26 setembro 2018

[Programação] Teatro de 25 de setembro a 2 de outubro

   Confira a agenda de teatro do RJ da semana:

                         SESC:

O condomínio, de 6 a 30 de setembro, quinta, sexta e sábado, 21h e domingo às 20h. 12 anos. Grátis para PCG, 7,50 para habilitados SESC, 15 meia-entrada e 30 a inteira.

Sesc Copacabana recebe “O condomínio”, uma comédia de humor negro, que fala sobre desconfiança, intolerância e radicalismos da sociedade brasileira atual. Em cartaz entre 6 a 30 de setembro, a peça tem como cenário o condomínio de um tradicional prédio, na Copacabana dos anos 40. Uma trama policial onde os latidos de um cachorro colocam todos os moradores em cheque. A peça é escrita pelo premiado dramaturgo Pedro Brício, que divide a direção com Alcemar Vieira, a direção de produção é de Claudia Marques e o elenco composto por Pedroca Monteiro e Sávio Moll. As apresentações, no Mezanino do Sesc Copacabana, acontecem de quinta a sábado, às 21h e domingo, às 20h. Durante a temporada, a cada noite, um ator ou atriz convidado vai participar da peça, interpretando um dos personagens.

Trajetória sexual,de 6 a 30 de setembro,quinta a sábado, 19h,domingos ás 18h. 18 anos. Grátis para PCG, 7,50 para habilitado SESC, 15 a meia e 30 a inteira.

X conta suas primeiras experiências sexuais. Entre elas: o sexo com o melhor amigo, com desconhecidos, com a ex-namorada, com a amiga transgênero, o fisting, em estados variados de consciência, em lugares públicos e o sexo com amor. Com Álamo Facó.

                   Teatro da Gávea

A demitida,de 3 de outubro a 21 de dezembro, sextas às 19h, 60 a inteira e 30 a meia.


Família estruturada composta por pai, mãe, um casal de filhos e a empregada doméstica e veem diante de novas situações com a demissão da matriarca. Fato que mexe com todo o cotidiano dessa família e traz dúvidas e afirmações à tona para serem discutidas. Júlia,a mãe, avalia sua importância e futuro papel na família; sempre muito preocupada também com a própria vaidade e no quanto essa demissão pode mudar o rumo de sua vida, até mesmo sua forma física e mental. Patrícia, filha consumista ao extremo, não mede consequência de seus gastos, simplesmente por considerar que cada despesa não é nada menos que uma prova de amor para consigo mesma. Júnior, filho muito atencioso e dedicado à mãe; inteligência não é o seu forte, mas se preocupa com o bem estar da família. Vive o dilema da abertura do diálogo sobre sua sexualidade que já é bem definida.
Josevânia, é uma doméstica, que por servir a família durante anos, tornou-se intimamente um membro dela. Debochada, tem humor satírico palpitando em tudo. É convencida de si própria e se acha uma diva incompreendida. Carlos, o pai, é quem menos mostra preocupação com o fato do desemprego da mulher, talvez pelo conceito de que essa mudança agora lhe dará uma esposa mais dedicada, uma “Amélia” nas obrigações matrimoniais. Obrigações estas que são refletidas em cena. Sua preocupação maior é a dúvida sobre a sexualidade do filho.

   O mágico de Oz-Uma aventura em busca do sonho, sábados, domingos e feriados às 17h. 60 a inteira e 30 a meia.

Após grande sucesso nos últimos anos, o espetáculo “O Mágico de OZ, uma aventura em busca do sonho” volta aos palcos do Teatro Vannucci em 2018 para uma nova temporada encantando crianças e adultos.

Desde sua estreia, em 2014, a montagem recebeu ótimas críticas pela adaptação e direção (Carla Reis), canções originais (Bruno Camurati), cenário (Pedro Valério) e figurinos (Fernanda Lima. Foi eleita pela revista Veja Rio entre as cinco melhores peças em cartaz na cidade. Ganhou o prêmio de “Melhor Diretor de Teatro Infantil”, além de ser indicado em diversas categorias como: Melhor Espetáculo do ano, Melhor Texto, Melhor Ator e Melhor Atriz, na premiação do site Botequim Cultural.
O musical traz como destaque principal a linha tênue entre o bem e o mal através do conflito da famosa Bruxa Má do Oeste. A dúvida em escolher ser uma Bruxa Boa ou uma Bruxa Má conduz a história e que faz com que todos os outros acontecimentos se desenrolem na trama a partir deste ponto.
Com muito humor e emoção, coreografias e números musicais, cantados ao vivo, que inclui desde country até hip-hop na trilha, o espetáculo é moderno, mas mantém toda a essência do conto original e magia do mundo de Oz. Seus personagens lúdicos e inesquecíveis contam a trajetória de uma menina, um espantalho, um homem de lata e um leão que vão à procura do Mágico de Oz para realizar seus sonhos, mas são impedidos pela Bruxa Má. A partir daí, cada um deles descubra dentro de si qualidades que eles nem imaginavam que possuíam: inteligência (espantalho), sentimentos (homem de lata), coragem (leão).
Publicado pela primeira vez em 1900, ‘O Mágico de Oz’ tornou-se um dos livros mais lidos e amados de todos os tempos e se matem atual e necessário até os dias de hoje. Um ótimo programa para a família.
Uma verdadeira lição de vida e aprendizado sobre quem realmente somos nós!

                  Teatro Bradesco
God save the Queen,dia 27 de setembro às 21h.De 100 a 180 reais.

A Opus Promoções comunica o adiamento do espetáculo God Save the Queen, que ocorreria no dia 26 de setembro, no Teatro Bradesco, no Rio de Janeiro, devido a questões de logística. A nova data da apresentação será dia 27 de setembro, no mesmo horário e local inicialmente marcados. Os ingressos já adquiridos seguem válidos para a nova data. Os realizadores e a equipe do espetáculo agradecem a compreensão do público.
Aos clientes que optarem pelo reembolso dos valores de ingressos, as solicitações deverão ocorrer até o dia 24/10, no mesmo local da compra, mediante apresentação de documento de identidade e ingressos.
Aos que adquiriram ingressos pela internet, no site Uhuu.com, o estorno poderá ser solicitado por uma das seguintes formas:
Portal - diretamente pelo portal fazendo o login, acessando “Perfil”, “Meus Pedidos” e
“Solicitar Cancelamento”.
E-mail - enviando e-mail com o título “ADIAMENTO GOD SAVE THE QUEEN” para falecom@uhuu.com
Chat online- Acessando o portal Uhuu.com, opção “Ajuda”
PRAZOS DE REEMBOLSOS
Cartão de Crédito: o estorno acontecerá na próxima fatura ou na fatura subsequente, de acordo com o fechamento da sua fatura*
Cartão de débito: 15 dias úteis para reembolso;
Em dinheiro: a devolução acontecerá igualmente em dinheiro;
*Conforme regras da sua administradora de cartão, para compras realizadas acima de 90 dias,
a Uhuu poderá em alguns casos, solicitar os seus dados bancários para depósito.
O Tributo ao Queen que mais triunfa no mundo apresenta:
"20 YEARS"
Na apresentação de seu novo espetáculo, "20 YEARS" , God Save The Queen reuniu os melhores clássicos do Queen num show eletrizante para sua turnê mundial 2018, comemorando seus 20 anos de sucesso.
Com vestuários, sons e instrumentos exatamente semelhantes aos originais, durante os 110 minutos do show, passeiam por clássicos como Bohemian Rhapsody, Radio Gaga, We will Rock You, We Are The Champions, entre outros.
A banda apresenta músicas de todas as épocas completamente ao vivo. Não tem vozes, coros, ou instrumentos agregados, muito menos qualquer recurso de Play back. As canções são respeitadas minuciosamente em seus arranjos originais, absolutamente AO VIVO.
A semelhança física e vocal de Pablo Padín com Freddie Mercury & os demais integrantes da banda God Save The Queen, com o grupo original é sem dúvida a chave do éxito deste famoso quarteto, eleitos em 2011 pela Revista Rolling Stone como o melhor tributo de todos os tributos do mundo.


O frenético Dancin´Days, dia 28 às 21h, dia 29 às 17h e 21h e 30 de setembro às 15h e 18 de setembro.De 75 a 160 reais.

Asas abertas, feras soltas, o Rio de Janeiro era uma festa. E não havia lugar mais adequado para celebrar do que o Frenetic Dancing´Days Discotheque, boate idealizada pelos amigos Nelson Motta, Scarlet Moon, Leonardo Netto, Dom Pepe e Djalma. E por que não resgatar esse tempo quando o carioca era feliz e sabia? Os dias de alegria estão de volta!
Ao lado de Patrícia Andrade, o próprio Nelson Motta assina a história de ‘O Frenético Dancin' Days’. O musical marca a estreia da coreógrafa e bailarina Deborah Colker na direção de um espetáculo teatral, com realização das Irmãs Motta e Opus e direção de produção de Joana Motta.
O musical será uma superprodução, com 17 atores e sete bailarinos, escolhidos através de audições, à exceção de Stella Miranda, uma das mais importantes atrizes de musicais do país, que foi convidada especialmente para o projeto. Além de Stella, que interpreta Dona Dayse, o elenco é formado por: Ariane Souza (Madalena), Bruno Fraga (Nelson Motta), Cadu Fávero (Djalma), Franco Kuster (Léo Netto), Gabriel Manita (Inácio/Catarino), Karine Barros (coro/stand in feminino), Larissa Venturini (Scarlet), Natasha Jascalevich (Bárbara), Thadeu Matos (Tony Manero), além das Frenéticas: Carol Rangel (Edyr de Castro), Ester Freitas (Dhu Moraes), Ingrid Gaigher (Lidoca), Julia Gorman (Regina Chaves), Larissa Carneiro (Leiloca) e Ludmila Brandão (Sandra Pêra).
Deborah Colker (que acaba de ser premiada na Rússia com o Prix Benois de la Danse, considerado o Oscar da Dança) assina também as coreografias e terá ao seu lado uma ficha técnica de peso: Gringo Cardia (cenários), Maneco Quinderé (designer de luz) e Alexandre Elias (direção musical). Passarão pelo palco os principais personagens que marcaram não apenas a história da boate, mas da cultura nacional.
A noite carioca fervia nos anos 70, quando a casa foi criada para inaugurar também o Shopping da Gávea. A cena disco estava explodindo em Nova York, mas ainda não tinha acontecido no Brasil. O Dancin´Days foi inaugurado em 05 de agosto de 1976 e marcou a chegada da discoteca no país. Lady Zu, Banda Black in Rio, Tim Maia, a pista da boate fervia. Na casa, se apresentaram nomes como Rita Lee (ainda com o Tutti-Frutti), Raul Seixas, Gilberto Gil.
Entretanto, nada causou tanta sensação quanto o surgimento das Frenéticas. Contratadas inicialmente como garçonetes, elas também faziam uma breve apresentação durante a madrugada. O sucesso foi imediato: Leiloca, Sandra Pera, Lidoca, Edyr, Dhu Moraes e Regina Chaves logo abandonaram as bandejas e assumiram os holofotes. Elas foram o primeiro grupo contratado da multinacional Warner, que estava aportando no Brasil. O país inteiro cantou ‘Dancin´Days’, ‘Perigosa’, ‘O Preto que satisfaz’ (abertura da novela ‘Feijão Maravilha’, da TV Globo), entre tantas outras.
A boate funcionou por apenas quatro meses, pois o contrato era limitado ao período que antecedia a abertura do Teatro dos Quatro. Ela celebrava um Rio e um país que conseguiam ser livres, apesar da ditadura militar. A casa reunia famosos e anônimos, hippies e comunistas, todas as tribos com o único objetivo de celebrar a vida. O sucesso foi tamanho que a casa foi reaberta no Morro da Urca e inspirou a novela ‘Dancin´ Days’, de Gilberto Braga, que tinha a música homônima das Frenéticas como tema de abertura. O país inteirou caiu na gandaia e entrou na festa.
E é justamente esta festa que estará de volta a partir de agosto. O espetáculo relembrará grandes clássicos da discoteca como ‘I love the nightlife’, ‘You make me feel might real’, ‘We are Family’, ‘Y.M.C.A’, ‘Stayin´alive’, além de clássicos das Frenéticas e grandes sucessos nacionais da época, como ‘Marrom Glacê’ e ‘A noite vai chegar’, entre outros. O Rio de Janeiro voltará a sorrir!

Nenhum comentário

Postar um comentário