Books Brasil Books

Novidades

[News] OBRA DE TERRY GILLIAM É TEMA DE RETROSPECTIVA NO CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL EM SÃO PAULO

 

Terry Gilliam – O Onírico Anarquista, a mais abrangente retrospectiva já feita no Brasil da obra do cineasta, ator e animador americano, acontece no Centro Cultural Banco do Brasil em São Paulo entre os dias 06 de abril e 02 de maio. Presencialmente, a mostra contará com 28 produções e on-line serão exibidos 3 filmes, dois deles com recursos de acessibilidade, além das atividades paralelas como palestra, debate e curso. O evento é totalmente gratuito e, também acontece em Brasília de 22 de março a 17 de abril.


Com curadoria do diretor, produtor, roteirista, escritor e crítico de cinema Eduardo Reginato e do cineasta e editor Christian Caselli, a mostra resgata toda a trajetória de Gilliam, que começou sua carreira como animador e cartunista, mas foi no cinema e televisão, tanto como diretor, roteirista ou ator, que se destacou. Aos 81 anos, e mais de 30 créditos de atuação e roteiro, além de outros 20 na direção, o americano radicado na Inglaterra fez parte da icônica trupe Monty Python, com a qual fez um de seus longas mais famosos: “Monty Python em Busca do Cálice Sagrado” (1975).


Terry Gilliam – O Onírico Anarquista, no entanto, não se restringe aos longas do cineasta. Com o intuito de fazer um grande panorama de sua carreira, apresentará curtas raros, como “Storytime”, de 1968, sua primeira incursão na direção de cinema. Ao todo, serão 5 curtas, além de documentários sobre Gilliam e sua obra, como “Life of Python”, de Michael Redhead, e “Perdido em La Mancha”, de Keith Fulton e Louis Pepe, cujo tema é a primeira tentativa do diretor de filmar “O Homem que Matou Don Quixote”, em 2000, e se transformou num verdadeiro pesadelo. O projeto só saiu do papel definitivamente quase duas décadas depois.


Considerado um cineasta cult, Gilliam concorreu ao Oscar em 1986, pelo roteiro de “Brazil”, que escreveu com Tom Stoppard e Charles McKeown. No Festival de Cannes, ele exibiu “Medo e Delírio” (1998), e, em Berlim, “Os 12 Macacos” (1996). Em 2005, ganhou um Leopardo de Honra, no Festival de Locarno.


A obra de Gilliam é marcada pela inventividade e o surreal, não por acaso, boa parte de seus filmes parecem se passar num mundo onírico – ou de pesadelo. Único americano do Monty Python, ele também é conhecido pelo humor ácido e a crítica ao mundo contemporâneo por meio do realismo fantástico, capaz de criar imagens poderosas, como os voos de Sam Lowry, em “Brazil – O Filme”, ou o universo delirante do Dr Parnassus, no filme de 2009.


Segundo Eduardo Reginato, Gilliam é fascinado pelo período Barroco por conta da pronunciada luta entre espiritualidade e ecletismo dicotômico. A partir disso, seu cinema combina elementos, antagônicos, como o belo e o feio, o antigo e o moderno. “Os filmes de Gilliam têm uma aparência distinta, não apenas em mise-em-scène, mas ainda na fotografia para criar uma atmosfera surreal de inquietação psicológica e um mundo fora de equilíbrio, sendo frequentemente usados ângulos incomuns de câmera. O famoso crítico americano Roger Ebert disse que o mundo de Gilliam é sempre alucinatório em sua riqueza de detalhes", explica.


Além disso, o cineasta traz em sua obra um tom de distopia moderna, o pesadelo da contemporaneidade soterrada sob burocracia e opressão. “São imensos cenários, uma arquitetura abrangente, decadente e opressora, são essas as representações fílmicas de Gilliam: dos sistemas infinitos e burocráticos, das instituições que aniquilam a liberdade do indivíduo, mas onde o indivíduo ainda tem uma última possibilidade de sonhar ou lutar tentando destruir um sistema autocrático”, diz Christian Caselli.


Para Cláudio Mattos, Gerente Geral do CCBB em São Paulo, “apresentar a obra de Terry Gilliam gratuitamente ao público geral, é reforçar o papel do Centro Cultural Banco do Brasil na promoção e acesso à cultura”.


PROGRAMAÇÃO PRESENCIAL:


06 de abril – quarta-feira,


16:30 - The do-it-yourself animation show + Curtas-metragens (Storytime; O milagre do vôo; The crimson permanent assurance; Wholly family; A lenda de Hallowdega) - 93 min - 14 anos


07 de abril – quinta-feira


18:30 - Jabberwocky, um herói por acaso  -  105 min - 14 anos


08 de abril – sexta-feira


18:30 - Monty Python em busca do cálice sagrado - 91 min – 12 anos


09 de abril – sábado


16:00 - Monty Python – O sentido da vida – 107 min – 14 anos


18:30 - Os 12 macacos – 129 min – 14 anos


10 de abril – domingo


14:30 - Os bandidos do tempo – 116 min – Livre


17:00 - O pescador de ilusões – 137 min – 14 anos


11 de abril – segunda-feira


16:40 - Monty Python’s flying circus – Terry Gilliam’s personal best  + Monty Python and holy grail: Revisited (documentários) – 73 min – Livre


13 de abril – quarta-feira


14:00 – Contraponto – 120 min – 14 anos


14 de abril – quinta-feira


16:00 – Os Irmãos Grimm – 118 min – Livre


15 de abril – sexta-feira


16:00 - O teorema zero – 107 min – 14 anos


18:30 - O homem que matou Dom Quixote – 132 min – 14 anos


16 de abril – sábado


16:30 - E agora para algo completamente diferente – 88 min – 12 anos


18:30 – Monty Python – O sentido da vida – 107 min – 14 anos


17 de abril – domingo


15:00 - Jabberwocky, um herói por acaso – 105 min – 14 anos


17:30 – Monty Python em busca do cálice sagrado – 91 min – 12 anos


18 de abril – segunda-feira


17:00 – Life of Python (documentário) – 45 min – 12 anos


20 de abril – quarta-feira


18:00 - The do-it-yourself animation show + Curtas-metragens (Storytime; O milagre do vôo; The crimson permanent assurance; Wholly family; A lenda de Hallowdega) – 93 min – 14 anos


21 de abril – quinta-feira


15:30 - The madness and misadventures of Münchausen (documentário) – 73 min – Livre


17:30 - As aventuras do Barão de Münchausen – 126 min – Livre


22 de abril – sexta-feira


16:00 - Medo e delírio – 116 min – 14 anos


18:30 - Teorema zero – 107 min – 14 anos


23 de abril – sábado


16:00 - O mundo imaginário do Doutor Parnassus – 123 min – 12 anos


18:00 - Brazil, o filme  – 123 min – 14 anos


24 de abril – domingo


15:00 - Os 12 macacos – 129 min – 14 anos


17:40 - Os Irmãos Grimm – 118 min – Livre


25 de abril – segunda-feira


18:30 - E agora para algo completamente diferente – 88 min – 12 anos


27 de abril – quarta-feira


18:30 - Os bandidos do tempo – 116 min – Livre


28 de abril – quinta-feira


17:00 - Getting Gilliam (documentário) – 45 min – 14 anos


18:30 - Contraponto – 120 min – 14 anos


29 de abril – sexta-feira


15:30 - O pescador de ilusões – 137 min – 14 anos


18:30 – Medo e Delírio – 116 min – Livre


30 de abril – sábado


16:00 - O mundo imaginário do Doutor Parnassus – 123 min – 12 anos


18:30 - As aventuras do Barão de Münchausen – 126 min – Livre


01 de maio – domingo


16:00 – The battle of Brazil: A video history (documentário) – 60 min – 12 anos


17:30 – Brazil, o filme  – 123 min – 14 anos


02 de maio – segunda-feira


16:30 - Perdido em La Mancha (documentário) – 90 min - 12 anos


18:30 - O homem que matou Dom Quixote – 132 min – 14 anos


PROGRAMAÇÃO ON-LINE:


Atividades:


16 de abril, 14h PALESTRA: TERRY GILLIAM E AS DISTOPIAS


Professor: Carlos Primati


Carga horária: 90 minutos


Classificação indicativa 14 anos


Evento gratuito e on-line.


Inscrições a partir de 30 de março pela plataforma Sympla: sympla.com.br/produtor/blgentretenimento


Conteúdo: Partindo de produções como “Brazil, o filme”, “Os 12 macacos” e “Teorema zero”, o palestrante convidado irá apresentar ao público o olhar do cineasta Terry Gilliam para histórias distópicas. Apontando a originalidade do cineasta e também suas referências na construção de tais filmes.


20 de abril, 19h30


DEBATE: TERRY GILLIAM: CINEASTA AUTORAL OU DE GÊNERO?


Mediação: Christian Caselli


Debatedores: Carlos Primati e Laura Loguercio Cánepa


Carga horária: 90 minutos


Classificação indicativa livre


Evento gratuito e on-line.


Exibição via canal do Youtube da BLG Entretenimento


Conteúdo: Assim como inúmeros diretores autorais transitam entre diversos gêneros, Terry Gilliam segue esse caminho e sempre imprime sua marca. Sendo assim, ele passa pela aventura, comédia, terror, ficção-científica não só com plena desenvoltura, como muitas vezes subverte gramáticas pré-estabelecidas. Como isto se dá?


26 e 27 de abril, 19h


CURSO: A IMAGINAÇÃO DE TERRY GILLIAM – PARTE 2


Professor: Eduardo Reginato


Carga horária: 2 encontros de 120 minutos cada


Classificação indicativa 14 anos


Evento gratuito e on-line.


Inscrições a partir de 30 de março pela plataforma Sympla: sympla.com.br/produtor/blgentretenimento


Conteúdo: A Gilliam solo: um autor único e seu fantástico cinema barroco distópico-futurista-anarquista-retrô (uma ideia bem gilliamesca!). As influências filosóficas, literárias e cinematográficas de Terry Gilliam da primeira infância à maturidade - parte 2.


Filmes com exibição on-line:


O acesso é gratuito via plataforma Wurlak.com.br.


Para assistir aos filmes basta acessar o endereço da plataforma e clicar na imagem do cartaz. Não é preciso cadastro.


Disponível de 12 de abril, 13h, até 02 de maio, 23h59.


Os 12 Macacos


Twelve Monkeys, 1995, EUA, 129min, PB & cor


Direção: Terry Gilliam


Elenco: Bruce Willis, Madeleine Stowe, Brad Pitt


Sinopse: No ano de 2035, James Cole aceita a missão de voltar ao passado para tentar decifrar um mistério envolvendo um vírus mortal que atacou grande parte da população mundial. Tomado como louco, no passado, ele tenta provar a sua sanidade para uma médica, sua única esperança de mudar o futuro.


Classificação: 14 anos.


Filmes Com Recursos De Acessibilidade


Disponível de 19 de abril, 13h, até 02 de maio, 23h59.


As aventuras do Barão de Münchausen – legenda descritiva


The Adventures of Baron Munchausen, 1988, ING/ITA/ALE/EUA, 126min, cor


Direção: Terry Gilliam


Elenco: John Neville, Eric Idle, Jonathan Pryce, Sarah Polley, Robin Williams, Uma Thurman


Sinopse: O filme conta as fantásticas histórias do Barão de Münchausen, o maior mentiroso de todos os tempos. Enquanto tenta escapar da morte para encontrar seus amigos com habilidades especiais e salvar a cidade de Viena do ataque dos turcos, o Barão relembra uma inusitada aposta com um Califa, a visita à Lua, a dança com a deusa Afrodite, entre outras aventuras.


Classificação: Livre.


Disponível de 19 de abril, 13h, até 02 de maio, 23h59.


Os irmãos Grimm – dublado e com audiodescrição


The Brothers Grimm, 2005, TCH/EUA,118min, cor


Direção: Terry Gilliam


Elenco: Matt Damon, Heath Ledger, Jonathan Pryce, Lena Headey, Mackenzie Crook


Sinopse: Wilhelm e Jacob são dois irmãos famosos pelos seus contos de fada, repletos de personagens mágicos. Eles percorrem a Europa comandada por Napoleão Bonaparte enfrentando monstros e demônios falsos em troca de dinheiro rápido. Porém, quando as autoridades francesas descobrem o plano deles, os colocam para enfrentar uma maldição real em uma floresta encantada, na qual meninas desaparecem misteriosamente.


Classificação: Livre.


SOBRE OS CURADORES


Eduardo Reginato – curador, mediador do debate, professor curso, palestrante


Diretor, produtor, roteirista, escritor e crítico de cinema. É formado, mestre e doutorando em Literatura pela Universidade Federal Fluminense, pesquisando cinema e literatura fantástica, de horror e fantasia. Na televisão foi diretor e roteirista do programa Cinema Mundo (2006) do extinto canal Cine Brasil TV e produtor dos programas (Re)corte Cultural e Arte com Sérgio Britto da TVE (atual TV Brasil). Foi um dos curadores das mostras Bertrand Blier e a Comédia da Provocação (2017) na Caixa Cultural SP, Mel Brooks – Banzé no Cinema (2020), Estúdio Hammer – A Fantástica Fábrica de Horror (2021) no CCBB, entre outras. Foi produtor das mostras O Cinema Total de David Lean (2015), Syberberg, um filme da Alemanha (2016), Aventura Antonioni (2017), Scorsese (2019), Fellini, il Maestro (2020), entre outras.


Christian Caselli – curador, mediador do debate, palestrante


Cineasta, editor e curador. Ganhou retrospectivas de sua obra em 2005 e 2015 em Portugal, em 2013 no Peru e em vários festivais do Brasil. Acumula mais de 10 prêmios e seu curta mais conhecido é "O Paradoxo da Espera do Ônibus", de 2007. Trabalhou na edição e videografismo no longa "Salto no Vazio" (de Cavi Borges) e em documentários sobre o cantor Serguei e os cineastas Neville de Almeida, Ivan Cardoso e Luiz Rosemberg Filho. Para a TV, dirigiu as séries "Trash!" e "Cinema de Bordas" (Canal Brasil) e os programas "A TV que o Brasil Está Pensando" e "TV e Grandes Autores" (TV Brasil). Presta serviços para eventos de cinema em todo país, tais como Mostra do Filme Livre (desde 2005), Maranhão na Tela (desde 2008), Festival Curta o Curta, entre outros. Nestes, realiza oficinas, vinhetas, curadoria, produção, making ofs, etc.


SOBRE O CCBB


O Centro Cultural Banco do Brasil em São Paulo, iniciou suas atividades há mais de 20 anos e foi criado com o objetivo de formar novas plateias, democratizar o acesso e contribuir para a promoção, divulgação e incentivo da cultura. O CCBB SP valoriza a diversidade, múltiplas linguagens, ineditismo, relevância cultural e as expressões de brasilidade. Com uma programação regular e acessível a todos os públicos, que contempla as mais diversas manifestações artísticas e, um prédio que por si só já é uma viagem na história e arquitetura, o CCBB é uma referência cultural para os paulistanos e turistas da maior cidade do Brasil.


SERVIÇO:


Mostra Terry Gilliam – O Onírico Anarquista


Local: Centro Cultural Banco do Brasil


Período: 06 de abril a 02 de maio


Ingressos: Pelo site bb.com.br/cultura e na bilheteria


Gratuito


Classificação indicativa: De acordo com cada filme


Endereço: Rua Álvares Penteado, 112 – Centro Histórico, Triângulo SP, São Paulo–SP


Acesso ao calçadão pela estação São Bento do Metrô


Funcionamento: Aberto todos os dias, das 9h às 19h, exceto às terças


Informações: (11) 4297-0600


Estacionamento conveniado: Rua da Consolação, 228.


Valor: R$ 14 pelo período de até 6 horas. É necessário validar o ticket na bilheteria do CCBB. Traslado gratuito até o CCBB. No trajeto de volta, a van tem parada na estação República do Metrô.


bb.com.br/cultura | twitter.com/ccbb_sp | facebook.com/ccbbsp | instagram.com/ccbbsp

ccbbsp@bb.com.br





Nenhum comentário