Novidades

[News] Espetáculos infantis encerram temporada no Teatro Alfa dia 1º dezembro. Wakatta-Gensô, Ilusão e Princesa Falalinda, Sem Papas na Língua

Mesmo falado em japonês durante os 50 minutos de duração, o espetáculo Wakatta-Gensô, criação do grupo Oculto do Aparente, é entendido por crianças e adultos. A temporada se encerra dia 1º de dezembro no Teatro Alfa com sessões aos sábados e domingos, às 17h30. Wakatta (que significa entendi na língua japonesa) nasceu como uma performance, apresentada em japonês, com o ator Célio Amino empurrando um carrinho de chá, enquanto oferecia números de mágica. A nova versão de Wakatta,  Wakatta-Gensô , reúne 15 números de mágicas e um conceito delineado em referências a elementos da cultura japonesa, como o mangá Naruto, a tecnologia, o estilo Wazuma de mágica, o Teatro Nô e o Kabuki, mas combinados de uma maneira muito diferente do que os japoneses fariam.  "Todos  combinados de uma maneira bem diferente dos costumes japoneses", informa o ator e criador Célio Amino.  Em japonês, Gensô, quer dizer fantasia, ilusão. "Usa-se esta palavra para dizer, por exemplo, que a realidade é ilusória. Wakatta-Gensô, além de ser um espetáculo de mágica falado em japonês, há uma segunda camada, refletindo sobre a natureza do que é diferente, usando como ponto de referência a peça de teatro Nô Takasago", explica Célio Amino .

No palco, Amino - o intérprete do personagem Amino-san, o mágico que só fala japonês - ganhou o apoio de mais uma colaboradora. Interpretado por Luciana Beloli, o novo personagem é inspirado no Teatro Nô. O papel de Luana Tonetti bebe na fonte do Teatro Kabuki.  "Esta mudança faz com que o espetáculo ganhe um novo sentido, reforçando sua vocação para mostrar a diversidade, mesmo dentro de um país pequeno como o Japão." Célio comenta que vai apresentar números originais de mágica que surpreenderão até mesmo os mágicos profissionais.

Elenco: Célio Amino, Luana Tonetti e Luciana Beloli. Concepção e Direção: Grupo Oculto do Aparente. Luz: Eduardo Canejo. Trilha: Otávio Augusto e Luciana Beloli. Consultoria mágica: Edson Iwassaki, Kevin Iwassaki, Rudi Solon, Mário Kamia, Otávio Augusto, Ricardo Malerbi, Allan Chaubet, Eduardo Rozendo, Guilherme Gomieri, Guilherme Antônio, Juan Araújo. Identidade Visual/logo: Ikoni Design. Fotos: Cisco Vasques

Espetáculo Wakatta-Gensô.  Sala B do Teatro Alfa. Tel. (011) 5693-4000. Capacidade: 204 lugares. Temporada: Até 1º de dezembro. Sábados e domingos, às 17h30. Duração: 50 minutos. Classificação: Livre. Recomendado para crianças a partir de 6 anos.

Ingressos: R$ 40,00 (inteira para adultos) e R$ 20,00 (meia para crianças, estudantes e maiores de 60 anos). Grupo Alfa: 50% de desconto funcionários devidamente identificados. Banco Alfa: 20% de desconto para clientes devidamente identificados. Assinantes do teatro Alfa: 10% de desconto. Venda efetuada com cartões de crédito (Amex, Visa, Credicard e MasterCard), de segunda a sábado das 11h às 19h; e domingos das 11h às 17h. Os ingressos poderão ser retirados no próprio teatro no dia do espetáculo. Taxa de serviço de R$ 5,00 por ingresso adquirido para Sala A e R$ 2,00 para Sala B. Call Center Ingresso Rápido: (11) 4003-1212.

Em cartaz na Sala B do Teatro Alfa, carinhosamente chamada de Alfinha por abrigar espetáculos dedicados ao público infantil, o espetáculo Princesa Falalinda, Sem Papas na Língua, do grupo O Trem Companhia de Teatro, encerra temporada dia 1º de dezembro. Com direção de Cynthia Falabella, texto e dramaturgia de Lívia Gaudencio, as sessões acontecem aos sábados e domingos às 16 horas e narra a história de uma princesa nada convencional, que fala o que pensa e acaba sofrendo as consequências.

Princesa Falalinda, Sem Papas na Língua narra a história de uma Princesa que recebeu da Bruxa a maldição de não ter papas na língua. Na infância, Falalinda é vista como uma menina curiosa, inteligente e divertida. Porém, à medida que cresce, Falalinda não é tão bem-vinda com a sua honestidade e começa a ter problemas com o Rei, que afirma que o povo não quer uma Princesa que tem sempre algo a dizer, uma opinião a dar. Então, o Rei resolve fazer o que os reis fazem de melhor: conseguir maridos para as filhas! Assim, Falalinda se casa com um Príncipe que é especialista em colocar papas nas línguas das pessoas. Misturando humor e poesia, a peça reflete sobre o silenciamento feminino através de uma inversão dos arquétipos dos contos de fadas.

Com o passar do tempo, o Príncipe utiliza o som: “Shhh!” para todas as manifestações de fala da princesa. Até que ele a prende no alto de uma torre e Falalinda vai, aos poucos, perdendo a fala, até terminar completamente calada.  Mesmo com o arrependimento do Rei, a situação parece estar perdida. É quando a Bruxa, indignada por terem desfeito a sua maldição, acabou salvando Falalinda da prisão do silenciamento. No final, descobrimos que a Bruxa era na verdade a Rainha, a mãe de Falalinda.  A pedido do povo, Falalinda recebe a missão de governar os dois reinos e se torna a rainha mais honesta e amada das histórias.



Espetáculo infantil – Princesa Falalinda, Sem Papas na Língua. Sala B do Teatro Alfa. Tel. (011) 5693-4000. Capacidade: 204 lugares. Temporada: Até 1º de dezembro. Sábados e domingos, às 16h. Duração: 60 min. Classificação etária: Livre. Recomendado para crianças a partir de 5 anos. Ingressos: R$ 30,00 (inteira para adultos) e R$ 15,00 (meia para crianças, estudantes e maiores de 60 anos). Texto: Livia Gaudencio. Direção: Cynthia Falabella. Elenco: Bia Brumatti, Daniel Faria, Érica Montanheiro, Fafá Rennó, Giovanna Leão, José Sampaio e Livia Gaudencio. Direção de movimento e assistente de direção: Ana Paula Lopez. Trilha Sonora Original: Chuck Hipolitho e Thiago Guerra. Cenários e Figurinos: Kléber Montanheiro. Visagismo: Lira Ribas. Iluminação: Laura Salerno. Designer gráfico: Alexandre Brandão.


Teatro Alfa – Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722, tel. (11) 5693-4000. Site: www.teatroalfa.com.br Ingresso rápido ou pelos telefones: 11 5693-4000 | 0300 789-3377.. Acessibilidade - motora e visual. Estacionamento: Sala A - Vallet R$ 45,00 e Self Park R$ 31,00. Sala B - Vallet R$ 30,00 e Self Park R$ 20,00.


Nenhum comentário