Novidades

[News]A recém-descoberta gravação ao vivo da obra de arte de John Coltrane, " A Love Supreme", gravada em Seattle, em 1965, agora está disponível via Impulse" Records/Ume

A RECÉM-DESCOBERTA GRAVAÇÃO AO VIVO DA OBRA DE ARTE DE JOHN COLTRANE, “A LOVE SUPREME”, GRAVADA EM SEATTLE, EM 1965, AGORA ESTÁ DISPONÍVEL VIA IMPULSE! RECORDS/UMe

 

OS RENOMADOS MÚSICOS BRANFORD MARSALIS E BRANDEE YOUNGER JUNTARAM-SE A NATE CHINEN, DIRETOR DA WBGO, PARA DISCUTIR SOBRE ESTA IMPORTANTE DESCOBERTA E O LEGADO PERENE DE “A LOVE SUPREME” 

 

 



Ouça e baixe aqui: https://umusicbrazil.lnk.to/ALoveSupremeLiveInSeattlePR

 

 

A LOVE SUPREME: LIVE IN SEATTLE” VÊM RECEBENDO EXCELENTES CRÍTICAS EM TODO O MUNDO, DO THE NEW YORK TIMES, THE GUARDIAN, ROLLING STONES. UNCUT, BUSCADERO, THE ATLANTIC E MUITOS OUTROS

 

"Seu lançamento é um evento tão significativo em termos da história do jazz quanto qualquer joia de arquivo descoberta na última década ou mais" –

NPR Morning Edition

 

"É uma descoberta marcante. Ao longo dos 75 minutos prolongados da suíte, experimentamos mais lados de Coltrane do que em alguns álbuns importantes de seu catálogo" - The New York Times

 

"É um arquivo de ouro do jazz, com uma visão ampla e edificante sobre a obra-prima de Coltrane" 10/10 – Uncut

 

"A versão de estúdio será sempre definitiva, mas há algo mágico e quase transgressivo em ouvir o poder de um septeto solto e agitado através dos quatro movimentos deste trabalho agora canônico" ★★★★★ - Rolling Stone

 

"Este é um documento único de uma banda histórica" ★★★★ - The Guardian, Álbum de Jazz do Mês

 

"...dilata o tempo e a dimensão mística para celebrar a grandeza do cosmos".

★★★★★★ - Buscadero

 

"...obriga a uma nova compreensão de uma das mais importantes e conhecidas composições de jazz de todos os tempos" – The Atlantic

 

"...esta maravilha captura um momento mágico na história" ★★★★★ Hi-Fi Choice

 

"A música, é preciso dizer, é nada menos que gloriosa" ★★★★★★ - UK Vibe

 

 

"uma fatia selvagem e extasiante da história do jazz" - The Telegraph

 

 

Depois de quase seis décadas, uma gravação privada de uma rara apresentação de John Coltrane em uma casa noturna de sua obra prima - magnum opus -, “A Love Supreme”, está agora disponível via Impulse! Records/UMe. Gravada no final de 1965, na noite culminante de uma histórica semana no The Penthouse, em Seattle, “A Love Supreme: Live In Seattle é uma revelação musical de importância histórica, capturando Coltrane quando ele começou a expandir seu clássico quarteto - adicionando Pharoah Sanders no segundo saxofone e Donald Garrett no segundo baixo - e catapultando-o para a intensa e espiritualmente focada fase final de sua carreira. O álbum já está disponível para streaming, download e para compra em CD, vinil e LP duplo aqui: https://JohnColtrane.lnk.to/LiveInSeattlePR .

 

Um visualizer para a hipnotizante composição de abertura, "A Love Supreme, Pt 1 - Acknowledgement,” que vê o septeto estender por quase três vezes a duração da versão do álbum, está disponível hoje junto com o visualizador do álbum mais recente, "A Love Supreme, Parte IV - Psalm", lançado no mês passado. Assista aos visualizers aqui:  https://JohnColtrane.lnk.to/ALSPIV.

 

Ontem, a NPR Music reuniu Nate Chinen, da WBGO, músicos renomados, o saxofonista Branford Marsalis e a harpista Brandee Younger, juntamente com fãs ao redor do mundo, para debater o álbum em uma envolvente conversa ao vivo como parte de sua série Listening Party. O debate está disponível para visualização aqui:  https://www.youtube.com/watch?v=TJeXI542YUI .

 

Aclamado pelo New York Times como "uma descoberta marcante" e "um evento tão significativo em termos da história do jazz como qualquer joia de arquivo descoberta na última década ou mais" pela NPR's Morning Edition, A Love Supreme: Live In Seattle recebeu críticas estelares por todo o mundo com a Uncut concedendo ao álbum um 10 perfeito e chamando-o de "ouro de jazz arquivado... uma versão ampla e edificante da obra-prima de Coltrane", e o britânico The Guardian e o italiano Buscadero concederam ao álbum cinco estrelas. Enquanto isso, The Atlantic exclamou enfaticamente que "obriga um novo entendimento de uma das composições de jazz mais importantes e conhecidas de todos os tempos".

  

O significado de “A Love Supreme: Live In Seattle é acentuado pelo fato de que Coltrane raramente executou sua suíte de quatro partes depois de tê-la gravado originalmente no estúdio, em 1964. Composta e criada como uma declaração pública de suas crenças espirituais pessoais e sentimento universalista, tornou-se um best-seller e recebeu um GRAMMY no ano seguinte. Por mais de seis décadas, parecia que a única apresentação pública gravada de “A Love Supreme” aconteceu em um festival francês em Juan-Les-Pains, em julho de 1965, e foi lançada há quase 20 anos. As fitas contendo esta performance de outubro de 1965 estavam na coleção privada do saxofonista e educador Joe Brazil, de Seattle, e foram ouvidas por alguns músicos e amigos afortunados - e em grande parte era desconhecida até agora.

 

A Love Supreme: Live In Seattle é uma apresentação fascinante e rara da suíte completa, marcada por uma abordagem mais solta e improvisada e um senso de participação comunitária - muito parecido com um culto à igreja dominical; a formação contou com John Coltrane e Pharoah Sanders nos saxofones, McCoy Tyner no piano, Elvin Jones na bateria, e Jimmy Garrison e Donald (Rafael) Garrett nos baixos. Carlos Ward, então um jovem saxofonista que estava começando sua carreira musical, também participou do show.

 

Como o historiador de música Ashley Kahn coloca no encarte, “A Love Supreme: Live In Seattle "oferece a primeira evidência do mestre da expressão espiritual executando seu trabalho de assinatura nos confins de um clube de jazz... em 2 de outubro de 1965, um sábado, em Seattle, onde os elementos necessários estavam em alinhamento: música, músicos, local, um espírito de conexão, uma certa carga política. Coltrane optou por executá-lo, e significativamente, o momento foi gravado".

 

As extensas notas de Kahn contam a história de “A Love Supreme: Live In Seattle não apenas através das palavras dos próprios músicos, mas também através de uma série de testemunhas cujas vidas foram mudadas pela visita de Coltrane a Seattle, em 1965 (sua única visita à cidade como líder da banda), incluindo Brazil, Ward e o baixista David Friesen, que afirma: "Sempre persegui o aspecto espiritual da música e ainda o faço. Lembro-me de estar sentado com Coltrane durante um intervalo naquela semana e o que me tocou foi a maneira como ele tratava as outras pessoas. Ele demonstrou misericórdia e bondade para com as pessoas ao meu redor pelo que pude ver, durante a semana em que eu estive lá".

 

 A música de “A Love Supreme: Live In Seattle  foi gravada com uma configuração de dois microfones no palco, conectada a uma máquina de bobina Ampex. As únicas cópias das fitas foram bem cuidadas, rendendo uma gravação notavelmente clara e sem distorções. "O que é notável é que as fitas desta época muitas vezes sofrem ao longo dos anos devido a danos causados pelo calor ou umidade, ou simplesmente sendo empilhadas horizontalmente", escreve o engenheiro Kevin Reeves, que restaurou e masterizou este lançamento. "Entretanto, estas fitas estão em excelentes condições e os resultados estão entre as melhores gravações amadoras de John Coltrane em que tivemos o prazer de trabalhar".

 

A história da suíte “A Love Supreme” é a história de John Coltrane - sua jornada musical e seu caminho espiritual. Tornou-se uma das gravações mais célebres e influentes a sair do cânone do jazz, reverenciada e estudada por músicos muito além do reino do jazz. A revista Rolling Stone a lista constantemente entre os melhores álbuns de todos os tempos. "De suas muitas criações musicais, Coltrane olhou para ‘A Love Supreme’ de uma forma muito especial", observa Kahn em suas notas para “A Love Supreme: Live In Seattle. "Ele chamou ‘A Love Supreme’ de uma humilde oferenda ao Divino; nenhuma outra composição ou gravação foi oferecida de forma semelhante, nem ele anexou sua assinatura a qualquer outra obra. ‘A Love Supreme’ era tanto um testamento individual quanto uma declaração pública - um sermão de crença universalista". “A Love Supreme: Live In Seattle agora expande a história tanto de um grande músico como de uma peça musical atemporal.

 

Tracklisting “A Love Supreme: Live In Seattle”:

 

  1. A Love Supreme, Pt. 1 – Acknowledgement
  2. Interlude 1
  3. A Love Supreme, Pt. II – Resolution
  4. Interlude 2
  5. A Love Supreme, Pt. III – Pursuance
  6. Interlude 3
  7. Interlude 4
  8. A Love Supreme, Pt. IV – Psalm

 

Gravado por Joe Brazil no The Penthouse, Seattle WA

Restaurado e Masterizado por Kevin Reeves no East Iris Studios, Nashville, TN

Nenhum comentário