Novidades

[News] Prot{agô}nistas faz duas últimas exibições de documentário cênico online

 Prot{agô}nistas faz duas últimas exibições de documentário cênico online

 

Documentário registra cenas e depoimentos dos artistas participantes do espetáculo que circulou em 2019 por espaços culturais paulistanos como o Theatro Municipal, Sesc Pompeia e Galeria Olido
 

 

https://lh4.googleusercontent.com/qJpvHbzLXVySdnq0sasEoNXfYfSJi3sDaM5sVFLilphqPycEs5iyQt9mxxvfbtGsr4YUwCXRLe5bnUYn2JJvERdyLoWlnPiPHC4wY_BiaxquNEpoAe72zbsnLmGBcA


Figura 1: Prot{agô}nistas - Foto de Mariana Ser

 

Mais fotos AQUI

 

O documentário artístico Estar Vivo é Nossa Maior Resistência, que traz cenas do espetáculo Prot{agô}nistas e depoimentos dos artistas participantes da obra circense, será veiculado no dia 17/07, sábado, às 19h, pelo Facebook do CCJ Cachoeirinha e no dia 18/7, domingo, 19h, pelo Facebook CCN Jabaquara.

 

A ação faz parte do projeto CIRCULAÇÃO PROT{AGÔ}NISTAS – Circulação e Conversa, apoiado pelo 1º Fomento à Cultura Negra da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo e tem direção/idealização de Ricardo Rodrigues.

 

_____________________________________________________________

Documentário artístico Estar Vivo é Nossa Maior Resistência
 

Criado para a abertura do Festival Internacional de Circo (FIC 2019) e apresentado no Theatro Municipal e São Paulo, o espetáculo Prot{agô}nistas reúne 25 artistas pretos da música, teatro, circo e dança com o objetivo de trazer para a cena a contemporaneidade desses diferentes pensamentos artísticos, estéticos e políticos. A peça, criada como uma celebração à produção negra paulistana, circulou em alguns espaços de São Paulo, como o Sesc Pompeia e Galeria Olido, antes de ser interrompida devido à pandemia do novo coronavírus.
 

Enquanto aguarda por um momento oportuno para retomar as sessões presenciais, o idealizador e diretor da obra, Ricardo Rodrigues, junto com os parceiros de núcleo Renato Ribeiro, Mariana Per e Washington Gabriel, apresentam agora um formato diferenciado que instiga o público a voltar quando a temporada estiver nos teatros físicos. Trata-se do documentário artístico Estar Vivo é Nossa Maior Resistência, que reúne trechos de Prot{agô}nistas e depoimentos dos artistas que participaram da obra. 
 

Segundo Ricardo, a obra ressalta a potência da produção artística preta da cidade. O artista conta que escolheu e convidou por conta própria cada um dos 25 artistas que compõem a obra. "Alguns são artistas independentes, outros já fazem parte de grupos e coletivos. Eu os conhecia tanto da minha relação pessoal quanto como espectador. Convidar pessoas a integrar um trabalho com assuntos tão inerentes ao seu próprio ofício e trajetória foi muito potente. Cada 'sim' merece uma história", diz Ricardo Rodrigues.

Nos documentários, as cenas de Prot{agô}nistas são oriundas tanto dos registros em vídeo feito das apresentações presenciais do trabalho quanto de trechos gravados por alguns dos artistas especialmente para o documentário. "A proposta dessa obra é que todos os integrantes tenham protagonismo, então nossa edição documental privilegia a qualidade técnica dos registros que já tínhamos e dos que foram feitos durante a pandemia, com todos cuidados e com equipe reduzida", diz Ricardo.

As cenas da obra se misturam aos depoimentos de alguns dos artistas que integraram o elenco do espetáculo. A edição propõe que o assunto abordado com os artistas entrevistados se conecte com a cena artística que será exibida na sequência. Alguns dos assuntos destacados nos depoimentos são os desafios e problemas sociais graves a que a população preta ainda está exposta, como a solidão, o genocídio preto e também sobre um levante por meio de uma nova perspectiva de futuro e a articulação conjunta, a organização e o aquilombamento em tempos tão difíceis.

"Em cada cena do espetáculo, um dos artistas tem seu protagonismo. Essa perspectiva ainda faz parte do documentário artístico, mas é também uma espécie de complemento ao trabalho cênico, um aviso ao público sobre o que ele vai encontrar quando vier nos assistir ao vivo", adianta Ricardo. 


Sobre Ricardo Rodrigues

Ator, Diretor e Circense. Fundador da Cia Solas de Vento, que desde 2007 experimenta a linguagem teatral aliada às técnicas de circo, dança e audiovisual. Idealizador do coletivo Prot{agô}nistas, que estimula a produção de arte contemporânea de seu aquilombamento de artistas.

Realizou parcerias com Circo Zanni, Cia Baião de Dois, Cia Armárias, Núcleo enxame de Circo, Cia Diálogos Acrobáticos, Cia Linhas Aéreas, Núcleo Artérias de Dança, Duo Éos, Circo Fractais, Trupe Koskovsky, Acrobático Fratelli, Circo Mínimo, Circo Vox, Circo Nosotros, Central do Circo e foi artista selecionado pelo Cirque du Soleil como ”Acrobata Aéreo” e “Ator Físico”.

Atualmente é docente da cadeira de Humor na SP Escola de Teatro e está em cartaz no teatro do CCBB com o repertório da Cia Solas de Vento para o público infanto juvenil.


Programação - Serviço

Dia 17/07, sábado, às 19h- CCJ Cachoeirinha

Dia 18/07, domingo, às 19h - CCN Jabaquara

Nenhum comentário