Novidades

[News]Escritor de Minas Gerais incentiva população à leitura com doações e empréstimos de livros

Escritor de Minas Gerais incentiva população à leitura com doações e empréstimos de livros

Bruno Godoi, dono de uma cervejaria e autor de “HannaH”, mantêm o projeto “Esse livro não é meu” para estimular interesse pela leitura em Divinópolis (MG)


Em 2016, o Instituto Pró-Livro apontou que o brasileiro lê em média 2,43 livros por ano, um índice muito baixo, porém existem pessoas que buscam mudar essa realidade. Visado fomentar o desejo pela literatura em território brasileiro, o escritor Bruno Godoi se destaca ao ter lançado seis livros, contribuir em mais de dez antologias, e além disso, organizar o “Esse livro não é meu”, um projeto social que realiza doações e empréstimos de livros usados em Divinópolis, Minas Gerais.

Tudo começou no Hicksbiergarten, seu bar de cervejas especiais, na qual sempre ficou atrás dos balcões lendo e escrevendo, mas sentiu o desejo de compartilhar esse seu amor dentro do próprio estabelecimento. Foi lá que o autor montou um espaço para biblioteca e disponibilizou livros usados para que as pessoas pudesse escolher e fazer a leitura.

Atualmente Bruno Godoi contribui em diversas outras ações e instituições, recentemente doou 71 livros para um instituto que trabalha com crianças, mas também colaborou com uma ação que distribuiu 200 livros, realizado pela Rotary Club Divinópolis.

O projeto “Esse livro não é meu” aceita doações de exemplares para que mais pessoas possam ter contato com a literatura, muitos dos livros recebidos são por meio de uma biblioteca ao ar livre no estacionamento do shopping Viva Square, na qual a população também pode se sentir à vontade para pegar e fazer a leitura.

Em entrevista, o autor informou que os resultados são inspiradores: “São resultados inspiradores. Ver uma pessoa pegando os livros, folheando e levando pra casa é animador. Com essa pandemia o projeto teve que dar uma parada, mas quero retornar logo quando tudo se normalizar.”, ele acredita que mais de mil exemplares já foram doados.

Em 2019, Bruno Godoi lançou "HannaH", seu quinto romance, pelo Grupo Editorial Coerência e narra uma história cheia de espiritualidade com um plano de fundo científico, e saindo da zona de conforto, apresenta personagens femininos e desafios que mulheres vivem no mundo.


Sobre o autorBruno Godoi nasceu em Minas Gerais, mas optou por viver alguns anos em São Paulo devido à sua afinidade com a cidade. Membro da Academia Divinopolitana de Letras, roteirista, MBA em Book Publishing, ex-bombeiro militar e engenheiro civil pela Universidade do Estado de Minas Gerais, já publicou seis romances e contribuiu para dez antologias com seus contos. A partir de suas diárias visitas ao Parque do Ibirapuera, teve a ideia para "Hannah", um livro que promete surpreender os leitores. Atualmente, mora em Minas Gerais e tem um bar de cervejas especiais, o Hicksbiergarten, onde, além de ler e escrever no balcão, mantém um projeto social de doação e empréstimos de livros usados.


SinopseApós a cientista Camila Cassini captar uma sequência de áudios no espaço, a existência de Hannah, uma astrofísica de cinco séculos à frente, vem à tona. Além do fervor já esperado pela revelação de uma voz vinda do futuro, o teor da mensagem espanta todo o mundo: o fim da raça humana está próximo, e Hannah tem o material necessário para ajudar os humanos a evitar a extinção nos dias atuais, além de explicações sobre questões científicas e religiosas.

Rapidamente, muitos se interessam pelo material: os americanos acreditam se tratar do projeto de uma arma, o Vaticano pensa ser a resposta sobre Deus e os cientistas esperam uma equação matemática. Resta saber: quem está certo? Camila terá de ser rápida para descobrir o que Hannah fez para cruzar tempo e espaço enquanto se vê no meio de uma conspiração envolvendo bispos e líderes diplomáticos que acreditam estar diante da melhor oportunidade de se armar e sair na frente de outros países.

Instagram: @br.godoi


PR/Victor

Um comentário:

  1. Parabéns ao autor por promover a leitura e à Editora Coerência pela nova publicação.

    ResponderExcluir