Novidades

[Crítica]Aceleração Máxima

 

Sinopse:

Vladik Zorich, um senhor do crime cujos tentáculos se espalham pelo submundo de uma Los Angeles decadente, negocia armas, jogos de azar, drogas e tráfico, é traído por sua agente de maior confiança, Rhona Zyocki. Vladik e sua sede de poder, controle e violência decide sequestrar o filho de Rhona, forçando a moça a participar de uma série de assassinatos dos inimigos do criminoso. Enquanto a vida de seu filho está em jogo, Rhona luta para realizar todas as tarefas que Zorich lhe deu, tudo em uma noite fatídica. No entanto, Vladik subestima o poder do amor de uma mãe e se vê perdendo o controle enquanto seu plano tortuoso se desfaz lentamente.




        

 O quê eu achei?

Pela sinopse esse filme me pareceu ser apenas mais uma ação genérica envolvendo a máfia russa mas se revelou ser um pouco mais.

Rhona (Natalie Burn,de Os Mercenários 3)é uma ex-membro da máfia russa cujo filho é sequestrado pelo líder Vladik (Dolph Lundgren,dispensa apresentações)que começa a trabalhar em Los Angeles.Para que ela tenha seu filho de volta,ela terá que cumprir algumas tarefas como eliminar alguns obstáculos.

Tem boas cenas de tiro e de luta mas ao contrário do que o título sugere,não há nenhuma cena de perseguição em alta velocidade.O plot twist no final pode até ser previsível para espectadores mais experientes mas ainda é uma experiência razoável de entretenimeno.


                           Trailer:





Nenhum comentário