Novidades

[News]Sabine Devieilhe e Alexandre Tharaud lançam "Chanson D'Amour", disponível em todas as plataformas digitais

CLIQUE E OUÇA AGORA "CHANSON D'AMOUR"!

https://www.warnerclassics.com/br/release/chanson-damour 

 

SABINE DEVIEILHE E ALEXANDRE THARAUD LANÇAM “CHANSON D’AMOUR”, DISPONÍVEL EM TODAS AS PLATAFORMAS DIGITAIS

 

 

Dois dos mais importantes músicos franceses da atualidade trazem clareza e sutileza habituais dos trabalhos realizados para um recital de obras de quatro compositores que definiram o caminho da canção francesa ou melodie entre o final do século 19 a meados do século 20.
 
A soprano Sabine Devieilhe e o pianista Alexandre Tharaud montaram um programa equilibrado contemplando os autores Fauré, Debussy, Ravel e Poulenc. Estendendo-se dos anos 1870 aos 1940, o programa justapõe os favoritos do público - como o discretamente apaixonado "Après un rêve", de Fauré, e a valsa nostálgica de Poulenc "Les Chemins de l’amour" - com canções mais raramente ouvidas.
 
“O título do álbum é tirado de uma música de Fauré, ‘Chanson d'amour’”, explica Alexandre Tharaud. “Essa escolha evoca o amor, mas nosso programa também inclui canções inspiradas no folclore [as encantadoras ‘Cinq Chansons populaires grecques’ de Ravel], guerra [a sem esperança, mas delicada 'C' de Poulenc’] e morte ['Les Berceaux' de Fauré e 'Ballade de la reine morte d'aimer' de Ravel]. Sabine e eu escolhemos um repertório amplo. Começamos com os dois ciclos de canções - canções gregas de Ravel e os poemas de Paul Verlaine musicados por Debussy, ‘Ariettes oubliées’ - e estes se tornaram os pilares do nosso programa. Em seguida, escolhemos canções individuais, visando a diversidade e a surpresa ocasional”.

 

 

“Debussy e Ravel eram obrigatórios para mim”, diz Sabine Devieilhe. “Eles simplesmente tinham que ser incluídos em nosso programa. Fauré, como pai espiritual de ambos, foi uma escolha natural e Poulenc acrescentou um tom mais apimentado e instigante. Conseguimos conceber o programa como um recital, levando o ouvinte a um lugar novo”.
 
“Esses quatro compositores pertencem à mesma linhagem e podemos ouvir como eles se relacionam”, continua Alexandre Tharaud. “Debussy e Ravel são como dois meio-irmãos que foram amados pela música de Fauré. Eles absorveram sua habilidade melódica, a forma como ele se conecta com a voz, aquele sentido especial para um diálogo entre voz e piano e para uma escrita instrumental de grande delicadeza. Tudo se junta em Poulenc, já que a influência dos três compositores mais antigos pode ser ouvida em toda a sua música vocal”.
 
“Todas essas canções tiveram gravações anteriores, mas canções como ‘Sur l’herbe’ e  ‘Chanson française’de Ravel não são ouvidas com frequência, seja em disco ou na sala de concertos. Esses quatro compositores lidaram com voz e piano, e sua interação, com enorme sutileza. Às vezes, o piano pode ser como uma orquestra, mas também pode diminuir seu tom em resposta ao texto, alcançando seus objetivos com grande economia de meios. Estou pensando nas 'notas azuis' de que Chopin tanto gostou e que podem ser encontradas aqui em canções como ‘Ariettes oubliées’, 'Hôtel' de Poulenc e 'Trois Oiseaux de paradis' de Ravel, nas quais o compositor até pede ao piano que toque uma melodia sem acompanhamento, criando a impressão de um diálogo entre duas vozes cantantes. Eu sonho com um piano que realmente possa cantar”.
 
“A primeira vez que Alexandre e eu tocamos juntos foi quando gravamos ‘Vocalise’de Rachmaninov para o selo Erato/Warner Classics, e nosso relacionamento musical era óbvio”, acrescenta Sabine Devieilhe. “Embora essa peça não tenha texto, pude ouvir a maneira como Alexandre criava significados no piano - seja coloquial, melancólico ou desafiador. Agora, com esta ‘canção de amor’, ambos podemos saborear os textos. Existem inúmeras cores nessas canções francesas e foi nossa missão trazê-las para fora”.

 

Confira a tracklist completa de  Chanson d’amour:

  1. Faure Notre amour
  2. Faure Au bord de l'eau
  3. Poulenc Voyage à Paris (from Banalités. No. 4)
  4. Poulenc « C » (Deux poèmes de Louis Aragon)
  5. Poulenc Fêtes galantes (Deux poèmes de Louis Aragon)
    1. Ravel, Cinq mélodies populaires grecques
  1. Chanson de la mariée : « Réveille-toi, perdrix mignonne »
  2. « Là-bas, vers l’église »
  3. «Quel galant m'est comparable »
  4. Chanson des cueilleuses de lentisques : « Ô joie de mon âme »
  5. « Tout gai! »

 

  1. Ravel Sur l'herbe
  2.  Ravel Trois beaux oiseaux du paradis
  3.  Poulenc Hôtel from Banalités, No. 2
  4. Faure Chanson d'amour
  5. Debussy Nuit d'étoiles
  6. Debussy Romance « L'âme évaporée et souffrante »   
  7.  Ravel Manteau de fleurs
  8.  Ravel Chanson française  
  9.  Faure Après un rêve
  10. Faure Les berceaux
  11. Debussy Apparition

 

  1. DEBUSSY Ariettes oubliées
  1. C'est l'extase (« C'est l'extase langoureuse »)
  2. Il pleure dans mon cœur (« Il pleure dans mon cœur comme il pleut sur la ville »)
  3. L'Ombre des arbres (dans la rivière embrumée) 
  4. Paysages belges : Chevaux de bois (« Tournez, tournez, bons chevaux de bois »)
  5. Aquarelles, 1 : Green (« Voici des fruits, des fleurs, des feuilles »)
  6. Aquarelles, 2 : Spleen (« Les roses étaient toutes rouges »)

 

  1.  Ravel Ballade de la reine morte d’aimer
  2.  Poulenc Les Chemins de l’amour

 

CLIQUE E OUÇA AGORA "CHANSON D'AMOUR"!

https://www.warnerclassics.com/br/release/chanson-damour

Nenhum comentário