Novidades

[Crítica] Forman vs Forman

 

Sinopse:

Um revelador documentário sobre o mais famoso cineasta tcheco, Milos Forman, duas vezes ganhador do Oscar. Por meio de um valioso tesouro de imagens de arquivo, o filme ajuda a entender como Forman superou sistemas (do nazismo e o comunismo até Hollywood) de forma a moldar seu cinema de resistência. Um tributo sincero e comovente que mostra um artista sempre em meio à luta política e de criação.



O quê eu achei?


O filme que vi hoje no festival de cinema It´s all true/É tudo verdade foi Forman vs Forman, de Helena Třeštíková. 

Esse documentário é uma análise da vida do cineasta tcheco Milos Forman, desde sua infância humilde na República Tcheca fugindo dos nazistas até seu apogeu em Hollywood.

Usando fotografia e cenografia bem elaboradas, a diretora de documentários veterana Helena Třeštíková, os 86 anos da vida de Milos que se passaram entre dois mundos são retratados através das lentes dela e do co-diretor Jakub Hejna  

Nascido na pequena cidade de Čáslav, ele perdeu seus pais em campos de concentração e fugia dos nazistas e dos russos. acabou indo parar em uma escola para órfãos.Não é de se espantar que resistência às autoridades seja um tema tão presente em suas obras.

Apesar de Forman ter crescido com filmes de propaganda que ele descreve como ``pingando de idiotice``, depois da guerra ele se apaixonou pelo cinema e se inspirou nos filmes neo-realistas italianos.Comprou uma câmera silenciosa de 16mm e foi para a faculdade de cinema.Ao longo do caminho, ele descobriu que o homem que tinha sido o marido de sua mãe não fora seu pai biológico e sim um homem que trabalhava com ela.

Graças a algumas filmagens de arquivo inesperadamente ricas dos anos vividos na República Tcheca,, o documento fornece uma imagem vívida da rápida ascensão do diretor precoce, de seu curto espirituoso Audition to Black Peter (Pedro e Paula) e depois Loves of a Blonde (Os amores de uma loura), um grande sucesso que foi amplamente divulgado no Ocidente e trouxe o sucesso para Nova York pela primeira vez, em 1966. Imagens dele lá revelam seu surpreendente domínio do inglês até então (ele também é ouvido falando um francês totalmente decente).

O material de making-of do set de The Fireman's Ball (O baile dos bombeiros,outro grande sucesso internacional e, como Os amores de uma loura, uma indicação ao Oscar de melhor filme estrangeiro), evidencia um diretor muito marcante, enquanto as filmagens dele no Festival de Cinema de Cannes de 1968 mostram um toque de decepção por trás de seu apoio externo ao fechamento político do festival pouco antes de sua exibição. Após a invasão da Tchecoslováquia pelo Pacto de Varsóvia, logo depois disso, Forman tomou a difícil decisão de não retornar ao seu país natal, mas sua esposa e filhos ficaram para trás; passariam anos até que se voltassem a ver.

Os anos de isolamento de Forman em sua propriedade no estado de Nova York também são mostrados com imagens de arquivo; sua primeira produção americana, Taking Off (Procura Insaciável) e o sucesso que foi Um estranho no ninho, que lhe rendeu seu primeiro Oscar de Melhor Diretor.

Seu segundo Oscar foi por Amadeus, biografia de Mozart mas antes alguns menores sucessos como Hair.Ragtime, O povo contra Larry Flint,Valmont, Sombras de Goya, entre outros, também são abordados.

Milos Forman era um homem extraordinário que conseguia unir perspectivas completamente diferentes. Ele se foi no dia 13 de abril de 2018 mas sua carreira será sempre lembrada.

                    Trailer


  



Nenhum comentário