Novidades

[News]28 Patas Furiosas abre processo de pesquisa sobre os sonhos a partir da perspectiva indígena

28 Patas Furiosas abre processo de pesquisa sobre os sonhos a partir da perspectiva indígena

 Qual o mito que se cria a partir dos sonhos da cidade? 


 

Figura 1 Na Foto Isabel Wolfenson, integrante do 28 Patas Furiosas Foto: Taygoara Schiavinoto

A pesquisa integra o projeto 28 Patas Furiosas_da instabilidade aos sonhos, contemplado pela 34ª Lei de Fomento ao Teatro da Cidade de São Paulo. Além da mostra de processo, o grupo também oferece oficinas gratuitas


 

O coletivo teatral 28 Patas Furiosas compartilha com o público, nos dias 23 e 24 de maio, domingo e segunda-feira, 19h, o experimento cênico Um jaguar por noite, dramaturgia do coletivo em parceria com Tadeu Renato e encenação/instalação de Wagner Antônio. As aberturas são um convite para que o público entre em uma sala de ensaio virtual para acompanhar os caminhos apontados pela nova pesquisa. A obra está sendo construída desde o segundo semestre de 2020 e ainda não tem data de estreia definida. As inscrições para participar da experiência devem ser realizadas por meio deste link: https://linktr.ee/28patasfuriosas. Em seguida, o público receberá emails com coordenadas para que sua experiência de imersão seja o mais completa possível.

Um jaguar por noite se debruça sobre mitos de povos originários a respeito dos sonhos - elementos centrais para algumas culturas ameríndias. Assim, ao entender os sonhos enquanto uma tecnologia que revela aspectos ocultos do nosso tempo e sua coletividade, uma das perguntas geradoras do processo criativo vem sendo: “com o que sonha a cidade de São Paulo hoje?”.
 

________________________

O sono é por vezes a última barreira do capitalismo, pois é um dos poucos territórios em que estamos inertes, não produzimos e não consumimos nada, o sonho como um espaço de produção e de criação, como uma experiência da coletividade. Dos sonhos é que nascem os cantos que irão educar / curar / fazer política. (...) 

Perguntas que impulsionaram a pesquisa de Um Jaguar por Noite: como as avassaladoras transformações sócio-políticas brasileiras  dos últimos oito anos invadiram as nossas subjetividades e o que o mundo dos sonhos tem a nos dizer sobre o que está acontecendo com o mundo de cá? Esta ideia nos encaminhou: investigar as subjetividades que formam o coletivo da cidade por uma perspectiva ameríndia. 

________________________

 

Desde o início do processo, todo o grupo vem propondo exercícios em relação aos seus sonhos, incorporando os elementos oníricos na criação de cenas, textos, imagens e materialidades. A criação, realizada de forma absolutamente coletiva, conta ainda com trilha sonora construída por Júlia Ávila e Brisalicia. Os figurinos e paramentos cênicos são de Valentina Soares.

"Estamos preparando uma abertura de processo feita em  etapas, mostrando o percurso por onde já passamos, bem como as cenas que ainda estão sendo levantadas", conta Sofia Botelho, integrante do grupo. Ela complementa que a criação de Um jaguar por noite foi permeada por conversas abertas ao público com convidadas e convidados indígenas e não indígenas, entre os quais, a artista da dança Lia Rodrigues; Arthur Iraçu, autor de um dos livros usados para fundamentar a pesquisa do grupo; a pajé Mapulu Kamayurá; a agricultura e liderança indígena Jerá Guarani; o Coletivo Tibira, coletivo indígena LGBTQIA+ ; o cineasta Alberto Guarani e os antropólogos Karen Shiratori, Renato Sztutman e Roberto Romero.

 

Oficinas gratuitas

Tomando como ponto de partida os estudos da perspectiva ameríndia sobre a tecnologia dos sonhos, o grupo irá trazer essa temática para três oficinas voltadas para diferentes faixas etárias, baseadas no entendimento do sonho como espaço de produção de conhecimento, de cura, ação política e experiência que traz aprendizados para a coletividade. Serão usadas, para as oficinas, ferramentas do teatro, da poesia e das artes visuais. As inscrições estão disponíveis por meio deste link: https://linktr.ee/28patasfuriosas

 

Oficina Artes, Jogos e Brincadeiras

Partindo das pesquisas estéticas do 28 Patas Furiosas, esta oficina visa estimular no público infantil, o contato com modos criativos da arte contemporânea, além de compartilhar e discutir o material da pesquisa do grupo acerca dos sonhos. Partindo da ludicidade intrínseca na criança, a integração de linguagens é o principal condutor das práticas destes encontros, culminando em experimentos musicais, visuais e cênicos. Os participantes serão convidados a brincarem/experimentarem diversos tipos de materiais, como: papel, materiais recicláveis, objetos de casa, sonoridades e  imagens.

Período: A partir do dia 25 de maio (as inscrições podem ser realizadas até o dia 24 de maio). Terças-feiras, das 15h às 17h. Serão realizados oito encontros virtuais, sendo seis deles em aulas virtuais por Zoom e duas proposições por grupo de WhatsApp

Público-alvo: Crianças de 8 a 11 anos

Orientadoras: Isabel Wolfenson e Valéria Rocha

 

Oficina Escuta da Vigília dos Sonhos

A ação com os participantes pretende refletir a seguinte questão: Qual é a forma do seu sonho? Investigando as várias possibilidades narrativas que os sonhos podem ser manifestados na cidade, o grupo irá pesquisar as formas de registrar esses sonhos, seja com narrativas orais, escritas ou visuais.

Período: A partir do dia 27 de maio (as inscrições podem ser realizadas até o dia 26 de maio). Quintas-feiras, das 15h às 17h. Serão realizados seis encontros virtuais por Zoom e grupo de WhatsApp 

Público-alvo: Jovens, adultos e idosos

Orientadores: Tadeu Renato e Wagner Antônio

 

Oficina Iniciação Teatral - Sonho, Chão e Selfie

O objetivo é compartilhar jogos coletivos, teatrais, treinamentos corporais, trabalhos com objetos e demais procedimentos criativos desenvolvidos pelos atores e atrizes do 28 Patas Furiosas em busca de criar uma experiência de iniciação teatral. Algumas das perguntas disparadoras para a atividade são: Você sonha? Ainda é possível sonhar? Qual o lugar do sonho? Como seria a selfie de seu sonho? Sonho tem chão? Tem Gif? Como seria o meme do seu último sonho? Existe App para Sonhar? Teu sonho tem cerca, fronteira? Tua tela é teu chão? Quantos likes daria pro sonho alheio? 

Período: A partir do dia 28 de maio (as inscrições podem ser realizadas até o dia 27 de maio). Sextas-feiras, das 15h às 17h. Serão realizados seis encontros virtuais por Zoom e grupo de WhatsApp.

Público-alvo: Interessados e interessadas em geral, com idade entre 14 e 17 anos, com ou sem experiência anterior, que desejam entrar em contato com o fazer teatral.

Orientadores: Murilo Thaveira e Pedro Stempniewski

 

Sobre o 28 Patas Furiosas

28 Patas Furiosas é um coletivo teatral originado em 2011 na cidade de São Paulo, que tem como bases a experimentação da linguagem teatral aliada às artes visuais para a criação de espetáculos com dramaturgias autorais. Desde 2013, o grupo gerencia sua sede - o Espaço 28 - onde, além de conceber e apresentar suas peças, realiza atividades como festivais, residências artísticas, oficinas, debates e trocas com diferentes coletivos e com o público. 

O grupo é o criador do mOno_festival - festival de espetáculos solos, com duas edições realizadas até o momento (2018 e 2020). Formado pelos e pelas artistas Isabel Wolfenson, Murilo Thaveira, Sofia Botelho, Valéria Rocha e Wagner Antônio, o 28 Patas Furiosas se encontra em pesquisa continuada desde a sua formação, tendo realizado os espetáculos que integram a Trilogia da Instabilidade: lenz, um outro (2014); A Macieira (2016) e PAREDE (2019). Em 2021, o coletivo desenvolveu e apresentou a peça-vídeo-instalação PAREDE DE DENTRO.

 

FICHA TÉCNICA UM JAGUAR POR NOITE

Idealização e Realização: 28 Patas Furiosas
Dramaturgia: 28 Patas Furiosas e Tadeu Renato
Encenação e Instalação: Wagner Antônio
Texto: Tadeu Renato
Música: Brisalicia e Júlia Ávila
Figurino: Valentina Soares
Design Gráfico: Murilo Thaveira
Atuação: Fe Menino, Isabel Wolfenson, Lucimélia Romão, Murilo Thaveira, Pedro Stempniewski, Sofia Botelho e Valéria Rocha
Assistência de Direção: Dimitri Luppi
Direção Técnica: Douglas de Amorim
Orientação Audiovisual: Marcos Yoshi e Yghor Boy
Estágio: Gabriella Carli 
Operação ao Vivo: Dimitri Luppi, Julia Ávila e Wagner Antônio
Produção Geral: Iza Marie Miceli
Convidadas e convidados do Anexo 28_Núcleo de Estudos Públicos: Alberto Guarani, Arthur Iraçu, Coletivo Tibira, Jerá Guarani, Karen Shiratori, Lia Rodrigues, Mapulu Kamayurá, Renato Sztutman e Roberto Romero.

 

SERVIÇO

Aberturas de processo de Um jaguar por noite

Datas: 23 e 24 de maio de 2021, domingo e segunda-feira, às 19h

Duração: 150 min

Classificação etária: 18 anos

Inscrições: https://linktr.ee/28patasfuriosas 

Os inscritos preencherão um formulário no Google forms e receberão por e-mail, com 24h de antecedência, as recomendações para participar da experiência.

PR/CanalAberto

Nenhum comentário