Novidades

[Especial Oscar 2021] Os 7 de Chicago, disponível no Netflix

Sinopse: Baseado em uma história real, o longa Os 7 de Chicago acompanha a manifestação contra a guerra do Vietnã que interrompeu o congresso do partido Democrata em 1968. Ocorreram diversos confrontos entre a polícia e os participantes. No total, dezesseis pessoas foram indiciadas pelo ato.

O filme foi dirigido por Aaron Sorkin (que também escreveu o roteiro) e conta com o elenco formado por Eddie Redmayne, Alex Sharpe, Sacha Baron Cohen, Jeremy Strong, John Carroll Lynch, Yahya Abdul-Mateen II, Joseph Gordon-Levitt, Frank Langella e Michael Keaton.

Curiosidades:

- Sacha Baron Cohen admitiu que ele estava “assustado” de ter que fazer o sotaque americano para o filme. Ele usou algumas variações diferentes do sotaque antes para comédia, mas nunca para um papel dramático. Ele sabia que o verdadeiro Abbie Hoffman tinha uma voz única, com o sotaque de Massachusetts, mas também tendo estudado na Califórnia, e ele estava preocupado de “soar errado”. Aaron Sorkin teve que assegura-lo que o papel não “era uma imitação, mas uma interpretação”, na qual Baron Cohen admitiu que não ajudou muito.

- No que diz respeito à importância do tema em 2020, Aaron Sorkin descreveu o filme como sendo mais sobre os tempos modernos do que a década de 1960. Ele explicou que “o roteiro não mudou para espelhar os tempos. Os tempos mudaram para espelhar o roteiro”.

- No filme, Rennie Davis tem um caderno com o nome de todos os soldados americanos que morreram no Vietnã durante o julgamento. Na vida real, Rennie Davis escreveu os nomes dos soldados vietnamitas também.

- Como ator de método, Jeremy Strong implorou à Sorkin para jogar bomba de gás nele também assim como derruba-lo no chão por um ex-policial interpretando um policial na revolta. Sorkin não deixou isso acontecer no set de filmagens.

- Quando Steven Spielberg estava ligado ao projeto como diretor, ele estava planejando se encontrar com Heath Ledger para discutir o papel de Tom Hayden. Ledger morreu no dia anterior do seu encontro marcado com Spielberg. Spielberg também queria Will Smith no papel de Bobby Seale.

- Aaron Sorkin disse em uma entrevista que Steven Spielberg o procurou para escrever um filme sobre essa história em 2006, mas a greve dos roteiristas atrapalhou isso, e apareceu de novo a cada quatro anos entre as eleições, com outros projetos ficando no caminho. Também, Sorkin disse sim à Spielberg, mas teve que ligar para seu pai para perguntar o que ele lembrava do que aconteceu em 1968 e se houve algum grande julgamento depois da convenção. Porque Sorkin não se lembrava.

- Amblin Partners inicialmente interrompeu o filme durante a pré-produção devido à preocupação com o orçamento, mas Paramount Pictures se juntou ao projeto com Cross Creek para coproduzir e co-financiar o filme.

- O filme menciona o assassinato de Fred Hampton. Seu assassinato foi o foco principal de Judas e o Messias Negro (2021), onde ele foi interpretado por Daniel Kaluuya.

- Houve rumores de que Paul Greengrass e Ben Stiller foram considerados para dirigir o filme.

- Quatro dos atore que interpretam personagens americano são britânicos (Sacha Baron Cohen, Eddie Redmayne, Alex Sharp e Mark Rylance).

- O filme foi inicialmente marcado para lançamento nos cinemas antes da Paramount Pictures vender os direitos de distribuição para a Netflix por 56 milhões de dólares devido à pandemia, com uma disputa de lances que também incluíam Amazon, Apple e Hulu, e a promessa de que ainda seria lançado nos cinemas. Netflix manteve a data original para um lançamento limitado nos cinemas.

- Michael Keaton tinha 68 anos quando filmou sua performance como o antigo promotor-geral Ramsey Clark. O verdadeiro Ramsey Clark tinha apenas 42 anos na época.

- Seth Rogen estava cotado para interpretar Jerry Rubin até que Jeremy Strong o substituiu. Jonathan Majors estava cotado para interpretar Bobby Seale até que Yahya Abdul-Mateen II o substituiu.

- Frank Langella interpreta um juiz que simpatiza com as posições de pró-estabelecimento da administração de Richard Nixon. Langella interpretou Nixon antes no filme Frost/Nixon (2008).

- William Hurt foi cotado para interpretar John Mitchell até que John Doman o substituiu.

- Em outubro de 2020, vários meios de comunicação (incluindo Time Magazine, Smithsonian Magazine, Slate e Mashable), publicaram artigos que detalhavam algumas das coisas que a trama do filme se diferenciava da história verdadeira do julgamento. Algumas diferenças incluem:

· David Dellinger, um pacifista convicto, nunca bateu no oficial do tribunal ou ninguém durante o julgamento. Na verdade, o verdadeiro Dellinger permaneceu pacífico no tribunal mesmo quando um agente bateu em um de seus filhos.

· Foi Dellinger, não Tom Hayden, que tentou ler em voz alta no tribunal a lista de pessoas que morreram no Vietnã, mas que foi imediatamente preso por desacato e não foi permitido terminar. A implicação de que Hayden foi quem fez isso ou que trouxe fim ao julgamento é incorreto.

· O tratamento horrível do juiz Hoffman de Bobby Seale é verdade, mas foi pior do que mostrado no filme. Durante o julgamento real, Seale foi amordaçado e acorrentado. Mas o filme apenas deixa isso implícito que isso aconteceu apenas uma vez por um curto período de tempo e que a natureza horrível desse tratamento imediatamente envergonhou a acusação para mover uma anulação do julgamento e um julgamento separado de Seale, quando na verdade, Seale foi o primeiro a ser amarrado e amordaçado em 29 de outubro de 1969 e teve que aparecer no tribunal desse jeito até que o julgamento foi separado em 5 de novembro do mesmo ano.

· O filme também mostra o assassinato de Fred Hampton como o motivo para a explosão de raiva de Seale e os subsequentes acorrentamento e amordaçamento. No entanto, a morte de Hampton aconteceu depois que o julgamento de Seale foi separado e Seale não estava mais presente no julgamento dos outros sete.

· A personagem de Daphne O’Connor (Caitlin FitzGerald), como uma agente infiltrada nomeada para vigiar Jerry Rubin, foi uma completa fabricação para efeito dramático.

- Os 7 de Chicago eram sete réus - Abbie Hoffman, Jerry Rubin, David Dellinger, Tom Hayden, Rennie Davis, Lee Weiner e John Froines – acusados de conspiração, incitação à revolta e outras acusações relacionadas aos protestos que aconteceram em Chicago, Illinois durante a Convenção Nacional Democrática em 1968. Bobby Seale, a oitava pessoa acusada, teve seu julgamento separado durante os procedimentos, diminuindo o número de 8 para 7 réus.

- Uma das falas do filme pergunta quantos policiais tinham filhos lutando na Guerra do Vietnã. Um dos policiais infiltrados que testemunhou tinha o sobrenome de Scibelli e um dos últimos nomes das mortes na Guerra do Vietnã no final do filme era Scibelli.

- Sacha Baron Cohen, que interpreta Abbie Hoffman, tinha 48 anos durante as filmagens, quatro anos mais novo que o verdadeiro Abbie Hoffman tinha quando morreu em 1989.
O filme também concorre ao Oscar nas categorias de Melhor Ator Coadjuvante (Sacha Baron Cohen), Melhor Roteiro Original, Canção Original (Hear My Voice), Melhor Fotografia e Melhor Edição.
 
Trailer:
 
 
 
Fontes: AdoroCinema; IMDB, G1, YouTube



 
 
 
 

Nenhum comentário