FIL RJ – Festival de Intercâmbio de Linguagens (2021, 2019 e 2016), Festlambe – Festival Internacional de Teatro Lambe-lambe de Valparaíso (2016), no Chile; Festival Novo Olhar – Jundiaí (2018), FILO – Festival Internacional de Londrina (2016), FITA – Festival Internacional de Teatro de Animação (2016), XII Feverestival – Festival Internacional de Teatro de Campinas (2016) e Festival Internacional de Teatro de Rua de Porto Alegre (2014) entre outros. Além de prêmios como o Iberescena (2017), Elisabete Anderle (2017, 2019 e 2020), Myriam Muniz (2015), Arte como Respiro - Itaú Cultural (2020), FUNARTE Respirarte (2020).


O uso de linguagem audiovisual e performática em artes cênicas é um dos diferenciais do trabalho do Eranos Círculo de Arte. Em “O Barquinho Amarelo” (2019), as imagens propostas convidam a criança para uma experiência de contemplação, imersão visual e sonora. Já em “#Mergulho - experiência teatral para crianças” (2014), elas têm voz ativa durante toda condução do espetáculo, e sentam junto ao cenário participando da narrativa. Em “Pô!Ema” (2014), as crianças constroem poemas junto com a atriz e, ao vivo, alimentam uma Ema e seus Filhotes (bonecos de luz projetados em anteparo). 

A partir de 2014, o grupo passou a investigar o uso de tecnologias digitais para a primeira infância. Para o grupo, o teatro é uma maneira de democratizar o acesso à cultura, além de contribuir para a formação de plateia, trazendo desde cedo a experiência da fruição artística.



FICHA TÉCNICA 

Sandra Coelho e Leandro Maman – PESQUISA E AUTORIA 

Sandra Coelho – ATUAÇÃO

Hedra Rockenbach - AMBIENTAÇÃO SONORA

Leandro Marman – DIREÇÃO GERAL E CONFECÇÃO DE BONECOS

Adriano Guimarães - SUPERVISÃO ARTÍSTICA

Luiz André Cherubini - ASSESSORIA DE ANIMAÇÃO 

Diego de Medeiros Pereira – ASSESSORIA PEDAGÓGICA

Espetáculo produzido através do Edital Sesc RJ Pulsar 2022.



SERVIÇO:

Caixa Ninho – Eranos Círculo de Arte

Temporada: 02 a 31 de julho de 2022

Dias e horários: Sábados às 16h e domingos às 11h e 16h

Local: Sesc Tijuca. Teatro 01

Ingressos: Grátis (PCG), R$ 2 (Credencial Plena), R$ 5 (meia entrada) e R$ 10 (inteira)

Endereço: Rua Barão de Mesquita, 539 - Tijuca

Horário de funcionamento da bilheteria: Terça a domingo, de 9h às 17h

Classificação indicativa: Livre

Duração: 40min

Lotação: 60 lugares

Gênero: Infantil (primeira infância - 1 a 6 anos)


Claudia Tisato/PR

Nenhum comentário