Novidades

[News]Nanda Garcia lança “Te Ver”, do Skank, em ritmo de bossa nova

 Nanda Garcia lança “Te Ver”, do Skank, em ritmo de bossa nova

Música e clipe estarão disponíveis a partir da próxima sexta, dia 3

 

 

Depois de homenagear Marisa Monte com “Amor I Love You, ao lado de Carlinhos Brown, Nanda Garcia interpreta “Te Ver”, do Skank, com arranjo inspirado na bossa nova e produzido por Alexandre Castilho.

“A ideia da gravação veio do próprio Castilho! Nós adoramos o Skank e ele acompanhou a trajetória deles mais de perto, pois quando eles estavam no auge, na década de 90, eu ainda era uma criança. Mas eu me interessei por eles na minha fase adulta. E sempre adorei esta canção! Com o novo arranjo, me encantei ainda mais!”, conta Nanda.

Segundo Castilho, a programação eletrônica presente na música foi para dar um ar mais moderno ao clima de bossa nova. “O motivo de fazer ‘Te Ver’ em bossa nova foi pela letra ser leve, simples e romântica como as da bossa nova. E o tipo de harmonia para manter a atmosfera desse gênero musical com acordes maiores”.

Esta é a segunda vez que Nanda se aventura na bossa nova. Em julho, a artista lançou a autoral “Olha eu te amo”. A relação da artista com o ritmo é muito afetiva porque ela cresceu ao som de Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Toquinho e Carlos Lyra, artistas preferidos de sua mãe e que frequentemente ouvia na voz de Rogéria. “Com isso também aprendi a admirar!".

Recentemente, Nanda junto com seu parceiro Carlinhos Brown, lançou dois trabalhos homenageando Marisa Monte e Cazuza. O primeiro foi “Amor I Love You” repaginada 20 anos após o lançamento da canção original. E o segundo veio com um poema de Cazuza – “Festa de São João” – musicado e disponível em NFT com os direitos revertidos para a caridade.


Link para o Pré-Save: https://ingroov.es/te-ver


Link para o Clipe: https://youtu.be/bAyjbQOVDk8




“TE VER”

Te ver e não te querer
É improvável, é impossível
Te ter e ter que esquecer
É insuportável, é dor incrível

É como mergulhar no rio e não se molhar
É como não morrer de frio no gelo polar
É ter o estômago vazio e não almoçar
É ver o céu se abrir no estio e não se animar

Te ver e não te querer
É improvável, é impossível
Te ter e ter que esquecer
É insuportável, é dor incrível

É como não sentir calor em Cuiabá
Ou como ir no  Arpoador e não ver o mar
É como não morrer de raiva com a política
Ignorar que a tarde vai vadia e mítica
É como ver televisão e não dormir
Ver um bichano pelo chão e não sorrir
É como não provar o néctar de um lindo amor
Depois que o coração detecta a mais fina flor

Te ver e não te querer
É improvável, é impossível
Te ter e ter que esquecer
É insuportável, é dor incrível
Te ver e não te querer
É improvável, é impossível
Te ter e ter que esquecer
É insuportável, é dor incrível

Ficha Técnica:


Bateria - Sérgio Melo 
Baixo - Arthur de Palla 
Piano - Alexandre Castiho 
Programação - Alexandre Castilho 
Percussão - Dadá Costa 
Violão - Tavinho Menezes 
Arranjo de cordas Eduardo Faria 
Violino - Ricardo Amado
Violino – Carlos Mendes
Viola – Ricardo Taboada
Violoncelo – Ricardo Santoro
Arranjo e Produção Musical - Alexandre Castilho 
Mixagem Tercio Marques

Nenhum comentário