Novidades

[News] Nova tecnologia de som 3D, Dolby Atmos®, chega para revolucionar o mercado de música no Brasil

A revolução de como escutamos música eletrônica chegou. A Dolby®, famosa por sempre transformar a ciência da visão e do som em experiências espetaculares, desenvolveu uma nova tecnologia intitulada Dolby Atmos®.

O som, que normalmente contém dois canais, conhecido também como “stereo”, agora pode ser em um sistema 11.1.10 para home-theater e para Cinema 7.1.2 com até 128 caixas de som e com 128 objetos. A nova tecnologia da Dolby® move o som ao seu redor, que ao invés de ficar restrito a apenas alguns canais, pode ser precisamente colocado e movido em um espaço tridimensional. Por isso, essa inteligência está sendo chamada de ‘som 3D’. A palavra ‘Atmos’ vem de atmosfera e descreve muito bem a sensação criada no ambiente.

Basicamente o Dolby Atmos® adiciona uma dimensão aérea, dando uma nova sensação de altura e espaço, criando uma atmosfera de áudio completa e retratando diversos sons como se fossem ao vivo. Desse modo, essa tecnologia produz uma qualidade de tirar o fôlego com clareza, riqueza de detalhes e profundidade surpreendentes. Com ela você vai experimentar a música como se ela estivesse sendo tocada bem na sua frente, com todos os instrumentos ao seu redor.

Você não precisa de nenhum equipamento especial para entender e viver tudo isso. Basta escutar uma música que tenha sido remixada nessa tecnologia. Ou seja, o Dolby Atmos® funciona em dispositivos móveis, adaptando a melhor experiência de som em seus alto-falantes ou fones de ouvido, e criando um áudio poderoso e em movimento, que flui acima e ao seu redor.

Em maio de 2019, a Dolby® também anunciou uma parceria com a Universal Music Group para remasterizar milhares de músicas. Um dos clubes mais famosos do mundo e que reina na noite de Londres, o Ministry of Sound, foi equipado com um sistema Dolby Atmos de 60 alto-falantes e 22 canais. Os DJs agora têm as ferramentas para elevar ainda mais a experiência de seus sets, usando mixes Atmos®, editando-os em tempo real para que certos elementos de uma faixa movimentem-se ao redor do clube e do público presente.

Durante o Amsterdam Dance Event, o DJ e produtor pioneiro, Sander van Doorn, quebrou barreiras. Em parceria com a Dolby Atmos®, o evento Purple Haze do artista holandês descartou as limitações de áudio em dois canais, substituindo-as por um som que gira em torno do ouvinte em um espaço tridimensional. A estreia dessa tecnologia em um clube em Amsterdã contou com a discografia completa de Purple Haze remixada no estúdio Dolby em Londres. Elevando os padrões de produção sonora e ultrapassando os limites dos sets de clubes, criando uma experiência de áudio abrangente e uma jornada musical inesquecível.

Agora, essa tecnologia está chegando ao Brasil pelas mãos  de André Zabeu e Paula Chalup. Os dois uniram-se para em março inaugurarem um estúdio no Itaim, em São Paulo, com a tecnologia para remasterizar tracks nesse novo formato. (Facebook / Instagram)

André Zabeu, além de DJ e produtor, também é engenheiro de áudio e por alguns anos trabalhou na Dolby®. Sobre a nova tecnologia, ele afirma: “Se você é DJ e produtor, poderá remixar toda a sua coletânea no nosso estúdio, criando uma nova experiência para seus fãs. Se você é dono de um clube, você pode oferecer essa experiência em suas noites e cativar ainda mais seu público. Esse é o futuro da experiência sonora”..

Paula Chalup, uma das figuras mais importantes da cena eletrônica underground nacional, tem estado no epicentro de cada uma das revoluções ao longo desses quase 20 anos de estrada. Multi-talentosa e sempre na vanguarda dos estilos que a consagraram, o techno e o house, a DJ e produtora está sempre em busca de fomentar o mercado eletrônico. Com o IAO, seu projeto solo de live PA, ela é a única mulher integrante da DOC Records, um dos mais importantes selos da atualidade, do ícone Gui Boratto. 

Outro detalhe incrível é que hoje podemos fazer apenas uma única mixagem em Dolby Atmos®, e a partir dela converter os arquivos para qualquer formato, como por exemplo para stereo, 5.1, 7.1, mono, stereo binaural para os fones de ouvido, e etc.

Melhor do que a gente explicar com palavras, é você escutar com seus próprios ouvidos. Dê o play nesses dois vídeo e entenda o que estamos falando.

                           Vídeo 1:

                                                           
                            Vídeo 2:



Nenhum comentário