Novidades

[News]Oi Futuro apresenta nona edição do Festival Levada com transmissão e cobertura em tempo real

Oi Futuro apresenta nona edição do Festival Levada com transmissão e cobertura em tempo real

 



Ilessi -  Crédito da foto: LorenaDini

Nos dias 2, 3, 9 e 10 de fevereiro, sete promessas da nossa música vão se apresentar no LabSonica, laboratório de experimentação sonora do Oi Futuro, que apoia o festival desde a estreia, em 2012.

Vem aí a nona edição do Festival Levada! E com novidade! Serão quatro apresentações, reunindo sete promessas da música brasileira contemporânea, ao vivo, no estúdio LabSonica, do Oi Futuro, com transmissão pelo YouTube (youtube.com/levadafestival) em tempo real. Além disso, haverá a cobertura do evento pelo Instagram do Levada (@festivallevada). Programação dos shows: Ilessi (dia 2 de fevereiro, terça-feira), Thiago Nassif (dia 3 fevereiro, quarta-feira), Àiyé (dia 9 de fevereiro, terça-feira) e do coletivo formado por Dora Morelenbaum, Julia Mestre, Lucas Nunes e Zé Ibarra (dia 10 de fevereiro, quarta-feira).  Os shows acontecem às 21h.

Desta vez, o público ficará em casa, enquanto os artistas e a equipe do festival capricharão para tornar o encontro não menos do que incrível, sem descuidar dos protocolos de segurança sanitária previstos pelos órgãos responsáveis e firmados entre a Zucca e o Oi Futuro. Entre as ações de prevenção definidas, está a testagem para a COVID-19 de todos os artistas e técnicos que ficarão juntos no estúdio do LabSonica para a transmissão.

“Essa turma está pronta para ser abraçada pelo público, pois faz um trabalho consistente e de alta qualidade. Alguns são mais experientes, como Ilessi e Thiago Nassif, ou mesmo a Larissa Conforto, que já tocou com muita gente boa e agora está com seu projeto solo "Àiyé". E, na última noite, teremos o encontro de um quarteto da novíssima geração, que são a Dora Morelenbaum, Julia Mestre, Lucas Nunes e Zé Ibarra”, adianta o curador Jorge Lz.

O público verá esses novos nomes em ação e ficará por dentro de detalhes das suas carreiras, que correm fora dos holofotes da grande imprensa. O formato do festival foi alterado neste 2021, e cada apresentação será entremeada por uma conversa entre Jorge Lz e os artistas, com a possibilidade de participações especiais e perguntas do público enviadas pelas redes.

“Desde sua criação, há nove anos, o Festival Levada conta com o patrocínio da Oi e o apoio do Oi Futuro e se reafirma, a cada ano, como plataforma de lançamento da novíssima música brasileira, fortalecendo o propósito do instituto de fomentar projetos transformadores e abrir espaço para novos artistas. Este ano, o festival realiza o enorme desafio de se reinventar em formato digital e leva toda sua energia e frescor para as pessoas em suas casas”, diz Roberto Guimarães, gerente executivo de Cultural do Oi Futuro.  Para esta nona edição do festival o patrocínio da Oi é realizado através da Lei de Incentivo à Cultura do Município do Rio de Janeiro, a Lei do ISS, que é aplicada e fiscalizada pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro / Secretaria Municipal de Cultural. Conta com a correalização do Oi Futuro e realização da Zucca Produções.

Durante os eventos, haverá uma equipe movimentando as redes sociais do Festival Levada no Facebook e YouTube, onde os internautas poderão interagir. A inovação fica por conta da interatividade na live pelo Instagram, onde o artista poderá ser um “metaconvidado” e assistir a seu próprio show através do celular ligado dentro do estúdio. Os fãs do artista também poderão interagir nesse formato, que terá como cicerone a cantora e atriz Luiza Loroza, via Instagram.

E uma coisa é certa: o Festival Levada sempre esteve com o futuro no seu radar. Tanto pelas atrações que estouraram depois de se apresentar em seu palco, como Baiana System ou Letrux, tanto por transmitir seus shows ao vivo desde 2017, disponibilizando, ainda, os vídeos das apresentações na íntegra em seu canal de YouTube. Há quem diga que o nome disso é vanguarda.

“Quando começamos a fazer as transmissões ao vivo, a ideia era contemplar o público que não estaria no teatro por causa da lotação, mas também o público de outras localidades, inclusive, de onde essas atrações vinham. Com a pandemia, fomos obrigados a migrar para o virtual e isso, de alguma maneira, tem um lado positivo: ser assistido de qualquer lugar", diz Julio Zucca, idealizador e produtor do festival.

“Mas, sem dúvida, a melhor experiência é a presencial. E por falar nisso, já estamos desenhando o Levada 10 anos”, adianta Jorge Lz otimista.

Serviço

Atrações:

Dia 2 de fevereiro, terça-feira - Ilessi

Dia 3 de fevereiro, quarta-feira - Thiago Nassif

Dia 9 de fevereiro, terça-feira - Àiyé (Larissa Conforto)

Dia 10, quarta-feira - coletivo formado por Dora Morelenbaum, Julia Mestre, Lucas Nunes e Zé Ibarra.   

Os shows acontecem às 21h.

Local: pelo YouTube (youtube.com/levadafestival)

De graça e sem comerciais/monetização

Cobertura do evento pelo @festivallevada

MAIS SOBRE OS ARTISTAS SELECIONADOS

ILESSI

Cantora, compositora e uma das principais artistas da cena independente carioca, Ilessi é conhecida pela afinação impressionante e pelas interpretações arrasadoras (sempre no lugar certo, sem exageros). A ligação profunda que mantém com a essência da música popular brasileira não a impede de incorporar em seu trabalho outras referências, como, por exemplo, o blues. “Dama de Espadas” (2020) é o seu primeiro disco autoral, quarto de carreira e, sem dúvida, o de maior repercussão até agora.

PARA OUVIR:
https://open.spotify.com/artist/7tFzUF3Tvd65nlJ1Nky7va

THIAGO NASSIF

Músico e produtor que trabalha de forma criativa desde a composição até a engenharia de som, incluindo uma pesquisa que incorpora elementos eletrônicos, digitais e acústicos, além de elementos ligados à fotografia, arquitetura e artes plásticas. Parceiro de Arto Lindsay, Paulo Barnabé, Domenico Lancellotti e Jonas Sá, Thiago Nassif lançou lançou o álbum “Mente” em vinil na Europa, considerado um dos melhores lançamentos de 2020 pelas críticas nacional e internacional.

PARA OUVIR:
https://open.spotify.com/artist/4V5mWK2gFndo7riERIRfr8

ÀIYÉ

Àiyé é o projeto da musicista, compositora e produtora Larissa Conforto, que foi baterista da banda Ventre e tocou com artistas como Paulinho Moska, Numa Gama, Cícero e Ricardo Richaid. Como produtora artística atuou em álbuns de Gilberto Gil, Chico Buarque, Alceu Valença e Karol Conká. “Gratitrevas” (2020) é o seu primeiro EP solo e traz oito faixas com ambientações recheadas de tambores e sons sintéticos e eletrônicos. Por coincidência ou destino, as faixas versam sobre cura, luz e a gratidão justo neste momento de tantas sombras no mundo.

PARA OUVIR:
https://open.spotify.com/artist/3VumMgwS5pfXHC7vfek7Bu

DORA MORELENBAUM, JULIA MESTRE, LUCAS NUNES E ZÉ IBARRA

Revelado nas famosas lives da cantora Teresa Cristina, o quarteto que assina com os seus próprios nomes se reuniu numa casa na Serra nesta quarentena para criar música coletivamente. Eles são amigos desde os tempos de colégio. Filha da cantora Paula Morelenbaum e do violoncelista Jacques Morelenbaum, Dora é namorada de Lucas Nunes, integrante da banda Dônica junto com Zé Ibarra, que acabou de lançar nas plataformas digitais uma versão de “Meu bem, meu mal” em dueto com Gal Costa.

 

Dora lançou outro dia o single “Dó a dó” e prepara álbum solo para este ano. A ideia de aglomerar em volta da música foi de Julia Mestre, que já teve uma composição sua (“Love love”) cantada por Ivete Sangalo no Carnaval. Julia também fez recente participação especial no disco dos Gilsons, formado por filhos e netos do baiano Gilberto Gil, e colheu elogios pelo álbum “Geminis” (2019). Julia e Dora vêm lançando alguns singles em dobradinha.

DORA:
https://open.spotify.com/artist/6xt7x7TG8ExdvWM3R15cmE

JULIA:
https://open.spotify.com/artist/1FnGKreDca8xq3juSi5hAE

ZÉ IBARRA:
https://open.spotify.com/artist/52GmrK0buOOvHo7Kk20O4U

DÔNICA:
https://open.spotify.com/artist/03HT2JEgxfsG5ugI3yPLMK

PR/Sheila

Nenhum comentário