Books Brasil Books

Novidades

[News] Musical Conferência dos Monstros estreia dia 18 de junho no Teatro Procópio Ferreira - direção de CARLA CANDIOTTO

 

Apresentado pelo Ministério do Turismo e pela Volkswagen Financial Services, com estreia marcada para 18 de junho no Teatro Procópio Ferreira, onde cumpre temporada até 14 de agosto, aos sábados e domingos às 15h, a nova produção da Turbilhão de Ideias é dest inada a crianças e famílias. Lúdico e divertido, Conferência dos Monstros – o Musical vai levar o público para o centro da Terra, habitado por criaturas sensíveis, alegres e extremamente musicais, que a humanidade ainda desconhece: os monstros.

 

Com criação original de Gustavo Nunes, texto de Pedro Henrique Lopes e Gustavo Nunes, direção artística de Carla Candiotto, direção musical de Tony Lucchesi, cenografia e figurino de Clívia e José Cohen, iluminação de Wagner Freire, o espetáculo de teatro musical tem o elenco formado por Allira, Bel Nobre, Eduardo Leão, João Bio, Laura Binder, Leandro Massaferri, Martina Blink e Rodrigo Fernando.  O espetáculo inédito entra na bagagem da Turbilhão de Ideias no segmento dos infanto-juvenis, trajetória que já conta com O Menino que Vendia Palavras (2013), com Du Moscovis e Pablo Sanábio, que esteve em cartaz por mais de três anos e recebeu o Prêmio APCA; e O Jardim Secreto, baseado no filme homônimo, com Camilla Amado.

 

Sinopse

 

O Centro da Terra é habitado por criaturas sensíveis, alegres e extremamente musicais, que a humanidade ainda desconhece: Os monstros! Tudo corria bem nesse harmonioso universo, até o surgimento de um terrível vilão chamado “NADA”. Sua força devastadora rapidamente atinge milhares de monstros, obrigando Especialistas de todo o mundo subterrâneo a se reunirem para a CONFERÊNCIA DOS MONSTROS, que acontecerá na misteriosa Monstrosília. O herói da nossa jornada é MONSTRILDO, um atrapalhado e divertido adolemonstro de 1.200 anos de idade. Junto de sua família e dos Monstro-Especialistas, ele vai vivenciar muitas aventuras para organizar a Conferência e compreender que somente a união de diferentes povos e especialidades consegue combater o mal.

 

O produtor criativo

 

Gustavo Nunes tem histórico de idealizador de projetos. O produtor costuma pensar na temática e nos personagens para em seguida encomendar o texto. Foi assim com Cássia Eller, o Musical, Simples Assim, Rio Mais Brasil – o musical e Céu Estrelado – o musical, que ainda vai estrear. No caso de Conferência dos Monstros, Nunes resolveu ir mais a fundo, realizando a criação dos personagens, do enredo, do mundo onde eles habitam. “Fui me envolvendo e quando vi havia criado todo o universo dos monstros.”

 

A partir de então, convidou o autor e roteirista Pedro Henrique Lopes (Rauzito Beleza – Raul Seixas para Crianças, de 2019, melhor espetáculo infantil no Prêmio Música Rio; Tropicalinha – Caetano e Gil para Crianças, 2018; e Bituca - Milton Nascimento para Crianças, 2017, melhor roteiro no Prêmio Botequim Cultural, entre vários outros) para estruturar o texto teatral. Fazer parte da criação do texto teatral foi bastante espontâneo e natural. “Já alimentava a ideia de criar conteúdo infantil. Era um desejo entrar nessa área e desenvolver um projeto teatral para outras mídias também”, revela Gustavo.

 

Em seguida, o convite foi feito à diretora Carla Candiotto - Prêmio Governador do Estado, em 2015, pelo conjunto da sua obra e vários prêmios APCA e Coca-Cola FEMSA de melhor direção, melhor atuação e melhor texto adaptado. Entre seus espetáculos, destaque para Aladdin, o Musical, 2019; Que Monstro te Mordeu?, 2018; A Casa de Brinquedos , 2019, e A Canção dos Direitos da Criança, 2015, ambos com músicas de Toquinho. Feliz em se juntar à equipe de criativos, Carla Candiotto adianta que “o nosso herói é um monstro adolescente, bem pequenininho, que descobre sua especialidade &am p;nd ash; habilidade importante no seu mundo – por meio de uma aventura para salvar seus pais e também o mundo dos monstros”.

 

Gustavo comenta sobre a responsabilidade ao trabalhar com o público infanto-juvenil. “É muito importante levar conteúdo elaborado e de qualidade a pessoas nessa faixa etária, em formação escolar. É preciso ter critério para encantar a criança e fazer com que ela queira voltar ao teatro”. De acordo com ele, a proposta da peça é que “as crianças vivam essa magia, entrem nesse universo dos monstros, sem perder a emoção e a humanidade, que é o que nos aproxima”.

 

Sobre o Texto

 

No processo de escrita, Pedro Henrique Lopes trabalhou junto ao idealizador do projeto, Gustavo, que já tinha em mente o universo dos monstros. “Minha função foi encontrar a dramaturgia para os personagens, a história, como costurar todos os personagens e quais eram os conflitos que enfrentariam”, detalha. “O Monstrildo, nosso protagonista, está naquela fase em que não é mais tão criança, não é adulto nem adolescente. Ao mesmo tempo que seus pais -  Sopranilza e o Carimbomonstro - dizem pra ele ‘você é muito grande pra isso’,  também falam ‘você é muito novo ainda’”, fala o autor, certo de que a situa&am p;cc edil;ão vai causar identificação nas crianças. “É um processo de descoberta dele enquanto monstro e tem muito a ver com as crianças. Enquanto vão crescendo, vão encontrando suas missões, suas vontades, seus desejos.  Além disso, o musical fala sobre família. A descoberta do poderes de todos os monstros e outros especialistas que agregam outras coisas interessantes para a jornada do nosso protagonista.”

 

Sobre o Figurino

 

Diretamente de Lisboa, de onde comanda de forma remota seu ateliê de arte, instalado no Rio há 33 anos -, CLÍVIA COHEN assina a criação dos cenários e figurinos do musical. Ela conta com o apoio de Lucila Belcic nos figurinos e do artista plástico José Cohen, seu sócio e sobrinho, no cenário. Ambos tocam o ateliê da artista, confeccionando suas criações - ele mora entre Belém do Pará e Rio; ela fica no Rio. Clívia explica que as peças vão vestir os atores sem cobrir seus rostos para não tirar a expressão na interpretação, uma forma de humanizar os personagens e valorizar a atuação do elenco. “Foi feita uma pesquisa a fim de que os personagens mantivessem as características dos monstrinhos, com as mesmas cores dos desenhos, e que os atores também tivessem sua expressão valorizada.”  Inspirados em desenhos criados sob a orientação de Gustavo Nunes, estão sendo confeccionados em vários materiais sintéticos - desde etaflon, uma espécie de esponja, a espuma de poliuretano, pelúcias, borrachas de EVA e veludo de lycra. Tudo para passar a ideia de flexibilidade, do “fofinho” dos monstros, como diz Clívia. So bre o cenário, a criativa adianta: “É um espaço lúdico, conceitual, com referência a uma sala, um quarto, onde tudo se transforma em vários ambientes”.

 

Sobre as Músicas

 

O espetáculo tem estrutura de musical clássico, com texto e músicas inéditas compostas especialmente, com letra de Pedro Henrique Lopes e melodias de Tony Lucchesi. Como em todo espetáculo do gênero, as músicas fazes parte da ação e do diálogo, ajudam a contar a história. São 11 músicas e um medley final. “Em um dos números, chamado É só um monstro especialista chamar cada monstro tem uma sonoridade específica pois cada um vem de uma parte diferente do planeta. O resultado é super legal pois conseguimos estabelecer um diálogo entre muitas culturas diferentes”, diz, comentando que os arranjos das canç& ;oti lde;es são cheios de energia com objetivo de dar bastante ritmo para a história. Acredito que as crianças irão gostar bastante!” Sobre as audições, Tony conta que foi muito difícil escolher um elenco. “Eu, Carla e Gustavo como banca, nos deparamos com artistas muito bem preparados. As pessoas estão cada vez mais investindo nas habilidades técnicas do teatro musical e vem mostrando um material muito interessante nas audições. Pensamos muito na seleção do elenco, em cada artista para cada personagem e chegamos num elenco muito talentoso e equilibrado.”

 

Sobre a Turbilhão de Ideias

 

Dirigida por Gustavo Nunes, a produtora Turbilhão de Ideias traz no currículo, entre outras produções, os musicais Isso que é amor e Cássia Eller, o Musical; A História de Nós 2; Simples Assim, com Júlia Lemmertz;  Meu Quintal é Maior do Que O Mundo, com Cássia Kis;  Perfume de Mulher, com Gabriela Duarte; e Doidas e Santas, com Cissa Guimarães. Este ano, a Turbilhão traz para São Paulo outros três espetáculos teatrais – além do infantil, Céu Estrelado (23 a 26 de junho no CCBB), Uma Loira na Lua (com Alexandra Richter, de 5 de agosto 25 de setembro no Teatro Frei Caneca) e Cássia Eller, o Musical (em outubro no Teatro Frei Caneca).

 

Perfis dos personagens

 

Monstrildo

Desajeitado, simpático e carinhoso, este é Monstrildo. O monstro-adolescente de 1.200 anos adora filmes de terror, quer ganhar um irmão e vive em busca de atenção.

 

Sopranilza

A maior artista dos últimos milênios! A cantora com a voz mais aguda do Centro da Terra! Sopranilza tem 20.000 anos de carreira e já quebrou todos os recordes da música monstrífica.

 

Carimbomonstro

"Aprovado!", "Negado!", "Em diligência!". Em meio a tantas palavras de ordem, cuidado para não ser o próximo carimbado por Carimbomonstro, o presidente da SCM – órgão responsável pela saúde dos monstros de todo o planeta.

 

Lucky

Lucky sabe tudo de tecnologia. O prodígio pré-adolescente de 11.500 anos é o inventor da WWM (World Wide Monsters), a internet dos monstros, que o transformou no ser mais rico do Centro do Mundo.

 

Buckin

A jovem Buckin é a mistura de charme, atitude e espírito sonhador. Moradora dos subterrâneos do Reino Unido, ela é descendente de uma nobre linhagem de monstro-especialistas.

 

Bourg

Nas profundezas do Rio Sena, na França, mora uma excêntrica monstra-artista. Admirada em todo o planeta, é uma gênia da criatividade monstrífica e consegue transformar qualquer coisa em uma bela obra de arte.

 

Sarcófaga

A história monstrífica esconde segredos milenares e existe uma monstra que guarda esse conhecimento: Sarcófaga.

 

Pablito

Diretamente dos campos de futebol mais profundos da América Latina, vem Pablito, que sonha em se tornar um grande craque dos gramados.

 

Woopy

Ele vem da Oceania, mas dá pra dizer que o mundo todo é sua casa. Tranquilo e sempre de bem com a vida, Woopy é um típico aventureiro, que adora explorar o planeta.

 

Ficha Técnica:

 

Criação Original: Gustavo Nunes. Texto: Pedro Henrique Lopes e Gustavo Nunes. Direção Artística: Carla Candiotto. Direção Musical: Tony Lucchesi. Cenografia e Figurino: Clívia e José Cohen. Visagismo: Anderson Bueno. Figurinista assistente: Lucila Belcic. Iluminação: Wagner Freire. Elenco: Allira, Bel Nobre, Eduardo Leão, João Bio, Laura Binder, Leandro Massaferri, Martina Blink e Rodrigo Fernando. Coorden ação de produção: Diogo Gallindo Design: Julliana Della Costa. Assessoria de Imprensa – Fernanda Teixeira – Arteplural. Uma produção original: Turbilhão de ideias.

 

Apresentado por Volkswagen Financial Services

www.vwfs.com.br  

www.instagram.com.br/vwfsbrasil

https://www.facebook.com/vwfsbrasil/

 

Perfis dos atores e seus personagens

 

Bel Nobre - Bourguinhon

Rodrigo Fernando - Lucky

Laura Binder - Sopranilza

João Bio - Monstrildo

Eduardo Leão - Carimbomonstro

Martina Blink - Sarcófaga

Alira - Buckin

Leandro Massaferri - Pablito

Boneco - Woopy

 

Serviço:

Temporada:

De 18 de junho a 14 de agosto de 2022. Teatro Procópio Ferreira. Ingressos - De R$ 25,00 a R$ 90,00. Duração – 55 minutos.

Classificação. Livre. Recomendado para maiores de 4 anos. Rua Augusta, 2823,Cerqueira César, São Paulo CEP 01413-100.

 

Setor  Premium Inteiras -

Premium 1: 90,00 inteira

Setor  1: 70,00 inteira

Setor 2 :50,00 inteira

 

Meias Setores :

Premium: 45,00 meia

Setor 1: 35,00 meia

Setor 2: 25,00 meia

 

Link com fotos de Caio Galucci

https://postimg.cc/gallery/pXYvmt4

 

Apresentado por Volkswagen Financial Services

www.vwfs.com.br  

www.instagram.com.br/vwfsbrasil

https://www.facebook.com/vwfsbrasil/

 

SOBRE OS CRIATIVOS

 

Carla Candiotto (diretora) – Atriz e diretora, ganhou diversos Prêmios APCA – Associação Paulista de Críticos de Arte e Prêmios São Paulo (antigo Prêmio Coca-Cola FEMSA) de melhor direção, melhor atuação e melhor texto adaptado ao longo de sua carreira. E recebeu o prestigiado Prêmio Governador do Estado, em 2015, pelo conjunto da sua obra. Nascida em Jundiaí, traz entre os destaques da carreira, espetáculos como os musicais A Casa de Brinquedos (2019) e A Canção dos Direitos da Crian ça (2015), ambos com músicas de Toquinho (com texto, direção e coordenação de todo o processo criativo e produtivo coordenados por ela). Da mesma forma, foram criados espetáculos como Aladdin, O Musical (2019), Que Monstro te Mordeu? (2018), adaptado da série da TV de Cao Hamburger, Cinderela Lá Lá Lá (2015) e Simbad, o Navegante (2015) em parceria com diferentes companhias e produtoras.

 

Pedro Henrique Lopes (autor) – Desenvolve, escreve e produz espetáculos teatrais. Entre seus projetos de maior destaque está Grandes Músicos para Pequenos, assistido por 200 mil pessoas. Autor teatral premiado, assina o texto de Detetives do prédio Azul – O Mistério do Teatro, Bituca – Milton Nascimento para Crianças, O Meu Sangue Ferve por Você, Luiz e Nazinha – Luiz Gonzaga para Crianças e a versão brasileira do espetáculo irlandês Mojo Mickybo.

 

Tony Lucchesi – (diretor musical) Pianista, compositor, arranjador, preparador vocal e diretor musical carioca. Diretor musical e preparador vocal dos espetáculos “A Cor Púrpura” (2019), sob direção geral de Tadeu Aguiar e “Company” (2019), sob direç&am p;at ilde;o geral de João Fonseca. Diretor musical, arranjador e preparador vocal dos espetáculos “Quebrando Regras – Um Tributo a Tina Turner“ (2019), “Nelson Gonçalves – O Amor e o Tempo” (2019), “Elizeth, a Divina” (2018), “Bibi – Uma Vida em Musical” (2018), “VAMP” (2017) (também compositor das canções originais), “60! Doc. Musical – Uma Década de Arromba” (2016), “Rock In Rio Now” (Lisboa – 2016), “Rock In Rio – 30 anos em 15 minutos” (RIR 2015) e “O Primeiro Musical a Gente Nunca Esquece” (2015).

 

Clivia Cohen – (Figurino e cenografia). Artista plástica, cenógrafa, figurinista e diretora de arte paraense. Fundou o Atelier Cohen em 1992 no Rio de Janeiro, e vem atuando em diversas áreas artísticas no Brasil , Angola e Portugal , onde reside atualmente. Há 31 anos no mercado. Entre os principais trabalhos, destaque para 2021 - A Melhor Versão (Cenário, Figurino e Direção de Arte), 2021 - Zé e Nina (Cenário, Figurino e Direção de Arte). 2021 - Pimentinha – Projeto Grandes Músicos Para Pequenos (Cenário e Fig urino). 2020 - O Marido de Daniel (Cenário) - Direção: Gilberto Gawronski. 2019 - D.P.A. - Um Mistério no Teatro (Cenário), 2019 - Raulzito Beleza - Raul Seixas para Crianças (Cenário), 2018 - Tropicalinha - Caetano e Gil para Crianças (Cenário e Figurino), 2017 - Bituca  Milton Nascimento para crianças (Cenário e Figurino).

 

Wagner Freire (Luz).- Light designer premiado, presente em significativas montagens a partir dos anos 90. Destaques para trabalhos em Teatro - “Querô” de Plínio Marcos, “Almanaque Brasil”, de Noemi Marinho, “Aulis” de Celso Frateschi e Elias Andreato; “Guerra Santa” de Gabriel Vilela; “A Gaivota” de Tchecov, direção de Francisco Medeiros, “Ubu Folias Physicas Pataphysicas e Musicaes”, direç& amp; atilde;o de Cacá Rosset, “Salomé”; “Joana Dark”; “Um porto para Elizabeth Bishop”; “O Evangelho Segundo Jesus Cristo”, “ Blue Room” direção José Possi Neto, Rei Lear, com direção de Elias Andreato). Em Óperas -  “A “Traviata”, “IL Guarany”, “As Bodas de Fígaro” direção de José Possi Neto; “Os Pescadores de Pérolas”, direção de Naum Alves de Souza ; “Madame Butterfly” e “Cavaleira Rusticana”, direção Jorge Takla. Shows - Zizi Possi (“Valsa Brasileira”, “Mais Simples”, “Per Amore”, “Passione”, ‘Puro Prazer “,”Bossa”); Marlui Miranda, Jane Duboc , Banda Vexame , Lenine & Suzano, Wania Abreu, Leila Pinheiro.  Em da nça, Balé da Cidade de São Paulo nas coreografias “Como num Jardim”, “Plenilúnio”, “Entousiasmos” e “Baile na Roça”, “Bailes do Brasil”- Coreografia de J.C. Violla e direção de Naum Alves de Souza, “Muito Romantico”, coreografia de Susana Yamauchi e João Mauricio e direção de Naum Alves de Souza, “Dança das Marés” direção de Ivaldo Bertazzo. Wagner já recebeu os prêmios: Shell 93/97, APCA 93, Apetesp 93/96/97, Coca-Cola 96, 97, 99, 2001, 2008 e Cultura Inglesa 97.

 

Anderson Nunes. (Visagismo) - Unindo técnica e talento, Anderson Bueno tornou-se um dos principais e mais premiados designers de maquiagem do Brasil. Autodidata, inicialmente formou-se em maquiagem e caracterização com a expert Corinne Perez, em 2001 e em maquiagem artística, no badalado Stick Art Studio, em Barcelona (Espanha).Especialista na maquiagem para espetáculos e grandes eventos também trabalhou como consultor de beleza do reality “Sob Medida”, programa exibido na Rede TV. Assinou a caracterização de grandes espetáculos como “Os Mon&o acut e;logos da Vagina”, “Hair Spray”, “A Gaiola das Loucas”, “Hebe – O Musical, “A Mentira”,  todos com direção de Miguel Falabella, “Senhora Macbeth” direção de Antônio Abujamra, “Zorro – Nasce Uma Lenda” com direção de Ulysses Cruz, entre tantos outros. Entre os  diversos prêmios que recebeu em sua carreira, destacam-se:  Prêmio Bibi Ferreira 2021 por “Madagascar” e em 2017 por “Hebe – O Musical”,  Prêmio Arte Qualidade Brasil 2016 por “ Uma Luz Cor de Luar” e em 2015 por “Frida Y Diego”, Prêmio Avon de Maquiagem 2010 pelo musical “A Gaiola Das Loucas”.




Nenhum comentário