Novidades

[News] A arquitetura e o papel social das janelas ganham destaque em live da Japan House São Paulo

 

São Paulo, julho de 2021 – A Japan House São Paulo exalta a importância das janelas na cultura e arquitetura japonesa em uma live especial com o curador da exposição “WINDOWOLOGY: Estudo de janelas no Japão”, Taro Igarashi, no dia 14 de julho, às 19h, no canal do YouTube da instituição nipônica. A JHSPLive: Janelas do Japão será mediada por Natasha Barzaghi Geenen, diretora cultural da instituição e inclui também um bate-papo com a participação de Jérémie Souteyrat, fotógrafo francês que tem parte de sua obra "tokyo no ie" (Casas de Tóquio) presente na mostra.

A live ressaltará as possíveis leituras sobre o papel das janelas no mundo, como objetos culturais que relatam as diferentes visões e perspectivas sobre o que se vive hoje. Destaque para o conceito de Windowology, que para o curador da exposição, além de seu valor histórico e arquitetônico, as janelas desempenham papel sem igual durante uma crise, por permitirem que as pessoas possam compartilhar esperança e gratidão por meio delas. “As janelas sempre evocaram comportamentos específicos em pessoas de diferentes regiões e culturas – e essa diversidade pode ser reconhecida ainda hoje, em meio à pandemia”, afirma dando exemplos como “Ir até a varanda cantar ópera para os vizinhos, mandar mensagens de agradecimento aos profissionais de saúde e passar objetos pela janela para garantir o distanciamento social”.

Em cartaz no segundo andar da instituição até 22 de agosto, a exposição “WINDOWOLOGY: Estudo de janelas no Japão” explora a janela por meio de desenhos técnicos, maquetes, fotos, vídeos, mangás (quadrinhos japoneses) e obras literárias, que buscam mostrar aos visitantes as janelas como um dos componentes mais fascinantes da arquitetura e do dia a dia de. Para isso, apresenta seus diferentes tipos e movimentos, como sua posição contribui para a qualidade de certos ambientes e também como foi representada em histórias, assim como revela sua potência, capaz de conectar o externo e o interno, permitir entrada de luz e ar nos ambientes, proteger do frio e da chuva e fazer com que seja possível observar o outro, a natureza e o movimento das cidades e das pessoas.

Sobre Igarashi Taro

Nascido em 1967, é historiador e crítico de arquitetura. Atualmente é professor da Universidade de Tohoku, no Japão. Em 1992 recebeu o título de PhD em Engenharia pela Universidade de Tóquio. Foi diretor artístico da Trienal de Aichi de 2013 e curador do Pavilhão Japonês na 11ª Bienal Internacional de Arquitetura de Veneza. Foi curador das exposições "Impossible Architecture" (Arquitetura Impossível), "The Window: a journey of art and architeture through windows"(A Janela: uma jornada da arte e arquitetura através das janelas), "Sōshoku wo himotoku - Nihonbashi no kenchiku saihakken" (Lendo os ornamentos: arquitetura e redescobertas de Nihobashi). Possui premiações, como o 64º Prêmio New Face do Ministério Japonês da Educação e Belas Artes e o Prêmio da Associação de Arquitetos do Japão em 2018, por sua contribuição no campo educacional. É autor de diversas publicações como "Kenchiku no Tokyo"(Tóquio da Arquitetura), "Modanizumu hokai go no kenchiku - 1968 nen ikō no tenkai to shisō"(Arquitetura pós ruína do Modernismo – reviravoltas e pensamento pós 1968).

Sobre Jérémie Souteyrat

Cinegrafista e fotógrafo, nascido em Lyon, França, atualmente reside em Londres. Depois de se formar como engenheiro em 2001, entrou no mundo da fotografia fazendo suas primeiras fotos de viagens. Em 2009, decidiu dedicar seu tempo à sua nova paixão enquanto descobria uma nova cultura, se mudando para Tóquio. No Japão, trabalhou para alguns dos jornais e revistas de maior prestígio (The New York Times, The Guardian, Le Monde, Elle, Der Spiegel, etc.), além de clientes corporativos e arquitetos. Em 2014, publicou sua primeira monografia 'tokyo no ie' (Casas de Tóquio), um livro sobre as casas contemporâneas de Tóquio vistas de um ponto de vista documental e filmou uma série de filmes sobre as casas contemporâneas no Japão para uma exibição em turnê mundial: "Japan, Archipelago of Houses" (Japão, Arquipélago de Casas).

JHSPLive: Janelas do Japão

Quando: 14 de julho, às 19h

Onde: Canal do YouTube da Japan House São Paulo

Link Português: https://youtu.be/Tea4KaQP58Q

Link Japonês:https://youtu.be/hEqrLm34tE8

Exposição “WINDOWOLOGY:Estudo de janelas no Japão”

De 29 de junho a 22 de agosto

Segundo andar

Entrada gratuita

Reserva online antecipada (opcional): https://agendamento.japanhousesp.com.br/

A exposição conta com recurso de acessibilidade

Acompanhe a JAPAN HOUSE São Paulo nas redes sociais:    

Site: https://www.japanhousesp.com.br   

Instagram: https://www.instagram.com/japanhousesp     

Twitter: https://www.twitter.com/japanhousesp   

YouTube: https://www.youtube.com/japanhousesp   

Facebook: https://www.facebook.com/japanhousesp   

LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/japanhousesp   


Japan House São Paulo – Avenida Paulista, 52


Horário de funcionamento:


Terça-feira a Domingo, das 11h às 16h


Entrada gratuita


※Devido ao coronavírus, estamos funcionando com capacidade reduzida. Para mais informações, acesse o site da Japan House São Paulo.


Sobre a Japan House São Paulo (JHSP):


A Japan House é uma iniciativa com a finalidade de divulgar os diversos atrativos, atividades e medidas governamentais do Japão, ampliando o conhecimento de toda a comunidade internacional referente a cultura japonesa. Inaugurada em 30 de abril de 2017, a Japan House São Paulo foi a primeira a abrir as portas, seguida por Londres (Inglaterra) e Los Angeles (EUA). Atua como plataforma pública na geração de oportunidades de cooperação e intercâmbio entre o Japão e o Brasil, nas mais diversas áreas como artes, negócios, esportes, design, moda, gastronomia, educação, turismo, ciência e tecnologia. Apresentando o Japão, promove exposições, seminários, workshops e inúmeras outras atividades em sua sede, em outros espaços e digitalmente. Em fevereiro de 2020, a Japan House São Paulo alcançou a marca de 2 milhões de visitantes, sendo considerada uma das principais instituições culturais da Avenida Paulista. Desde abril de 2020, a instituição possui a Certificação LEED na categoria Platinum - o mais alto nível de reconhecimento do programa - concedida a edificações sustentáveis.




Nenhum comentário