Novidades

[News] Filme de Jocy de Oliveira estreia em VoD com lançamento de livro. Veja trailer


Trailer:


O premiado filme “Liquid Voices – A História de Mathilda Segalescu”, dirigido pela compositora, autora e pianista Jocy de Oliveira, uma das pioneiras em multimídia no Brasil, estreia nas plataformas de streaming dia 2 de julho. O filme, uma produção Spectra Produções e produção técnica da Visom Digital, estará disponível no NOW, Looke e VivoPlay. O longa estava previsto para estrear nos cinemas no primeiro semestre de 2020, mas devido à pandemia de Covid-19, a distribuidora Bretz Filmes decidiu pelo lançamento direto em VoD. Junto à estreia no filme, a diretora lança online o livro de arte bilíngue (português/inglês) “Além do Roteiro”, com o roteiro do filme introduzido por reflexões sobre a intertextualidade de mídias (música, teatro, cinemática). 

Filmado em 4K nas ruínas do Cassino da Urca, no IED, no Rio de Janeiro, “Liquid Voices – A História de Mathilda Segalescu” é uma ficção baseada em um evento real do navio Struma - o maior naufrágio com passageiros civis durante a Segunda Guerra Mundial. A embarcação foi a última a deixar a Europa, zarpando da Romênia em 1941, levando 769 refugiados judeus com a promessa de chegar em segurança à Palestina.  

No filme, o único sobrevivente do naufrágio é o piano da personagem central ficcional, a célebre cantora judia refugiada Mathilda Segalescu (vivida pela atriz e soprano Gabriela Geluda). O instrumento é encontrado por um pescador árabe (interpretado pelo ator e tenor Luciano Botelho). Como uma caixa preta do desastre, o piano traz o espectro de Mathilda, por quem o pescador se apaixona. Ela aparece todas as noites para contar-lhe sua trágica diáspora. 

Trata-se da nona ópera de Jocy, porém, concebida desde o início como uma ópera cinemática, isto é, para um filme. “Muitas adaptações do palco para a tela foram feitas ao longo do século XX, mas eu quis fazer algo inédito”, declara a diretora, primeira mulher a ter uma ópera encenada no Teatro Municipal de São Paulo, em 1994, com “Fata Morgana”. Através de sua narrativa ficcional, “Liquid Voices” aborda a discriminação contra refugiados em busca de asilo, fato presente até os dias de hoje. “A temática de minha história é a destruição, o naufrágio, a perseguição das minorias, os refugiados de agora e de sempre”, explica Jocy. 

Em 2019, “Liquid Voices – A História de Mathilda Segalescu” teve sua primeira exibição no London International Film Festival, em fevereiro. Ganhou o prêmio de Best Sound Design na seleção oficial do London International Filmmaker Festival. Participou da Seleção Oficial do Nice International Film Festival, em maio, indicado a Best Film e vencedor por Best Original Music. Foi semifinalista no London International Motian Picture Festival e fez parte da Seleção Oficial do Madrid International Film Festival, em agosto, vencendo o prêmio de Best Set Design. Venceu o prêmio de Best Music – Video na Seleção Oficial do Polish International Film Festival, em outubro, e foi finalista do Near Nazareth Film Festival, em Israel. Recentemente, foi selecionado para o Nice World  Independent Cinema Awards 2020, finalista no Deep Focus Film Festival, Brooklyn, em Nova York, e premiado por Best Music – Video na seleção oficial do Santiago Independent Film Festival. No Brasil, teve exibições no Festival Ópera na Tela, no Parque Lage, no Rio de Janeiro; na Mostra do Cinema Brasileiro, no Cine SESC, em São Paulo, e no Festival Virtuose, no Recife. 

Além de assistir ao filme nas plataformas digitais, o público poderá comprar online o livro “Além do Roteiro”, com o roteiro do filme de Jocy Oliveira, contendo diversas fotos da ópera multimídia encenada em teatro no SESC SP em 24 de maio e das filmagens da ópera cinemática no Cassino da Urca, no Rio de Janeiro, além de todas as partituras musicais do filme. Na obra, a autora explica o desafio de conceber simultaneamente dois roteiros visando uma montagem teatral e outra para o cinema, além de reflexões curiosas sobre a comparação das linguagens poética, teatral e cinemática, que podem ser constatadas pelas soluções de diferentes cenas sob a ótica do teatro e do cinema.  

“Além do Roteiro” discorre sobre a gênese do filme, as técnicas que foram implementadas, a abordagem da intertextualidade de mídias a vivência do espaço, a relevância da música fazendo prevalecer o conceito temporal na construção das cenas, perspectivas inovadoras e ousadas criando um formato de cinema diferenciado. Este é o sexto livro de Jocy de Oliveira, outros foram publicados no Brasil, Estados Unidos, França, Suíça. A autora foi detentora do prêmio Jabuti em 2015. 

Serviço: 

Opera cinemática “Liquid Voices – A História de Mathilda Segalescu”, de Jocy de Oliveira - Disponível no Now, Looke e VivoPlay a partir de 2 de julho de 2020 


Livro “Além do Roteiro”, de Jocy de Oliveira - Disponível para compra através dos links:  

https://fariaesilva.com.br/catalogo/alem-do-roteiro-em-breve/  

ou https://www.martinsfontespaulista.com.br/alem-do-roteiro-644392.aspx/p 

Sinopse: 

A ópera cinemática “Liquid Voices – A História de Mathilda Segalescu” conta uma narrativa ficcional ambientada em um evento factual. A personagem fictícia Mathilda Segalescu, famosa cantora judia, embarca no navio Struma, da Romênia para Palestina, em 1941. O único sobrevivente do navio naufragado é seu piano, encontrado anos depois por um pescador árabe. Esse homem se apaixona pelo espectro da cantora, que aparece todas as noites para lhe contar sua fascinante história e trágica diáspora. O filme traz à tona a eterna tragédia dos imigrantes, refugiados e minorias perseguidas. 

Elenco: 

Gabriela Geluda, soprano: Mathilda Segalescu 

Luciano Botelho, tenor: pescador árabe 

  

Ficha técnica: 

Direção, roteiro, música original com eletroacústica: Jocy de Oliveira  

Assistente de direção: Bernardo Palmeiro 

Produção e Produção executiva: Spectra 

Edição: Bernardo Palmeiro e Jocy de Oliveira 

Direção de arte: Fernando Mello da Costa 

Assistente de direção de arte: Edward Monteiro  

Assistente de direção cênica: Isabella Lomez 

Figurino: Ticiana Passos 

Assistente de figurino: Tiago Ribeiro 

Maquiagem: Rafael Fernandez  

Direção de movimentos: Toni Rodrigues 

Iluminação: Renato Machado 

Engenheiro e áudio (gravação, mixagem e masterização): Leonardo Alcântara   

Direção de fotografia: Ricardo Kimus 

Créditos: Gerald Khoeler / Chapa Estudio 

Pós produção de imagem: Andre Tavares  

Efeitos visuais: Gerald Khoeler 

Artista de Foley: Guido Pera 

Câmera: Gaucho / Dodi Agostinho / Pedro Iorio 

Produção executiva: Claudio Lino da Costa e Mariana Chew 

Assistente de produção: Mara Vieira  

Designer gráfico: Lu Martins 

Administrador: Patricia Ivie 

Agradecimentos: SESC SP, Bogliasco Foundation, Instituto Europeo di Design: Fabio Palma, Carlos Andrade, João Dantas Leite, Fredrik Kirsebom, Eleazar de Carvalho Filho 

Patrocinadores: MultiTerminais, BTG Pactual, Prefeitura do Rio de Janeiro 

Classificação indicativa: 14 anos 

Duração: 83 min 


Conjunto: 

João Senna: viola; Peter Schuback: cello; Aloysio Neves: violão e guitarra elétrica; Rodrigo Cicchelli: flauta; Paulo Passos: clarineta, clarineta baixo e sax; Sara Cohen: piano e tambura; Siri e Joaquim Abreu: percussão; Marcelo Lima: difusão sonora. 

  

Jocy de Oliveira (Direção, roteiro, música original com eletroacústica) 

Compositora, autora, pianista, artista multimídia e cineasta, Jocy é pioneira de um trabalho multimídia no Brasil envolvendo música, teatro, textos, instalações, vídeo, cinema. Concebeu e dirigiu inúmeros vídeos, compôs, roteirizou e dirigiu suas nove óperas apresentadas em diferentes países distribuídas em DVDs pelo selo internacional NAXOS. Como compositora e pianista gravou 25 discos no Brasil, Inglaterra, EUA, Alemanha, Itália e no México e teve a honra de ser solista sob a direção de Stravinsky e ter executado primeiras audições de Luciano Berio, John Cage, I Xenakis, Claudio Santoro, além de ter gravado a obra pianística de Messiaen. (Selo NAXOS). 

Autora de seis livros publicados no Brasil, USA e França, seu livro “Diálogo com cartas”, Edições SESI SP, recebeu o Prêmio Jabuti, e teve uma edição francesa pela Honoré Champion, Paris.  

Foi homenageada juntamente com Fernanda Montenegro pela FLIP 2018 em Parati participando entre os autores principais do festival. 

Premiada pela Guggenheim Foundation, Rockefeller Foundation entre outros, recebeu o título de Doutora Honoris Causa pela UFRJ, Rio de Janeiro, membro da Academia Brasileira de Música e Mestre em Artes pela Washington University St Louis, USA 

Em 2017/2019 escreveu o roteiro, compôs a música e dirigiu seu filme de longa metragem “Liquid voices – A história de Mathilda Segalescu” concebido, simultaneamente, numa linguagem teatral / cinemática. A ópera multimídia para teatro estreou no SESC São Paulo e a ópera cinemática (um filme de longa-metragem) estreou em 2019 no London International Film Festival sendo premiado por Melhor Desenho de Som. 

www.jocydeoliveira.com 

www.youtube.com/jocydeoliveira 

Gabriela Geluda (Soprano /atriz) 

Gabriela é bacharel em canto lírico pela UNIRIO, mestre em música antiga pela Guildhall Schoolof Music and Drama - Londres, onde foi vencedora do Portallion Chamber Music Prize, formada na Técnica de Alexander pelo Alexander Technique Studio - Londres e em 2016 foi contemplada no Edital de Estímulo à Criação, Experimentação e Pesquisa Artística da FAPERJ. 

Exerce intensa atividade como cantora especializada em repertório contemporâneo, tendo participado de inúmeras bienais e festivais de música, apresentando peças muitas vezes em suas estreias mundiais. 

Participou da remontagem da ópera “Einstein on the Beach”, de Philip Glass e Bob Wilson no Baryshnikov Art Centre de Nova Iorque, sob orientação do próprio Bob Wilson. Vem trabalhando continuamente com a compositora Jocy de Oliveira como soprano solo de suas óperas há 25 anos e escreveu um artigo, sobre esse precioso encontro, que compõe o livro “Leituras de Jocy” publicado em 2018 pela SESI-SP editora. 

Apresentou obras da compositora no Brasil, Alemanha, Argentina e França. 

https://gabrielageluda.com.br 

  

Luciano Botelho (Tenor/ ator) 

Luciano Botelho se apresentou em importantes casas de ópera como Royal Opera House, o teatro de Glyndebourne, o Theater an der Wien, a Ópera de Genève, a Oper Frankfurt, a Hamburger Staatsoper, a Sydney Ópera House e o New National Theathre de Tóquio. Seu repertório é baseado no Bel Canto italiano, incluindo Rossini, Donizetti e Bellini. Também canta Mozart, tendo recentemente apresentado-se no Theatro Municipal de São Paulo como Tamino, em a Flauta Mágica, e na Ópera de Gotemburgo como Idamante, em Idomeneo, Re di Creta. Obteve grande sucesso cantando o papel-título em Orfeu e Euridice, de Gluck, e Elvino em A Sonambula, de Bellini, na Ópera Estatal de Stuttgart. O tenor é formado em canto na UniRio e tem mestrado em ópera na Guildhall School of Drama and Music. Representou o Brasil na BBC Cardiff Singers of the World, foi finalista na competição Francisco Viñas e foi indicado na Opera NowMagazine como um dos seus 10 tenores favoritos. Outros papéis recentes incluem o Conde de Leicester, em Elisabetta, Regina d’Inghilterra; Gugliemo, em Viva la Mamma, Rinuccio, em Gianni Schicchi; Ghino, em Pia de Tolomei; Duca, em Rigoletto e Narciso, em Il Turco in Italia. 

https://www.lucianobotelho.com/ 

Spectra Produções 

A Spectra Produções tem produzido, desde de 1980, todos os espetáculos de Jocy de Oliveira, tanto em teatros, como ao ar livre, muitas vezes, para um público de mais de 15.000 pessoas (MAM, Lagoa - Rio de Janeiro e Belo Horizonte). Os espetáculos em teatro têm sido realizados em várias capitais brasileiras, assim como nos EUA e Alemanha. Recentemente produziu seu premiado filme Liquid Voices. Além de espetáculos de Jocy de Oliveira no Brasil, Spectra tem produzido continuamente seus espetáculos na Alemanha, Áustria, EUA e Argentina, para tal, muitas vezes, levando o Ensemble Jocy de Oliveira, composto por cerca de 15 artistas e técnicos, assim como, transportando cenários, adereços, figurinos e monitorando toda uma estrutura técnica de áudio e imagem. 

Obteve patrocínio das seguintes empresas: Telemar/Oi, Petrobras, Coca-Cola, Banco do Brasil, Furnas, Crefisul, Prológica, Mira Informática, Cobra, Banco Francês Brasileiro, Caixa Econômica Federal, White Martins, UBS, Refinaria de Manguinhos, Banco Pactual, PROMOM, Brookfield, Rede DÓR , MULTITERMINAIS, Correios, Caixa Econômica entre outros, além de órgãos governamentais, tais como: SESC Rio e São Paulo, FUNARTE, Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro e São Paulo, Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo e Rio de Janeiro, Centro Cultural Banco do Brasil, MINC, ICMS, ISS- RJ entre outros. Spectra também produziu eventos, festivais e concertos no Rio de Janeiro para compositores internacionais como Stockhausen, John Cage, Phill Niblock, Joseph Celli e outros. 

Bretz Filmes 

A Bretz Filmes iniciou as atividades em 1990, atuando no mercado de vídeo como distribuidora e representante das principais empresas. Em 2011, a Bretz Filmes iniciou sua atuação nacional e internacional, passando a adquirir filmes nacionais e estrangeiros para distribuição própria em cinema, vídeo, televisão e VOD, especializando-se na distribuição de documentários e filmes de autor. A partir de 2015, a Bretz Filmes se voltou para o mercado de cinema independente, nacional e internacional, lançando títulos como: Woody Allen, O Cavalo de Turim, Nostalgia da Luz e Another Year. Mais recentemente, foram lançados os filmes independentes brasileiros e internacionais Gabriel e a Montanha, On Yoga, Cézanne e eu, dentre outros. 


Nenhum comentário