Novidades

[Crítica] A Conquista da Sibéria

 

Sinopse:

Um jovem oficial da Primeira Guarda de Pedro I, Ivan Demarin, sob as instruções do czar, é enviado às profundezas da Sibéria - para a fronteira com Tobolsk. 

Lá, Ivan encontra seu primeiro amor e, junto com seu regimento, se vê arrastado para uma conspiração por príncipes locais, que buscam o ouro de Yarkand. Sua fortaleza é cercada por hordas de selvas selvagens e não há lugar para esperar por ajuda.


                  O quê eu achei?

Eu gosto de filmes com tom épico e que fujam um pouco do mainstream americano e `´A conquista da Sibéria`` se encaixa em ambos.

O diretor russo Igor Zaytsev (conhecido por Velikaya, Esenin e Diversant 2:Konets voyny)apresenta a história baseada em fatos reais da Rússia czarista do século XVII.

A Rússia afirmou o controle sobre a Sibéria e lutou para afastar o poder dos mongóis. Ivan Demarin (Ilya Malanin), um jovem oficial patriota da Primeira Guarda, é enviado à Sibéria, em uma "missão pacífica" em busca de ouro. No entanto, sem o conhecimento dele e de todo o seu regimento, a missão foi uma isca de um governador local para manipular os assuntos locais, nomeadamente para provocar uma guerra entre a Rússia e os mongóis. Ivan encontra seu regimento em Tobolsk, uma cidade periférica do império russo, onde milhares de suecos, alemães e outros prisioneiros vivem em uma espécie de status de refugiados. Ivan argumenta com sucesso que um grande contingente de suecos deve ser recrutado em troca de sua liberdade após a campanha. O chefe dos suecos é um homem chamado Johan Renat (Andrey Burkovskiy).

O regimento recém-ampliado viaja mais para o leste, estabelecendo uma pequena fortaleza de onde planejam suas expedições. Eles logo encontram a milícia Jungar (mongóis), que desconfia profundamente da presença russa e de sua chamada busca por ouro. O principal para a história é o fato de que o sueco Johan está na verdade trabalhando ao lado dos mongóis.

Tanto Ivan quanto Johan conhecem mulheres durante a guerra; Ivan conhece Masha,uma russa que trabalhava para o Exército e Johan conhece Brigitta, uma alemã.Elas são personagens secunárias interessantes.

As cenas de luta são bem coreografadas,os efeitos especiais são razoavelmentem bem executados e a trilha sonora também.Há vários momentos em que podemos admirar a beleza das paisagens russas.Recomendo para quem curte ação histórica.

Curiosidade:Johan Renat e Birgitta eram pessoas reais. Eles foram feitos prisioneiros de guerra e Renat acabou sendo alistado no exército russo com a promessa de que não teria que participar de campanhas contra a Suécia, sua terra natal. Em vez disso, ele foi enviado para a Sibéria e serviu como cartógrafo antes de ser levado cativo pelo Canato Dzungar.No filme Renat foi enviado para servir no exército Dzungar, agora contra a China Qing.


                    Trailer:







Nenhum comentário