07 novembro 2018

[News] Para ampliar visibilidade dos artistas circenses, SESC RJ promove Picadeiro Móvel no Boulevard Olímpico


RIO DE JANEIRO – Palhaços, mágicos, trapezistas, quanta diversão encontramos nos picadeiros de todo o Brasil. A história do circo acompanha gerações de brasileiros e o Sesc RJ convida a população fluminense a participar desse resgate da cultura popular com as apresentações do Picadeiro Móvel, projeto que visa promover a estreia de trabalhos inéditos de artistas circenses de forma gratuita. Nos dias 10 e 11 de novembro, entre 10h e 17h, o Boulevard Olímpico vai se transformar por um final de semana no maior picadeiro do estado do Rio de Janeiro.
E não vai faltar risada nesse período. Quem passar pela área poderá conferir espetáculos, intervenções artísticas, atividades formativas e encontros entre profissionais de todas as formações circenses. A realização do Picadeiro Móvel envolve a atuação direta de cerca de 100 artistas, das mais diversas modalidades (acrobacia de solo, equilibrismo, mágica, malabares, portagem, contorção, palhaçaria, entre outras) como espaços de preservação da memória, pesquisa e difusão da arte do circo, um dos principais objetivos do Sesc RJ.
O projeto Picadeiro Móvel é uma iniciativa que busca ainda evidenciar trabalhos de destaque no panorama do circo contemporâneo, que tragam elementos inovadores que estimulem e promovam o desenvolvimento do circo para os artistas locais, além de garantir maior visibilidade da programação no cenário da cidade. O Picadeiro Móvel é a maior realização do Sesc na linguagem do circo do estado do Rio de Janeiro.

Programação
Respeitável público, hoje, tem marmelada? Tem, sim, senhor! Uma seleção de espetáculos nacionais de circo contemporâneo está na programação do Picadeiro Móvel. As mais de 16 apresentações terão entrada gratuita e, entre elas, números de mágica, malabarismo, equilíbrio, música ao vivo e palhaçaria. Entre as atividades, das 9h às 10h30, haverá oficinas circenses, com vivências práticas das técnicas de perna de pau e malabares, a fim de desenvolver o potencial criativo corporal dos participantes, promovendo uma aproximação do público com a arte circense.
Entre os destaques do primeiro dia da programação, no dia 10 de novembro, estão a companhia “Nós No Bambu”, do Distrito Federal, que utiliza justamente esta gramínea como elemento principal da performance. O bambu, que sustenta os corpos da acrobata, impulsiona a intérprete a desafiar a gravidade e os limites humanos.
De Santa Catarina, chama a atenção a companhia Traço Cia. de Teatro, criada no ano de 2001, na cidade de Florianópolis. Desde o início da trajetória, desenvolve pesquisas teóricas e práticas referentes à técnica do Palhaço. Esta linguagem configura-se como principal recurso pedagógico de formação e criação. No espetáculo que será apresentado, Romeu e Julieta, de William Shakespeare, é reinventada com truques, brincadeiras, números cômicos e jogos de improviso.
Já no dia 11 de novembro, a companhia cearense Laguz Circo, que explora a comicidade nas técnicas circenses, apresenta o espetáculo Suspiros e Burbujas. Com forte influência da arte de rua, o espetáculo viajou durante 8 meses, em um fusca ano 80, de Florianópolis/SC até Fortaleza/CE passando por 7 estados, 26 cidades e totalizando 70 apresentações em um projeto chamado "Se Essa Praça Fosse Minha". Posteriormente viajou no mesmo fusca por várias cidades do Ceará em um projeto chamado "O Riso Vai de Fusca - Ceará". O projeto levou o espetáculo para 11 cidades, realizando 13 apresentações e ministrando 7 oficinas. No final de 2016 e início de 2017, a companhia viajou por 2 meses para Rincón de los Sauces, Bariloche, Cipolletti e Rosário, na Argentina.
Do Rio de Janeiro, destaque para a apresentação da companhia Teatro de Anônimo, que vem realizando mensalmente seu projeto, Noites de Parangolé, cabaré de variedades circenses e musicais, sempre com uma temática variada e atual.

SERVIÇO

Local: Boulevard Olímpico

Data: 10 e 11 de novembro

Horário: das 9h às 17h

Atividades:
MESTRES DE CERIMÔNIAS | João Artigos e Alexandre Hryhorczuk – Seu Flor e Senhor Palhaço (RJ) - A dupla Seu Flor e Senhor Palhaço apresenta cenas curtas de humor e circo durante os dois dias de programação.

OFICINAS CIRCENSES
10 e 11 de novembro, 9 às 10:30h
Vivências práticas das técnicas de perna de pau e malabares, a fim de desenvolver o potencial criativo corporal dos participantes, promovendo uma aproximação do público com a arte circense.

A SANFONÁSTICA MULHER-LONA | Lívia Mattos (BA)

10 de novembro, 10h

A sanfonástica mulher-lona é um delírio circense em forma de intervenção itinerante. É o circo em si, metaforizado por sua autonomia e liberdade potente de chegar onde quer, adentrando territórios e diluindo fronteiras. É, ao mesmo tempo, a charanga e o picadeiro de uma mulher só́, que conta - por seu acordeom - os sons de seu caminhar, imersa no universo poético do fantástico. A intervenção é realizada por Lívia Mattos - circense, musicista e socióloga - apresentando seu miniconcerto ambulante, vestida de lona de circo.

O MENOR CIRCO DO MUNDO – AS NOVAS AVENTURAS | Trupe Família Clou (Nova Friburgo/RJ)

10 de novembro, 11h

Com números de mágica, malabarismo, equilíbrio, música ao vivo e palhaçaria, a Trupe Família Clou apresenta no espetáculo circense O menor circo do mundo a história de um picadeiro onde os trapezistas voadores voaram, o mágico sumiu, os barreiras foram barrados, os animais voltaram para a floresta e só restaram os palhaços.

OSSOS DO OFÍCIO | Dalmo Latini (Nova Friburgo/RJ)

10 de novembro, 11:45h

Em meio a caixas de som, microfone e adereços em miniatura, uma caveira canta e dança clássicos do rock.

RODA | Rapha Santacruz (PE)
10 de novembro, 12h
Circulando ele vem, trazendo na bagagem, a alegria genuína de um brincante popular. E vai "arrudiando" e fazendo surgir uma surpresa a cada volta, e a roda vira circo, e do encontro brota magia. Arrudeia: ele chama pra cena. E lá vem os sons, os brinquedos, os meninos, o povo... O brincante é de inspiração nordestina mas tem linguagem universal. A Roda é moinho de risada, ciranda de gente vestida de infância. Sem começo, sem fim, a Roda é o meio de tudo que de tudo um pouco tem.

ESTARDALHAÇO | Cia Traço de Teatro (SC)
10 de novembro, 13h
Dois palhaços estendem sua lona e se preparam para apresentar o maior clássico de todos os tempos. No repertório, a verdadeira história de amor de Leonardo DiCaprio e de sua Julieta, suas vidas e mortes, amores e guerras. Romeu e Julieta, de William Shakespeare, é reinventada com truques, brincadeiras, números cômicos e jogos de improviso. O espetáculo que deveria abrilhantar seus artistas se perde em histórias mistas... O resultado exige desembaraço, mas os palhaços aprontam um verdadeiro estardalhaço!

CARTA BRANCA | Cia do Relativo (SP)

10 de novembro, 14h

Em uma sala de uma só parede, quatro artistas de circo se encontram para ocupar o vazio e transformá-lo constantemente: São bancos, bolas e tábuas de madeira que, através de manipulações, voam pelos ares e deslizam pelo chão, invadindo o espaço e criando em cada momento um novo cenário de jogo. Com acrobacia, dança, malabarismo e música ao vivo, esses companheiros não medem esforços para compartilhar seus sonhos e cumprir seu dever: Entreter o público! Mas, através de suas cartas brancas, buscam a sinceridade em compartilhar algo que seja realmente significativo e, assim, acabam expondo seus medos, motivações e fragilidades, mostrando aspectos vulneráveis de suas personalidades.

O CIRCO A CÉU ABERTO | Fabiano Freitas (Sana/RJ)
10 de novembro, 15h
O espetáculo reúne esquetes cômicas clássicas e originais, resgatando a atmosfera lírica do circo-teatro.

CAPOESIA | Cia Nós do Bambu (DF)
10 de novembro, 15:45h
Uma peregrina amazona e um tripé de bambu. Intimidade, cumplicidade e afeto entre objeto e artista. Companheiros de viagem por vastidões. Na jornada da percepção, a relação entre os dois se transmuta em miríades de significados simbólicos. A expressão da inovadora arte corpo bambu amadurecida pelos 15 anos de pesquisas ininterruptas. Nesta alquimia, soma-se a capoeira, novo ingrediente amalgamado à poesia em movimento.

BAGUNÇO NO ATO (RJ)
10 de novembro, 16h
Uma trupe de circo se prepara para começar seu espetáculo de rua mas é interrompida por um grupo de músicos fanfarrões que pretendem ocupar o mesmo espaço público. O que a princípio seria um conflito, recai sobre a lógica do “se não pode vencê-los, junte-se a eles”. O show do Bagunço então se funde ao Cabaré do Circo no Ato e o resultado não é nem um show de música e nem um cabaré de circo, o resultado é o Bagunço no Ato, com circo, música e muito humor. Um espetáculo de rua vivo, sonoro, visual, para agradar a toda a família.

TUBOS E CUBOS NA RODA | Dupla GomesNinow (RJ)

11 de novembro, 10h

Tubos e Cubo na roda é uma intervenção e tem como conceito o pop-street. A Dupla, Senhorita Ninow e Mister Gomes, apresenta um show de equilíbrio, manipulação de formas e muita comédia. Enquanto ele mostra sua habilidade com um cubo gigante de alumínio, ela convida a plateia para participar ativamente do espetáculo, brincando musicalmente e jogando com situações que surgem no momento.

RODA NA PRAÇA (AM)
11 de novembro, 11h
Roda na Praça é uma iniciativa independente que leva o riso, a arte e a empatia para as praças de Manaus. É composta por artistas locais que desenvolvem suas pesquisas em diferentes linguagens artísticas, como: palhaço, dança contemporânea e aérea, circo e performance; aproximando assim, a arte do público e resgatando praças públicas por sua função primordial, uma área de convívio e de troca.

SUSPIROS E BURBUJAS | Cia Laguz Circo (CE/Argentina)
11 de novembro, 12h
Suspiros e Burbujas cria uma atmosfera mágica, um encontro espontâneo do público que se aproxima pelo encantamento do palhaço, da palhaça, das bolhas de sabão gigantes e da singela música feita pelo acordeón e escaleta. Os artistas utilizam as técnicas da acrobacia de dupla, malabares e música ao vivo tendo como base a linguagem da palhaçaria.

TRADICIONAL POCKET SHOW | Circo Le Chapeau (MS)
11 de novembro, 13h
O espetáculo faz uma viagem aos circos itinerantes. Entre um número e outro, entre trocas atrapalhadas de figurinos, o trabalho dos barreiras para deixar tudo pronto para o show, além da engraçada disputa entre dono do circo e o palhaço para serem a figura central do espetáculo: O apresentador. Tradicional Pocket Show irá transformar qualquer lugar em um verdadeiro circo sem lona.

INTERMEZZO | Teatro de Anônimo (RJ)
11 de novembro, 14h
Intermezzo é um espetáculo que tem como base a estrutura dramatúrgica clássica dos espetáculos de circo baseados na variedade, na grande eloquência e na relação de jogo empático com o espectador. Intermezzo explora, principalmente, a linguagem da comicidade, utilizando técnicas como magia, dança e equilibrismo.

CLAKE | Circo Amarillo (SP)
11 de novembro, 15h
Espetáculo cômico que evidencia o trabalho da dupla Marcelo Lujan e Pablo Nordio como palhaços excêntricos musicais. Sequências de gags clássicas são combinadas com a linguagem contemporânea da dupla e resultam num espetáculo de palhaçaria física e musical. Uma interessante experiência de sonoridades e circo que diverte o público de todas as idades.

LUNA PARQUE | La Mínima (SP)
11 de novembro, 16h
Um parque ambulante apresenta aos visitantes um acervo com as mais fantásticas atrações: “Monga a Mulher Gorila”, “Johnny o Homem - Balla” e muitas outras surpresas, todas patrocinadas pelo poderoso “Elixir Luna Parke, a vida num instante! ”. A Companhia coroa o espetáculo encenando uma farsa, esta talvez, a mais “bizarra” das atrações.


Nenhum comentário

Postar um comentário