Novidades

[News]Quanto ganha um famoso influenciador com publiposts para o Natal? Empresária Priscila Jaffé aponta que essa é uma das melhores épocas do ano

 

Em 2019, provavelmente nesta época do ano, os shoppings já estariam lotados por compradores eufóricos escolhendo seus presentes de Natal. Em 2020, o cenário é um pouco diferente. Ainda em meio a pandemia, o comércio digital ganhou força e naturalmente as divulgações online acompanharam o crescimento. Com o crescente impacto das mídias sociais no mercado, os ‘publiposts’ por si só já vem custando cada vez mais e de acordo com Priscila Jaffé, empresária responsável pela carreira de nomes como Carla Prata e Marina Ferrari, os preços se tornam inegociáveis no período de festas de fim de ano, devido a alta demanda.

“O Natal não é o melhor momento em si para os influenciadores. Dá um bom lucro, tem diversas campanhas, mas ainda perde para a Black Friday, que é uma semana inteira muito concorrida tanto em valores como em espaço na agenda. Já as campanhas de Natal acontecem durante um mês inteiro, porque apesar de ser uma data específica, os presentes já tem que estar comprados no dia. Por ser um período mais extenso, não existe muita mudança de preço. Cada influenciador segue a sua tabela, mas também não existe negociação para abaixar o valor como existiria ao longo do ano”, explica Priscila.

Qual a diferença da Black Friday para o Natal?

Diferente das recentes campanhas de Black Friday onde o foco era totalmente o lucro e as vendas, de acordo com a empresária as publicidades de Natal tem um enfoque mais especial e sentimental. “É tudo mais voltado para a comunicação entre a marca e o consumidor. É feito para a família”, afirma. “Empresas de eletrodomésticos por exemplo, os briefings são mais sobre receitinhas que você pode fazer para a sua família na ceia de natal. As agências de viagem levantam campanhas como ‘viaje com a sua família neste fim de ano’, sempre voltado para o emocional”.

Para Priscila, a principal diferença entre o Natal e a Black Friday é justamente esta. A Black Friday é para dar descontos, vender, performar. O Natal é sobre criar identificação entre público e marca.

Influenciadores com filhos saem na frente

Conforme dito, as festas de fim de ano se destacam por serem provavelmente as datas mais especiais do ano e a escolha dos influenciadores para parcerias reflete este fato. De acordo com Jaffé, é o momento para nomes mais fortes. “Acredito que influenciadores com engajamento mais alto e números expressivos conseguem fechar boas campanhas, mas é um momento com muito espaço para nomes, como artistas de televisão que não necessariamente têm uma grande performance, mas causam impacto”. Além disso, quem sai na frente são os influencers com filhos ou casamentos públicos. Devido a isso, Priscila destaca Virgínia, grávida do cantor Zé Felipe, como a grande aposta de Dezembro.

Diferente do que possa parecer, isso não significa que pequenos blogueiros não terão espaço e palpita que dá para fechar cerca de 15 parcerias para o mês de dezembro com campanhas voltadas exclusivamente ao Natal. “Chegam na minha empresa campanhas em que a marca queria divulgar com 40 influenciadores, por exemplo, e por isso não tinha tanta verba para fechar com gente grande. Eles preferiam os menores, mas muitos, do que maiores mas poucos”, conta a empresária, que frisa que depende da marca e do planejamento, que normalmente se concretiza entre a Black Friday e o dia 15 de dezembro

“Empresas, cujo o foco é a performance de vendas para o Natal, promove campanhas até o dia 15 de dezembro. Afinal, é preciso dar tempo das compras chegarem até o dia do Natal. As campanhas que são planejadas entre a Black Friday e o dia 15 são campanhas mais focadas no emocional e não em performance”, destaca ainda Jaffé.

Naturalmente o consumo já tende a aumentar nesta época do ano. Em tempos de pandemia, o mercado virtual está ainda mais aquecido, assim como as publicidades em mídias sociais. Entretanto, o peso do offline continua recaindo sobre os lucros. “Nada disso quer dizer que todo mundo esteja ganhando mais, porque as presenças em eventos, workshops, tudo dava um retorno financeiro muito bom para o influenciador. Houve sim uma compensação entre on e off, mas se os dois estivessem andando juntos, todo mundo estaríamos ganhando muito mais”, diz Priscila, mas concluindo que sim, 2020 serviu para aquecer o mercado virtual de forma acelerada. 

Sobre Priscila Jaffé

Inspirada por sua avó, que foi empresária de artistas da música clássica, Priscila Jaffé, CEO da Jaffé Produções, se torna atualmente referência no empresariamento artístico no Brasil, trabalhando tanto com influenciadores digitais quanto com marcas que buscam presença no mercado digital. Ela iniciou a carreira em 2015, com a influencer Marina Ferrari, e hoje já carrega em seu portfólio grandes trabalhos e campanhas. Além de Marina - com 3,1 milhões de seguidores - nomes como Gabriella Lenzi, Leydi Paranhos, Carla Prata, Monick Camargo e Nathalia Lucena também escolheram a empresária para gerenciar sua carreira e integram o casting de sua empresa

http://jaffeproducoes.com.br

https://www.instagram.com/jaffeproducoes/



Nenhum comentário