Books Brasil Books

Novidades

[Crítica Festival É Tudo Verdade 2022] Kurt Vonnegut: Desprendido no Tempo

 
Sinopse: O filme reconta a vida extraordinária do escritor Kurt Vonnegut e sua amizade de 25 anos com o cineasta que se dispôs a documentá-la.

O que achei? Lançado em 2021 e dirigido por Robert B. Weide e Don Argott, o documentário está na seleção de documentários do Festival É Tudo Verdade 2022.

Kurt Vonnegut foi um dos maiores ícones literários do século XX nos EUA e um retrato da contracultura americana nas décadas de 1960 e 1970. O documentário sobre sua vida e obra é o produto final de uma produção feita ao curso de 40 anos por Robert B. Weide, que acabou se tornando um grande amigo de Vonnegut. E essa amizade entre Weide e Vonnegut dá o tom mais pessoal, emocionante e humano à figura do escritor.

O vínculo entre o diretor e o escritor faz com que o espectador mergulhe na história de Vonnegut, fazendo com que não seja um documentário didático e distante e permitindo quem assiste de criar um certo vínculo com escritor também. 
 

O documentário mostra como Vonnegut foi uma influência até mesmo para gerações jovens no século atual, uma pessoa aberta, carismática cujas obras são atemporais.

O lado mais humano de Vonnegut é mostrado em depoimentos de familiares e até mesmo do próprio Weide, arquivos de vídeos de sua infância, depoimentos do mesmo sobre seus pais, suas perdas e como traumas relacionado à Segunda Guerra Mundial influenciou sua personalidade e que encontrou na escrita uma forma de lidar com seus traumas.

Kurt Vonnegut: Desprendido no Tempo desmistifica o escritor, mostrando que ele foi um pai ausente e que se divorciou de sua esposa que o apoiou em sua carreira desde o início. 
 
O documentário tem mais de duas horas de duração, mas são duas horas bem dinâmicas que quem assiste não sente passar. O filme tem o equilíbrio em mostrar Vonnegut como escritor influente e ícone do século XX e o Vonnegut humano, com traumas e defeitos e complexidades que refletiram em seus livros. 
 
Trailer:
 

 Escrito por Michelle Araújo Silva
 


Nenhum comentário