Novidades

[Programação] Filmes em Destaque no Canal Brasil – 11 a 17 de maio

MINHA AVÓ ERA PALHAÇO (2016) (52’)


Horário: Segunda, dia 11, às 18h50

INÉDITO E EXCLUSIVO
 
Classificação: 10 anos

Sinopse: Mariana Gabriel mergulha em uma história de sua própria família para assinar, ao lado de Ana Minehira, este documentário sobre Dona Maria Eliza Alves dos Reis, sua avó e a primeira palhaça negra do país. Popularmente conhecida como Xamego, um arlequim de nome masculino que arrancava risadas do Circo Guarany na década de 1940, a artista encantou plateias Brasil adentro e se tornou um ícone dos picadeiros da época. Sua identidade e gênero, no entanto, nunca foram plenamente relevados ao seu público. Ao remontar a memória dessa pioneira circense, o filme joga luz em questões como o protagonismo negro e feminino em uma sociedade repleta de traços machistas e racistas.
 
BYE BYE BRASIL (1979) (102’) 


Horário: Terça, dia 12, às 23h45
Direção: Cacá Diegues
Classificação: 18 anos

Sinopse: Uma trupe de artistas ambulantes viaja pelo interior do Brasil. Um caminhão transporta a Caravana Rolidei e suas atrações: Salomé, a dançarina; Lorde Cigano, o mágico e Andorinha, o Rei dos Músculos.
 

NÓIS POR NÓIS (2020) (103’) 

 
Horário: Quarta, dia 13, às 21h30

INÉDITO E EXCLUSIVO

Classificação:
16 anos

Sinopse: Café (Matheus Pereira) organiza festas de hip hop na localidade e vive entre a cruel hostilidade da polícia e dos traficantes de drogas da região. Mari (Ma Ry), sua namorada, tem como principal objetivo conquistar o troféu de um disputado concurso de rimas. Gui (Maicon Douglas) está mais preocupado em garantir uma boa bilheteria para o evento e garantir seu lucro, enquanto Japa (Matheus Moura) luta para vender os produtos suspeitos de seu chefe, Nando.
 

RASGA CORAÇÃO (2018) (115’) 

 
Horário: Quinta, dia 14, às 22h
Direção: Jorge Furtado
Classificação: 16 anos

Sinopse: O longa conta a história de Manguari Pistolão (João Pedro Zappa na juventude e Marco Ricca na maturidade), militante anônimo, que depois de quarenta anos de luta por aquilo que ele considera novo e revolucionário, vê o filho Luca (Chay Suede) acusá-lo de conservador, antiquado, anacrônico. Sem dinheiro para fechar o mês, sofrendo com as dores de uma artrite crônica, e num crescente conflito com Luca, Manguari passa em revista seu passado e se vê repetindo as mesmas atitudes de seu pai. Intercalando fragmentos de vários momentos da vida de Manguari, o filme ilumina quarenta anos da vida política brasileira a partir de uma relação entre pai e filho.inusitadas.
 

DOIS DIAS, UMA NOITE (2015) (95’) 


Horário: Sexta, dia 15, às 23h10

ESTREIA

Direção:
Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
Classificação: 12 anos

Sinopse: Sandra (Marion Cotillard) passou um período de licença médica da fábrica em que trabalha por sofrer de depressão. Ao retornar, no entanto, a operária encontra uma situação inusitada; seu chefe deu aos colegas de trabalho o poder de decidir sua permanência e, caso a maioria tope dispensar um bônus salarial bastante interessante, ela recupera sua posição. Durante dois dias, a protagonista faz uma verdadeira peregrinação pela cidade para tentar convencer os companheiros a abdicar da premiação em prol de sua permanência. 
 
HOJE (2011) (87’) 
 

Horário: Sábado, dia 16, às 21h40

ESTREIA
  Direção: Tata Amaral
Classificação: 12 anos

Sinopse: Vera (Denise Fraga) ficou viúva após o desaparecimento do marido, vítima do regime militar instaurado no Brasil na década de 1960. A ex-militante vive apenas com o dinheiro da indenização paga pelo governo, o suficiente para lhe permitir comprar um apartamento novo. Quando a vida parece entrar novamente no rumo e um recomeço começa a surgir no horizonte, a mulher recebe uma visita capaz de alterar o rumo de seus planos.


CARANDIRU (2003) (146’)
 
 
Horário: Domingo, dia 17, às 23h10
Direção: Héctor Babenco
Classificação: 16 anos

Sinopse: Um médico (Luiz Carlos Vasconcelos) se oferece para realizar um trabalho de prevenção a AIDS no maior presídio da América Latina, o Carandiru. Lá ele convive com a realidade dos cárceres, que inclui violência, superlotação das celas e instalações precárias. Porém, apesar de todos os problemas, o médico logo percebe que os prisioneiros não são figuras demoníacas, existindo dentro da prisão solidariedade, organização e uma grande vontade de viver.


Nenhum comentário