Novidades

[News]O humor como o melhor remédio e suas inspirações no cinema

O humor como o melhor remédio e suas inspirações no cinema


Uma boa história, risadas e bom-humor: ingredientes necessários para momentos como os que temos enfrentado nas últimas semanas. O humor sempre foi, e continuará sendo, um remédio poderoso contra muitos males modernos.
Um gênero muito popular, a comédia se reinventa, cria releituras e adapta histórias a novos contextos e gerações. Muitas das comédias que amamos são baseadas em filmes mais antigos, ou em obras consagradas da literatura, com piadas reformuladas e adequadas ao seu tempo. Mas não se deixe levar pela efemeridade dos risos: os clássicos do humor são atemporais.

Separamos aqui uma lista de comédias contemporâneas e suas inspirações, para você poder rir e comparar as semelhanças e diferenças entre elas! 

As Branquelas (2004)  / Quanto Mais Quente Melhor (1959)
45 anos separam os dois filmes, mas as semelhanças entre eles são muitas. No longa mais recente, uma dupla de agentes do FBI, Marcus e Kevin, precisa se disfarçar e encarnar as irmãs Wilson para concluir uma investigação. Em Quanto Mais Quente Melhor, os astros Tony Curtis e Jack Lemmon (nomes imprescindíveis na lista dos amantes das comédias clássicas) são músicos que, devido a um infortúnio, acabam precisando fugir da máfia de Chicago. A oportunidade de integrar uma banda de garotas que está partindo em turnê é o motivo pelo qual a dupla se transforma em Josephine e Daphne, as mais novas integrantes do grupo musical. O trio de protagonistas é composto por elas e por Sugar, vivida pela atriz Marilyn Monroe, que apesar de interpretar mais um estereótipo, entrega leveza e graça em sua atuação.
Quanto Mais Quente Melhor foi eleita a melhor comédia de todos os tempos pela BBC, e merece ser apreciada por todo cinéfilo que se preze. E se você curtiu As Branquelas, dê uma chance ao clássico que serviu de inspiração e descubra a simetria entre eles.
O Professor Aloprado (1996) / O Professor Aloprado (1963)
Jerry Lewis, um dos maiores humoristas de todos os tempos, nos deixou em 2017, mas estará para sempre vivo em todas as produções em que ele atuou. Lewis foi um dos nomes mais marcantes do humor de Hollywood nos anos de 1960, e entre muitos filmes que emplacou, O Professor Aloprado serviu de inspiração, mais de 20 anos depois, para o longa homônimo, estrelado por Eddie Murphy. Apesar de conter algumas diferenças e adaptações no roteiro, a premissa é a mesma: um professor, considerado esteticamente fora dos padrões, se submete a um experimento e transforma sua aparência. Nasce então o misterioso Buddy Love, versão comportamental e fisicamente transformada do professor.
Em 2008, o longa de Jerry Lewis ganhou uma continuação em série animada, onde o protagonista reprisou seu papel e também atuou como produtor.
Dona Flor e Seus Dois Maridos (1976) / Dona Flor e Seus Dois Maridos (2017)
Não é só Hollywood que serve como inspiração para a sétima arte, não! O romance de Jorge Amado, que inspirou o filme de 1976 e também um seriado, voltou às telonas em 2017, protagonizado por Juliana Paes, Marcelo Faria e Leandro Hassum – “A gente tentou se distanciar de todas essas montagens, pra gente não se influenciar” – disse Hassum, sobre o desafio das comparações com outras produções, em entrevista concedida à época do filme. O ator, um dos maiores nomes do humor brasileiro, é fã declarado de Jerry Lewis, já citado aqui, tendo tido a honra de contracenar com ele em Até que A Sorte Nos Separe 2.
Você pode assistir Dona Flor e Seus Dois Maridos (2017) no streaming do Telecine.
Paula Ramagem (fonte Ingresso.com)

Nenhum comentário