Novidades

[News]“Ilha das Cobras”: música instrumental, Darwin e natureza em sintonia no EP de Doug Felício

“Ilha das Cobras”: música instrumental, Darwin e natureza em sintonia no EP de Doug Felício 

Músico integra projetos como Black Mantra e Gigante Mamuthe 


Capa por Victor Fão


>>>> OUÇA NAS PRINCIPAIS PLATAFORMAS: https://tratore.ffm.to/ilhadascobras


>>>> ACESSE O PRESS KIT COM FOTOS E MP3: https://bityli.com/giZEL


Qual mensagem a teoria da evolução, a natureza selvagem e a música instrumental podem, juntas, nos passar? A resposta está no EP de estreia do produtor musical e multi instrumentista Doug Felício (Black Mantra, Black Brasa, Gigante Mamuthe), “Ilha das Cobras”


O álbum, com 5 músicas, chegou às principais plataformas no final de abril, na sequência do sucesso do primeiro single, “Funk Ilhoa”, que chamou a atenção da mídia internacional especializada. 


O álbum nasceu a partir do olhar de Doug para o sousafone, instrumento que começou a estudar e pesquisar há mais de cinco anos, e que é especialmente conectado às fanfarras de rua, às orquestras sinfônicas e às brass bands.


Doug Felício


“Quando comecei a mergulhar na história do instrumento, surgiram diversos questionamentos. Por que esse instrumento incrível aparece tão pouco nos cenários em que estou inserido com o trombone, como os palcos? O que mudou com o passar dos anos desde a criação desse instrumento até os dias atuais?”, aponta Doug. 


“Em minhas pesquisas, me vi fascinado pelo instrumento, que é uma evolução da tuba - por sua vez uma evolução do Oficleide. Apesar da evolução, o campo de atuação desse instrumento teve pouca transformação ao longo de mais de um século”. Doug enxergou um paralelo importante com a teoria de Seleção Natural de Charles Darwin, e aprofundando mais em sua pesquisa, encontrou a história da jararaca-ilhoa e de seu habitat. É aqui que a natureza se conecta. 


O animal, que deu nome ao single de estreia do EP (“Funk Ilhoa”), é encontrado na “Ilha das Cobras” - chamada na verdade Ilha da Queimada Grande, localizada em Itanhaém, no litoral paulista. A jararaca-ilhoa se adaptou ao longo dos séculos para sobreviver, sofreu e continua sofrendo graves ameaças de extinção, e seu histórico se conecta à trajetória da música de inúmeras formas, em que a adaptação é fenômeno essencial para o desenvolvimento e sobrevivência.


Ficha técnica 

“Ilha das Cobras”


1 - Funk Ilhoa


Fabio Galio - Bateria

Fabio Leandro - Teclado e Piano

Diego Coelho - Guitarra

Wagner Barbosa - Sax Tenor

Luizinho Nascimento - Trompete

Doug Felicio - Tuba e Trombone


2 - I Miss You All


Fabio Luchs - Bateria

Silvanny Sivuca - Percussão

Ilca Leanza - Teclado e piano

Rafael de Sena - Guitarra

Rubinho Antunes - Flugel Horn

Doug Felicio - Tuba e Trombone


3 - Só Penso em Você


Luiz Chamis - Teclado

Doug Felicio - Tuba e Trombone


4 - Com Base Nisso...


Doug Felicio - Tuba e Trombone


5 - Autêntico ou Idêntico?


Ivan Lopes - Bateria

Herbert Medeiros - Teclado

Alexandre Galio - Guitarra

Rubinho Antunes - Trompete

Bruno Reis - Sax Tenor

Doug Felicio - Tuba e Trombone 



Siga Doug Felício


Instagramhttps://www.instagram.com/dougfelicio/

Facebookhttps://www.facebook.com/dougfeliciooficial/



Sobre Doug Felício

Músico, trombonista e tubista, compositor e arranjador. Nascido na periferia de Embu das Artes (Grande São Paulo), frequentemente se deparou com obstáculos esperados para os jovens pretos em situação de vulnerabilidade social. 

Aos 12 anos, teve a oportunidade de iniciar os estudos de música na igreja evangélica que frequentava. Foi pai com apenas 16 anos, e sentiu na pele o descaso educacional e político na periferia. Em busca de outras oportunidades, permaneceu dois anos longe das atividades musicais. 

Finalmente, aos 19 anos, Doug focou seus estudos na prática popular no trombone, dando seus primeiros passos como músico profissional. Teve a oportunidade de tocar em participações com grandes nomes da música brasileira, como Jair Rodrigues, Simoninha, Placa Luminosa, Roupa Nova e outros. 

Ao longo de sua carreira, vem participando de vários dos maiores festivais nacionais e internacionais, com passagens por 12 países da Europa, Ásia e América do Norte. O músico acumula passagens em palcos como o do Festival de Jazz de Montreal (Canadá) e Jazz à Vienne (França), entre outros. Hoje, integra os projetos Black Mantra, Black Brasa (com o cantor Thaíde) e Gigante Mamuthe. PR/DaniPimenta

Nenhum comentário