Novidades

[Divulgação] Faro Editorial lança suspense que mergulha no universo hacker brasileiro

 

Era para ser apenas uma diversão de um grupo de amigos bancando de justiceiros da internet. Só queriam derrubar sites criminosos, mas então conheceram Smoke, um misterioso hacker que os levou a um nível de conhecimento inimaginável. Ele pertencia a uma organização especializada em alcançar corruptos que escapavam da justiça e faziam isso, pegando de volta tudo aquilo que roubavam do país. Embora estivessem acostumados a combater o crime com outros crimes, numa disputa sem regras, dessa vez atingiram algo grande e esse inimigo vai reagir violentamente.

A Faro Editorial lança este mês o livro de estreia do autor nacional Laudelino de Oliveira Lima, “Submundo Hacker”, um thriller sobre o universo sombrio da tecnologia que nos cerca e que muitas vezes é capaz de derrubar os maiores esquemas de corrupção e escândalos escondidos sob o véu da impunidade e do dinheiro.

Um grupo de jovens orientados por um misterioso hacker invade a empresa de um doleiro, apenas para conseguir uma simples senha, mas o que eles não imaginavam é que estavam entregando informações bancárias que revelavam atividades criminosas, enraizadas em diversos setores da política e economia do país, à uma poderosa organização chamada Base, um grupo especializado em atacar pessoas que não são alcançadas pela justiça porque fazem parte do Systema — a grande hidra que opera nas sombras brasileiras há muitas décadas.

Em meio a uma ampla investigação que pode levar ao extermínio das duas organizações, a Polícia Federal consegue prender os jovens hackers, tirando-os do anonimato e colocando-os na mira de políticos, traficantes e até um ex-agente da Stasi. Uma história sobre a eterna tentativa humana de tentar fazer a coisa certa. Mas quem está preparado para arcar com as consequências?

Ficha Técnica

Título: Submundo Hacker

Nº de páginas: 288

Preço: R$54,90

Sobre o autor

LAUDELINO DE OLIVEIRA LIMA, carioca do subúrbio, da roça e das praias. Foi moleque nas artes das pipas, peões, futebol e bola de gude. Morando por um tempo em Cabo Frio, descobriu o mar, as pescarias, o surf e as namoradas. Foi lá que no verão de 1987, com o pé sujo, cabelo oxigenado e a pele queimada, seu pai falou sobre sua matrícula e o desafio de encarar o tal curso de informática. Fez todos os seus estágios na área e entrou na faculdade em 1990, assim como no Exército. Quase morreu, mas se tornou um oficial cavalariano. Voltou para os computadores. Passou por algumas universidades e conheceu o submundo Linux. Ainda trabalha com TI, estuda filosofia e acompanha de perto a política do nosso país. É historiador amador, barista e, agora, escritor com o seu primeiro livro. Outros estão a caminho.






Um comentário: