Novidades

[News] Technoboss, longa português de João Nicolau, estreia amanhã nos cinemas

A Vitrine Filmes lança nessa quinta-feira, 12 de março, Technoboss, novo longa do diretor João Nicolau. O filme retrata a história de Luís Rovisco (Miguel Lobo Antunes), que está prestes a se aposentar como diretor de uma empresa de segurança e se depara com armadilhas impostas pela tecnologia. Esse conflito inicia uma nova fase de sua vida marcada pelo reencontro de uma antiga paixão.

“Neste filme só interessa o que é relativo ao confronto da personagem principal com tudo o que, mal ou bem, tem ainda capacidade de movimento: um reencontro amoroso, uma canção, um gato, um filho, um neto, uma cancela ou uma perna que dói”, explica o diretor.

Estreando no cinema aos setenta anos, o filme é estrelado pelo jurista e gestor cultural aposentado Miguel Lobo Antunes, irmão do escritor António Lobo Antunes. Technoboss pode soar um pouco melancólico, contudo, o longa logo se transforma em uma crônica de amor e compaixão. Dirigindo entre diferentes regiões de Portugal para atender seus clientes, Rovisco inventa canções ao volante (e fora dele também) sobre tudo que acontece ao seu redor.

Sobre o processo de filmagem, o protagonista explica: “foi muito difícil, mas esse filme salvou a minha vida. Não tinha experiência nenhuma de ator. Mas João é muito amigo de meu filho e eu gosto muito dos filmes dele. Ele é quem arriscava mais, porque se o ator fizesse um mau papel, o filme vinha para debaixo”.

Com produção assinada pela O Som e a Fúria, Technoboss teve estreia mundial no Festival de Locarno, dentro da Competição Oficial, passou pelo DocLisboa, pelo Festival Internacional du Film Indépendant de Bourdoux, pela Mostra Internacional de Cinema de S. Paulo, pelo Festival de Sevilha, onde venceu o Prêmio do Júri, e mais recentemente, foi exibido no 21º Festival do Rio. A distribuição no Brasil é da Vitrine Filmes.

SINOPSE

Luís Rovisco é um sexagenário divorciado que precisa se atualizar para manter sua posição em uma empresa de tecnologia da segurança. Viajando por Portugal para atender aos clientes, ele cria canções sobre tudo que acontece à sua volta enquanto busca se reencontrar e conquistar um antigo amor.

FICHA TÉCNICA

Technoboss, 112min,

Realização: João Nicolau

Roteiro: João Nicolau e Mariana Ricardo

Direção de Fotografia: Mário Castanheira

Som e Mixagem: Miguel Martins

Montagem: Alessandro Comodin e João Nicolau

Correção de Cor: Paulo Américo

Música Original: Pedro da Silva Martins, Norberto Lobo, Luís José Martins

Direção Musical: Luís José Martins

Direção de Arte: Artur Pinheiro

Figurino: Susana Moura

Maquiagem e Cabelo: Araceli Fuente Basconcillos

Direção de Produção: Miguel Perdigão

Co-produção: Thomas Ordonneau

Produção: Luís Urbano e Sandro Aguilar

Distribuição: Vitrine Filmes

Classificação indicativa: 12 anos

Estreia: 12 de março 2020



SOBRE O DIRETOR

João Nicolau nasceu em Lisboa. Trabalha como realizador e montador e, por vezes, como ator e músico. Seus filmes são regularmente exibidos nos mais prestigiados festivais de cinema e cidades como: Cannes, Veneza, Locarno, São Paulo, Belfort, Viena, Busan, Buenos Aires, Sevilha, Vila do Conde, Cidade do México, Angers, Milão, Montreal, Mar del Plata, Belo Horizonte, Valdivia, Roma, Sarajevo, entre outros. Sua filmografia inclui, Technoboss (2019), John From (2015), Gambozinos (2013), O Dom das Lágrimas (2012), A espada e a Rosa (2010), Canção de Amor e Saúde (2009), e Rapace (2006).



SOBRE A VITRINE FILMES

Em nove anos, a Vitrine Filmes distribuiu mais de 150 filmes. Entre seus maiores sucessos estão "Aquarius", "O Som ao Redor", e “Bacurau” de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, longa que já alcançou mais de 750.000 espectadores, além de “A Vida Invisível”, de Karim Aïnouz, representante brasileiro do Oscar deste ano, "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", de Daniel Ribeiro, e “O Filme da Minha Vida”, de Selton Mello.

Entre os documentários, a distribuidora lançou "Divinas Divas", dirigido por Leandra Leal e "O Processo", de Maria Augusta Ramos, que entrou para a lista dos 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional.

Em 2020, ano em que completa 10 anos, a Vitrine Filmes já lançou “O Farol”, de Robert Eggers, indicado ao Oscar de Melhor Fotografia, e ainda lançará “Três Verões”, de Sandra Kogut, o premiadíssimo “A Febre”, de Maya Da-Rin, e “Você Não Estava Aqui”, novo longa de Ken Loach, ainda no primeiro semestre.



Nenhum comentário