Novidades

[Crítica] Rashomon

 

Sinopse:

 A violação de uma noiva e o assassinato de seu marido samurai são lembrados desde a perspectiva de um bandido, da noiva, do fantasma do samurai e de um lenhador.


 O quê eu achei?

Antes de mais nada, preciso dizer que sou fã do Kurosawa, ele é um dos meu diretores favoritos de todos os tempos,está no top 10, aliás, no top 5.Para mim, sua obra-prima continua sendo Sete samurais (1954) mas a importância de Rashomon,tanto para a filmografia dele quanto para o cinema.

Para começo de conversa, ele teve sorte em conseguir ser lançado porque sobreviveu a 3 incêndios antes de ser finalizado,teve duas redublagens e teve duas gravações para a trilha sonora, sendo que a última foi feita às pressas para a distribuição internacional.Ganhou o Leão de Ouro em Veneza,se tornando o primeiro filme japonês a tê-lo feito,ganhou um Oscar honorário em 1953,além de uma indicação ao Oscar de Direção de Arte em Preto e Branco.E um fenômeno psicológico foi nomeado em sua homenagem: o efeito Rashomon, que diz que não se pode saber o que de fato aconteceu devido aos diferentes julgamentos das pessoas que a presenciaram, já que cada um interpreta o ocorrido de forma pessoa.

No Japão feudal, por volta do século VIII,três transeuntes esperam a chuva passar sentados debaixo do Rashomon,o portão principal da cidade de Quioto. O ocorrido: um samurai morreu e um bandido estuprou a viúva.Quatro pontos de vista são apresentados:de um monge, um lenhador,do bandido Tajomaru (o grande Toshiro Mifune,colaborador de longa data de Kurosawa)da mulher e do morto (através de um médium).

Baseado no conto homônimo do escritor e dramaturgo Ryūnosuke Akutagawa escrito em 1915-que eu nunca li, quem saiba procure algum dia para ler ainda mais agora que estou estudando japonês-mas considero que elas são bem interligadas entre si e a simbologia, como a linha cronológica e o tempo (como tempestades e céu calmo)é bem trabalhada.

O monge tenta encontrar algum sentido no que acabou de ouvir enquanto o lenhador começa sua versão dos fatos:quando estava procurando lenha na floresta,encontrou um chapéu feminino na floresta.Ele estranha e segue em frente,em busca de alguma explicação para o achado.Do nada, ele encontra um cadáver caído no chão.Ele se assusta e grita,chamando a atenção das autoridades.E é aí que cada um começa a contar sua história.

A toda hora o espectador é levado a duvidar do que está sendo dito e nenhuma explicação definitiva é dada no final,deixando a cargo de cada um tirar suas próprias conclusões.O andarilho fala numa cena:

-Os homens não conseguem ser sinceros nem consigo mesmos, que dirá com os outros.

Rashomon é uma história sobre verdade e mentira,sobre memória e veracidade,sobre o ponto de vista de cada indivíduo.O final é surpreendente e embora eu ache que seja um pouco jogado,não diminui a grandeza da obra.

        Trailer:





Nenhum comentário