Novidades

[Crítica] O Coração Do Mundo

 

Sinopse:

Uma simples família vive no remoto interior, se sustentando da cria de raposas e cães de caça. Eles contratam Egor (Stepan Devonin), um veterinário competente e de bom coração que, rejeitado por sua família, prefere a companhia de animais ao contato humano. Quando ativistas da cidade grande passam a acusar a família de práticas abusivas, os instintos de Egor tomam a frente. Desesperado por pertencer a um bando, ele faz de tudo para conseguir a aprovação do chefe da família e sua filha.


 O quê achei?

Não é todo dia que recebo a cabine de um filme russo. então sempre aceito quando a oportunidade surge.

´`O Coração do Mundo`` da diretora Natalia Meshchaninova (Fábrica de Esperança, que não assisti)é uma parábola sobre a fragilidade da empatia humana sobre pressão. A história se passa em uma área rural da Rússia, em uma fazenda que cria raposas para treinar cães de caça.Egor (Stepan Devonin) é um homem de vinte e poucos anos que trabalha lá como veterinário e auxiliar-geral da família composta por Nicolai (Dimitri Podnozov)sua esposa Nina (Ekaterina Vasilyevna), a filha deles Dasha (Yana Sekste)mãe solteira do garoto Ivan (Vitya Ovodkov). Egon se dá bem com eles, embora seja visível que se relaciona melhor com os animais, especialmente com Belka,uma dos cães da raça Pastor-da-Ásia-Central que foi machucada pelos outros.

Enquanto ele cuida dos ferimentos de Belka, Egon passa por um processo de reabilitação e entra em um estado profundo de raiva e luto quando sua mãe, uma alcóolatra de quem ele era afastado, morre.Ele também entra em conflito com Ivan,uma criança que não recebe a devida atenção dos adultos e se rebela,além de se relacionar com Dasha.

Enquanto isso, um grupo de ativistas pelos direitos dos animais cerca o locale  começam a enviar drones para filmar as práticas que eles consideram serem abusivas aos animais- o que é compreensível, levando em conta o fato de que eles usam terriers para caçar as raposas usando uma série de túneis de madeira, um processo, que, mesmo que não seja mostrado graficamente, é bem irritante para amantes de animais. Egon luta para tentar se encaixar na família.

As atuações são intensas e os atores dão o melhor de si para representar um ambiente hostil. Stepan Devonin, que recebeu treinamento em Medicina Veterinária na vida real, revela estar à vontade com animais e consegue expressar bem o isolamento e agonia interna de seu personagem. Só não curti muito o final por ser meio inconclusivo. Mas é interessante.


                        Trailer:

 




Nenhum comentário