Books Brasil Books

Novidades

[News] Cantora e compositora Laura Finocchiaro apresenta “Oxi Pocket Show” no Teatro Garagem no Dia Internacional da Mulher


Oxigênio para o mundo, para as mulheres, para a vida

O mundo precisa de oxigênio. Aos 40 anos de carreira, a cantora e compositora Laura Finocchiaro sabe disso. Veio dessa necessidade vital, que ganhou ainda mais destaque por causa da Covid-19, a inspiração para o novo álbum da artista, OXIGÊNIO, que ela apresenta no show OXI POCKET SHOW, no dia 8 de março, às 21h, no Teatro Garagem, em São Paulo.

E já que é no Dia Internacional da Mulher, Laura homenageará Rita Lee, a escritora Cassandra Rios e a irmã, também cantora e compositora, Lory F, que morreu aos 34 anos, vítima de Aids, em 1993, com participação performática da atriz Anette Naiman traduzindo, em cena, as canções que Lory gravou.

De volta ao underground, Laura Finocchiaro prepara mixagens com bases eletrônicas para o show, em que ela vai cantar, tocar guitarra e violão synth.

“Montei o OXI POCKET SHOW para comemorar o Dia Internacional da Mulher e para celebrar o lançamento do novo álbum, OXIGÊNIO, em todas as plataformas desde novembro de 2021.

Neste momento de pandemia e guerra, precisamos de mais ar para respirar e de mais música e arte para aplacar nossas dores e as injustiças sociais”, destaca Laura.

O roteiro de OXI POCKET SHOW é formado por dez músicas originais, oito delas de Laura Finocchiaro e duas de Lory F. Para apresentar OXIGÊNIO, Laura selecionou canções que fazem parte do novo álbum e que falam da mulher e do universo feminino. Entre elas, estão "Chapéu" – escrita nos anos 1980, em parceria com a poeta Leca Machado, que exalta a força e a necessidade de estabelecer a personalidade feminina –; "Mulher Maria" é uma homenagem para as mulheres, representadas por Maria nesta canção que valoriza o universo feminino; "Amora" – parceria de Laura com o músico e produtor musical Hans Z. –, que conta a história de uma mulher nordestina enfrentando a pobreza, a segregação e o machismo para vencer na vida, estudar e trabalhar; e "Trans", de Laura, Hans Z. e do roteirista J. Caminha, que fala da LGBTfobia e, ao mesmo tempo, joga purpurina sobre diversas personalidades trans do Brasil.

No show, Laura apresenta também duas poesias da escritora Cassandra Rios musicadas por ela e que fazem parte da trilha sonora do documentário "Cassandra Rios: A safo de Perdizes", de Hanna Korick. Em clima de celebração do Dia Internacional da mulher, Laura presta homenagem para a irmã mais velha, Lory F, com participação performática da atriz Anette Naiman traduzindo, em cena, as canções que Lory gravou.

"Este show foi criado para comemorar o Dia Internacional da Mulher, mostrando as conquistas do universo feminino e, ao mesmo tempo, os preconceitos e problemas de gênero que persistem até os dias de hoje”, explica Laura, que fechará a apresentação cantando seu “Hino à diversidade” (Laura Finocchiaro, Glauco Mattoso e Roberto Firmino).

“Finalizo com essa canção para falar do meu sonho de que o mundo se torne um mundo onde a gente aprenda a ser gente, a conviver, respeitar todas as diferenças e quebrar todos os preconceitos. Para que o ser humano aprenda a viver plenamente, potente, como a natureza”, assim Laura explica sua proposta, sonhando em contribuir para realizar esse sonho com sua música.

Serviço: 
 


OXI POCKET SHOW

Dia 8 de março, às 21 h Teatro Garagem: Rua Silveira Rodrigues, 331 – Vila Romana – São Paulo

Ingressos: R$ 27 (meia) / R$ 54 (inteira)

Classificação: 18 anos




Nenhum comentário