Novidades

[News] A história do Gulag, o sistema de campos de trabalho forçado da URSS, é dissecada em documentário

 

O horror por trás do Gulag, um sistema de campos de trabalhos forçados dentro da antiga União Soviética, dedicados a aprisionar e a punir todos os que fossem considerados ameaças para o regime, é contado no documentário “Gulag, a história dos campos de concentração soviéticos”, na programação do Curta!. Dirigido por Patrick Rotman, Nicolas Werth e François Aymé, o filme é uma produção da ARTE France e Kuiv-Michel Rotman, dividida em dois episódios, que se baseia em imagens históricas e em depoimentos de ex-prisioneiros, recolhidos entre 1988 e 2014.

Segundo o documentário, um em cada seis adultos soviéticos foi levado ao Gulag. Eram inimigos do regime, anarquistas, criminosos comuns, religiosos, prisioneiros de guerra — sobretudo com o avanço das tropas soviéticas e com a conquista de territórios durante a Segunda Guerra Mundial — e até cidadãos repatriados. Apenas depois da morte de Stalin, o fim do Gulag passa a ser uma realidade, principalmente após a revogação do artigo do código penal soviético, em 1958, que legitimava prisões políticas em massa. A exibição é na Sexta da Sociedade, 25 de junho, às 23h.

Segunda da Música (MPB, Jazz, Soul, R&B) – 21/06

22h30 – “Continuação” (Documentário)
A intimidade da criação do compositor brasileiro Lenine. As incertezas que a era dos downloads e do vinil trouxe para seu trabalho. A reunião de três gerações em torno de sua música. Um documentário sobre olhares, encontros, criação e tecnologia a serviço da paixão pela arte. Direção: Rodrigo Pinto. Duração: 71 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 22 de junho, terça-feira, às 02h30 e 16h30; 23 de junho, quarta-feira, às 10h30; 26 de junho, sábado, às 22h40; 27 de junho, domingo, às 14h20.


Terça das Artes - 22/06

23h – “As Aventuras da Arte Moderna” (Série) – Ep. “Paris, Capital do Mundo”
Ao sair do hospital, o poeta Guillaume Apollinaire descobre como é a vida em Paris durante a guerra. Em Montparnasse, artistas estrangeiros estão morrendo de fome. Soutine, o mais pobre entre os artistas russos, torna-se amigo de Modigliani. Em 1917, Apollinaire encena a sua peça "Les Mamelles de Tirésias" usando o subtítulo "drama surrealista". Nasce assim a palavra “surrealista”, moeda comum nos círculos de arte de todo o mundo. Um ano mais tarde, Apollinaire sucumbe à gripe espanhola e Modigliani morre em 24 de janeiro de 1920. O seu funeral, com a participação de todos os artistas de Montparnasse, dita o fim da era boêmia. Direção: Amélie Harrault e Pauline Gaillard. Duração: 52 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 23 de junho, quarta-feira, às 03h e às 17h; 24 de junho, quinta-feira, às 11h; 27 de junho, domingo, às 15h40;


Quarta de Cinema (Filmes e Documentários de Metacinema) – 23/06

22h – "Palavra Crítica” (Série) – Ep. “Luiz Zanin”
Luiz Zanin fala sobre sua relação com as salas de cinema, compartilha suas visões de mundo e conta sobre os aprendizados que a arte pode trazer para as nossas vidas. Segundo ele, para escrever uma boa crítica, é preciso utilizar toda a sua bagagem cultural anterior, livros que você leu, filmes que você viu e, claro, as experiências de vida que você teve.  Diretor: Tiago Leitão. Duração: 27 min. Classificação: Livre. Horários Alternativos: 24 de junho, quinta-feira, às 02h e 16h; 25 de junho, sexta-feira, às 10h; 26 de junho, sábado, às 21h10; 27 de junho, domingo, 10h.


Quinta do Pensamento (Literatura, Filosofia, Psicologia, Antropologia) – 24/06

20h30 - “Incertezas Críticas” (Série) – Ep. “Jonathan Crary”
Jonathan Crary é professor da Columbia University, em Nova York. Autor de diversos estudos, ele explica como, hoje, a economia exige que trabalhemos 24 horas por dia, 7 dias por semana. Jonathan Crary discorre ainda sobre o sonho americano, as origens históricas do poder destrutivo da economia atual e a internet. Diretor: Daniel Augusto. Duração: 26 min. Classificação: Livre. Horários Alternativos: 25 de junho, sexta-feira, às 0h30 e às 14h30; 28 de junho, segunda-feira, às 08h30.


Sexta da Sociedade (História Política, Sociologia e Meio Ambiente) – 25/06

23h – “Gulag, a história dos campos de concentração soviéticos” — “Parte 1: Origens e proliferação 1918-1938” (Documentário, dividido em dois capítulos)
Poucos meses depois da Revolução de Outubro, os bolcheviques criaram os primeiros campos de concentração para se livrar dos oponentes políticos e reeducar os chamados elementos antissociais por meio do trabalho. O primeiro experimento em grande escala foi o das Ilhas Solovki. Milhares de prisioneiros foram escravizados lá, em condições desumanas. Após a morte de Lênin, em 1922, Stalin tomou o poder e decretou a industrialização do país por meio de marchas forçadas e a coletivização da terra, o que desencadeou uma fome mortal. A GPU, polícia política do Partido Comunista, enviou centenas de milhares de russos aos campos para participar da construção do socialismo. O número de detidos no Gulag ultrapassou a marca de um milhão, em 1935. As execuções em massa e as prisões arbitrárias se aceleraram. Em janeiro de 1939, dois milhões de prisioneiros trabalhavam no Gulag. Diretores: François Aymé, Nicolas Werth e Patrick Rotman. Duração: 52 min. Classificação: 12 anos. Horários alternativos: 26 de junho, sábado, às 03h e às 13h30; 27 de junho, domingo, às 20h30; 28 de junho, segunda-feira, às 17h; 29 de junho, terça-feira, às 11h.

Sábado – 26/06

15h30 – “Glauber, Claro” (Documentário)
“Glauber, Claro” retraça, quase meio século depois, os passos do cineasta Glauber Rocha em Roma, na Itália, onde ele esteve exilado na década de 1970. Esse mosaico é formado por testemunhos de seus amigos e colaboradores e de visitas às locações romanas de seu penúltimo longa-metragem, “Claro” (1975). O documentário investiga a experiência de Glauber e de toda uma geração de artistas na Itália dos anos 70, abordando temas como os bastidores de “Claro” e a sua relevância histórica, o cinema underground, o Neorrealismo, o Cinema Novo e a militância política nas artes. O resultado é um inevitável paralelo entre a Itália do século XX e do mundo de hoje, entre a utopia dos anos setenta e a distopia atual. Diretor: César Meneghetti. Duração: 80 min. Classificação: 14 anos. Horários alternativos: 27 de junho, domingo, às 22h30.


Domingo – 27/06

21h30 – “A Revolução da Escola 1918 -1939” (Documentário)
Depois da Primeira Guerra Mundial, pensadores como Maria Montessori, Célestin Freinet, Ovide Decroly e Alexander S. Neill estavam promovendo uma revolução na educação, buscando formas de ensino centralizadas nas crianças. A ascensão do fascismo, porém, arrebatou suas iniciativas, afetando até hoje o método usado pelas escolas. Diretores: Joanna Grudzinska. Duração: 52 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 28 de junho, segunda-feira, às 10h50;


Sobre o Grupo Curta!

O Grupo Curta! tem como missão a difusão de conteúdos audiovisuais relevantes nas áreas de artes e humanidades, sejam brasileiros ou estrangeiros, através da TV linear (canal CURTA!), de plataformas de streaming de operadoras de telecom e da internet. A curadoria de conteúdos é, portanto, o motor central do grupo e foi uma das que mais aprovaram projetos originais para financiamento da produção pelo Fundo Setorial do Audiovisual: já foram mais de 120 longas documentais e 800 episódios de 60 séries que chegam ao público em primeira mão através de suas janelas de exibição:

O canal Curta!, linear, está presente nas residências de mais de 10 milhões de assinantes de TV paga e pode ser visto nos canais 556 da NET / Claro TV, 75 da Oi TV e 664 da Vivo Fibra, além de em operadoras associadas à NeoTV; 

O Curta!On, o novo clube de documentários do Curta!, no NOW da Claro/NET, conta com mais de 450 filmes e episódios de séries documentais, organizadas  por temas de interesse como Música, Artes, MetaCinema, Meio Ambiente e Sustentabilidade, Mitologia e Religião, Sociedade e Pensamento. Há também pastas especiais com novidades – que estreiam a cada mês –, conteúdos originais exclusivos, biografias, além de uma degustação para quem ainda não é assinante do serviço.

A Tamanduá TV, plataforma marketplace aberta para qualquer internauta, já reúne mais de quatro mil conteúdos. O usuário pode alugar filmes e séries específicos ou assinar de forma econômica um dos pacotes que contêm conteúdos segmentados por área de interesse: CineBR, CineDocs, CineEuro, CurtaEducação (para professores e estudantes do Ensino Médio e Enem), MetaCinema (para aficcionados e estudantes de Cinema), entre outros.  Os pacotes CineBR, CineDocs e CineEuro são disponibilizados desde 2018 como serviço de valor agregado (SVA) para perto de oito milhões de assinantes de banda larga fixa (ISP) da operadora Claro, sem custo adicional. 

As atividades do Grupo Curta! também promovem a geração de royalties para produtores audiovisuais independentes, com a exploração de seus direitos audiovisuais nas diferentes janelas de streaming. O pacotes Cines da Tamandua TV e do Curta!ON estão repassando anualmente mais de R$ 1,5 milhão de reais em royalties para os produtores dos conteúdos que difunde.




Nenhum comentário