28 setembro 2018

[Programação] Filmes em Destaque no Canal Brasil de 01 a 07 de Outubro

Fattoruso (2017) (83’) 



Horário: Segunda, dia 01, às 22h
Apresentação: Amir Labaki
Direção: Santiago Bednarik
Classificação: Livre

Sinopse:
Hugo Fattoruso é uma das personalidades mais importantes da música uruguaia e sul-americana. Sentado ao piano, com os foles do acordeão ou as cordas de uma guitarra nas mãos, o compositor surgiu como uma estrela do rock nos anos 1960, cruzou a fronteira com o Brasil e acompanhou grandes nomes da MPB e montou trios e quartetos de jazz com grande virtuosismo. O cineasta Santiago Bednarik, seu compatriota, faz um registro da vida e obra do músico, ainda pouco conhecido por aqui, mas celebrado por compositores do naipe de Chico Buarque, Djavan, Milton Nascimento e João Bosco, passando por detalhes de uma carreira bem-sucedida de mais de meio século. O documentário é uma coprodução entre o Canal Brasil e A Gente Produções Artísticas.

O filme caminha cronologicamente pela trajetória de Hugo ao longo dos anos, começando pela influência familiar de seu pai, com quem montou seu primeiro trio quando tinha apenas 12 anos. Ainda muito jovem, deixou o acordeão e o piano de lado momentaneamente e assumiu os vocais e a guitarra de Los Shakers, considerados o The Beatles uruguaio – as semelhanças iam além da música, com vestimentas e aparências inspiradas nos rapazes de Liverpool (Inglaterra). Do rock dos anos 1960, o compositor mergulhou na psicodelia da década seguinte e montou o Opa, migrando para uma vertente de fusion e jazz. O estilo o acompanha desde então, com a formação de mais de 10 projetos diferentes – a grande maioria deles com membros de sua família, remetendo ao início da sua carreira.


O Tempo E O Vento (2013) (127’)



Horário: Terça, dia 02, às 22h
Direção: Jayme Monjardim
Classificação: 14 anos

Sinopse: O Rio Grande do Sul do fim do século 19 é o palco para esse drama histórico que traça, por mais de 100 anos, um painel da formação social e política da região. Bibiana Terra (Fernanda Montenegro, já na terceira idade, e Marjorie Estiano, quando nova) é a mais velha de sua família e narradora dessa trama. A personagem contextualiza o centenário confronto entre as famílias Amaral, republicana, e a Terra-Cambará, federalista, na cidade de Santa Fé. Após mais uma investida armada da primeira, a segunda tem seu sobrado invadido e se vê obrigada a se defender com as poucas armas à disposição. A vigília permanece por dias, mas a comida logo começa a faltar e a matriarca, idosa e enferma, recebe a visita do falecido marido, o capitão Rodrigo (Thiago Lacerda). Juntos, eles resgatam a trajetória do conflito e do amor separado pela morte.



Olga (2004) (99’) 




Horário: Quarta, dia 03, às 22h
Direção: Jayme Monjardim
Classificação: 14 anos

Sinopse: Olga Benário (Camila Morgado) é uma jovem judia que vive em Berlim, no início do século XX. Militante comunista, ela é perseguida pela polícia e foge para Moscou, onde recebe treinamento militar e é encarregada de acompanhar Luís Carlos Prestes (Caco Ciocler) de volta ao Brasil. Na viagem, enquanto planejam a Intentona Comunista contra o presidente Getúlio Vargas, os dois se apaixonam. Parceiros na vida e na política, Olga e Prestes terão de lutar pelo amor, pelo comunismo e, principalmente, pela sobrevivência. 



Fala Comigo (2017) (92’) 




Direção:
Felipe Scholl
Classificação: 14 anos

Sinopse: Em seu primeiro longa-metragem como diretor, Felipe Sholl se volta para a vida de Diogo (Tom Karabachian), um jovem de 17 anos que se excita ligando para as pacientes da sua mãe, a psicóloga Clarice (Denise Fraga). Certo dia, ele liga para Ângela (Karine Teles), uma mulher de 43 anos que acaba de enfrentar uma separação traumática, capaz de afunda-la numa crise depressiva. Ansiosa pelo retorno do cônjuge, atende esperançosa e conversa, sem retorno, com o jovem como se fosse o marido. Como encontra retorno do outro lado da linha, Diogo passa a ligar com frequência para Ângela, que logo descobre que ele é o autor das misteriosas chamadas – a revelação da identidade do responsável pelos telefonemas abre espaço para uma série de questionamentos morais sobre a conduta de todos os personagens do filme.



Chatô – O Rei do Brasil (2016) (102’)




Horário:
Sexta, dia 05, às 19:40
Direção: Guilherme Fontes
Classificação: 14 anos

Sinopse: A obra faz uma retrospectiva bem-humorada da complexa trajetória de Assis Chateaubriand (Marco Ricca) ao longo de sua vida. Para isso, a direção adotou uma narrativa repleta de flashbacks criados a partir de um local bem peculiar à biografia do protagonista. A biografia de Chateaubriand se confunde com momentos fundamentais da história do país. O filme remonta as muitas entrevistas e o convívio próximo com Getúlio Vargas (Paulo Betti), mesmo antes do político assumir a presidência, e os momentos de ciúme de Vivi Sampaio (Andréa Beltrão). Bordões eternizados pelo protagonista como “anúncio é dinheiro, notícia é perfumaria” explicam seu tino para os negócios e ao mesmo tempo mostram como o advogado e jornalista criou manchetes e usou seu poder para derrubar ou ascender empresas e governos. Do trabalho nos jornais, passando pela criação de emissoras de rádio e televisão até o gosto pelas artes clássicas, o roteiro mostra como esse paraibano de tantas facetas eternizou seu nome nas páginas de jornal e livros – e, finalmente, na tela do cinema. 


Se Deus Vier Que Venha Armado (2015) (87’)




Horário: Sábado, dia 06, às 22h
Direção: Luis Dantas
Classificação: 16 anos

Sinopse: Após ser liberado temporariamente da prisão, um presidiário tem 72 horas para visitar o seu irmão, encontrar um amigo de infância e encontrar com uma mulher. Entretanto, ele também tem uma missão a cumprir para os chefes do crime, como parte de uma onda de ataques do PCC no estado de São Paulo.


Camino de Campaña (2014) (88’) 







Horário: Domingo, dia 07, às 22h
INÉDITO E EXCLUSIVO
Classificação: 14 anos

Sinopse: Augustín (Agustín Rittano) retorna à sua terra natal, um pequeno vilarejo ao pé das montanhas, para aguardar um julgamento capaz de alterar todo seu futuro. O homem é acusado de ser o assassino de seus pais e, depois do falecimento deles, fugiu do lugar. O retorno, como é de se esperar, não é trivial para o protagonista. Ele reencontra alguns vizinhos antigos e se depara com novos habitantes do lugar – o personagem não conhece os novos moradores, mas a recíproca não é verdadeira devido ao burburinho relacionado à sua história. A chegada do protagonista causa uma comoção contida na cidade, tanto pela possibilidade de esbarrar novamente com amigos quanto pelos olhares curiosos e a dúvida sobre a chance de sua prisão. O julgamento, no entanto, é pouco comentado entre os locais e ganha um ar de tabu ao pé das montanhas.




Nenhum comentário

Postar um comentário