Books Brasil Books

Novidades

[News]Telma Abrahão explica como traumas da infância podem impactar a saúde do adulto

 

Telma Abrahão explica como traumas da infância podem impactar a saúde do adulto

Idealizadora da Educação Neuroconsciente fala sobre o impacto das experiências adversas vividas na infância



Reprodução: divulgação

 

Em 1998, foi feito o maior e mais importante estudo de saúde pública por Dr. Felitti e Dr. Anda, nessa pesquisa foi estudado e comprovado como as experiências adversas vividas na infância impactavam a saúde do adulto.

O estudo foi chamado de ACE, sigla em inglês para adversidades vividas na infância, a pesquisa revela que pessoas que tiveram experiências adversas na infância tinha um maior risco de desenvolver doenças como: depressão, diabetes, obesidade e muitas outras. Além de riscos muito maiores como cometer suicídio, desenvolver problemas de saúde mental e física na vida adulta.

 

Para Telma Abrahão, especialista em Neurociência Comportamental Infantil, é de extrema importância buscarmos conhecimento para compreender o comportamento dos filhos, enfrentar os desafios comportamentais das crianças e aprendermos mais formas empáticas e respeitosas para a educação das crianças, não somente pela saúde emocional das crianças, mas também pela saúde mental e física do futuro adulto. Não são apenas nossos genes que determinam a nossa saúde, mas também a qualidade do ambiente e das nossas relações, especialmente no início da vida.

 

“O que acontece na infância não fica na infância, impacta na nossa saúde emocional, mental e física ao longo da vida. A educação pode ser desafiadora, mas com conhecimento podemos nos reeducar para educar melhor e tornar as pessoas mais saudáveis e felizes neste mundo”, explicou Telma.

 

Telma é autora do best seller “Pais que evoluem” e em breve lançará seu novo livro “Educar é um ato de amor, mas também é ciência”, onde aborda com muito mais profundidade como a infância é uma das fases mais importantes de nossas vidas e pode influenciar como seremos como adultos.

Nenhum comentário