Novidades

[News]ALVORADA, de Anna Muylaert e Lô Politi, estria nesta quinta - 27 de maio

 

O impeachment da Presidente Dilma Rousseff, em 2016, é visto por um prisma bastante particular no documentário ALVORADA, dirigido por Anna Muylaert (“Que horas ela volta?”) e Lô Politi (“Jonas”), que acompanha de perto do cotidiano do Palácio da Alvorada, residência oficial da presidência, enquanto ocorria o processo que derrubou a primeira mulher presidente do Brasil. O filme estreia nesta semana, dia 27/05 nas plataformas digitais (Now, Oi, Vivo Play, Google Filmes, iTunes e Youtube) e nos cinemas de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Brasília e Maceió com sessões já confirmadas. Acesse a programação do filme a partir de quinta-feira no site da Vitrine.

ALVORADA acompanha o dia-a-dia dos funcionários e da presidente, mas também mostra a dinâmica e o turbilhão político que Dilma Rousseff estava vivendo naquele momento. Diferente dos outros documentários sobre o tema, o filme aborda a questão política por um caminho que dá protagonismo à presidente, que quase se mostra como uma personagem capturada pela câmera do documentário. Tudo é registrado, por vezes de maneira bem próxima, encontrando assim, a mulher que existe para além da governante, que recorda, entre outras coisas, de quando esteve presa durante a Ditadura Militar.

A figura humana de Dilma Rousseff é contraposta entre os corredores frios e trabalhadores quase anônimos do Palácio da Alvorada, se revelando uma obra arquitetônica imponente desenhada por Oscar Niemeyer. Mais do que um raio-X do golpe de 2016, ALVORADA é uma investigação sobre os fatos que levaram o Brasil à situação atual.

Francesca Angiolillo escreveu na Folha de S. Paulo que este “[é] um documento dos mais interessantes que dribla o tempo todo o desafio de narrar os bastidores sem poder de fato o fazer. O resultado se fragmenta como a paisagem nos muitos reflexos que a arquitetura de Niemeyer proporciona.” Já Luiz Zanin, de O Estado de S. Paulo, definiu o documentário como “um filme de beleza triste e produz um efeito melancólico em espectadores conscientes. Uma melancolia inevitável para quem se dispõe a suportar o torturante processo histórico brasileiro de 2013 para cá.”

Acompanha as redes sociais oficial de ALVORADA

Sinopse:

O filme narra de um ponto de vista íntimo, o dia a dia da Presidente Dilma Rousseff na sua residência oficial, o Palácio do Alvorada, enquanto aguardava o veredito de impeachment que acabou afastando a primeira mulher presidenta do Brasil.  Retratando os corredores do palácio desenhado por Oscar Niemeyer, vemos o vai de vem de reuniões políticas, o dia a dia da cozinha, a troca de guardas, sussurros e telefonemas sem fim.  Sentimos a tensão crescente dos funcionários, assessores, ex-ministros, perplexos e quase sem ação.  Um grupo ou outro chega para dar apoio à presidente que cai.  Mas o naufrágio parece inevitável.

Trailer: https://youtu.be/zJyETrosWlM

Ficha Técnica:


Direção: Anna Muylaert e Lô Politi


Produção Executiva: Ivan Melo e Aza Pinho


Fotografia e Câmera: César Charlone, ABC e Lô Politi.


Montagem: Vania Debs, Hélio Villela Nunes e Anna Muylaert.


Som direto: Hudson Vasconcelos e Marta Suzana.


Supervisão e edição de Som: Miriam Biderman, ABC


Desenho de som e mixagem: Ricardo Reis, ABC


Coordenação Musical: Patricia Portaro


Colorista: Luisa Cavanhagh


Trailer e Teasers: Marina Kosa


Design Gráfico: Marcelo Pallota


Produção: África Filmes, Dramática filmes e Cup Filmes


Produtoras Associadas: Dandara Ferreira e Aza Pinho


Produção Associada: Quanta, Hugo Gurgel, Guilherme Ramalho, Eduardo Shaal.


Distribuição: Vitrine Filmes


Produtores: Lô Politi, Anna Muylaert e Ivan Melo


Gênero: Documentário


Duração: 80 min


Classificação: 10 anos


Sobre as Diretoras:


Anna Muylaert nasceu em São Paulo e estudou Cinema e Artes na USP. Nas últimas décadas escreveu roteiros para programas de TV (MUNDO DA LUA, CASTELO RA-TIM-BUM, UM MENINO MUITO MALUQUINHO, FILHOS DO CARNAVAL, AS CANALHAS, entre outros) e cinema (O ANO EM QUE MEUS PAIS SAÍRAM DE FÉRIAS, XINGU, PRAIA DO FUTURO e outros). Anna dirigiu DURVAL DISCOS, É PROIBIDO FUMAR e 3 outros filmes, mas tornou-se internacionalmente conhecida com QUE HORAS ELA VOLTA? em 2015. O filme recebeu o Prêmio Especial do Júri no Festival de Cinema de Sundance, e de público no Panorama do Festival de Berlin em 2015 e foi lançado em salas em 30 países, o que levou Anna a ser convidada a fazer parte da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (Oscar).  Atualmente está em preparação para filmar seu novo longa-metragem O CLUBE DAS MULHERES DE NEGOCIOS.  Ela é mãe de José e Joaquim.


Lô Politi estudou cinema, televisão e jornalismo e trabalhou como produtora e assistente de direção por 10 anos e desde 1998 atua como diretora, roteirista e produtora. Seu primeiro filme, JONAS, onde assina direção e roteiro, recebeu o Prêmio Especial do Júri no Festival Internacional do Rio, participou de mais de 10 festivais internacionais e está atualmente disponível no catálogo da Netflix em 190 países. Seu segundo filme de ficção, SOL, onde também assina direção e roteiro, está agora em sua fase final de pós-produção e será lançado em 2021. Atualmente produz e dirige, em parceria com Dandara Ferreira, DIVINO MARAVILHOSO, um filme sobre a cantora brasileira Gal Costa. Lô é  produtora associada de 3%, primeira série brasileira produzida pela Netflix.


DISTRIBUIÇÃO / VITRINE FILMES:

A Vitrine Filmes, em dez anos de atuação, já distribuiu mais de 160 filmes e alcançou mais de 4 milhões de espectadores. Entre seus maiores sucessos estão "O Som ao Redor", "Aquarius" e “Bacurau” de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. Outros destaques são “A Vida Invisível”, de Karim Aïnouz, representante brasileiro do Oscar 2020, "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", de Daniel Ribeiro, e “O Filme da Minha Vida”, de Selton Mello. Entre os documentários, a distribuidora lançou "Divinas Divas", dirigido por Leandra Leal e "O Processo", de Maria Augusta Ramos, que entrou para a lista dos 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional.

Em 2020, a Vitrine Filmes lançou no primeiro semestre “O Farol”, de Robert Eggers, indicado ao Oscar de Melhor Fotografia e “Você Não Estava Aqui”, de Ken Loach. No segundo semestre deste mesmo ano, em cenário pandêmico, a distribuidora adotou estratégias diferenciadas de distribuição em múltiplas janelas, lançando títulos em drive-ins, salas de cinemas e plataformas de streaming, como “Música para Morrer de Amor”; “Três Verões”; “Pacarrete”; “A Febre"; “Todos os Mortos” e muitos outros. Para 2021 a distribuidora já tem o line-up completo e continuará a buscar a melhor forma de chegar aos seus públicos.


Nenhum comentário