Books Brasil Books

Novidades

[Crítica Festival É Tudo Verdade 2022] JFK Revisitado: Através do Espelho

 
Sinopse: Arquivos que deixaram de ser sigilosos sobre o assassinato do presidente John F. Kennedy são examinados em um contexto amplo, com o objetivo de elucidar o que realmente aconteceu em 1963.

O que achei? Lançado em 2021, JFK Revisitado: Através do Espelho faz parte da seleção de documentários no Festival É Tudo Verdade 2022.

Oliver Stone é fascinado quando se trata da investigação e teorias sobre o assassinato de John F. Kennedy. Trinta anos após o lançamento de seu filme JFK: A Pergunta que Não Quer Calar, ele volta a tratar desse tema, dessa vez em um documentário depois que documentos sobre o caso foram desarquivados.

Como fã do gênero true crime, esse documentário atraiu meu interesse. Mas ele pode ser um pouco técnico e arrastado em alguns momentos, como na primeira parte do documentário, com Oliver Stone entrevistando pessoas diretamente relacionadas à investigação do assassinato de JFK, como testemunhas do crime, médicos legistas que confirmaram que seus colegas tiveram que assinar relatórios falsos, análise balística, etc. 
 
 

A segunda parte do documentário já cai no território das conspirações por trás do assassinato de Kenedy, trazendo hipóteses sobre os motivos do mesmo, entre elas a oposição de Kennedy à CIA em relação as relações complicadas dos EUA com Cuba, acabar com a rivalidade entre EUA e União Soviética, Guerra do Vietnã, um serviço interno do governo.

Stone atira para todos os lados (desculpa pelo trocadilho) sobre quem seria o responsável pelo assassinato de um dos presidentes mais populares que os EUA já teve: J. Edgar Hoover, Allen Dulles (chefe da CIA na época) e, o mais provável de acordo com essas teorias da conspiração, Lyndon Johnson, que assumiu a presidência imediatamente após a morte de Kennedy. 
 
No fim das contas, o documentário mostra que o assassinato de JFK representou a continuação da Guerra do Vietnã (o diretor acredita que Kennedy tinha como objetivo tirar o exército americano de lá).

Enfim, o documentário é um pouco cansativo de se assistir, parecendo ser mais longo do que realmente é e o espectador se perde no exagero de informações e teorias da conspiração que rodeia o assassinato de Kennedy. Mas fãs de teorias da conspiração podem acha-lo interessante.

Trailer:


Escrito por Michelle Araújo Silva
 

 

Nenhum comentário