26 junho 2018

[News] Última semana: até 1 de julho (domingo) Rosario no SESC Copacabana

O espetáculo de dança “Rosario”, de Marcio Cunha, é uma montagem livremente inspirada nas obras do artista brasileiro Bispo do Rosário, que estreia no dia 21 de junho (5af) no Mezanino do SESC Copacabana, em curtíssima temporada de duas semanas, sempre de 5af a domingo. Corpo, sociedade e espiritualidade são assuntos que aproximam a dança das potências das artes plásticas do criador Bispo do Rosário, pelo bailarino e artista plástico Márcio Cunha, que interpreta e assina a concepção e a direção do espetáculo.
Com trilha sonora de Antonio Nóbrega, Rosario faz parte da trilogia de espetáculos de dança idealizados por Márcio Cunha, que funde a estética da dança com as artes plásticas, a partir de um universo particular investigado - atento ao tempo e ao contexto em que vive o artista, o cidadão, em seu país. Marcio Cunha se aproximou do universo de Bispo, através da imersão proporcionada pelo programa de residência Casa B, do Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea, onde teve contato direto e instensivo com a sua obra no local em que fora produzida, a anitiga Colônia Juliano Moreira, que foi um dos maiores manicômios do país. Atualmente, a instituição deixou de ter caráter manicomial e tornou-se o Instituto de Assistência a Saúde Mental Juliano Moreira, do qual o Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea é parte. Durante a residência na Casa B, Marcio conviveu com os particpantes da Escola Livre de Artes do Museu Bispo do Rosário, a maioria usuários do serviço de saúde mental e realizou uma performance na antiga cela em que Bispo viveu, em colaboração com Arlindo, artista do Atelier Gaia e ex- interno.
Também serão usadas projeções de imagens captadas durante o período de convivência do coreógrafo na antiga cela de Bispo do Rosário, situada no complexo psiquiátrico que hoje está desativado. A experiência de Márcio cunha será dividida com o público, em bate papo sobre o processo de criação da montagem, após todas as sessões da temporada.
O primeiro trabalho da trilogia, “Frida-me” (2014) - espetáculo de dança livremente inspirado nas obras da artista mexicana Frida Kahlo, trouxe à cena duo encenado por Márcio Cunha, com a atriz e bailarina Ana Paula Bouzas. O segundo trabalho, “Céu de Basquiat” (2016), performance feita pelo artista Márcio Cunha dentro de uma instalação, livremente inspirada nas obras de Jean Michael Basquiat. Os espetáculos, que tiveram suas estreias no SESC Copacabana, ganham agora, durante a temporada de Rosario, exposição das peças criadas para os cenários de Frida-me e Céu de Basquiat, no foyer do Mezanino do teatro.
“Este projeto se deu pelo desejo de investigar as angústias humanas, de traçar analogias entre as obras destes artistas com as questões sociais e políticas atuais do nosso país e abrir janelas para discussões e perguntas potentes que possam nortear novos caminhos na criação”, declara Márcio Cunha.
Rosario propõe um documentário dançado das obras e do fazer artístico de Bispo do Rosário, na busca de um encontro escancarado com a intuição, bem como pontes entre corpo e religiosidade, entre movimento e espiritualidade. Elementos encontrados nas obras Arthur Bispo do Rosário, que viveu por mais de 50 anos internado no complexo psiquiátrico Colônia Juliano Moreira (RJ).
“Rosario” propõe um mergulho entre a insanidade e a arte do criador, um mergulho ao inconsciente em busca da saúde, da espiritualidade e da anima de Bispo do Rosário.

Sinopse
Corpo, sociedade e espiritualidade são assuntos que aproximam a dança das potências das artes plásticas do criador Bispo do Rosário, pelo bailarino e artista plástico Márcio Cunha, que interpreta e assina a concepção e a direção do espetáculo.

Sobre Marcio Cunha:
Márcio Cunha é diretor, coreógrafo, pesquisador em dança, bailarino, performer, arte educador e artista plástico. Carioca, formado em Licenciatura em Dança pela UniverCidade desde 2003 e pós-graduado em educação psicomotora pelo IBMR- Instituto Brasileiro de Medicina e Reabilitação desde 2006, ao longo de sua trajetória, o artista vem desenvolvendo diálogos entre estas manifestações artísticas, tendo ganhado alguns prêmios e editais em seus 17 anos de companhia.

Como diretor e coreógrafo, Márcio Cunha vem desenvolvendo seus trabalhos com a sua Cia, a Márcio Cunha Dança Contemporânea desde 2001, com a estreia de “Reação”, seu solo, no Festival Panorama de Dança no Rio de Janeiro. Em um trabalho continuado completa 16 anos de pesquisas e criação. Construiu ao longo do seu percurso as seguintes obras: “Reação” (2001), “Traços” (2003), “Impressões” (2006), “Tela Azul” (2008),“Vermelho Cádmio” (2009), “Figuras Amarelas” (2010), "Corvos e Girassóis" (2011), ”Fase Dourada”(2013), Frida-me (2014) e Céu de Basquiat (2016). 
A Cia. esteve ao longo destes 17 anos com seus trabalhos e workshops em diversos teatros e Festivais de dança em território nacional como: Dança em Trânsito-RJ, Espaço Experimental coordenado por Ana Kfouri - SESC Tijuca-RJ, Café Cultural coordenado por Gisele Tápias, I Mostra Carioca de Dança Contemporânea - direção e curadoria de Renato Vieira, Teatro Cacilda Becker, Teatro Dulcina, Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto, Teatro Angel Vianna, Circuito SESC Interior - Rio de Janeiro (Todas as unidades), Espaço SESC Copacabana, SESC Santos-SP, SESC Tijuca- RJ, Correios em Movimento-RJ, Centro Cultural Banco do Brasil – RJ, Espaço Gamboa- RJ, Espaço Rampa-RJ, CALU - Centro de Artes de Lumiar - Friburgo, Festival de Dança da Bahia - Salvador, Festival de Dança do Cariri, Teatro das Marias - Fortaleza, Festival Maloca - Fortaleza.

Ficha Técnica:

Concepção, direção e intérprete: Márcio Cunha
Assistente de direção: Juliana Nogueira
Cenografia: Silvia Araujo e Márcio Cunha
Barco usado em cena: Arlindo
Vídeo arte e captação de imagens: Guto Neto
Trilha sonora: Antonio Nóbrega
Desenho de luz: Juca Baracho
Performance no vídeo: Marcio Cunha e Arlindo
Fotografia: Marcella Azal
Assessoria de Imprensa: Passarim Comunicação (Silvana Cardoso/Juliana Feltz)
Direção de produção e projeto gráfico: Cacau Gondomar
Colaboração artística: Diana Kolker e Elihas Di Jorge
Realização: Calu - Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea - Sesc Rio

Serviço:

Espetáculo: Rosario
Concepção, direção e intérprete: Márcio Cunha
Gênero: Dança
Local: Mezanino | Sesc Copacabana
Pré-estreia para convidados: 21 de junho de 2018 (5af)
Estreia: 22 de junho de 2018 (quinta)
Temporada: 22 de junho a 1º de julho | quinta a domingo
Horário: quinta à sábado, às 21h; domingo, às 20h (bate papo com Márcio Cunha após todas as sessões do espetáculo)
Endereço: Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana, Rio de Janeiro - RJ
Telefones: (21) 2547-0156
Preço: R$ 30,00 (inteira) | R$ 15,00 (idosos, estudantes e convênios) | R$ 7,50 (associado SESC)
Classificação etária: 16 anos
Capacidade do teatro: 70 lugare
Duração do espetáculo: 60 minutos
Funcionamento da Bilheteria: segundas, de 9h às 16h; de terça a sexta, das 9h às 21h; sábados, de 13h às 21h e domingos de 13h às 20h
Venda antecipada: apenas na bilheteria do Sesc Copacabana

Nenhum comentário

Postar um comentário