26 setembro 2018

[Resenha] Rio Vermelho

Sinopse:Há vinte anos, Dennis Danson foi preso pelo assassinato brutal de uma jovem no condado de Red River, na Flórida. Agora ele é o assunto de um documentário sobre crimes reais que está lançando um frenesi online para descobrir a verdade e libertar um homem que foi condenado erroneamente. A mil milhas de distância na Inglaterra, Samantha está obcecado com o caso de Dennis. Ela troca cartas com ele e é rapidamente conquistada por seu aparente charme e bondade para ela. Logo ela deixou sua velha vida para se casar com ele e fazer campanha para sua libertação. Mas quando a campanha é bem sucedida e Dennis é libertado, Sam começa a descobrir novos detalhes que sugerem que ele pode não ser tão inocente...

O que eu achei?
Em Rio Vermelho vamos conhecer a história do Dennis, ele foi condenado pelo assassinato de uma jovem aos 20 anos no condado de Red River. Anos se passam e ele acaba participando de um documentário sobre crimes reais. Na verdade a investigação não foi lá muito a fundo e como sói tinham ele a quem pudesse ser ligado ao caso, o mesmo foi condenado a 20 anos de prisão.

Daí a premissa da história me lembrou bastante "Não Confie em Ninguém" do Charlie Donlea, pois teremos Samantha, que leva uma vida pacata e sem muita perspectiva e acaba se apaixonando por Dennis e decidem se casar e ela se torna um grande símbolo na luta por sua libertação, já que a mesma desde sempre não desconfiava que ele fosse culpado.

O livro tem um clímax tão envolvente que a proza de Amy Lloyd foi algo que me cativou por completo. No começo achei meio esquisito, não vou negar, a Sam trocando cartas com Dennis e o tom de conversa dos dois vai tomando mais forma com o passar do tempo e após muita luta ele vai ser solto. Não, isso não é um spoiler, pois é aí que as coisas começam a esquentar...

Será mesmo que Deenis é totalmente inocente? Será que ele tem algo a esconder? Será que mesmo com esse período que os dois se conheceram, resta ainda muita coisa para ser revelada? E é nesse tom que seguimos o livro, com uma constante pulga atrás da orelha e isso é uma sensação incrivelmente instigante.

A história tem seus altos e baixos, em alguns momentos eu achei que o desenrolar pecou no desenrolar e se prolongou mais do que deveria. Outros ela coloca muito bem a presença dos personagens e vai nos criando enigmas até o final e com um plot que é muito bom. Se você já for um leitor ávido do gênero, pode ser que você pesque o que vai acontecer na conclusão da história. Como disse acima, o livro me lembrou muito o livro do Charlie Donlea, mas posso dizer que não superou "Não Confie Em Ninguém", mas sim, Rio Vermelho é uma excelente leitura. 

Por Leonardo Alves

Nenhum comentário

Postar um comentário