29 junho 2018

[News] Grandes álbuns do maior acervo da música brasileira agora disponíveis digitalmente - 29.06.2018

Um passeio por várias vertentes da música brasileira. É o que promete o pacote de lançamentos da Universal Music, que continua repleto de álbuns clássicos e especiais, pela primeira vez no formato digital, em plataformas como Spotify, Deezer, Apple Music e muito mais.

A saudosa Dolores Duran mostra seu ecletismo em "A Noite de Dolores", em que aparece cantando em francês, inglês, espanhol e, claro, em português. A paraibana Elba Ramalho expõe todo seu carisma em "Felicidade Urgente", trabalho que conta com as participações especiais de Claudio Zoli, Sandra de Sá, Lulu Santos e Oswaldinho. Da série "MPBC" (Música Popular Brasileira Contemporânea), quatro títulos são resgatados: os de Luiz Claudio Ramos, Stênio Mendes, Nivaldo Ornelas e Djalma Corrêa, grandes nomes da música instrumental. No universo da axé music, tem dois discos de Netinho (um deles com quatro versões do megahit "Milla") e de Margareth Menezes. O grande Roberto Menescal, que festejou seus 80 anos em 2017, é lembrado com o irretocável "A Nova Bossa Nova de Roberto Menescal e Seu Conjunto". Foram incluídos ainda discos ao vivo do Quarteto em Cy ("Resistindo") e Baden Powell ("Show/Recital"), além de um dos trabalhos mais importantes da diva Nana Caymmi, "Mudança dos Ventos". A música sertaneja é representada pela dupla Marcos & Fernando e pelo Trio Parada Dura. E a cigana "Sandra Rosa Madalena" é celebrada por Sidney Magal no estourado álbum de 1978. Já a banda Os Paralamas do Sucesso marca presença com a compilação "Raridades", em que recria músicas de Jorge Ben Jor, Djavan, Gilberto Gil e Marcos Valle. O grande Emílio Santiago, que nos deixou em 2013, tem muitas de suas gravações antológicas reunidas no álbum "Coleção Obras-Primas".

A compilação "Sem Limite", por sua vez, apresenta álbuns com os grandes sucessos da rainha Alcione, incluindo "Não Deixe o Samba Morrer" e "Sufoco", e da banda Babado Novo, da época em que tinha como vocalista Claudia Leitte. Um time e tanto.


OS PARALAMAS DO SUCESSO - RARIDADES
A compilação "Raridades" reúne algumas músicas que Os Paralamas do Sucesso gravaram em projetos especiais. Do álbum "Músicas Para Tocar em Elevador", foi pinçada "Que Maravilha", com participação do próprio autor, Jorge Ben Jor. De "Jackson do Pandeiro - Revisto e Sampleado", saiu o registro de "Um a Um". Da trilha sonora do filme "Casseta & Planeta - A Taça do Mundo é Nosso", vem a recriação de "É Papo Firme", clássico da Jovem Guarda. E ainda tem músicas de Djavan ("Açaí"), Gilberto Gil ("Refazenda") e Marcos Valle ("Mustang Cor de Sangue"). Do universo do próprio grupo, há versões de "Aonde Quer Que Eu Vá", "Caleidoscópio" e "Vital e Sua Moto". Uma delícia de disco.

Não deixe de ouvir: "É Papo Firme"


DOLORES DURAN - A NOITE DE DOLORES
A voz de Dolores Duran passeou por muitos estilos e por várias línguas. No álbum "A Noite de Dolores", a saudosa cantora e compositora é flagrada cantando em inglês (o standard "My Funny Valentine"), em francês ("La Marie Vision") e em espanhol ("Ave Maria Lola"). Também mostra o lado nordestino no divertido baião "Zefa Cangaceira". A bela "Fim de Caso", um dos muitos clássicos da dor de cotovelo compostos por Dolores, também está no irretocável repertório.

Não deixe de ouvir: "My Funny Valentine"


EMÍLIO SANTIAGO - OBRAS-PRIMAS
Na "Coleção Obras-Primas", o nome de Emílio Santiago não poderia faltar. A compilação reúne grandes momentos do cantor, que nos deixou em 2013. Um medley que mistura "Dois Pra Lá, Dois Pra Cá" e "Qualquer Coisa" abre os trabalhos. Músicas como "Ponto Final" (de Jair Amorim e José Maria de Abreu), "Última Forma" (Baden Powell e Paulo César Pinheiro), "Afina o Meu Violão" (uma das raras composições de Beth Carvalho, com Edmundo Souto e Paulinho Tapajós) e "Dores de Amores" (de Luiz Melodia) atestam o bom gosto que o artista tinha na escolha do repertório. Um dos muitos clássicos de Gonzaguinha, a contundente "Recado" é outro grande destaque.

Não deixe de ouvir: "Recado"


ELBA RAMALHO - FELICIDADE URGENTE
Em clima tropical, a cantora Elba Ramalho chegou ao seu décimo terceiro álbum solo proclamando: "Felicidade urgente para todos / Para todos nós". O verso faz parte do reggae "Felicidade Urgente", que ela canta com o autor, Claudio Zoli, e que acabou batizando o disco. Entre faixas inéditas, como "Maré Dendê" (de Carlinhos Brown, em dueto com Sandra de Sá) e "Fim de Jogo" (de Nélson Motta e Jamil Joanes), Elba regravou "Vida" (sucesso do Obina Shock, com o auxílio luxuoso da guitarra de Lulu Santos), "Morena de Angola" (de Chico Buarque) e "La Vie en Rose" (o clássico de Edith Piaf, que conta com a sanfona de Oswaldinho). Sem dúvida, um dos mais elogiados trabalhos da artista paraibana.

Não deixe de ouvir: "Felicidade Urgente"


LUIZ CLAUDIO RAMOS - MPBC
A série "MPBC" (Música Popular Brasileira Contemporânea) rendeu muitos álbuns antológicos. Lançado em 1980, o primeiro disco do violonista e arranjador Luiz Claudio Ramos traz faixas inspiradíssimas, como "Ladeira do Tambá", "Fazenda do Ar", "Dois Irmãos", "Ensinar a Viver", "O Fio do Pensamento" e "Samba Exaltação à Morena". O elegante arranjo de "Carta Fora" é um dos grandes momentos do trabalho de estreia de Luiz, que segue em plena atividade, comandando a banda que acompanha ninguém menos que Chico Buarque.

Não deixe de ouvir: "Carta Fora"


STÊNIO MENDES - MPBC
As cordas da craviola de Stênio Mendes também protagonizaram um dos álbuns da série "MPBC" (Música Popular Brasileira Contemporânea). No álbum dedicado à sua obra, pérolas como "Taquará", "Espada de Anjo", "Sonata Perdida", "Invasão dos Monges" e "Rosário" ganham tons épicos, com vocais arrepiantes. Em "Linhas Tortas", ele conta com a participação mais que especial de sua mãe, a soprano Ruth Nogueira.

Não deixe de ouvir: "Sonata Perdida"


ALCIONE - SEM LIMITE
A carreira de Alcione é uma das mais bem-sucedidas da música brasileira. Aos 70 anos, a Marrom é festejada como uma das maiores vozes de todos os tempos. Claro que uma compilação em torno do seu trabalho, como essa "Sem Limite", tem que incluir os sambas "Gostoso Veneno", "O Surdo", "Não Deixe o Samba Morrer", "Sufoco" e "Pandeiro é Meu Nome", canções que ajudaram a pavimentar sua estrada de sucesso. Mas o romantismo sem culpa de músicas como "O Que Eu Faço Amanhã", "Qualquer Dia Desses" e "Nem Morta" também está presente. Em "O Meu Amor", Alcione divide os vocais com Maria Bethânia. Já em "Mesa de Bar", Ed Motta é o convidado especial. Clássico de Chico Anysio e Nonato Buzar, "Rio Antigo (Como nos Velhos Tempos)" fecha o álbum em grande estilo.

Não deixe de ouvir: "O Que Eu Faço Amanhã"


BABADO NOVO - SEM LIMITE
Sucesso na voz de Roberto Carlos nos anos 1980, "Amor Perfeito" ganhou um tempero de axé em 2002, virando o cartão de visita do Babado Novo. Com Claudia Leitte nos vocais, virou um sucesso instantâneo. Na compilação "Sem Limite", o primeiro hit não poderia ficar de fora. Mas a banda emplacou vários sucessos, como "Safado, Cachorro, Sem-Vergonha", "A Camisa e o Botão", "Eu Fico" e "Bola de Sabão", todos revividos no álbum. Outro clássico do repertório do rei Roberto, "Falando Sério" marca presença com a levada dançante que marcou o som do grupo baiano.

Não deixe de ouvir: "Amor Perfeito"


NETINHO - UM BEIJO PRA VOCÊ
O cantor Netinho surgiu na Banda Beijo, mas - graças ao seu carisma - logo partiu para carreira solo. No álbum "Um Beijo pra Você", a alusão ao grupo que o projetou já aparece no título. De cara, o cantor emplacou a dançante "Capricho dos Deuses". Mas a faixa "Total", um reggae delicioso, também foi sucesso nas rádios. O disco trazia ainda momentos mais calmos, como "Sereia" e "Beija-Me", cantadas com a suavidade que marcou o artista baiano.

Não deixe de ouvir: "Capricho dos Deuses"


NETINHO – MILLA (EP com 4 faixas)
A música "Milla" é, sem dúvida, o maior sucesso da carreira de Netinho. Duas décadas depois de lançada, ela continua sendo uma das mais tocadas do Carnaval, por artistas que vão de Ivete Sangalo a Bell Marques. No EP "Milla", a música aparece em quatro versões. Há um remix para as baladas eletrônicas, uma gravação ao vivo, outra em estúdio e, por fim, uma apenas instrumental, para o ouvinte se sentir no lugar de Netinho. Diversão garantida.

Não deixe de ouvir: "Milla"


MARGARETH MENEZES - UM CANTO PRA SUBIR
A baiana Margareth Menezes ficou conhecida mundo afora no final dos anos 1980, quando fez uma turnê com David Byrne, ex-líder do Talking Heads. O álbum "Um Canto Pra Subir" celebrava o sucesso da artista, que ainda não era conhecida no seu próprio país. E foi com um repertório dançante, em que se destacava o reggae "Negra Melodia", que sua voz potente pode ser ouvida de Norte a Sul. "Marmelada", "Co-Brador" e "Abra a Boca e Feche os Olhos" mantinham o astral lá em cima. Com a épica "Uma História de Ifá (Ejigbô)", a cantora mostra toda a força de seu canto.

Não deixe de ouvir: "Negra Melodia"


ROBERTO MENESCAL - A NOVA BOSSA NOVA DE ROBERTO MENESCAL E SEU CONJUNTO
Aos 80 anos, Roberto Menescal continua encantando os ouvidos com seu violão, que ajudou a tornar a Bossa Nova o ritmo brasileiro mais famoso no mundo. No álbum "A Nova Bossa Nova de Roberto Menescal e Seu Conjunto", o músico desfila por um repertório que vai de "Samba de Verão", de Marcos e Paulo Sérgio Valle, a "Bolinha de Papel", de Geraldo Pereira, passando por "Aruanda", de Carlos Lyra e Geraldo Vandré, e "Só Tinha Que Ser Com Você", de Tom Jobim e Aloysio de Oliveira. Claro que as composições do próprio Menescal com seu parceiro Ronaldo Bôscoli não poderiam ficar de fora. "Você", "A Morte de Um Deus de Sal" e "Negro" ajudaram a tornar o álbum um verdadeiro clássico.

Não deixe de ouvir: "Samba de Verão"


QUARTETO EM CY - RESISTINDO (AO VIVO)
É com um medley reunindo "Eu Vim da Bahia" e "Filhos de Gandhi" que o Quarteto em Cy abria o álbum "Resistindo", gravado ao vivo. Com a harmonia vocal que virou marca, as artistas passeiam por um repertório de alto nível, com pérolas como "Viola Violar", "Dorme, Meu Menino, Dorme", "Funeral de Um Lavrador" e "Canta, Canta Mais". Na marcante "O Rancho da Goiabada", de João Bosco e Aldir Blanc, elas deitam e rolam na interpretação. "Mulheres de Atenas", de Chico Buarque e Augusto Boal, é outro grande momento do disco.

Não deixe de ouvir: "O Rancho da Goiabada"


NANA CAYMMI - MUDANÇA DOS VENTOS
A cantora Nana Caymmi gravou vários discos importantes ao longo da carreira. Mas "Mudança dos Ventos", de 1980, ocupa um lugar especial em sua discografia. Afinal, o repertório trazia muitas das músicas que acabariam marcando a carreira da diva. "Canção da Manhã Feliz" (de Luiz Reis e Haroldo Barbosa), "De Volta ao Começo" (Gonzaguinha), "Mistérios" (Joyce e Maurício Maestro) e a faixa que dá título ao disco (de Ivan Lins e Vítor Martins) são algumas delas. Em "Meu Bem Querer" e "Estrela da Terra", ela dividia os vocais com o Boca Livre, que tinha entre os integrantes Cláudio Nucci, seu então marido.

Não deixe de ouvir: "Mistérios"


BADEN POWELL - SHOW/RECITAL
Toda a discografia de Baden Powell merece ser celebrada. Mas o álbum "Show/Recital", gravado ao vivo em 1968, trazia um destaque a mais: as participações da cantora Márcia e do grupo Os Originais do Samba. Com um repertório quase inteiramente assinado pelo próprio Baden, o disco inclui faixas como "Vento Vadio", "Marcha Escocesa", "Apelo", "Samba da Benção" e "Berimbau". As cordas do violão de Baden também enchem de beleza "Carinhoso", de Pixinguinha e Braguinha, e "Eurídice", de Vinícius de Moraes. Um belo disco.

Não deixe de ouvir: "Berimbau"


NIVALDO ORNELAS - MPBC
O grande Nivaldo Ornelas também brilhou na série "MPBC" (Música Popular Brasileira Contemporânea). Lançado em 1978, o disco mostrou o trabalho autoral do saxofonista, flautista e arranjador mineiro. São faixas como "As Minas do Morro Velho", "Arqueiro do Rei", "Ninfas" e "Querubins e Serafins" que o tornaram um dos grandes discos instrumentais do Brasil.

Não deixe de ouvir: "Querubins e Serafins"


DJALMA CORRÊA - MPBC
O percussionista baiano Djalma Corrêa é outro importante nome da música instrumental celebrado na série "MPBC" (Música Popular Brasileira Contemporânea). No álbum dedicado à sua obra, a riqueza dos instrumentos de percussão é colocada em primeiro plano. "Homenagem a Um Índio Conhecido", "Baiafro", "Banjilógrafo" e "Samba de Ousadia" são algumas das joias incluídas.

Não deixe de ouvir: "Samba de Ousadia"


MARCOS & FERNANDO - MARCOS & FERNANDO (2015)
Com participações de Henrique & Juliano e de Zé Neto & Cristiano, a dupla Marcos & Fernando lançaram em 2015 um animado álbum ao vivo. Os convidados especiais não estavam ali por acaso: eles sempre citaram os dois rapazes de Goiânia como influências importantes. O repertório é uma festa só, começando com a animada "TCC (Truco, Cerveja e Churrasco)". Faixas como "Se a Sua Cama Falasse", "Maquiagem Borrada", "Ele Vai Errar com Você" e "1004 Bloco C" são acompanhadas em coro pela plateia. O ouvinte se sente em pleno show.

Não deixe de ouvir: "TCC (Truco, Cerveja e Churrasco)"


TRIO PARADA DURA - CASA DA AVENIDA
Um sertanejo de raiz. Assim pode ser definido o som do Trio Parada Dura, em atividade desde o início dos anos 1970. No álbum "Casa da Avenida", a segunda formação do grupo (Creone, Barrerito e Mangabinha) passeia por modões como "Fruto do Amor", "Boi Tufão", "Trem Doido", "Coração Prisioneiro" e "Não Diga a Verdade". A faixa "Eu Não Sou Sapato Seu" é lembrada até hoje.

Não deixe de ouvir: "Eu Não Sou Sapato Seu"


SIDNEY MAGAL - SIDNEY MAGAL (1978)
Foi em 1978, quando lançou o segundo álbum, que Sidney Magal apresentou aquela que viraria uma das personagens mais marcantes da música brasileira: "Sandra Rosa Madalena - A Cigana". O sucesso foi estrondoso, transformando o disco em um dos mais vendidos na carreira do cantor. Mas outras músicas, como "Não Sei Como Dizer", "Se Você Gosta Assim", "Antes das Dez" e "Quero", também não passaram despercebidas.

Não deixe de ouvir: "Sandra Rosa Madalena - A Cigana"

Por Leonardo Alves

Nenhum comentário

Postar um comentário