12 junho 2018

[News] Guerra e arte estão em cena no premiado filme ´´´Nos vemos no paraíso´´


Ganhador de cinco prêmios César em 2018 (Melhor Figurino, Melhor Fotografia, Melhor Adaptação, Melhor Cenário e Melhor Realização), o longa “NOS VEMOS NO PARAÍSO”, de Albert Dupontel, traz uma história de guerra, arte e amizade, que estreia nos cinemas em 5 de julho, baseado no romance de Pierre Lemaître. Além de dirigir o longa, Dupontel  interpreta o soldado Albert Maillard. Ele, junto com Edouard Péricourt (Nahuel Pérez Biscayart), são vítimas de uma injustiça e se unem para desmascarar o tenente do governo, que lucra com as mortes dos soldados atingidos nas batalhas.
- Achei o livro extremamente inspirador, me pareceu que as personagens viviam uma vida moderna, mas confusa. A trama também tinha um enredo universal: um pai cheio de remorso e um filho abandonado e incompreendido. Todos esses elementos e mais tantos outros me fizeram acreditar que seria possível fazer uma adaptação viável - revela Dupontel.
Vivido por Nahuel Pérez Biscayartm,  Edouard Péricourt é um grande artista. Porém, após sofrer um grave acidente em campo e ficar desfigurado, decide se esconder da sociedade e, principalmente, de sua família. Segundo Biscayart, foi preciso trabalhar suas expressões para interpretar a personagem. “Em relação ao rosto, usamos muito o olhar e as máscaras: as máscaras estão lá para para expressar tudo o que um rosto oculto não pode”, diz o ator, também conhecido por sua participação nos filmes “120 Batimentos por Minuto” e “Se Você Soubesse”.
Este ano completa cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial, muito bem retratada no filme. A década de 20 também está representada não só pelo contexto da guerra, mas também pelo figurino, pelas festas e pela representação do desenvolvimento emergente da cidade. Segundo a atriz Emilie Dequenne, que interpreta a irmã do protagonista, Madeleine, isso ajudou os atores a se situarem na época e viver as personagens com intensidade. “Ao interpretar uma personagem de época, o lado "disfarçado" é ainda mais forte, e isso é um trunfo para fazer seu personagem viver. No entanto, o que eu realmente gostei da Madeleine é que ela era moderna. Sua elegância e singularidade me ajudaram muito na  sua construção”, conta.

SINOPSE
França, 1918. Poucos dias antes do fim da Primeira Guerra Mundial, Albert e Edouard são dois combatentes que se tornam amigos inseparáveis quando um salva a vida do outro em um bombardeio. Albert é um contador despretensioso enquanto Edouard é um talentoso desenhista, agora desfigurado. Unindo as suas habilidades, eles armam um golpe espetacular para desmascarar um militar tirano que lucra sobre os mortos da guerra e para fraudar o governo francês.

FICHA TÉCNICA
Título: Au revoir là-haut (Original)
Ano de produção: 2017
Direção: Albert Dupontel
Duração: 117 minutos
Classificação Indicativa:     A definir
Gênero: Drama
Países de Origem: Canadá, França
Elenco: Albert Dupontel, Émilie Dequenne,  Mélanie Thierry, Niels Arestrup, Frans Boyer, Jonathan Louis, Laurent Lafitte,  Nahuel Pérez Biscayart, Héloïse Balster.

SOBRE A PANDORA FILMES
A Pandora Filmes é uma distribuidora de filmes de arte, ativa no Brasil desde 1989. Voltada especialmente para o cinema de autor, a distribuidora buscou, desde sua origem, ampliar os horizontes da distribuição de filmes de arte no Brasil com relançamentos de clássicos memoráveis em cópias restauradas, de diretores como Fellini, Bergman e Billy Wilder, e revelações de nomes outrora desconhecidos no país, como Wong Kar-Wai, Atom Egoyan e Agnés Jaoui. Paralelamente aos filmes internacionais, a Pandora Filmes sempre reserva espaço especial para o cinema brasileiro, lançando obras de diretores renomados e também de novos talentos. Dentro desse segmento, destaca-se o recente “Que Horas Ela Volta”, de Anna Muylaert, um grande sucesso, visto no cinema por mais de 500 mil espectadores.


Nenhum comentário

Postar um comentário