31 outubro 2018

[News] ¨Mormaço¨ de Marina Meliande, está na mostra novos rumos do Festival do Rio


Primeiro longa-metragem solo de Marina Meliande, “MORMAÇO”, está na seleção oficial da Mostra Competitiva Novos Rumos do Festival do Rio, que acontece de 1º a 11 de novembro. Roteirizado pela própria Marina, em parceria com Felipe Bragança, o longa traz Ana (Marina Provenzzano) como protagonista. A jovem advogada carioca se divide entre seu trabalho na Vila Autódromo, comunidade prestes a ser despejada por conta dos Jogos Olímpicos do Rio, um novo amor, além de uma doença misteriosa. O longa teve estreia mundial na competição oficial do Festival Internacional de Cinema de Roterdã, no início do ano. No último domingo, foi exibido pela primeira vez no Brasil na mostra competitiva do Festival de Gramado.
A dupla de roteiristas já trabalhou em outros projetos e assina a direção de longas como “A fuga da Mulher Gorila”, que estreou no Festival de Locarno 2009, e “A Alegria”, que esteve na Quinzena dos Realizadores, no Festival de Cannes 2010. Além de Marina Provenzzano, o elenco conta com o estreante Pedro Gracindo, neto de Paulo Gracindo e filho de Gracindo Jr., Diego de Abreu, Analu Prestes, Igor Angelkorte e Sandra Souza.
“MORMAÇO” é uma produção da Duas Mariolas e Enquadramento Produções e foi desenvolvido com o suporte da Résidence da Cinefondation, promovida pelo Festival de Cannes, e do Hubert Bals Fund, promovido pelo Festival de Roterdã. Além disso, o projeto foi o vencedor do Brasil CineMundi, da Mostra CineBH, e foi realizado com recursos do Fundo Setorial do Audiovisual, na linha dedicada a longas-metragens com propostas de linguagem inovadora e relevância artística. Com previsão de estreia para o primeiro semestre de 2019, o longa será distribuído pela Vitrine Filmes.

Sinopse:
Rio de Janeiro, 2016. O verão mais quente da história. A cidade está se preparando para os Jogos Olímpicos. Ana, uma defensora pública de 32 anos, trabalha na defesa de uma comunidade ameaçada de remoção pelas obras do Parque Olímpico. Enquanto isso, misteriosas manchas roxas, similares a fungos, aparecem em seu corpo. Coisas estranhas começam a acontecer na cidade e no corpo de Ana. A temperatura sobe, criando uma atmosfera úmida e sufocante. O mormaço acumula, abrindo caminho para uma forte chuva.
FICHA TÉCNICA
Direção - Marina Meliande
Roteiro - Felipe Bragança e Marina Meliande
Produção - Leonardo Mecchi
Empresas Produtoras - Duas Mariola Filmes e Enquadramento Produções
Direção de Fotografia - Glauco Firpo
Som - Valéria Ferro
Direção de Arte - Dina Salem Levy
Figurino - Gabriela Campos
Maquiagem - Mari Figueiredo
Desenho de Som e Música Original – Edson Secco
Elenco - Marina Provenzzano, Pedro Gracindo, Diego de Abreu, Analu Prestes, Igor Angelkorte,
Sandra Souza, Jéssica Barbosa

SESSÕES DE MORMAÇO NO FESTIVAL:
06/11 (Terça) – 20h15 – Estação Net Gávea 1 e 2
07/11 (Quarta) – 18h30 – Estação Net Rio 3
08/11 (Quinta) – 19h00 – Cine Arte UFF 3

SOBRE A DIRETORA
Marina Meliande nasceu em 1980 no Rio de Janeiro, Brasil. Cineasta e montadora formada pela Universidade Federal Fluminense, dirigiu, em parceria com Felipe Bragança, alguns filmes exibidos em festivais internacionais: dois curtas, Por Dentro de uma Gota D’água e O Nome dele (o clóvis), além da Trilogia Coração no Fogo, composta pelos longas A Fuga da Mulher Gorila, lançado no Festival de Locarno 2009; A Alegria – lançado na Quinzena dos Realizadores, Festival de Cannes 2010; Desassossego, filme das maravilhas - filme coletivo, lançado no Festival de Roterdã em 2011. Nos anos de 2007 a 2009, Marina foi artista residente do Centro de Arte Contemporânea Le Fresnoy (França), onde realizou duas videoinstalações: Lettres au Vieux Monde e L’Image qui reste. Como montadora, trabalhou em mais de 40 filmes, entre eles, Girimunho e Histórias que só existem quando lembradas. Atualmente, lança seu primeiro longa-metragem solo Mormaço, com o apoio da Résidence da Cinefondation, promovida pelo Festival de Cannes, e do Hubert Bals Fund, do Festival de Roterdã.


SOBRE AS PRODUTORAS
DUAS MARIOLA
DUAS MARIOLA é uma produtora cooperativa carioca formada em 2006 por seis realizadores de cinema. Sediada no Rio de Janeiro, é formada por cineastas premiados em festivais nacionais e internacionais e pretende se tornar um pequeno pólo de reunião e realização cinematográfica, estando aberta a colaborar com outros realizadores e produtores em busca de alternativas criativas ao modelo de produção do audiovisual no Brasil, assim como de propostas cuja ousadia parta de um mesmo ponto em comum e irrevogável: o entusiasmo pelos filmes e pelo cinema.
Nos últimos anos se dedicou à produção de Mostras Cinematográficas e à produção de filmes. Realizou ou co-realizou alguns longas metragens com grande repercussão internacional, entre eles: No Meu Lugar, coprodução com a VideoFilmes, com direção de Eduardo Valente, com estreia na Seleção Oficial do Festival de Cannes 2009; A fuga da Mulher Gorila, direção de Felipe Bragança e Marina Meliande, com estreia no Festival de Locarno 2009; A Alegria, direção de Felipe Bragança e Marina Meliande, com estreia na Quinzena dos Realizadores, no Festival de Cannes 2010; Desassossego, filme de direção coletiva, com estreia no Festival de Rotterdam em 2011. Todos os longas citados tiveram ampla participação em importantes Festivais Brasileiros e tiveram distribuição em salas comerciais.  Além dos longa- metragens, a Duas Mariola também produziu cerca de dez curtas-metragens com presença em festivais como CANNES, VENEZA e OBERHAUSEN, entre outros.
A DUAS MARIOLA pretende ainda contribuir cotidianamente para a maior visibilidade do audiovisual brasileiro, assim como na diversificação do universo cinéfilo do país e, para isso, se dedica também à realização de mostras, festivais e ciclos de debates sobre cinema e audiovisual.

ENQUADRAMENTO PRODUÇÕES
Enquadramento Produções é uma produtora brasileira de filmes independentes, com sede em São Paulo, focada no desenvolvimento e produção de projetos culturais e cinematográficos, principalmente primeiro e segundo longas-metragens de cineastas promissores. Entre suas produções estão trabalhos selecionados para importantes festivais nacionais e internacionais, como Cannes, Roterdã, Viennale, FidMarseille, BAFICI, Tiradentes e Gramado.

Entre as produções atuais estão o recém-lançado Los Silencios, de Beatriz Seigner (Festival de Cannes - Quinzena do Diretor, uma coprodução Brasil-França-Colômbia) e Mormaço, de Marina Meliande (Festival de Roterdã e Toulouse); A Morte Habita à Noite, de Eduardo Morotó (em pós-produção, Cinéma en Développement); e A Febre, de Maya Da-Rin (atualmente em produção, coprodução Brasil-França-Alemanha que participou do TFL's Script & Pitch e FrameWork, e contou com apoios do Aide aux Cinémas du Monde, World Cinema Fund, Hubert Bals Fund e TFL’s Coproduction Award).

Seu sócio majoritário, Leonardo Mecchi, trabalhou nos últimos 10 anos como produtor de longas-metragens como Obra, de Gregório Graziosi (Roma, Toronto e Prêmio da Crítica no Festival do Rio); Super Nada, de Rubens Rewald (Melhor Filme no Festival do Rio e Melhor Ator no Festival de Gramado); e Quebradeiras, de Evaldo Mocarzel (Melhor Documentário do Festival de Toulouse e Melhor Diretor, Diretor de Fotografia e Som no Festival de Brasília). Atua também como curador, júri e produtor de mostras e festivais. É também produtor associado do documentário O Processo, de Maria Augusta Ramos (Festival de Berlim 2018).

SOBRE A VITRINE FILMES
Em oito anos, a Vitrine Filmes distribuiu mais de 120 filmes. Entre seus maiores sucessos estão "Aquarius" e "O Som ao Redor", de Kleber Mendonça Filho, "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", de Daniel Ribeiro e o americano "Frances Ha", dirigido por Noah Baumbach, indicado ao Globo de Ouro em 2014.
Em 2017, a Vitrine lançou "O Filme da Minha Vida", terceiro longa como diretor de Selton Mello, e "Divinas Divas", dirigido por Leandra Leal, o documentário mais visto no ano.
Alguns dos mais importantes lançamentos deste ano da Vitrine foram "Paraíso Perdido", de Monique Gardenberg, "O Processo", de Maria Augusta Ramos, que está entre os 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional e "Benzinho", dirigido por Gustavo Pizzi e protagonizado por Karine Teles, exibido no Festival de Sundance.

VITRINE FILMES NO FESTIVAL DO RIO 2018
Títulos da distribuidora a serem exibidos no Festival: A Nossa Espera, Vermelho Sol, Excelentíssimos, Los Silencios, Diamantino, Sueño Florianópolis, Mormaço e Tinta Bruta.


Nenhum comentário

Postar um comentário