Books Brasil Books

Novidades

[News]Cia Mundu Rodá lança segunda edição de programa pedagógico focado em ancestralidades ameríndias, afro-brasileiras e caboclas

 Cia Mundu Rodá lança segunda edição de programa pedagógico focado em ancestralidades ameríndias, afro-brasileiras e caboclas

 

São nove meses de aulas presenciais e, ao final, será apresentado um manifesto cênico. Alunos recebem uma ajuda de custo ao longo de todo o processo
 

https://lh3.googleusercontent.com/eLqnVeRY8e5kEieZ9Vy5ckKObuEroKuAOrEPWrA4d-VXiheEL4Z4M19SwADSbAcOmsoqjZPrKXvv6KbWwE_PdsoFrL4iQxKnZJCGxeww8dg9yeFousa2DT22cMrKkA

Aulas do programa artístico-pedagógico - Foto: Arquivo pessoal/Divulgação

 


 

Com mais de 20 anos de estrada criando uma arte não-eurocêntrica, a Cia Mundu Rodá abre inscrições para a 2ª edição de seu Programa Artístico-Pedagógico. As aulas são presenciais e acontecem durante nove meses, entre março e novembro de 2022, às segundas, terças e quartas, das 19h às 22h. A primeira aula é no dia 14 de março.
 

São disponibilizadas 14 vagas e os participantes recebem uma ajuda de custo de R175 por mês durante o programa e R1.200 pelas apresentações de um manifesto cênico provisoriamente chamado de “Manifesto das Margens”, que passará por quatro regiões distintas de São Paulo, somando 12 sessões nas ruas e em outros espaços públicos.
 

As inscrições acontecem em duas etapas. Primeiro, os interessados devem preencher este formulário neste link aqui Programa Artístico-Pedagógico Mundu Rodá 2ª Edição | Criação e Montagem "MANIFESTO DAS MARGENS" (google.com) até às 23h59 do dia 04 de março. Depois, nos dias 08 e 09 de março, das 18h às 22h, acontecem encontros práticos na sede do grupo para finalizar a seleção. A lista de aprovados será divulgada no dia 11 de março no site oficial da Mundu Cia. Mundu Rodá (munduroda.com) e por e-mail.

 

“Aprendemos com nossos Mestres e Mestras das manifestações populares tradicionais que o aprendizado e a criação artística não são instâncias isoladas - as brincadeiras, as festas e os ritos são manifestações estéticas, religiosas e políticas, porque refletem o modo como a comunidade entende as relações de convivência de seus indivíduos em várias esferas da vida. Do mesmo modo, a noção de Manifesto, tal qual apropriada pela arte do século 20, também se apoia na vontade de agrupar desejos comuns, de modo a intervir sob uma dada realidade”, comenta Alício Amaral, um dos fundadores da companhia.
 

Por isso, durante as aulas, os alunos entram em contato com as narrativas, saberes e fazeres corporais e musicais das suas ancestralidades ameríndias, afro-brasileiras e caboclas. Além disso, o disparador poético é conduzido a partir das histórias e imagens registradas pela Mundu Rodá em suas expedições por todo o território nacional.
 

Em meio a essas diversas vozes, o grupo também pretende refletir sobre a situação do ser humano na cidade, um espaço já esgotado de seus recursos naturais e dominado pela indiferença das relações interpessoais.

Para conduzir a criação do manifesto cênico, foram selecionados artistas com diversas vivências. Fazem parte dessa equipe Alexandre Buda, Alício Amaral, Amanda Martins, Bartira Menezes, Daniel Munduruku, Erika Moura, Juliana Pardo, Mestre Nico, Salloma Salomão e Wellington Campos (Ngunga).
 

Além disso, com a intenção de aprofundar ainda mais os temas abordados no curso, foram convidados a Mestra Nice (Cavalo Marinho Estrela Brilhante-PE), a Mestra Tina (Cavalo Marinho Infantil Sementes do Mestre João do Boi-PB), o Mestre Inácio Lucindo (Cavalo Marinho Estrela do Oriente-PE), o Seu Sebastião Martelo (Cavalo Marinho Estrela de Ouro-PE), a Mestra Jeane e o Mestre Toinho (ambos do Caboclinho Sete Flechas de Goiana-PE).
 

O programa também reúne integrantes do Grupo Manjarra, núcleo irmão da Mundu Rodá que tem um trabalho ligado às ações cênico-populares de rua. Essa equipe é formada por Ana Célia Martins, Bruna Santos, Nilma Rodrigues, Adriano Soares e Rodrigo Lopes Reis.
 

Em comum, todos esses artistas têm o fato de buscarem a criação de novos parâmetros para os conceitos de humano, natureza e arte. Nesse movimento, todos esses nomes constroem um diálogo com as diversas matrizes culturais para afirmar e reconhecer diferenças, apresentando diferentes maneiras de entender o mundo. Não se trata de um simples intercâmbio de vivências com o objetivo de traduzir e restaurar comportamentos e formas.
 

O programa artístico-pedagógico da Cia Mundu Rodá integra o projeto "Hileia: Manifesto das Margens e Outros Gritos", contemplado pela 36ª Edição do Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo.

 

https://lh4.googleusercontent.com/N74wUJqDEUgYPxPpcKCs38q7jkm0zdonEWDiS0h_D5672qgtpmLsQvv5Hl3MZ1mublebusUGZN1hEIpzOUGRWHSk7rhQUIIWwssGWNvX4qGj_aVkFD_r-vRZqZTJIA

 

Sobre a Mundu Rodá

 

A Mundu Rodá (Brasil - São Paulo), como o próprio nome diz, nasceu da inquietude de experienciar outras visões de mundo, divergentes daquelas que nos são oficialmente impostas. Nestes anos de giros pelos Brasis afora, aprendemos com nossos mestres e mestras que o aprendizado e a criação artística não são instâncias isoladas. Ali, as manifestações cênicas tradicionais, as festas e os ritos são manifestações estéticas, religiosas, sociais e políticas, porque refletem o modo como a comunidade entende as relações de convivência de seus indivíduos em várias esferas da vida. Do mesmo modo, buscamos este caminho na criação e na pedagogia da cena que desenvolvemos, onde vida e arte ecoam juntas para expressar as possíveis e diferentes visões de mundo.

 

A Cia. Mundu Rodá foi fundada em 2000 pelos artistas Juliana Pardo e Alício Amaral, e possui um trabalho continuado de pesquisa que, desde seu surgimento, tem contribuído para um movimento das artes brasileiras contemporâneas que se pensam para além dos padrões eurocêntricos de criação e modos de produção. Vem construindo uma linguagem cênica própria a partir da observação, inter-relação e prática com as Danças Dramáticas Brasileiras e o Trabalho de Artistas Intérpretes, nas áreas do Teatro, Dança e Música.

 

A partir de pesquisas de campo e intercâmbios com artistas de diferentes áreas, trabalhamos na criação de uma metodologia de preparação e encenação de artista intérprete que dialoga com as urgências e formas de nossa própria época e com os saberes ancestrais que constituem nossas fontes ativas. As corporeidades e musicalidades que constituem as Danças Dramáticas Brasileiras, assim como o estudo biomecânico do corpo-brincador, permeiam nossos trabalhos artístico-pedagógicos.

 

SERVIÇO

 

Programa Artístico-Pedagógico Mundu Rodá 2a Edição

Período de aulas: 9 meses, de 14 de março a novembro, com aulas presenciais às segundas, terças e quartas, das 19h às 22h | Em novembro acontecem os ensaios finais e as apresentações.

Onde: Casa Mundu Rodá - Rua Southey nº 106, Ipiranga, São Paulo -SP | Em caso de lockdowns e outras condutas de saúde por conta da pandemia nos próximos meses, algumas ações do programa poderão ser adaptadas para o modo remoto

Número de vagas: 14

Ajuda de custo: os participantes terão uma ajuda de custo de R175,00/mês (durante o programa) e R1.200,00 pelas apresentações
Inscrições: os interessados precisam seguir duas etapas

Primeira etapa: preencher este formulário de inscrição até o dia 04 de março, às 23h59

Segunda etapa: processo seletivo por meio de encontros práticos com os artistas condutores nos dias 08 e 09 de Março, das 18h às 22h.

Local: Casa Mundu Rodá - Rua Southey nº 106, Ipiranga, São Paulo -SP

Resultado dos aprovados: 11 de março no site oficial da Mundu Rodá e por e-mail

Para mandar um e-mail solicitando informações dos cursos e oficinas, clique aqui

Nenhum comentário